Galáticos Online

Depois dos acontecimentos violentos protagonizados por torcedores na partida entre Fluminense de Feira e Santa Cruz, pela primeira fase da Copa do Brasil, no dia 31 de janeiro, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol (STJD) determinou a interdição do Estádio Municipal Alberto Oliveira, o Joia da Princesa, na cidade de Feira de Santana.

O árbitro da partida, Jean Pierre Gonçalves Lima relatou na súmula que, aos quatro minutos do primeiro tempo, houve o arremesso de um objeto explosivo próximo à área em que estava a torcida do time pernambucano, vindo de fora da praça esportiva. Também foi citado que o policiamento tomou as devidas providências e que isso não interferiu no andamento do jogo.

Com base no Artigo 211 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que prevê punição para quem “deixar de manter o local que tenha indicado para realização do evento com infraestrutura necessária a assegurar plena garantia e segurança para sua realização”, os auditores do STJD decidiram pela interdição do estádio.

Vale ressaltar que essa decisão será mantida até que se resolvam as pendencias que constam no relatório da Polícia Militar da Bahia. De acordo com a Prefeitura de Feira de Santana, através do diretor do Departamento de Esportes do Município, Emerson Brito, o equipamento já está recebendo melhorias na iluminação externa, no serviço de videomonitoramento, além do isolamento entre as torcidas da casa e visitante.

“Por parte da Prefeitura está tudo encaminhado. A Polícia Militar deverá enviar um novo relatório ao STJD informando as medidas já adotadas pelo Município, e vamos aguardar também um recurso interpelado pelo Fluminense ao Pleno do STJD para que o estádio seja liberado”, afirmou Emerson Brito, que ressaltou que até o próximo sábado (03) todos os serviços estarão concluídos.