Globo Esportes

Com oito vetos na preparação para o Pré-Olímpico, da Colômbia, a seleção brasileira sub-23 conquistou a vaga na última rodada para as olimpíadas de Tóquio. A primeira convocação de André Jardine está prevista para o dia 6 de março, mesma data da lista de Tite. Com bi olímpico na meta, a CBF vai lutar por liberações importantes para reforçar o time de Jardine.

A meta principal é Neymar. Medalha de prata em 2012 em Londres e ouro no Rio de Janeiro há quatro anos, o astro do PSG mobiliza até o presidente da CBF, Rogério Caboclo. O dirigente iniciou conversas com o diretor-presidente do clube parisiense, o catariano Nasser Al-Khelaifi. O craque brasileiro já disse publicamente que tem vontade de ir a Tóquio e o técnico André Jardine, por sua vez, claro, escancarou as portas da seleção brasileira.

– Sou fominha, vocês sabem. Estou disposto a jogar os dois, mas acho que é um pouco mais complicado, tem que conversar com o clube. Da outra vez (em 2016), quando eu estava no Barcelona, não me deixaram jogar os dois, mas isso é conversado, é ver o que é melhor. Mas espero estar 100% para ajudar a seleção brasileira de alguma forma – disse Neymar, no início.

Jogar os dois, no caso, seria disputar a olimpíada no fim de julho até 9 de agosto e ainda a Copa América, que vem antes – de 12 de junho a 12 de julho, na Colômbia e Argentina. A competição sul-americana é data Fifa, o que tornaria obrigatória a liberação de Neymar, mas, como disse o camisa 10, é muito difícil que o jogador fique disponível tanto a Tite quanto a Jardine. Até porque o treinador da seleção principal pretende fazer mais experiências na Copa América.

Outra frente importante que mobiliza a CBF é a busca por jovens revelações no futebol europeu, entre elas as estrelas do Real Madrid. Vinicius Junior, Rodrygo e Reinier, o último a desembarcar na capital espanhola, seguem na mira de Jardine. O tema envolve o coordenador da seleção de base Branco e tem apoio de Rogério Caboclo, que conversou com o presidente merengue Florentino Pérez.

A CBF tenta recuperar os reforços perdidos na disputa do Pré-Olímpico, o que incluiu a perda de Gabriel Martinelli, do Arsenal, também acompanhado de perto por Tite.

Um dos casos que deixa a comissão otimista é o de Bruno Guimarães, do Lyon. Na negociação, o jogador combinou com os dirigentes franceses a liberação para os jogos olímpicos. O que pode mudar esta condição é que Bruno é cotadíssimo para ser convocado pela primeira vez por Tite no dia 6 de março – e, por consequência, seguir no grupo da seleção principal.