Uol

O Campeonato Carioca acabou, mas a polêmica entre Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), clubes e TV Globo está longe do fim. No mais recente capítulo da briga entre as partes, a emissora não pagou – aos times – a última cota referente aos direitos de transmissão da edição 2020 – como anunciou que faria, mesmo com a rescisão unilateral antes do fim do torneio.

Conforme combinado, a parcela de R$ 18,159 milhões deveria ter sido depositada para divisão aos 11 clubes – Flamengo não assinou com a TV – cinco dias antes do encerramento do Carioca. Por ajustes em seu caixa, o Grupo Globo solicitou um adiamento, se comprometendo a pagar a cota derradeira até a última quarta-feira (22). Nada feito.

Em meio a um debate na esfera judicial sobre a validade da rescisão unilateral do acordo pelos direitos de transmissão assinado até 2024, a Globo decidiu que só pagaria tal montante caso a Ferj – signatária da “Proposta Comercial” e responsável por repassar o valor aos times – assinasse um documento aceitando e reconhecendo o rompimento decidido unilateralmente pela emissora nas últimas semanas, abrindo mão de discutir tal fato em juízo. Em suma, a Federação que representa seus filiados reconheceria a rescisão e encerraria uma briga onde os clubes entendem ter direito a receber o valor restante do contrato – R$ 408,5 milhões – pela decisão unilateral da TV.

Aliada dos clubes, a Ferj, claro, não assinou tal documento que daria ao Grupo Globo “a mais ampla, rasa e geral, irrevogável e irretratável quitação, para nada mais reclamar, em juízo ou fora dele”.

Os clubes não aceitam que os R$ 18 milhões encerrem a briga de mais de R$ 408,5 milhões – R$ 98,4 milhões pelo Estadual de 2021, R$ 101 milhões por 2022, R$ 103,5 milhões por 2023 e R$ 105,6 milhões correspondendo ao último ano de acordo, 2024, de acordo com os termos assinados por todas as partes e obtidos pelo UOL Esporte..

Ferj e times entendem que o último item da “Proposta Comercial” com valor de contrato da “cessão dos direitos de transmissão, exibição, disponibilização e exploração de todos os jogos que compõem o Campeonato Carioca” assinada por todos não permite tal decisão e rescisão por apenas uma das partes. O vínculo contratual estabelecia o pagamento total de R$ 95,574 milhões pelo ano de 2020 – valor a ser dividido pelos 11 clubes.