Globo Esportes

O calendário de jogos entre seleções foi um dos mais afetados pela pandemia da Covid-19, fazendo com que as eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022 tivessem início adiado, assim como competições como a Euro e a Copa América. Por isso, o técnico Tite considera difícil indicar qual a melhor seleção do mundo atualmente. É o que o comandante da seleção brasileira afirmou ao site da Fifa.

Tite indicou que os times europeus entraram mais em campo após a paralisação do ano passado, se comparados às equipes da América do Sul, e por isso seria “difícil dizer” que time está no topo do planeta hoje. Porém, rasgou elogios à fase da Itália, citando, ainda, a atual campeão mundial França e a Bélgica, algoz brasileira na Copa de 2018.

– A Itália voltou a jogar, para mim, um futebol muito mais bonito de assistir. Mancini fez um ótimo trabalho. Ele instalou uma escola de futebol como Arrigo Sacchi. Acho que eles têm um equilíbrio maior entre o jogo defensivo – caracteristicamente, historicamente pelo que são conhecidos – e o jogo ofensivo. A Bélgica ainda tem essa grande geração. É uma grande equipa, tem um grande talento individual e é um dos jogadores mais talentosos do mundo em De Bruyne. A França também é muito forte.

Tite também opinou sobre os destaques entre os jogadores, indicando que o goleiro Alisson é “sem dúvida” um dos três melhores de sua posição, embora os momentos variem. Ao falar dos atletas em geral, exaltou Neymar, Lewandowski e De Bruyne – em quem votou na última edição do prêmio The Best. E manteve o brasileiro no topo do ranking.

– Eu diria que os três em que votei. Neymar em primeiro, Lewandowski em segundo, e De Bruyne em terceiro. Antes de se lesionar, Neymar estava, mesmo para seus próprios padrões, em uma forma fantástica. Lewandowski é um atacante incrível. De Bruyne é capaz de fazer coisas que outros não podem. Sua improvisação, sua determinação. Adoro vê-lo jogar – comentou.