WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

julho 2013
D S T Q Q S S
« jun   ago »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  



drupal counter

:: 25/jul/2013 . 20:45

Indefinido, CSA encerra preparação para “cumprir tabela” diante do Sergipe

Cadaminuto

7e79ae4092e77ffe4664326b46768b60

O CSA entrou na reta final de preparação para a partida do próximo domingo, quando enfrente o Sergipe em Aracaju, apenas para cumprir tabela. Diante da atual situação, o técnico Lino ainda tem dúvidas no time que pretende montar e contará com a ajuda do setor de preparação física do clube, que divulgou uma nota sobre o trabalho que vem sendo feito no clube.

O time marujo irá encerrar a preparação nesta sexta-feira, com um coletivo pela manhã, quando o técnico Lino irá avaliar as peças que tem em mãos, para formar o mesclado time azulino que irá enfrentar o líder do Grupo A4 da Série D, Sergipe.

Entregues ao departamento médico, o volante Paulo Junior e o meia Kel estão fora da partida de domingo. Por outro lado, o treinador terá o retorno do zagueiro Wágner Silva e do meia armador Alex Henrique, que foram barrados no último confronto.

Com isso, o CSA tem uma base que pode formar com Flávio, Alves, Sinval, Wagner Silva e Paulinho; Robson, Patrick e Alex Henrique; Pedrinho, Wilson e Rony. Porém, a escalação não foi divulgada pelo técnico Lino.

Déja Vu: Givanildo pretende repetir formação para jogo contra o CSA

Globo Esportes de Sergipe

dsc_0016

Em time que está ganhando não se mexe. Parece que o técnico Givanildo Sales vai cumprir este ditado para o jogo contra o CSA, neste domingo, válido pela 6ª rodada da Série D. O treinador disse que a equipe que vai entrar em campo deverá ser a mesma que jogou contra o time alagoano, no dia 13 de julho, em Maceió.

Na ocasião, a equipe foi formada por Pablo, Parral, Emerson, Cláudio Baiano, e Rodrigo; David, Kível, Wallace, Lucão, Rafael e Fabinho Cambalhota.

No treino coletivo desta quinta-feira, Givanildo não pôde repetir esta formação na equipe titular porque Rafael ainda se recupera de uma lesão no pé, mas deve voltar a treinar normalmente nesta sexta. No lugar do meia-atacante, entrou o volante Fernando Pilar.

Com 10 pontos em 4 jogos, o Sergipe possui a melhor campanha da Série D e vai enfrentar o lanterna da competição que ainda não pontuou e nem marcou gols.

Série D: Juazeirense intensifica treinamentos

Esporte Total

Deon-atacante-juazeirense-600x390

O treinador Barbosinha comandou na tarde desta quinta-feira 25 mais um treino da Sociedade Desportiva Juazeirense no Estádio Adauto Moraes. Com todos os jogadores à sua disposição – exceção ao atacante Josi que foi liberado pelo clube após o jogo contra o CSA -, mas já com a presença do novo contratado, o atacante Sylvestre, o técnico usou apenas a metade do campo para realizar ensaios de ordem técnica e aprimoramento da forma física dos jogadores.

Sexta-feira, às 9 horas, o grupo volta a se reunir no mesmo local para mais um treino com bola visando o decisivo confronto com o Vitória da Conquista no próximo domingo 28.

Atualmente ocupando a quarta colocação na tabela de classificação do Grupo A4 da Série D, o Cancão de Fogo continua em busca do belo futebol perdido após o término do campeonato estadual, quando chegou a ser considerado o ‘Carrossel do Sertão’. Aos poucos a diretoria vem trazendo novos nomes na tentativa de encontrar substitutos capazes de repor peças importantes que hoje já não integram as hostes juazeirenses.

Pelo menos 11 jogadores, entre novos e retornos, foram contratados pela diretoria: Goleiros Vinícius e Diego; volantes Dinho, Helder e Joãozinho; atacante Sylvestre; zagueiros Jefferson Petrolina e Rogério; e laterais Toni, Moraes e Buick. Das divisões de base seis garotos estão sendo aproveitados: os atacantes Moreno e Renan; os volantes Rodrigo e Pablo; o zagueiro Lucas e o lateral esquerdo Vinícius.

Do elenco que disputou o campeonato baiano restam o goleiro Maikon, os zagueiros Rodrigo e Edi; o lateral e capitão Neném; os meio campistas Vaguinho, Naldo e Wanderson; e o atacante Deon.

Antes mesmo que fosse anunciada a saída do atacante Josi, o Diretor de Futebol Sérgio Fernandes, já anunciava a contratação do atacante Sylvestre, jogador de 28 anos que acumula passagens pelo Macaé, Volta Redonda, ASA-AL, Camaçari-BA, Bahia de Feira-BA, Nova Iguaçu e Santa Clara (POR). Ele chega com a missão de ajudar a melhorar a campanha da equipe na Série D.

ccancer

Após coletivo, Vitória da Conquista está indefinido para encarar o Juazeirense

Por Luciano Pina

1044572_354777291291448_1636456571_n-1

O Vitória da Conquista encerrou os preparativos para o confronto contra o Juazeirense, que será realizado na tarde deste domingo (28), às 16 horas, no estádio Adauto Moraes, pela sexta rodada da Serie D.

No coletivo que foi realizado na tarde desta quinta (25), no estádio Lomanto Junior, o técnico Bira Veiga sinalizou que poderá fazer pelo menos uma mudança em relação à equipe que perdeu para o Botafogo-PB, a entrada de Cacá no lugar de Tales.

O time treinou com: Augusto, Zé Leandro, Sílvio, Júnior Gaúcho e Diego Prates, Edimar, Éder Silva, Ramires, Cacá, Humberto e Roni. Na segunda parte do coletivo, Veiga colocou Alessandro Azevedo no lugar de Éder Silva.

Apesar dessas mudanças, o comandante do Bode ainda tem algumas dúvidas quanto à formação que mandará a campo.

Segundo Bira, ele vai aguardar o trabalho que pretende realizar na manhã deste sábado (27), no estádio Paulo Sousa Coelho, em Petrolina, cidade em que o time ficará concentrado, para definir a equipe.

O elenco do Bode embarca nesta sexta (26), às 07 horas da manhã.

Catuense, o grande revelador de craques está de volta a elite do Baiano

Por Luciano Pina
Fonte Site Oficial do Clube

Time em 1984 - Em pé: Zanata, Xaxá, Iberê, Guaraci, Lucas,  Tião. Agachados: Boca, Lulinha, Flávio, Bobô, Roberto.

Time em 1984 – Em pé: Zanata, Xaxá, Iberê, Guaraci, Lucas, Tião. Agachados: Boca, Lulinha, Flávio, Bobô, Roberto.

Da Tradição e da grandeza da Catuca ninguém dúvida, mais você sabe quais grandes jogadores passaram ou foram revelados pelo Bem-te-vi? Bobô, Campeão brasileiro e considerado o maior ídolo da torcida do Bahia, que inclusive vestiu a camisa da Seleção Brasileira em 1989 é um deles. Ele começou a sua carreira na Catuca , por onde esteve dos 17 aos 22 anos de idade.

Houve épocas que a Catuense montava o time que seria vencedor no Bahia. Foi assim no tricampeão baiano de 1986/87/88, com Zanata na lateral-direita, Bobô na meia e Sandro no ataque, e em parte da década de 1990, através das arrancadas do ponta Naldinho e dos gols de Vandick. Até mesmo o último jogador tricolor na Seleção Brasileira era cria da Catuense: Luis Henrique, convocado por Carlos Alberto Parreira, em 1991.

O Bem-te-vi foi rebaixado para a Segundona em 2007. Agora, seis anos depois, a Catuca, o grande revelador de craques está de volta a elite do futebol Baiano.

Inho Baiano, ex-Vitória da Conquista vai disputar o Intermunicipal por Itagibá

Por Luciano Pina

inho_baiano_2871

O meia Inho Baiano que jogou no Vitória da Conquista vai disputar o Campeonato intermunicipal de Futebol, deste ano pela seleção de Itagibá. Depois de ter pendurado as chuteiras, Inho Baiano voltará aos gramados com a camisa dez da Seleção.

Inho, que hoje é vereador do município, levará consigo uma experiência adquirida com passagens em clubes como Bahia, Salgueiro, Bahia de Feira, Colo Colo entre outros. Ele e o restante da equipe serão comandados pelo técnico Netão.

Lázaro Damascena Pires, ou simplesmente Inho Baiano, é natural de Ipiaú-BA e foi revelado no Campeonato Intermunicipal, jogando por quatro temporadas na seleção de Itagibá. Ganhou sua primeira oportunidade como profissional no Poções, por onde ganhou o “Troféu Armando Oliveira” como revelação do Campeonato Baiano de 2007.

Atlético-MG leva Libertadores pela 1ª vez com vitória heroica e “São Victor” nos pênaltis

Uol

poster-do-atletico-mg-campeao-da-copa-libertadores-da-america-2013-1374723684595_615x300

O Atlético-MG conseguiu a façanha transportar o encanto do Horto para o Mineirão. A magia como local da grande campanha na Libertadores se fez presente na decisão desta quarta-feira, quando o time de Cuca reverteu a vantagem do Olimpia, conquistada na ida no Paraguai. Diante de mais de 60 mil brasileiros, a equipe de Ronaldinho e Bernard venceu no sufoco por 2 a 0 para ser campeão da América pela primeira vez na história. A taça veio nos pênaltis, graças a mais uma atuação decisiva de “São Victor”.

O goleiro que já havia brilhado em pênaltis contra Tijuana e Newell’s aumentou sua lista de defesas decisivas, parando a cobrança de Miranda – mas se adiantando na pequena área. Gimenez errou a última cobrança, e os brasileiros venceram finalmente por 4 a 3, sem necessidade de Ronaldinho Gaúcho ir para o último disparo.

O título coroa a carreira de Cuca, que celebrou deixar para trás a fama de azarado. Ronaldinho Gaúcho também acrescenta mais uma taça continental a uma galeria que já tinha uma Liga dos Campeões. Afinado com a cúpula da CBF, o presidente Alexandre Kalil é outro que festeja seu momento mais importante dentro do futebol.

Desta forma, a geração de Ronaldinho, Bernard, Tardelli, Jô e Victor se junta de vez à galeria de ídolos históricos do Atlético-MG, como Dadá Maravilha, Reinaldo, Éder e Toninho Cerezo. Com o título mais importante da história do clube, essa turma agora sonha em desafiar o poderoso Bayern de Munique no Mundial da Fifa no fim do ano.

De quebra, o título histórico serve para tirar das costas de Cuca uma injusta pecha de azarado. O técnico gaúcho termina a Libertadores com boa parte dos méritos pela formação de um time ofensivo e equilibrado, que conquistou a simpatia de muitos brasileiros – e a torcida contra dos rivais cruzeirenses.

Este é o primeiro título do futebol brasileiro como o novo Mineirão como cenário. Os atleticanos brigaram para jogar a final no Independência, estádio talismã, palco de uma campanha de êxitos inesquecíveis contra Tijuana e Newell’s. Mas, no final das contas, o tamanho da façanha do time de Cuca merecia o gigantismo e o carisma de uma arena como a da Pampulha.

Copa do Brasil define últimos classificados às oitavas

Agência Estado

1788685740

Os últimos quatro classificados para as oitavas de final da Copa do Brasil foram definidos nesta quarta-feira, quando aconteceram quatro jogos de volta da terceira fase. Santos, Atlético Paranaense, Nacional-AM e Botafogo garantiram suas vagas em campo. Outros seis times já estavam garantidos: Luverdense-MT, Cruzeiro, Internacional, Flamengo, Goiás e Salgueiro-PE.

Definidos os 10 clubes classificados dentro de campo e já conhecidos os seis clubes pré-classificados pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o sorteio das oitavas de final será feito no dia 6 de agosto. Os jogos da nova fase, em princípio, serão disputados nos dias 21 e 28 de agosto.

Os times pré-classificados, vindos da Copa Libertadores, estarão entre os cabeças de chave dos oito grupos: Atlético Mineiro, Corinthians, Grêmio, Palmeiras e Fluminense. Junto deles o Vasco, definido para substituir o São Paulo, que vai defender o título da Copa Sul-Americana de 2012. Os outros dois são Flamengo e Internacional, os melhores no ranking da entidade entre os classificados nas fases preliminares da competição.

No outro pote do sorteio vão entrar mais oito clubes: Goiás, Salgueiro, Cruzeiro, Luverdense, Nacional-AM, Figueirense, Atlético Paranaense e Santos.

Em Curitiba, no estádio Durival de Brito, o Atlético Paranaense confirmou o favoritismo e venceu o Paysandu por 2 a 1, se classificando porque na ida, em Belém, empatou em 0 a 0. Os gols foram marcados por Paulo Baier, de pênalti, e Marcelo, para o time de Curitiba, com Zé Antônio diminuindo para os paraenses. Em Manaus, no estádio do Sesi, o Nacional confirmou a sua vaga ao vencer a Ponte Preta por 1 a 0, repetindo o placar da ida, em Campinas. A equipe paulista atuou os dois jogos com um time reserva.

No interior de Goiás, em Catalão, o time misto do Santos bate o CRAC, por 2 a 0, e ficou com a vaga porque tinha empatado, por 1 a 1, na Vila Belmiro. Os gols foram de Gustavo Henrique e Léo Citadini, um em cada tempo. A vaga mais disputada foi em Florianópolis, onde o Figueirense venceu o Botafogo por 1 a 0, com gol de Ricardo Bueno, devolvendo o placar da ida. A vaga acabou sendo decidida na cobrança de penalidades máximas. O time carioca levou a melhor: venceu por 5 a 4. A série de cinco terminou 3 a 3, depois foram cobradas mais duas penalidades de cada lado. O goleiro Jeferson defendeu duas penalidades e contou com um chute para fora de Ricardo Bueno.

banner1

Sampaio Corrêa empata com a Luverdense e continua líder do Grupo A

CBF

624680727

O líder Sampaio Corrêa empatou em 1 a 1 com a Luverdense e manteve a diferença de três pontos para o adversário no Grupo A da Série C do Campeonato Brasileiro. Washington abriu o placar, e Arlindo Maracanã deixou tudo igual para os donos da casa, em São Luis. O Sampaio Corrêa é o primeiro colocado, com 14 pontos; e a Luverdense está em segundo, com 11.

Também pelo Grupo A nesta quarta-feira, na Arena da Floresta, o Rio Branco venceu o CRB por 1 a 0, com gol de Testinha. O time acriano é o 11º da chave, com três pontos. Já a equipe alagoana é a oitava, com seis.

Nos pênaltis, Atlético-MG bate Olímpia e leva Libertadores pela 1ª vez

Terra

27joronaldinhofestarmatsukawaterra

Com a superação que marcou a equipe na fase final, a força de mais de 60 mil torcedores e muita emoção, o Atlético-MG conquistou, na noite desta quarta-feira, seu primeiro título da Copa Libertadores. Derrotado no jogo de ida, o time fez 2 a 0 no tempo normal e passou pela prorrogação antes de, nos pênaltis, levar a melhor. Com vitória por 3 a 2, quebrou o jejum e levou o título continental.

Com o feito, o Atlético-MG quebra um jejum de conquistas de alta relevância que durava 42 anos – a última havia sido o Brasileiro de 1971. O time conquistou a Copa Conmebol em 1992 e 1997, mas sequer havia chegado a uma decisão de Copa Libertadores. Além disso, quebra também a pecha de “vice” que o técnico Cuca carrega há alguns anos, por conta dos títulos perdidos – com o clube alvinegro, por exemplo, foi 2º colocado na última edição do Brasileiro.

A vitória impede que o Olimpia amplie sua força continental. O time paraguaio soma três títulos, conquistados em 1979, 1990 e 2002. Depois de vencer por 2 a 0 no Estádio Defensores del Chaco, esteve próximo de confirmar o tetra – uma derrota por 1 a 0 seria suficiente -, mas teve Manzur expulso no final do jogo, levou o segundo gol de Leonardo Silva e sofreu para passar pela prorrogação. Nos pênaltis, não resistiu e acabou derrotado.

O Atlético-MG entrou em campo precisando repetir o feito da semifinal, contra o Newell’s Old Boys, e vencer por três gols de diferença – dois para levar aos pênaltis, como de fato ocorreu. Diante dos argentinos, fez gol logo no começo do jogo. O Olimpia veio preparado, no entanto, e soube conter os avanços da equipe, que teve no primeiro tempo presença tímida de um de seus principais jogadores: Ronaldinho.

A primeira chance, logo aos 2min, animou a torcida: um chute cruzado e rasteiro dado por Diego Tardelli pela direita, mas fora do alcance de Jô e Bernard. Aos 9min, Ronaldinho chutou forte de fora da área, e Martín Silva espalmou. E foram essas as oportunidades mais claras. Sem conseguir se encontrar, o Atlético-MG ainda se viu à mercê dos contra-ataques perigosos do Olimpia, que assustou o torcedor no Mineirão.

Aos 14min, por exemplo, Salgueiro lançou Bareiro, que correu entre a zaga e invadiu a área, mas bateu mal, rasteiro e fácil para a defesa de Victor. Aos 33min, Silva recebeu na ponta esquerda, limpou a marcação de Leonardo Silva e bateu cruzado, mas mais uma vez o goleiro brasileiro foi bem. O primeiro tempo terminou com gritos de “eu acredito”, mesmo com a dificuldade que o Atlético-MG teve para criar e ameaçar.

No segundo tempo, essa postura mudou. Isso porque, ainda no primeiro minuto, Jô aproveitou falha de Pittoni, que “furou” ao tentar cortar cruzamento de Rosinei, para chutar rasteiro e forte, abrindo o placar. O gol incendiou o Mineirão. Pouco depois, aos 3min, Jô recebeu passe em cobrança de lateral pela esquerda da área, tirou a marcação e cruzou para Tardelli com o goleiro já vencido, mas a zaga afastou de cabeça. A pressão seguiu, desta vez sem dar brechas ao visitante.

Aos 15min, Michel cruzou da esquerda e Leonardo Silva cabeceou, mas a bola tocou o travessão e passou longe do alcance de Diego Tardelli. Aos 19min, Jô achou Junior Cesar livre na esquerda; ele invadiu a área em velocidade, mas chutou fraco, e Martín defendeu. Cinco minutos depois, Ronaldinho cobrou falta de longe e Leonardo Silva desviou, mas Martín salvou mais uma vez.

A partida no Mineirão teve momentos pouco críveis nos dramáticos minutos finais. Primeiro aos 33min, quando Ronaldinho bateu da entrada da área, Martín Silva fez excelente defesa e, com o gol aberto, Diego Tardelli chutou por cima – enquanto isso, o assistente anotava posição de impedimento. Depois, aos 37min, Ferreyra recebeu passe em profundidade e viu Victor sair da área e errar o corte; com o gol vazio, escorreu ao tentar dominar para matar o jogo.

Aos 39min, Manzur se jogou na frente de Alessandro, que tentava dar um chapéu em alta velocidade, recebeu o segundo amarelo e foi expulso. O Atlético-MG foi ainda mais para cima e finalmente chegou ao gol. Aos 41min, Leonardo Silva mais uma vez foi mais alto que os adversários em um cruzamento – desta vez dado por Bernard – e tocou no contrapé do goleiro Martín Silva para fazer o gol que levou a partida para a prorrogação.

Na prorrogação, o Atlético-MG foi ainda mais incisivo no ataque e quase não permitiu ao Olimpia cruzar a linha do meio-campo. Aos 8min, Réver subiu em cobrança de escanteio e cabeceou para mandar a bola no travessão. No lance seguinte, Guilherme tentou cruzar pela direita e quase fez por cobertura, mas Martín Silva espalmou, confirmando sua grande atuação no Mineirão.

No segundo tempo, as chances claras apareceram menos, embora a pressão tenha sido igual. Por outro lado, o Atlético-MG levou um grande susto. Aos 9min, Leonardo Silva fez falta na entrada da área. Pittoni, autor do segundo gol no jogo de ida justamente em uma cobrança, mandou a bola rente à trave direita de Victor. O anfitrião tentou evitar, mas novamente levou a decisão para as penalidades.

Na decisão, Victor pegou um pênalti e viu Giménez desperdiçar a quinta cobrança, dando vitória por 4 a 3.

Inter vence, vira líder e impõe maior seca da história ao São Paulo

Globo Esportes

leandrodamiao_lucio_jogo_ae.jpg_95

Um dos favoritos ao título no papel, o Internacional é agora também o novo líder do Campeonato Brasileiro. A quarta vitória consecutiva veio no palco que se transformou no “salão de festas” de quem visita o São Paulo. Com uma atuação segura, o Colorado venceu o Tricolor Paulista por 1 a 0, nesta quarta-feira, no Morumbi, e afundou ainda mais o adversário na crise.

Os gaúchos souberam jogar à espera do desespero rival. Pacientemente, o time dirigido por Dunga aguardou o momento exato para dar o bote fatal. E ele veio com Leandro Damião, ainda no primeiro tempo, em chute rasteiro que Rogério Ceni só olhou. Poderia ter sido mais se Forlán, Willians e Josimar tivessem aproveitado outras chances.

Do outro lado, só Aloísio assustou. Para piorar, Luis Fabiano saiu machucado, virando dúvida para o clássico contra o Corinthians, domingo, às 16h, no Pacaembu, última partida antes da excursão por Alemanha, Portugal e Japão.

O São Paulo soma agora 11 partidas sem vencer (nove derrotas e dois empates), igualando o recorde negativo de 1951 e 1986 – o último resultado positivo foi há 56 dias, diante do Vasco, dirigido na ocasião por Paulo Autuori. Já são oito derrotas consecutivas, seis delas jogando no Morumbi.

O Colorado assume a liderança com 18 pontos, mas tendo uma partida a mais que a maioria dos concorrentes – a partida diante dos são-paulinos foi adiantada da 12ª rodada. Agora, o time gaúcho pega o Náutico, domingo, às 16h, nos Aflitos. Já os paulistas seguem com oito, agora tendo dois jogos a mais que os adversários, grudados na zona do rebaixamento.







WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia