Globo Esportes

O Brasil decidirá uma vaga na Olimpíada de Tóquio, neste domingo, contra um adversário que está engasgado. Se já não bastasse toda a rivalidade envolvida no clássico contra a Argentina, a seleção sub-23 vem de um jogo contra os hermanos repleto de catimba e desentendimentos.

Os rivais se enfrentaram há pouco menos de três meses, no dia 17 de novembro de 2019, pelo Torneio de Tenerife, na Espanha. A Argentina venceu por 1 a 0 e ficou com o título da competição amistosa.

A partida contou com divididas fortes, bate-bocas e muita reclamação em relação ao juiz. Ao final do duelo, houve um princípio de tumulto, com os jogadores brasileiros cercando o trio de arbitragem.

O Brasil tenta tirar aprendizados daquele duelo para vencer no domingo e garantir a vaga olímpica, como afirma o atacante Paulinho:

– É uma seleção que chega muito forte e bate bastante. A gente tem que estar atento a isso, não entrar em provação, manter a cabeça no lugar para só jogar nosso futebol, criar situações e fazer os gols, que é o mais importante.

Além de Paulinho, outros seis titulares do Brasil naquela partida foram convocados para o Pré-Olímpico: o goleiro Phelipe, os laterais Guga e Caio Henrique, o volante Matheus Henrique, o meia Pedrinho, e o atacante Matheus Cunha.