Futebol Interior

Numa sexta-feira estranha, de tempo ruim, de muita expectativa no mundo por causa da vacina (chega ou não) da covid-19 e o Brasileiro da Série B continuou quente pela 33.ª rodada.

Mesmo empatando com o Figueirense sem gols, em Florianópolis, o CSA dormiu dentro do G4 – zona de acesso.

Com 52 pontos o time alagoano é o quarto colocado, mesma pontuação do Juventude, em quinto, que tem dois gols a menos de saldo: 13 a 11.

Enquanto isso, Cuiabá (54) está seguindo rumo à elite, enquanto Chapecoense e América-MG, ambos com 63 pontos, já estão lá (só falta a maldita matemática confirmar!).

À tarde, no Bento Freitas, o Avaí ganhou uma sobrevida ao vencer o Brasil por 1 a 0. O time catarinense tem 47 pontos, em sétimo, mesma pontuação da Ponte Preta, em oitavo por ter menor número de vitórias: 14 a 13.

O Guarani, em sexto com 48 pontos, pode seguir sonhando com o acesso.

Na rodada, três mandantes venceram. No Estádio dos Aflitos, o Náutico perdeu dois pênaltis, mas venceu o Paraná, por 2 a 1. Em Ponta Grossa, o Operário confirmou sua melhor qualidade em cima do lanterna Oeste por 2 a 0.

No Rei Pelé, o CRB, de Roberto Fernandes, emplacou sua segunda vitória seguida e agora, com 43 pontos, está quase livre da degola. O confiança perdeu, mas com 42 pontos, também não vai voltar para a Série C.

A vitoria do Cruzeiro sobre o Sampaio Corrêa por 1 a 0 em São Luis foi boa porque deixou a Raposa com 44 pontos, em 11.º, e praticamente livre da ameaça de queda. E segurou o time maranhense, com 45 pontos, em nono lugar, cansado de tantos jogos e de um início tumultuado causado pela Covid.

Na luta para evitar a degola, o Náutico (38 pontos) saiu do Z4, enquanto o Figueirense voltou a entrar na zona de perigo, com 36 pontos.

O Paraná tem 33, na frente de Botafogo-SP com 27 e Oeste, com 23, e que perdeu mais uma vez