Combate

Depois de 19 anos de dedicação ao MMA, Rogério Minotouro fará sua luta de despedida do MMA. A carreira do atleta de 44 anos foi repleta de grandes lutas e seu fim se dará neste sábado, no UFC: Whittaker x Till, em Abu Dhabi, justamente contra um dos rivais mais emblemáticos de sua trajetória: Maurício Shogun. Os dois já se encontraram em duas oportunidades, e o paranaense venceu ambas por pontos. Em 2005, em confronto histórico no Pride, e em 2015, já no UFC, em evento no Rio de Janeiro. O segundo resultado é o que mais incomoda Minotouro, que acredita ter sido superior na ocasião. Agora, para fechar a trilogia, ele vê o resultado positivo como uma forma de “fechar com chave de ouro” sua carreira e admite o incômodo pelo placar adverso contra o paranaense.

– Incomoda. Principalmente a segunda luta. A primeira nem tanto porque é considerada uma das melhores lutas do esporte. Foi uma luta pau a pau, mas na regra ali ele ficou por cima mais vezes, talvez na pontuação ganhou por estar por cima. Mas na segunda luta me incomodou bastante. Vi o primeiro round um 10-8, não foi um 10-9. E no segundo talvez ele me ganhou porque botou pra baixo. Mas o terceiro foi totalmente pau a pau, aquela queda não podia contar um ponto. Ainda teve tentativa de guilhotina, ele não fez nenhum dano por cima. No tempo que ele saiu da guilhotina, acabou a luta. Foi mais uma tentativa de guilhotina do que uma queda – afirmou Minotouro, em entrevista ao Combate.com.