Terra

Índice

Se não bastasse a tradicional rivalidade entre Brasil e Argentina, Atlético-MG e Racing entram em campo nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Independência, com alguns ingredientes a mais para o duelo que vale a classificação para as quartas de final da Libertadores.

O principal dos aditivos para o confronto decisivo encontra origem na partida de ida entre os clubes, que terminou empatada por 0 a 0, no estádio El Cilindro. Antes do jogo, o goleiro do Racing, Saja, motivou seus companheiros, afirmando que os brasileiros “se borram” quando jogam na Argentina. Diante das declarações do arqueiro, os jogadores atleticanos prometem uma “pressão de verdade” sobre o time argentino no Horto.

“Agora que ele disse isso, ele vai poder provar aqui em Belo Horizonte. Agora ele vai ver o que é pressão de verdade e vamos usar isso ao nosso favor”, colocou o volante Júnior Urso.

Além da provocação argentina, outro ingrediente importante para a partida desta quarta-feira está presente numa “armadilha” do regulamento. Apesar do bom empate sem gols no jogo de ida, o Galo poderá se ver em situação complicada caso sua defesa seja vazada pelo Racing no Independência.

Pensando em atacar e pressionar o Galo no Independência, o Racing terá um importante reforço para a partida. Recuperado recentemente de um edema na coxa esquerda, o atacante Gustavo Bou, artilheiro da Libertadores do ano passado, foi relacionado para o jogo em Belo Horizonte, e, assim como o ídolo Diego Milito, será uma boa opção no banco de reservas para o técnico Facundo Sava, que repetirá a equipe titular do duelo de ida contra o Atlético-MG.