Bahia Noticias

A confusão e o encerramento do clássico Ba-Vi do último dia 18 de fevereiro teve um desfecho na noite desta terça (27), na sede do Tribunal de Justiça Desportiva da Bahia (TJD-BA). Por 3 votos a 1, o TJD-BA decidiu manter o Vitória na elite do futebol baiano e disputando o título do campeonato estadual deste ano. Porém, o clube foi multado em 100 mil reais pelos ocorridos no clássico, além de perder os pontos da partida, o que já havia ocorrido, já que o Bahia foi declarado vencedor do duelo.

A decisão ainda cabe recurso em segunda instância, no tribunal pleno do TJD-BA. Caso alguém ainda recorra novamente, o caso será levado ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

Os atletas de Bahia e Vitória, envolvidos da briga generalizada também foram julgados. Pelo lado do Vitória, o zagueiro Kanu foi condenado, pela maioria do tribunal, por agressão e está suspenso por 10 jogos, já pela denúncia de ameaça, ele foi absolvido, por 2 votos a 1. Por unanimidade, o meio-campista Yago, o meia-atacante Rhayner e o atacante Denílson foram condenados por agressão e não jogarão por oito partidas. No lado do Bahia, o volante Edson foi condenado, por 3 a 1, pela denúncia de agressão e ficará suspenso por oito jogos. Por unanimidade o zagueiro Rodrigo Becão também ficará oito partidas sem jogar, por agressão. O meio-campista Vinícius foi denunciado por comemorar com gestos obscenos e, por 3 votos a 1, foi condenado. Eles estão suspenso por duas partidas. O zagueiro do Bahia, Lucas Fonseca, foi absolvido, por unanimidade da acusação por ato hostil. Também foi absolvido, o goleiro do Vitória Fernando Miguel. Outros jogadores do Leão, os zagueiros Ramon e Bruno Bispo e o atacante André Lima, denunciados por ferir a ética disciplinar e por suspender o jogo, foram absolvidos.