Globo Esportes

o dia 14 de fevereiro de 2017, o Paris Saint-Germain fez um dos grandes jogos da sua história: venceu o Barcelona de Messi e Neymar por 4 a 0 no Parque dos Príncipes. O que parecia ser o primeiro capítulo de uma vitória histórica do clube transformou-se em pesadelo: no jogo de volta, o PSG sofreu uma derrota humilhante de 6 a 1, com atuação de gala do camisa 10 da Seleção no Camp Nou, e foi eliminado da Liga dos Campeões nas oitavas de final. A equipe ainda teve que ver o rival Monaco sagrar-se campeão francês na mesma temporada.

Um ano depois, no mesmo dia 14 de fevereiro, o PSG espera abrir caminho para deixar a eliminação de 2017 de vez para trás. Com um começo de temporada quase perfeito, a oportunidade chegou antes do esperado: o confronto contra o Real Madrid pelas oitavas da Liga dos Campeões, na próxima quarta, às 17h45 (de Brasília). O clube merengue é o atual campeão e já venceu doze vezes a Champions. Com Neymar agora a seu favor, o PSG quer mostrar ao mundo seu novo projeto – o time investiu mais de R$ 1,7 bilhão para contratar o brasileiro e Mbappé. O técnico Unai Emery, mesmo questionado, seguiu no cargo e acredita ter uma equipe mais forte nesta temporada.

– Eu tenho confiança e acredito que essa equipe está melhor preparada. E as experiências também são para aprender. Também aprender a analisar e procurar como melhorar em relação a momentos passados e partidas anteriores. Eu acho que hoje a equipe é melhor preparada, eu acho que a equipe evoluiu, como o PSG evoluiu para crescer. Com trabalho, experiência, com todas as informações. É importante juntar tudo e continuar esse processo. Por isso eu tenho certeza que a equipe está melhor preparada para o presente e para o futuro. E nossa obrigação é mostrar a todos que essa evolução é boa – disse o técnico espanhol.

A “remontada” do Barcelona um ano atrás ainda assombra os corredores do Parque dos Príncipes. Neymar foi um dos principais jogadores na maior virada da história da Champions. Então jogador do Barcelona, ele fez dois gols e deu a assistência decisiva para Sergi Roberto aos 50 minutos do segundo tempo (veja abaixo)