Uol

Depois de atritos por causa do calendário embolado durante a pandemia, Conmebol e CBF parecem ter chegado a consenso em alguns ajustes. Primeiro a confederação brasileira adiou três jogos da Série A marcados para 30 de janeiro, mesmo dia da final única da Libertadores no Maracanã. E agora a entidade sul-americana deve abrir mão da exigência de que os finalistas estejam na sede da decisão 72 horas antes do confronto.

Palmeiras e Santos, que se enfrentarão na finalíssima da Libertadores, têm jogos atrasados do Brasileirão marcados para 27 de janeiro, três dias antes da decisão continental e data na qual já deveriam estar no Rio — o Palmeiras recebe o Vasco, partida ainda da primeira rodada da Série A, enquanto o Santos visita o Atlético-MG pela 28ª rodada.

O protocolo da final da Libertadores exige que as delegações estejam 72 horas antes na cidade sede principalmente para eventos promocionais que a Conmebol e parceiros fazem antes da decisão. Mesmo com a pandemia, e a impossibilidade de reunir grandes públicos, é importante para a entidade essa exclusividade dos clubes, treinando na cidade do jogo e com as marcas de seus patrocinadores mais expostas.

A CBF marcou os dois jogos atrasados antes de Palmeiras e Santos estarem classificados para a final da Libertadores. Mas quando clareou a possibilidade da decisão brasileira, a CBF, sem espaço para manobras no calendário, nem cogitou alterar esses confrontos para não bater com o protocolo da Conmebol.

á no Paraguai, onde está a sede da confederação sul-americana, havia insatisfação com algumas decisões da entidade brasileira, principalmente com a marcação de partidas para o dia da final e que bateriam com o horário do confronto (17h). Por isso, há alguns dias, dentro da Conmebol a orientação seria exigir que o protocolo de chegada dos finalistas 72 horas antes no Rio fosse cumprido, e que a CBF se virasse.

Isso mudou nos últimos dias quando a CBF adiou de 30 para 31 de janeiro os três jogos antes agendados para a data da finalíssima da Libertadores: Atlético-MG x Fortaleza, Ceará x Athletico e Inter x Bragantino. A Conmebol viu como um bom gesto da CBF e tende a retribuir.