WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
vitoria da sorte


vitoria da sorte

março 2021
D S T Q Q S S
« fev   abr »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  



drupal counter

:: mar/2021

Futebol feminino: o primeiro jogo oficial da história

Ogol

O futebol nasceu como um esporte de elite, destinado aos ‘cavalheiros’ de seu tempo, há aproximadamente 200 anos na Inglaterra… Desde então, o esporte passa por pequenas (e gigantes) transformações, como a profissionalização, inclusão dos ‘operários’ e, como não poderia deixar de ser, das mulheres. O primeiro jogo oficial de futebol feminino aconteceu num dia 23 de março de 1895, 23 anos depois da primeira partida masculina.

Conforme os registros da história, o futebol feminino, no entanto, já era praticado desde o início dos anos 1880. Acontece que, por razões burocráticas, a primeira partida oficial ainda levaria mais de uma década para ser disputada.

E se o primeiro jogo muito de longe lembra o futebol como é hoje, à exemplo do masculino, com a inclusão de novas regras, outra visão tática e mesmo de relação com o esporte, aquela partida entre North e South é reflexo do que hoje o futebol feminino tem voltado a ser. A partida disputada no campo de Crouch End, região norte de Londres, contou com a presença de 10 mil torcedores.

O público era formado por curiosos, gente intrigada com a possibilidade de mulheres disputarem uma partida de futebol! Apesar de tanto público, poucos foram os que tiveram a oportunidade de acompanhar com os próprios olhos.

Num local sem a capacidade para comportar tantas pessoas, a arquibancada foi ocupada somente por alguns privilegiados, enquanto os demais se amontoavam pelo chão em volta do gramado. Nem mesmo o espaço reservado para a imprensa foi o suficiente, tamanho o interesse dos periódicos da época.

Voltando ao jogo, visto que com toda a importância do evento histórico acabava em segundo plano, terminou em 7 a 1, com uma vitória sonora do North. O triunfo foi liderado por um dos ícones da história do futebol feminino: Nettie Honeyball, fundadora do British Ladies’ Football Club, o primeiro clube de futebol feminino e responsável por organizar o encontro entre nortenhos e sulistas.

Além do futebol

Naquele contexto histórico, em finais do século XIX, as mulheres que participaram da partida foram vistas como revolucionárias de seu tempo. É que, além de pioneiras em uma partida oficial, os trajes usados eram impensáveis na época.

Enquanto normalmente as mulheres que praticavam qualquer outro tipo de esporte trajavam vestidos longos para competir, as jogadoras tinham como uniforme short, blusa e boné. Para alguns jornais, como o The Guardian, o ato era meramente normal, não havia nada de errado.

Outros, entretanto, taxavam: “as mulheres nunca conseguirão jogar futebol da forma que se deve”, dizia o Bristol Mercury. O Daily Post, por sua vez, se afirmava “feliz porque as mulheres não podem jogar futebol. Mesmo se elas fossem capazes, o jogo não é compatível com o sexo”.

O tempo passou, os estádios lotaram e craques como Marta, Formiga, Megan Rapinoe, Sissi, Birgit Prinz e tantas outras provaram o lado certo da história.

Em congresso, Conmebol pede à Fifa que preserve as datas das Eliminatórias Sul-Americanas

Terra

O presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, fez um pedido ao presidente da Fifa, Gianni Infantino. Nesta terça-feira, durante a 74ª assembleia ordinária da entidade que comanda o futebol na América do Sul, o paraguaio pediu que a Fifa proteja as federações sul-americanas e ajude a preservar a disputa das Eliminatórias para a Copa do Mundo do Catar, em 2022.

“Não é que a Conmebol queira que as Eliminatórias sejam disputadas nas datas pré-determinadas. Pedimos ao presidente Infantino e à Fifa que continuem trabalhando duro para proteger nossas associações e nosso futebol”, disse Domínguez, durante o evento, realizado em formato virtual.

Em resposta, Infantino assegurou que seu objetivo é melhorar os interesses das associações continentais em relação ao calendário internacional em meio à pandemia do coronavírus.

“Todos esperamos que agora, com a vacina, o mundo vá melhorando dia a dia, para que possamos voltar ao normal, mas ao mesmo tempo teremos que continuar conversando, continuar debatendo muitos problemas”, pontuou Infantino.

Uma das consequências da pandemia no futebol sul-americano foi o adiamento da rodada dupla de março das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022, no Catar. Os jogos foram suspensos diante da impossibilidade de as seleções convocarem jogadores que atuam na Europa devido a restrições sanitárias ou a recusa de seus clubes em meio ao agravamento da pandemia, especialmente no Brasil, que tem batido recordes diários de infecções e casos.

“Um dos problemas é o futuro do calendário internacional que vamos ter que discutir nos próximos meses e no próximo ano. E é claro que um continente com tradições tão históricas como a América do Sul terá um papel importante”, afirmou o dirigente suíço.

No entanto, ele adiantou que a discussão não será fácil, já a defesa dos interesses esportivos “é a batalha diária de um presidente da federação, um presidente da confederação e o presidente da Fifa”.

Por sua vez, o presidente da Conmebol, o paraguaio Alejandro Domínguez, declarou em sua participação no congresso que, embora a pandemia tenha afetado a todos, está trabalhando em conjunto para encontrar uma saída diante da resistência dos clubes europeus em liberar seus jogadores para as Eliminatórias na América do Sul.

O dirigente paraguaio, que no início do encontro pediu aplausos em “homenagem a todos os que já não estão aqui”, com especial destaque para Diego Maradona, apresentou o balanço financeiro da Conmebol e divulgou o relatório anual das auditorias interna e externa sobre as finanças, detalhando a situação patrimonial, receitas e despesas e evolução do patrimônio líquido da entidade.

“Somos a única Confederação do mundo que manteve o formato da disputa das Eliminatórias e é porque aderimos ao lema ‘regras claras’ e isso porque entendemos que a definição das partidas é feita no campo de jogo”, salientou.

O mandatário da Conmebol enalteceu o protocolo sanitário escolhido para retomar os torneios sul-americanos, que segundo ele, é “o mais eficaz do que qualquer uma das melhores vacinas que estão sendo aplicadas hoje para combater a pandemia apesar do tempo que tivemos de fazer.”

Domínguez insistiu que a bolha sanitária aprovada pelos 10 países-membros “foi tremendamente eficaz”. “Tínhamos 38 mil testes, com nível de eficácia de 99%. Havia infectados, mas isso não ultrapassava 1%”, garantiu.

Uefa divulga tabela das quartas da Champions Feminina com dois clássicos

Globo Esportes

A Uefa divulgou a tabela das quartas de final da Liga dos Campeões Feminina, confirmando a presença do Paris Saint-Germain na disputa. A classificação estava pendente de análise da Uefa após o cancelamento do jogo de volta das oitavas, contra o Sparta Praga.

Com quatro casos de Covid-19 no departamento de futebol, sendo três jogadoras, o time francês foi impedido de viajar para a República Tcheca para disputar o jogo de volta em Praga. A partida foi cancelada, mas a Uefa confirmou a classificação do PSG, que tinha vencido o jogo de ida por 5 a 0. Mesmo que o Sparta fosse declarado vencedor por WO, o resultado aplicado na partida, 3 a 0, não seria suficiente para vencer o confronto.

Nas quartas, o PSG vai enfrentar justamente seu rival nacional, o Lyon, recordista de títulos europeus, com sete conquistas, e atual pentacampeão da Champions. Na disputa local, o PSG lidera o Campeonato Francês com um ponto de vantagem sobre o Lyon.

Os outros confrontos das quartas da Champions Feminina são Barcelona x Manchester City, Chelsea x Wolfsburg e Bayern de Munique x Rosengard.

Três dos oito jogos, incluindo ida e volta, terão de ser jogados em campo neutro, devido às restrições de viagem entre alguns países europeus causadas pela pandemia de Covid-19.

Na ida, o Barcelona vai enfrentar o City em Monza, na Itália, enquanto o Chelsea jogará em Budapeste contra o Wolfsburg, ambos no dia 24 de março. No mesmo dia, o PSG receberá o Lyon, e o Bayern de Munique será anfitrião contra o Rosengard.

Três jogos de volta serão no dia 31 de março: Wolfsburg x Chelsea será novamente disputado em Budapeste. City e Lyon poderão jogar em casa contra Barcelona e PSG, respectivamente. No dia seguinte, o sueco Rosengard receberá o Bayern de Munique.

A Uefa também indicou nesta sexta o caminho de cada equipe até a final, marcada para o dia 16 de maio em Gotemburgo, na Suécia. Uma das semifinais será entre os vencedores de PSG x Lyon e Barcelona x City. Na outra, o ganhador de Bayern x Rosengard vai enfrentar quem avançar no duelo entre Wolfsburg x City.

Conmebol prevê torcida liberada nas arenas da Copa América daqui a 82 dias

Uol

Em relatório apresentado às associações filiadas nesta terça-feira (23), a Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) fez a previsão de que a Copa América, programada para ocorrer entre 13 de junho e 10 de julho de 2021, terá venda de ingressos para ao menos 30% da capacidade dos estádios na Argentina e na Colômbia, sedes do torneio de seleções.

O Uol apurou que a entidade tem conversado com os governos dos dois países e avançou a ideia de ao menos vender bilhetes para torcedores locais, ou seja, residentes na Argentina e na Colômbia — a Fifa fez isso no Mundial de Clubes do Qatar-2020, realizado em fevereiro de 2021 por causa da pandemia. A covid-19 adiou a Copa América em um ano.

O plano prevê que os torcedores tenham que apresentar exame PCR negativo para covid-19, feito 72 horas antes do jogo. Também poderá ser limitada a duas entradas por pessoa, ou seja, o interessado só poderá ir com um acompanhante, para preservar a distância entre os assentos dentro dos estádios (cinco na Argentina e quatro na Colômbia).

A Colômbia tem 62.148 mortos por covid-19 e a Argentina 54.671, segundo dados oficiais dos dois países. Em 23 de março de 2021, a média diária de mortes na Argentina era de 119 e na Colômbia de 129, números na América Latina piores apenas do que Brasil (2.306), México (471) e Peru (166).

No orçamento para 2021, aprovado nesta terça no Congresso anual, a Conmebol prevê faturar US$ 28 milhões (R$ 153 milhões) com a venda de ingressos e pacotes de hospitalidade para a Copa América — número baseado com a liberação de 30% da capacidade dos estádios. A entidade ainda tem a esperança de que possa chegar aos 50% dos assentos.

A Conmebol enxugou o mínimo possível o calendário da Copa América. Com as desistências dos convidados Qatar e Austrália, que por causa da pandemia não viajarão à América do Sul, a confederação manteve o regulamento e atrasou em só dois dias o início da competição, que antes era 11 de junho e agora será dia 13.

Árbitro de Salvador comanda Doce Mel x Bahia de Feira

Diplomata News

A Federação Bahiana de Futebol (FBF) definiu a escala da arbitragem para a partida entre Doce Mel e Bahia de Feira no Estádio Carmelito Barbosa, em Cruz das Almas, válido pela terceira rodada do Campeonato Baiano 2021. Emerson Ricardo de Almeida Andrade (CBF/Salvador) comanda a partida do tremendão nesta quarta-feira (24).

Ele será auxiliado pelos assistentes Elicarlos Franco de Oliveira e Luanderson Lima dos Santos que trabalharão com bandeirinhas. Irinaldo Jorge dos Santos Silva será o quarto árbitro. Todos eles filiados à CBF também.

Emerson Ricardo, na última quarta-feira (17), apitou o clássico entre Bahia e Vitória em Pituaçu, partida que marcou sua estreia em clássicos.

Neymar fica fora de lista dos jogadores mais caros do mundo

IG Esportes

Menino de ouro do futebol brasileiro, Neymar ficou de fora de uma lista desenvolvida pelo Observatório do Futebol CIES, que indica os jogadores mais caros dos principais campeonatos europeus. Seis brasileiros integraram a relação e o atacante do PSG não chegou nessa final.

A pesquisa foi feita a partir de um algoritmo desenvolvido pelo CIES, que estipula o valor dos elencos de 98 clubes dos cinco países que protagonizam o futebol do continente: Alemanha, Espanha, França, Inglaterra e Itália.

Vinicius Jr. , do Real Madrid, e Richarlison , do Everton são os primeiros brasileiros a aparecer na lista, com avaliação entre 70 e 90 milhões de euros (algo em torno de 459 a 591 milhões de reais, na moeda atual).

Raphinha, do Leeds United, e Matheus Cunha, do Hertha Berlin, estão entre 30 e 40 milhões de euros (197 a 262 milhões de reais).

Matheus Pereira, do West Bromwich, e Emerson, do Betis, concluem a representação brasileira, avaliados entre 20 e 30 milhões de euros (131 a 197 milhões de reais).

Rogério Caboclo, presidente da CBF, defende continuidade do futebol

Folhapress

O presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Rogério Caboclo, defendeu a continuidade dos jogos da modalidade em meio ao agravamento da pandemia do coronavírus no Brasil. Nesta segunda-feira (22), o país bateu pelo 24º dia consecutivo o recorde na média móvel de mortes pela Covid-19 (2.298 óbitos) e ultrapassou os 12 milhões de infectados pelo coronavírus.

Em reunião com mandatários dos clubes das Séries A e B, Caboclo afirmou que iria bancar a sequência dos campeonatos, disse que a Rede Globo, detentora de direitos de transmissão, e seus patrocinadores também são contra a paralisação e que os clubes “estariam fodidos” se as competições não ocorressem. O vídeo em que Caboclo faz as afirmações foi publicado pelo jornal O Dia.

“Eu não abrirei mão […]. Nós podemos parar o futebol? A Rede Globo não quer, eu tenho a segurança que não. Ninguém quer. Seus patrocinadores não querem. E se parar, sabe quando nós temos a segurança de dizer que a gente pode voltar? Nunca. Num dia que o governador do Maurício, que um ministro disser que pode, no dia que o prefeito de São Nunca disser que pode. Eu não vou estar à mercê de nenhum deles. Eu vou, Landim, Galiotte, todos os presidentes, eu vou mudar o futebol brasileiro e vou determinar que vai ter competição”, disse Caboclo, que complementou:

“Porque vocês estão fodidos se não tiver (competição). Eu assumo o ônus de todos vocês.”

Mauricio Galiotte, presidente do Palmeiras, pediu que o tema fosse abordado em outro momento: “Podemos voltar a discutir esse assunto em outro momento, Rogério?”. Caboclo respondeu: “Por que em outro momento?”. Galiotte replicou: “Porque acho que a discussão é um pouco mais ampla, mas vou encerrar aqui a minha colocação.” Caboclo finalizou: “Ótimo”.

Já o presidente do Avaí, Francisco Battistotti, fez elogios ao presidente da CBF.

“Parabéns, Rogério, pela sua colocação. Parabéns por essa posição. O Avaí Futebol Clube acha a sua posição coerentíssima. Aqui em Santa Catarina, só o Rubinho e eu sentimos na carne o que estão fazendo. Sentimos na carne a influência política determinando que seja cancelado o futebol catarinense. Um dia fecham a cidade. Outro dia por interferência de outros prefeitos fecham a outra. Parabéns, presidente Caboclo.”

No fim da reunião, o mandatário da CBF ainda questionou se algum dos representantes dos clubes desejava a paralisação do futebol, mas o silêncio predominou.

“Acho que já foi ouvido que todos querem a continuidade”, declarou. “Algum presidente aqui presente é contra a continuidade? Nenhum”, finalizou Caboclo.

Ubirajara Veiga, ex-técnico do Vitória da Conquista morre aos 66 anos vítima de Covid-19

Da Redação
Fonte Diário de Arapiraca
Foto Ascom ECVC

Morreu nesta terça-feira (23), o ex-treinador do Vitória da Conquista, técnico Ubirajara Veiga, 66 anos, vítima de covid-19. Bira, como era conhecido entre os amigos mais próximos, estava internado no Hospital da Mulher, em Maceió desde o dia 10 de março.

Ubirajara Veiga teve uma piora no seu quadro clínico na semana passada e precisou ser entubado. O caso de Veiga era considerado grave, mas estável. E nesta terça-feira (23) veio a confirmação do seu falecimento.

Ubirajara, treinou no futebol alagoano, além do ASA; CSA, CRB, Coruripe, Ipanema, Santa Rita, Corinthians Alagoano e CSE. Em Vitória da Conquista Bira comandou o Vitória da Conquista e o Serrano.

Antes de voltar ao Brasil, no início deste ano, estava treinando o FC Kariya, do futebol japonês. Ubirajara, teria retornado a Alagoas em fevereiro desde ano.

Futebol resiste em parar porque não há um plano claro para a volta segura

André Rocha
Colunista do Uol Esporte

Ninguém em sã consciência pode defender a prática do futebol profissional no Brasil com média móvel acima de duas mil mortes/dia por Covid-19. Não é serviço essencial, então tem que parar.

A grande questão que faz clubes e federações resistirem e tentarem preservar a disputa ao menos dos estaduais é a incerteza. O futebol para, mas até quando?

Não há um plano unificado no país que combine lockdown e aplicação de vacinas em massa para achatar a curva de contágio. O governo federal tem postura dúbia, mudando a narrativa de acordo com os ventos políticos e o presidente mantendo o discurso contra as medidas restritivas de governadores e prefeitos. Cedendo um auxílio emergencial cujo valor irrisório não atende os mais necessitados e defendendo o direito de sair para trabalhar, mesmo com uma nova cepa do coronavirus mais contagiosa e letal.

O negacionismo reduziu, mas ainda existe. O uso de máscaras nas ruas, ao menos aqui no Rio de Janeiro, oscila muito. Muitas pessoas não estão informadas sobre a mutação do virus e ainda acham que não há reinfecção, ou que apenas os idosos morrem de Covid. Neste cenário é difícil prever um controle mínimo para que o fechamento de empresas e serviços tenha um prazo e a retomada garanta a sobrevida financeira.

É preciso ser ético e empático, mas também prático. Parar sem previsão de volta segura é quebrar de vez. Por isso clubes paulistas e a FPF forçam jogos em Volta Redonda e cariocas devem seguir o mesmo caminho. O Mineiro para até abril, mas o que garante uma melhora do quadro geral? Há cinismo e interesses mesquinhos no processo, mas também o desespero de ver o país sem rumo e perspectivas, tratado como pária mundial e a economia indo para o buraco. Sem jogos, a receita de TV mingua e inviabiliza o negócio.

Devemos ainda ter muitos capítulos lamentáveis de idas e vindas. São vidas em jogo e a ideia de colocar em risco a integridade física de profissionais nem deveria ser uma hipótese. O problema é o tempo, que joga contra. Não é rolar a bola sobre os cadáveres, mas driblar as incertezas. A cada dia fica mais difícil mirar um horizonte de normalidade mínima. O que fazer? Não há resposta, a não ser o instinto de seguir em frente. O futebol é só mais um setor tentando respirar em meio ao caos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Pandemia afeta 16 campeonatos estaduais no País e muda calendário dos clubes

Terra

A pandemia do novo coronavírus já afeta mais da metade dos campeonatos estaduais e, consequentemente, a agenda dos clubes brasileiros. Enquanto o País se aproxima da triste marca de 300 mil mortes causadas pela doença, os torneios regionais não têm conseguido ficar imunes à devastação causada pela covid-19. Levantamento feito pelo Estadão mostra que, dos 27 torneios regionais deste início de temporada, pelo menos 16 enfrentam algum tipo de restrição.

O mais novo Estadual a entrar nessa lista é o do Rio de Janeiro. Embora a realização do Campeonato Carioca esteja mantida neste momento, a partir de sexta-feira o torneio não terá partidas na capital por causa da pandemia. O prefeito do Rio, Eduardo Paes (DEM), disse que de 26 de março até 4 de abril, a cidade não poderá receber jogos. “No Rio não pode e no Caio Martins (em Niterói) também não”, disse.

Paralisados

Ceará: O estadual atendeu ao pedido do governo e paralisou suas atividades após a realização de apenas uma rodada. O decreto vai, no mínimo, até o dia 28 de março. As partidas de outras competições, como a Copa do Nordeste e a Copa do Brasil, podem ser disputadas normalmente no estado.

Distrito Federal: O Campeonato Brasiliense está suspenso desde o dia 17 de março. O estadual tem o retorno previsto para o dia 30 de março, quando as equipes disputarão a terceira rodada da competição.

Espírito Santo: O campeonato foi paralisado entre os dias 18 e 31 de março. Durante este período, estão liberados os treinos das equipes. Foram disputadas três rodadas da competição.

Goiás: O torneio foi paralisado no dia 17 de março, após quatro rodadas disputadas. A data de retorno está prevista para o dia 31. Os clubes foram unânimes e concordaram com a paralisação do Estadual.

Minas Gerais: Após todos as cidades do estado serem colocadas na onda roxa pelo governo, com medidas mais restritivas de circulação, o futebol também foi paralisado no estado até 31 de março.

Pará: A competição foi suspensa a partir desta segunda-feira. Não há uma previsão de retorno.

Rio Grande do Norte: O campeonato foi paralisado a partir deste sábado até o dia 2 de abril.

São Paulo: Foi paralisado no dia 15 de março, após decisão do governo. A Federação Paulista de Futebol (FPF) tentou levar as partidas para outros estados, porém não conseguiu. Em reunião nesta segunda-feira, em conjunto com os clubes, a federação resolveu acatar a decisão do governo e manter a paralisação do futebol até o dia 30.

Tocantins: As partidas estão suspensas desde o dia 17 de março, atendendo a recomendação do governo estadual. O torneio deve ser retomado no dia 1º de abril.

Com restrições

Paraná: O estadual foi paralisado no dia 1º de março. Em Curitiba, Maringá, Paranaguá e Ponta Grossa não podem ser disputados jogos e nem serem realizados treinamentos. As outras cidades estão liberadas para receber as partidas pendentes, para que não fiquem muitos jogos atrasados. Não há previsão para que o campeonato seja totalmente retomado.

Rio Grande do Sul: As partidas seguem acontecendo, porém em horários limitados. O jogos só podem ocorrer após às 20h, para que não haja aglomeração de torcedores.

Prefeitura do Rio de Janeiro diz que jogos de futebol estão proibidos no município a partir de sexta-feira

Isto É

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM), anunciou, em entrevista coletiva nesta segunda-feira, que os jogos do Campeonato Carioca não poderão ocorrer no município a partir da próxima sexta, 26 de março. O decreto será publicado nesta terça e tem validade até o dia 4 de abril.

– No Rio não pode e no Caio Martins (em Niterói) também não – disse o prefeito, ao ser perguntado sobre a realização de jogos na cidade.

Assim, o Estadual precisará ser remanejado para outros municípios para seguir acontecendo. Volta Redonda, Bacaxá e Nova Iguaçu passam a ser as alternativas para as equipes.

A medida é mais uma tomada pela prefeitura como forma de conter a propagação do novo coronavírus. Haverá um “superferiado” já anunciado pelo Governo do Rio de Janeiro, entre 26 de março a 4 de abril, em que apenas os serviços essenciais podem funcionar.

COPA DO NORDESTE: Sport busca a primeira vitória e Bahia quer se manter líder

Futebol Interior

Nesta terça-feira (23), será dada a largada para a quinta rodada da Copa do Nordeste. Entre as partidas, o Sport luta pela primeira vitória na competição diante do Confiança, na Ilha do Retiro, às 19 horas.

Por outro lado, outro gigante nordestino, em situação oposta, também entra em campo. Fora de casa, no estádio Rei Pelé, o Bahia visita o CSA para se manter na liderança do Grupo A do torneio.

A temporada 2021 começou de maneira preocupante para o Sport. Após vencer a primeira partida, diante do Vera Cruz, pelo Campeonato Pernambucano, o Leão acumulou, em sete jogos, quatro derrotas e três empates.

Na Copa do Nordeste, a situação é ainda pior. O time em quatro jogos empatou duas vezes e foi derrotado em duas oportunidades, somando apenas dois pontos e ocupando a lanterna do Grupo B.

Em contrapartida, o Bahia vive uma situação completamente diferente. Tranquilo na competição regional, o Esquadrão lidera o Grupo A com sete pontos, com duas vitórias, um empate e uma derrota em quatro partidas.

Na última rodada, inclusive, goleou o próprio Sport, por 4 a 0, e fez com que o saldo de gols fosse suficiente para ficar na frente do CRB na tabela de classificação.

Diante do CSA, o Tricolor terá uma grande missão, já que o time alagoano, apesar da quinta colocação no Grupo B, ainda não perdeu na Copa do Nordeste.

Enquanto isso, a bola vai rolar para dois times de camisa pesada no Nordestão. Na Arena Castelão, às 21h30, Fortaleza e Santa Cruz duelam com vidas opostas. O Leão do Pici, vice-líder do Grupo B com oito pontos, é favorito diante do Tricolor do Arruda, que ocupa a lanterna do Grupo A e é o único time que não somou nenhum ponto até aqui.

Antes de todos estes confrontos, Altos e Sampaio Corrêa abrem a quinta rodada no estádio Albertão, às 15h45. Enquanto o time do Piauí busca permanecer no G-4 do Grupo B, a equipe do Maranhão, que está na sétima posição do Grupo A, quer o primeiro triunfo.

comercial tommacon



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia