Fonte: Globo Esportes


Em maio deste ano, o Comitê Olímpico Brasileiro recebeu a comitiva de inspeção do COI

Há pouco mais de um ano, eles estão debruçados num “tabuleiro de xadrez”. O trabalho nos bastidores para convencer os membros do Comitê Olímpico Internacional (COI) de que o Rio de Janeiro é a melhor escolha para sede das Olimpíadas de 2016 envolveu muitas viagens e conversas ao pé do ouvido. Na reta final da campanha, os organizadores da candidatura brasileira fazem segredo sobre suas últimas investidas e optam pela dedicação total.

– Estamos fazendo um grande esforço de comunicação. Vamos trabalhar mais do que os outros até o último minuto. Essa é a maior concorrência que existe no mundo, e vamos fazer o corpo a corpo até o fim. Já falamos com todos os eleitores, com a maioria deles mais de uma vez. A história das Olimpíadas mostra que muitas decisões são nos momentos finais. Estamos focados, conversando com formadores de opinião e visitando as federações internacionais – disse Carlos Roberto Osório, secretário-geral do comitê Rio-2016.

Na tentativa de alinhavar possíveis votos, a campanha se fez presente nos cinco continentes, durante todos os eventos onde havia votantes. O comitê diz que todas as regras estabelecidas pelo COI foram respeitadas. Entre as muitas cidades visitadas estão Zagreb, Beirute, Campala, Istambul, Queenstown, Katowice, Helsinque, Havana, Cingapura e a ilha de Bali.