Fonte:Tribuna da Bahia

O sentimento de impotência, de limitação técnica, ainda persiste no torcedor do Bahia, que lamenta a forma como o time foi eliminado da 3ª fase da Copa do Brasil, por um adversário que não tem um perfil dos grandes clubes do futebol brasileiro. Mas no Fazendão, a ordem é esquecer a competição, e, a partir de agora, todos os objetivos estarão voltados para a preparação da equipe rumo à conquista do título de campeão baiano de 2010, taça que não levanta desde o ano de 2001.

A excelente campanha nos jogos de ida da 2ª fase do Campeonato Baiano, com três triunfos consecutivos e o empate contra o Camaçari, garantiu ao Bahia a classificação antecipada para as semifinais, e o técnico Renato Gaúcho vai aproveitar as duas últimas rodadas para ajustar, definir a escalação base da equipe, os 11 titulares, visando as semifinais e finais do Baiano.

No jogo de amanhã, contra o Fluminense, no Estádio Alberto Oliveira, em Feira de Santana, o Bahia joga para carimbar a sua condição de líder do Grupo 4, que lhe dará a vantagem de jogar a segunda partida das semifinais, em casa, no Estádio do Parque Metropolitano de Pituaçu, contra qualquer adversário, Vitória, ou Bahia de Feira de Santana. Três jogadores estão de fora desta partida: o lateral-direito Apodi, e o atacante Rodrigo Grahl, ambos vetados pelo Departamento Médico, e o meia Raphael Luz, suspenso pela 3ª advertência do cartão amarelo.

Nos planos do técnico Renato Gaúcho, o time deve promover a estreia de Carlos Alberto na lateral-direta, jogador que teve seu nome publicado no BID (Boletim Informativo Diário) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e já está regularizado, à disposição do treinador, e a volta do centroavante Lima, recuperado da lesão no tornozelo, que realizou trabalhos físicos na academia, e treinou com o grupo na sexta-feira.

Os trabalhos desta manhã no CT do Fazendão vão definir as condições física e técnica de Carlos Alberto e Lima para este jogo contra o Fluminense, em Feira de Santana.

O técnico Renato Gaúcho foi um dos que mais lamentaram a desclassificação do Bahia na Copa do Brasil. O treinador admite que seu time tinha reais condições de vencer o Atlético de Goiás pela diferença de dois a três gols, e creditou às contusões de Grahl e Apodi, os principais motivos da eliminação tricolor, atrapalhando completamente seus planos para a partida em Pituaçu.