Globo Esportes

Os clubes de São Paulo concordam em jogar a cada dois dias, se for necessário, para cumprir o calendário e tentar concluir o Campeonato Paulista no dia 23 de maio. Isto não está definido e, diga-se, não está sequer autorizado o retorno das atividades do maior estadual do país. Há o consenso desde a reunião da última segunda-feira de que os jogadores não poderão atuar a cada dois dias, mas os clubes, sim.

Ou seja, pode haver uma tabela que faça o Corinthians jogar num dia na Copa do Brasil e dois dias depois pelo estadual. Ou o Palmeiras disputar uma partida de Libertadores numa terça-feira e outra de Paulistão na quinta.

Os dirigentes repetem que os jogadores não poderão ser submetidos a este sacrifício, mas os clubes podem, sim.

Isto pode significar um estadual disputado, em parte, por times reservas ou até aspirantes.

A restrição imposta desde o dia 15 de março, data do início da fase emergencial no Estado de São Paulo, adiou cinco rodadas até este momento. Haverá reunião com o Ministério Público nesta quinta ou sexta-feira, para entender se haverá possibilidade de retorno do estadual na próxima semana. Mas isto só acontecerá se houver diminuição da ocupação dos leitos, o que não parece perto de acontecer.