Uol

Por causa da pandemia de coronavírus, a CBF terá de realizar sem público a terceira final da Supercopa, jogo entre Flamengo e Palmeiras. Com isso, a entidade terá prejuízo com a competição mesmo com o contrato pontual com a Globo para transmissão do jogo. A premiação para os dois finalistas supera o valor arrecadado.

A Supercopa é uma aposta da CBF a longo prazo: o objetivo é consolidar o campeonato que repete modelo da Europa. Para atrair os times, a entidade estabeleceu uma premiação alta, com R$ 7 milhões, sendo R$ 5 milhões para o campeão e R$ 2 milhões para o vice.

No ano passado, a CBF ficou mais perto de empatar o investimento, embora também tenha tido um buraco. O público proporcionou uma arrecadação de R$ 7,4 milhões. Em valor líquido, sobraram R$ 4,2 milhões para a entidade. A entidade ainda obteve entre R$ 1 milhão e R$ 2 milhões em direitos de televisão com a Globo. Mas havia custos para fazer uma festa na final.

O contrato com a emissora carioca é pontual, negociado ano a ano. Por isso, é previsível um aumento com o confronto entre Flamengo x Palmeiras que gera uma audiência maior para a emissora. Não foi possível obter o valor do novo acordo. Houve ainda um acordo de naming rights com a Kia para a competição.

Desta vez, sem festa, a CBF economizou nos custos de organização do jogo. Ainda assim, sem a bilheteria, não foi possível para a entidade cobrir os custos de premiação.