Diário do Nordeste

A permanência na elite do futebol brasileiro representa receita imediata. O contrato de distribuição das cotas de transmissão prevê que cada posição a mais na tabela de classificação seja revertida em premiação, que inclui cotas entre o campeão e o 16º colocado na tabela da Série A.

O repasse do ano de 2019 foi mantido para 2020. O montante envolvendo TV aberta e fechada segue em R$ 1,1 bilhão. Destes, 40% são divididos de forma igualitária, 30% pela colocação final e 30% restantes por exibição do jogo. Logo, as cotas por posições ao término da 38ª rodada irão repartir R$ 330 milhões. O campeão lucra R$ 33 milhões, enquanto o vice arrecada R$ 31,35 mi.

Premiações por posição da Série A de 2020

Divisão por posição para times que fecharam com a Globo na TV Aberta e Fechada (2020)
Campeão: R$ 33 milhões
Vice: R$ 31,3 milhões
3º: R$ 29,7 milhões
4º: R$ 28 milhões
5º: R$ 26,4 milhões
6º: R$ 24,7 milhões
7º: R$ 23,1 milhões
8º: R$ 21,4 milhões
9º: R$ 19,8 milhões
10º: R$ 18,1 milhões
11º: R$ 15,5 milhões
12º: R$ 14,6 milhões
13º: R$ 13,7 milhões
14º: R$ 12,8 milhões
15º: R$ 11,9 milhões
16º: R$ 11 milhões

Divisão por posição dos times que fecharam com a Globo só na TV aberta (2020)
Campeão: R$ 19 milhões
Vice: R$ 18 milhões
3º: R$ 17,1 milhões
4º: R$ 16,1 milhões
5º: R$ 15,2 milhões
6º: R$ 14,2 milhões
7º: R$ 13,3 milhões
8º: R$ 12,3 milhões
9º: R$ 11,4 milhões
10º: R$ 10,4 milhões
11º: R$ 8,1 milhões
12º: R$ 7,6 milhões
13º: R$ 7 milhões
14º: R$ 6,8 milhões
15º: R$ 6,6 milhões
16º: R$ 6,4 milhões