Fonte: Correio da Bahia

O Bahia de 2011 é ousado. As metas para o novo ano na Série A são, no mínimo, esperançosas. Pelo menos nas palavras do diretor de futebol Paulo Angioni. “Nós temos metas bem claras: ganhar o Baiano, a Copa do Brasil e ir para a Sul-Americana”. Na apresentação do elenco para a temporada, os nomes conhecidos chamaram atenção. Tiago, Boquita e Souza foram os únicos que falaram. E a empolgação deles estava visível logo no discurso. Dá até pra empolgar o torcedor.

“Não vim aqui pra disputar campeonato e ficar no meio de tabela, não. Quero ganhar títulos com a camisa do Bahia”, falou o meia Boquita, 20 anos, e firmeza de um coroa.

Souza, ex-atacante do Corinthians, espera recuperar o bom futebol no tricolor. A fala é praticamente a mesma. “Eu sempre ganhei títulos por onde passei e aqui não vai ser diferente”, disse. Depois, ainda completou. “Vim por causa do planejamento e da torcida”.

Nem a média de idade de 22 anos dos 14 novos contratados preocupa. O goleiro Tiago, 27 anos, é um dos mais experientes e confia no potencial dos colegas. Segundo ele, a juventude também pode ser aliada.

“Vai ser muito bom jogar no Bahia. Vamos ter dificuldades nos primeiros jogos, sem ritmo. Mas na raça e na vontade vamos superar isso. A torcida vai nos ajudar”, acredita.

Dos 14 reforços, cinco não foram apresentados ainda: o atacante Pedro Beda, os meias Camacho, Jones e Zezinho e o volante Rafael Jataí. Os dois últimos foram aos respectivos clubes, Santos e Atlético Mineiro, para assinar o documento de liberação e chegarão hoje. Camacho e Jones chegaram ontem à tarde. Além deles, Jael e Fábio Bahia também só voltam a treinar hoje.

Sonho
A estreia no Baiano é dia 16, contra o Serrano, em Vitória da Conquista. Tempo curto para o treinador Rogério Lourenço montar a equipe ideal. O comandante, no entanto, não faz muito mistério em relação às suas escolhas.

Com dois centroavantes de peso, por exemplo, a dúvida já foi instalada na cabeça do torcedor. Jael e Souza vão jogar juntos ou um dos dois vai parar no banco de reservas?

Lourenço responde na lata. “Vamos analisar todas as possibilidades e escalar os melhores em campo. Se tiver de jogar com os dois na frente, vamos jogar. Isso é muito relativo”, explica.

O técnico destaca a força da torcida do Bahia. Pela televisão, assistiu a alguns jogos do Esquadrão na Série B do ano passado. Agora, à frente do time, quer fazer jus à lealdade da torcida. “Temos que sonhar grande, pela história e força do Bahia. Existe um grupo capacitado aqui e sempre precisamos brigar por títulos”.

Amanhã, começam os trabalhos de campo. Até agora, só testes físicos e exames médicos. A direção procura um zagueiro para suprir a dispensa de Alison. Marcos é o único lateral direito do elenco e outro vai ser contratado. Bebeto será emprestado.