Uol

A Premier League, organizadora do Campeonato Inglês masculino, fez hoje uma doação de R$ 6,6 milhões para que a liga feminina do país possa retornar na próxima temporada. A quantia possibilita principalmente a testagem para coronavírus dos envolvidos na competição. As informações são do site “BBC Sport”.

Enquanto a temporada da liga masculina será decidida em campo, voltando após uma pausa que durou entre o início de março e o final de junho, a feminina foi dada como encerrada no início deste mês. Com a decisão, o Chelsea foi declarado campeão.

Em conversa com o Departamento de Cultura, Mídia e Esporte da Inglaterra, o executivo-chefe da Premier League, Richard Masters, ainda afirmou que tem como objetivo passar a gerir a Women’s Super League (Superliga Feminina, em tradução livre), mas que esse não é o momento certo para isso, apesar das negociações terem acontecido no último ano. Atualmente, a competição é gerida pela FA (Associação inglesa de Futebol).

“De uma perspectiva pessoal, é algo que eu gostaria de fazer no futuro por essa organização – não apenas ser responsável pelo topo da pirâmide em termos de jogos masculinos, mas também de mulheres. Essas duas coisas funcionariam de mãos dadas muito bem e inspiraria uma geração de jovens futebolistas a se envolver no jogo”, afirmou Masters.

Até então, nenhuma verba extra havia sido destinada à testagem nas competições femininas do futebol inglês. Kelly Simmons, diretora de futebol profissional da FA, agradeceu à Premier League por fornecer um financiamento crucial “que nos permitirá cumprir com os protocolos de testes quando voltarmos para a temporada 2020/2021”. A próxima temporada, no entanto, ainda não tem data confirmada.