Neto Baiano abre o placar a 1m20s, mas Elton empata logo depois e garante a classificação. Corinthians é o adversário na semifinal

do Globoesporte.com

Se o primeiro minuto da partida prenunciou uma tragédia para os vascaínos, o restante da noite foi uma aula de maturidade e de vontade. Com um empate em 1 a 1 no Barradão, o Vasco somou 5 a 1 sobre o Vitória no placar geral e garantiu a classificação para as semifinais da Copa do Brasil (confira os melhores momentos da partida no vídeo ao lado). O próximo adversário é o Corinthians, que passou pelo Fluminense, após empatar em 2 a 2, no Maracanã.

O jogo começou nervoso para os vascaínos. Logo no primeiro minuto, Neto Baiano abriu o placar para o Vitória, em cobrança de falta. Aos quatro, porém, Elton empatou o placar e devolveu a tranquilidade ao time carioca. Após um primeiro tempo tenso, a equipe de Dorival Júnior mostrou maturidade e não teve problemas para avançar na competição.

Nesta quinta-feira à tarde, a CBF vai realizar um sorteio para decidir os mandos de campo nos confrontos da próxima fase.

No próximo fim de semana, os dois times se voltam para outros compromissos. Neste sábado, o Vasco encara o São Caetano, em São Januário, pela terceira rodada da Série B. No domingo, o Vitória tem pela frente o Cruzeiro, pelo Brasileirão.

Gol relâmpago, e resposta em seguida

Com quatro atacantes na escalação inicial, o Vitória mostrou que estava disposto a complicar a vida do Vasco logo a 1m20s. Uelliton puxava o ataque pela direita quando foi derrubado por Gian. Na cobrança, Ramon rolou para Neto Baiano, que mandou uma bomba para o gol. Fernando Prass pulou atrasado e aceitou: 1 a 0 para o time da casa. Nervosismo estampado no rosto de Dorival Júnior, e festa na torcida rubro-negra.

O gol animou ainda mais o Vitória, que foi para cima, mas deixava muitos espaços atrás, facilitando os contra-ataques do time carioca. E foi assim que, aos quatro minutos, o Vasco chegou ao empate. Enrico foi lançado por Ramon na esquerda e mandou para a área. Elton se antecipou à zaga e tocou para o fundo das redes, sem chances para Viáfara.

No momento, o Vitória precisava de seis gols para alcançar a vaga. Assim, no desespero, o time baiano foi todo para o ataque, mas esbarrava na boa marcação vascaína. Do outro lado, o time carioca continuava apostando no contra-ataque. Em um deles, Amaral foi derrubado por Neto Baiano na direita. Na cobrança, Nilton mandou para a área, e Gian cabeçou para marcar o segundo. O árbitro, porém, anulou o lance, alegando impedimento do zagueiro na jogada.

O Vitória continuou no ataque e voltou a ameaçar aos 12. Wallace cruzou para a área, e Neto Baiano quase alcançou, mas Fernando Prass conseguiu a antecipação. Aos 16, Carlos Alberto fez falta em Uelliton e recebeu amarelo, desfalcando a equipe no primeiro confronto contra o Corinthians nas semifinais. No minuto seguinte, o time rubro-negro teve sua chance mais clara, em nova bola alçada à área. Após cruzamento, Neto Baiano resvalou de cabeça, e a bola sobrou limpa para Washington, que chutou rasteiro. O goleiro vascaíno fez ótima defesa.

Recuado atrás, o time vascaíno só chegou novamente com perigo no ataque aos 24. Após ótimo passe de Carlos Alberto, Elton entrou livre na área e deu um toquinho na bola, tentando encobrir Viáfara. O goleiro rubro-negro, porém, conseguiu fazer a defesa.

A partida, então, ganhou em tensão. Nervosos com o placar, os jogadores do Vitória abusavam das faltas e se perdiam em campo. Do outro lado, Carlos Alberto também exagerava nas reclamações. O time baiano voltou a ameaçar aos 37. Ramon deu belo passe para André Luís, que entrou livre na área. O atacante chutou rasteiro, e Fernando Prass caiu bem para fazer a defesa.

Aos 41, fora do lance da bola, Neto Baiano cuspiu no rosto de Ramon e, após aviso do bandeirinha, foi expulso pelo árbitro André Luiz de Freitas Castro. A expulsão do atacante, que durante a semana avisou que marcaria três gols nesta noite, gerou festa no banco vascaíno. Após o recomeço da partida, mais tranqüilo em campo, o Vasco quase chegou ao segundo, aos 47. Nilton deixou Enrico livre pela esquerda. O jogador rolou para Ramon, que chegou chutando, mas a bola foi para fora.

Tranquilo, Vasco garante a classificação

No segundo tempo, Dorival preferiu tirar Carlos Alberto, muito nervoso em campo, e pôr Rodrigo Pimpão. Pelo Vitória, Carpegiani optou pela entrada de Carlos Alberto no lugar de Ramon, sumido em campo. Mas, diferentemente da primeira etapa, os dois times entraram em um ritmo mais lento, tocando a bola no meio-campo. A primeira chance foi do Vasco, somente aos 13 minutos. Ramon lançou Rodrigo Pimpão, que invadiu a área e chutou para fora. Mas o árbitro já marcava o impedimento.

Mostrando tranqüilidade, o time vascaíno tocava bem a bola e esperava o Vitória na defesa. Desanimados, os jogadores rubro-negros quase não ameaçavam e facilitavam a marcação adversária.

Assim, o Vasco cresceu na partida. Ramon furou a marcação pela esquerda, invadiu a área e chutou forte. Viáfara fez grande defesa, aos 26 minutos. Pimpão também quase marcou, aos 30, mas chutou fraco, nas mãos do goleiro rubro-negro.

Aproveitando o desânimo e a apatia baiana, o Vasco transformou a partida em um perfeito jogo-treino. Com maturidade, os jogadores vascaínos não permitiram qualquer tipo de ameaça e voltam para o Rio de Janeiro com a vaga na semifinal garantida. Após o apito final, festa dos torcedores cruzmaltinos presentes ao Barradão.