Terra Esportes

                                                                                     

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) tenta evitar a desistência dos times mexicanos na Copa Libertadores. Para isso, marcou uma partida única no Estádio do Morumbi, no caso do jogo Chivas x São Paulo, e no Estádio Parque Central, no Uruguai, no caso do duelo San Luis x Nacional. As partidas seriam disputadas dia 20 de maio. No entanto, as duas equipes mexicanas não aceitaram o decreto da Conmebol. Assim, de acordo com Néstor Benítez, porta-voz da entidade sul-americana, Nacional e São Paulo estariam automaticamente classificados às quartas-de-final da Libertadores.

A indecisão sobre os duelos válidos pelas oitavas-de-final da maior competição de clubes do continente ocorre por conta do surto de gripe suína, que já matou dezenas de pessoas no mundo e tem como principal local o próprio México. “A única possibilidade que existia, na teoria, era jogar apenas uma partida, mas as equipes mexicanas não estão de acordo”, afirmou a Federação Mexicana de Futebol em seu site oficial.

Já pelo lado do São Paulo, o diretor do time paulista João Paulo de Jesus Lopes acredita que a decisão mais sensata é ter um jogo único no Brasil e não a desistência dos mexicanos e explica sua posição com motivos financeiros.  “Nós entramos na competição para disputar as sete partidas, até porque cada partida jogada em nosso estádio tem uma receita importante. Cada partida não jogada pode nos dar prejuízo. Mas entendemos que a Conmebol tem a posição mais aceitada e acatamos com suas decisões”, afirmou o são-paulino, em entrevista à ESPN Brasil.