Terra

images

Apenas 22 mil pessoas assistiram à Seleção Brasileira na noite chuvosa do dia 10 de junho, no Beira-Rio, quando um gol solitário de Neymar deu a vitória sobre Honduras. O frio e a forte chuva afastaram a torcida gaúcha. O péssimo público serviu de exemplo para que Alexandre Limeira, vice de administração do Internacional, mostrasse à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) o quanto o horário é ruim para os torcedores no inverno.

“Não houve um pedido especial, através de ofício. Naquele jogo, conversamos com a CBF, através do Manuel Flores, dizendo que aquela situação prejudicou o jogo, assim como nos jogos do Inter. No início do ano, conversamos novamente com a CBF, pedindo para que fossem evitados os jogos no horário das 21h45. Foi uma conversa. Acreditamos que a CBF foi de alguma forma sensível ao rigor do inverno gaúcho”, afirmou Limeira.

Até setembro, Grêmio e Internacional não jogarão nenhuma partida no mesmo horário daquele fatídico Brasil x Honduras. Os jogos noturnos do inverno serão evitados – a partida contra o Atlético Paranaense no Beira-Rio, dia 1 de junho, será às 19h30, por exemplo. “Acho uma medida muito boa, a CBF está de parabéns”, afirma Limeira.

O pior público do Internacional no Campeonato Brasileiro de 2015 foi em um jogo disputado às 22h, na vitória por 1 a 0 sobre o Fluminense, com 9,2 mil pagantes. Já o menor número de presentes em uma partida do Grêmio foi em um duelo às 21h, contra o Figueirense – 8,3 mil pagantes.