Terra

Com a pandemia de covid-19 e a consequente alteração do calendário do futebol, a Seleção brasileira teve uma redução muito grande em seus compromissos. Em 17 meses, desde novembro de 2019, atuou apenas quatro vezes. Número assim tão baixo de apresentações ocorreu pela última vez faz mais de 50 anos – entre 1966 e 1968.

Em geral, a média de jogos por ano da Seleção é superior a dez, podendo ser bem maior se houver a disputa de Copa do Mundo ou Copa América.

Desta vez, com as restrições impostas pela disseminação do coronavírus, a Seleção fez quatro partidas em 2020 (em outubro e novembro, pelas eliminatórias do Mundial de 2022, vencendo todas, contra Bolívia, Peru, Venezuela e Uruguai).

Com o adiamento da Copa América de 2020 para 2021, assim como pela remarcação de partidas das eliminatórias e o cancelamento de amistosos, a agenda da equipe sofreu modificações constantes, o que ainda vem ocorrendo, e não há uma definição clara de quando voltará a jogar.

Embora o começo da Copa América, na Argentina e Colômbia, esteja programado para junho, a realização do torneio dependerá do controle da covid-19 nos países da América do Sul.