WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
PMVC

fevereiro 2016
D S T Q Q S S
« jan   mar »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
2829  



drupal counter

:: 9/fev/2016 . 11:14

Gramado do Lomantão nesta 2ª feira de Carnaval mostra que a nova previsão de liberação deve falhar

Blog da Resenha Geral

Gramado-Hoje-BB-1024x576

O portão lateral do Lomantão estava mais uma vez aberto da tarde desta 2ª feira (8). Com um celular foi possível fotografar da parte de cima do estádio, do lado das cabines de Rádio/TV, e do ponto de vista do olhar de um leigo, chega-se a conclusão que dificilmente o Lomantão será liberado para jogos oficiais do E.C Vitória da Conquista em todo mês de fevereiro. O gramado não consegue ficar totalmente verde, existindo muitas falhas.

O secretário Nagib Barroso (Esportes e Cultura) fazia visita as obras de restauração do estádio e mudança do gramado. Na última visita com a imprensa o secretário garantiu a liberação do Lomantão, para o dia 25 de fevereiro, para o jogo Conquista x Flamengo (PI), pela Copa do Nordeste. A previsão poderá falhar mais uma vez.

Os prejuízos já são contabilizados pela diretoria do E.C Vitória da Conquista, e poderão chegar a R$ 200 mil nos jogos contra o E.C Vitória pelo Baianão e contra o Ceará pela Copa do Nordeste. Os dois jogos serão realizados em Ilhéus.

Outra preocupação para a diretoria e o departamento técnico do Bode, fica por conta do deslocamento do time que deverá retornar para Conquista logo após o jogo desta 4ª feira contra o Vitória da capital. O time viajará de ônibus 520 Km a mais para retornar a Ilhéus e enfrentar o Ceará. A não permanência em Ilhéus deve ter sido em função do auto custo de hospedagem.

Vitoria da Conquista viaja indefinido para encarar o Vitória, na noite desta quarta (10)

Da Redação
Foto Eliezer Oliveira

E2A0081

O elenco do Vitória da Conquista embarca na tarde de desta terça (9), para a cidade de Ilhéus, onde na noite desta quarta (10), enfrenta o Vitória, no estádio Mário Pessoa, pela segunda rodada do Campeonato Baiano,

Mesmo com os treinamentos que foram realizados, o treinador Evandro Guimarães não sinalizou se fará alguma mudança na equipe em relação a que empatou na estréia contra o Flamengo de Guanambi.

O comandante do Bode só deverá anunciar o time que começa jogando pouco antes da partida.

A diretoria do Alviverde colocou uma carga de 5.500 ingressos para o confronto. Na arquibancada coberta o ingresso custa R$30,00 (Inteira) e R$15,00 (meia). Já na geral os preços são R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia).

No Vitória, o técnico Wagner Mancini deverá fazer apenas uma mudança no time que goleou o Jacuipense na estréia. O meia Artur Maia machucado dará a vaga a Alípio.

O Rubro-Negro deve ir a campo com a seguinte formação: Fernando Miguel, Maicon Silva, Guilherme Mattis, Ramon e Diego Renan; Amaral, Willian Farias, Tiago Real e (Alípio; Vander e Marinho.

Amanhã (10), ao meio-dia, o time viaja Ilhéus.

outdoor_pq

Confira jogos que acontecem neste meio de semana

Da Redação

download

Confira os jogos que serão realizados neste meio de semana pelos principais estaduais e Libertadores.

Terça-feira, 09 de fevereiro
Campeonato Mineiro
19h00
Tricordiano x Guarani-MG
Libertadores
19h30
Universidad de Chile x River Plate-URU
21h45
Caracas x Huracán
Quarta-feira, 10 de fevereiro
Campeonato Carioca
15h45
Tigres do Brasil x Boa Vista-RJ
16h00
Bangu x Friburguense
América x Resende
18h30
Vasco x Volta Redonda
Botafogo x Macaé
20h45
Portuguesa x Flamengo
Campeonato Paulista
16h00
São Bento x Novohorizontino
Audax x Red Bull Brasil
18h30
Linense x Ponte Preta
20h45
Oeste x Palmeiras
Ferroviária x Rio Claro
Campeonato Gaúcho
19h30
Juventude x Aimoré
Brasil de Pelotas x Ypiranga
Novo Hamburgo x Glória
Lajeadense x São Paulo
20h45
Veranópolis x Grêmio
Campeonato Baiano
20h45
Vitória da Conquista x Vitória
Libertadores
20h45
São Paulo x U. Cesar Vallejo
21h45
Racing Club x Puebla
Campeonato Mineiro
20h45
Atlético-MG x Caldense
Quinta-feira, 11 de Fevereiro
Campeonato Carioca
16h00
Cabofriense x Bonsucesso
Madureira x Fluminense
Campeonato Paulista
17h30
Botafogo x São Bernardo
18h00
XV de Piracicaba x Água Santa
20h00
Corinthians x Capivariano
Campeonato Baiano
18h00
Galícia x Jacobina
20h30
Bahia x Flamengo de Guanambi
Fluminense x Juazeirense
Campeonato Gaúcho
18h30
Internacional x Passo Fundo
Libertadores
19h30
Guarani-PAR x Independiente Del Valle
21h45
Independente de Santa Fé x Oriente Petrolero

Eliminação na Libertadores pode fazer São Paulo deixar de ganhar R$ 18 mi

Globo Esportes

dsc_0988

Para o São Paulo, não é só uma vaga na fase de grupos da Taça Libertadores da América que está em jogo na partida de quarta-feira, contra o César Vallejo, às 21h45 (horário de Brasília), no Pacaembu. Uma eliminação faria o Tricolor deixar de ganhar aproximadamente R$ 18 milhões.

Caso passe entre na fase de grupos, o São Paulo disputará três partidas em casa e três fora contra River Plate (ARG), The Strongest (BOL) e Trujillanos (VEN). Para cada confronto,a cota paga pela Conmebol é de US$ 600 mil (R$ 2,35 milhões), o que totaliza R$ 14,1 milhões. Além disso, é preciso acrescentar a receita das bilheterias.

O primeiro jogo é no Pacaembu, estádio com menor capacidade. Já os outros dois serão no Morumbi, o que pode fazer o Tricolor ter 60 mil torcedores em cada partida. Estimativa traçada pelo clube para os três jogos é de arrecadar R$ 4 milhões líquidos. O São Paulo também poderia aumentar sua receita com contratos de patrocínio de camisa, assim como fez nos dois jogos contra o César Vallejo.

Por tudo isso, uma eliminação nem passa ela cabeça dos tricolores. Em caso de eliminação, a equipe terá apenas o Paulistão para disputar até o início do Campeonato Brasileiro.

– É a partida mais importante da minha carreira. Vale muito para a sequência do nosso ano. Temos que nos impor assim como fizemos na primeira partida. E, acima de tudo, respeitar o adversário, jogar com os pés no chão. Não podemos achar que a vitória é certa, temos de merecê-la – afirmou o goleiro Dênis.

Crise no patrocínio de futebol no Brasil cresce e atinge até a CBF

Uol

copa_do_brasil_palmeiras-615x388

A crise de patrocínio no futebol do Brasil acentuou-se em 2016 e estendeu-se até a CBF. Fatores como a crise econômica, os escândalos de corrupção na confederação e falta de retorno pelo investimento têm derrubado os valores pagos para se associar a camisas de times. Esse processo, ressalte-se, já vem ocorrendo desde o final de 2013.

Principal patrocinadora do futebol brasileira, a Caixa Econômica Federal decidiu investir R$ 115 milhões esse ano, sendo R$ 83 milhões já fechados. Em relação aos clubes que já tinham contrato, os valores foram mantidos sem reajuste pelo segundo ano seguido. Só que a inflação pelo IGP-M foi de 16% nos dois anos.

“Isso ocorre em função do momento econômico diferente do anterior à primeira assinatura dos contratos. Não há nenhum gatilho nos contratos. Desde o 1o que temos o mesmo valor”, explicou o superintendente nacional de Promoções e Eventos da Caixa, Gerson Bordignon, quando fechou os novos contratos.

Um clube como Flamengo, por exemplo, leva R$ 25 milhões. Se houvesse reajuste pela inflação, o valor já seria de R$ 28 milhões. A diretoria do clube justifica ter aceito o valor pelo momento complicado do país. Sua intenção era atingir R$ 100 milhões no total em 2016, embora no orçamento estejam previstos R$ 90 milhões. Mas o rubro-negro passou janeiro com dois patrocinadores a menos (Jeep e Viton) do que no ano anterior.

A maioria dos grandes clubes têm patrocinadores master, mas em valores inferiores aos de outras épocas. Um estudo do consultor Amir Somoggi mostra, em seu blog no jornal “Lance!”, que os valores de patrocínio estão em queda desde 2014. Houve um crescimento grande de 2003 (R$ 59 milhões) a 2013 (R$ 470 milhões). Considerados os valores corrigidos pela inflação neste período, os patrocínios quadruplicaram. Mas, em 2014, caíram para R$ 467 milhões.

“A crise econômica tem impacto, mas antes já tinha caído. É mais barato do que propaganda, mas quem gasta R$ 30 milhões uma hora vê que não dá o retorno para aquele preço e reduz”, comentou Somoggi.

O caso da CBF é um misto de crise econômica ao efeito das acusações de corrupção na entidade, na opinião de consultores. A entidade perdeu quatro patrocinadores, Sadia, Michelin, Proctor & Gamble e Unimed após três de seus ex-presidentes serem acusados de levar propinas pelo FBI. Os patrocínios são a principal fonte de renda da entidade, responsáveis por 70% do seu faturamento.

A diretoria da confederação atribui só ao cenário econômico desfavorável, mas empresas apontaram a falta de credibilidade. Foi essa a razão dada para a Petrobras para romper o patrocínio de placas da Copa do Brasil. Outra que se afastou do futebol é a Coca-Cola. Clubes têm informado que a entidade não compra mais placas de patrocínio como antes.

pmvc





WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia