Fonte: Ibahia

As reclamações dos jogadores do Serrano por conta do gramado do estádio Lomanto Júnior, em Vitória da Conquista, não vão sensibilizar a prefeitura, pelo menos por enquanto. Tanto que, depois de uma semana de treinamentos no estádio, que recebeu a estreia do time no Baianão 2011, contra o Bahia, a direção rubro-verde elegeu a cidade vizinha de Belo Campo como novo QG do elenco.

“A partir de agora, vamos treinar lá e também em outras cidades circunvizinhas. Vamos usar o Lomanto Júnior apenas para os jogos. É ruim por causa da distância, mas é a solução”, diz Kléber Avelino, dirigente do Serrano. O atacante André Araújo, autor do gol contra o Bahia, foi o primeiro a levantar a bandeira. Segundo ele, o piso está duro e o atrito pode causar lesões nos atletas. O técnico tricolor Rogério Lourenço, logo após a partida contra o Serrano, também criticou o gramado.

Para o coordenador de esportes da prefeitura de Vitória da Conquista, Hudson José, o calendário do futebol na cidade é o grande entrave para ainda não ter havido troca do gramado do Lomanto Júnior. “Não é obrigação nossa, mas também cedemos o estádio para treinamentos. Fora os jogos durante todo ano. Os clubes têm razão de reclamar, mas o problema é que uma troca de gramado dura pelo menos cinco meses”, explica.

Maquiagem – Antes de começar o estadual, a prefeitura gastou R$ 200 mil em reformas pontuais no estádio para se adequar ao Estatuto do Torcedor – limpeza, pintura de vestiários e arquibancadas, gabinete de imprensa, cadeiras, iluminação… -, mas o gramado foi apenas aparado. “Esse gramado já tem mais de 40 anos. Fomos treinar lá uma vez, mas estava rolando um baba da Igreja. Tudo isso prejudica”, acrescenta Ederlane Amorim, presidente do Vitória da Conquista. O Bode já não depende do Lomanto para treinos. Desde 2010, o elenco usa CT próprio, a Toca do Bode, que fica a 5 km da cidade.

Mas, segundo Hudson, uma solução está a caminho. A previsão é que o gramado do Lomanto Júnior seja totalmente substituído por um novo no fim de 2011. Antes disso, no segundo semestre do ano, o estádio Edvaldo Flores, outra praça esportiva da cidade, vai ser reformado para servir de alternativa. “Mas a situação do Lomanto Júnior não está pior do que o de outros estádios da Bahia, não”, defende-se.