WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
vitoria da sorte




vitoria da sorte

setembro 2021
D S T Q Q S S
« ago    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  



drupal counter

:: 14/set/2021 . 11:36

Prefeitura amplia horário para caminhada e prática de atletismo no Lomantão

SECOM PMVC

A partir desta quarta-feira (15), o Estádio Municipal Lomanto Júnior (Lomantão) passa a abrir de segunda à sexta-feira, das 5h às 20 horas, para o uso dos praticantes de caminhada e atletas que precisam treinar. O anúncio foi feito pela prefeita Sheila Lemos que esteve no Lomantão na noite de ontem (13).

Acompanhada pelo secretário de Cultura, Turismo, Esporte e Lazer (Sectel), Xangai, pelo vereador Augusto Cândido e por alguns atletas amadores, Sheila caminhou pela pista de atletismo do Lomantão e ligou os refletores do estádio que teve a iluminação melhorada. “É mais um espaço público que será aberto para as pessoas que queiram praticar corrida ou fazer sua caminhada. Nosso governo é um entusiasta da prática esportiva”, declarou a prefeita.

O estádio ficará disponível para quem quiser utilizá-lo para a prática esportiva pela manhã, das 5h ao meio-dia e das 13h30 até às 20 horas. O representante dos atletas amadores, Fábio Oliveira, disse que essa era uma aspiração. “O atletismo é uma forma de melhorar a qualidade de vida e por isso a abertura deste espaço é de suma importância. A prefeita está de parabéns por esta iniciativa”, afirmou Fábio.

Criação da Secretaria e do Conselho Municipal de Esportes tematizam audiência pública na Câmara

Ascom Câmara

A Câmara Municipal (CMVC) realizou na tarde desta segunda-feira, 13, uma Audiência Pública para debater políticas públicas de cultura, esporte e lazer em Vitória da Conquista. A iniciativa é do mandato do vereador e presidente da Câmara Municipal, Luís Carlos Dudé (MDB).

Com o objetivo de incentivar a criação da Secretaria Municipal de Esportes e o Conselho Municipal de Esportes, várias autoridades destacaram a importância do esporte amador e profissional de Vitória da Conquista. Eles abordaram a realidade atual, disponibilidade de recursos, perspectiva de investimentos e projetos para esse setor e outras áreas da cultura, visando a promoção de lazer para a população. A audiência contou com a presença da intérprete de Libras, Jaqueline Silva.

Além de Dudé, participaram da audiência os vereadores Nildo Freitas (PSC), Alexandre Xandó (PT), Chico Estrella (PTC). Na mesa estavam também o secretário municipal de Cultura, Esporte e Lazer, Eugênio Avelino (Xangai), o secretário municipal de Educação, Edgard Larry, o presidente do ECPP, Ederlane Amorim, o coordenador de esporte e presidente da LCDT, Luciano Pina, o coordenador de campeonato interbairros, Marcos Lelis, o servidor público e desportista Helder Lobo, entre outros.

Na abertura da audiência, Luís Carlos Dudé destacou que apenas 1% do orçamento do município é destinado à cultura, percentual que ele considera pequeno. Ele defendeu a criação da Secretaria Municipal de Esportes, cuja pasta hoje está ligada à Secretaria de Cultura. “Precisamos do empenho de cada desportista, porque juntos podemos muito mais em relação ao esporte de Vitória da Conquista”, disse, acrescentando que o atual presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ednaldo Rodrigues, é conquistense, motivo de orgulho para todo o município e para a Bahia. “Isso mostra a importância de nossa cidade no contexto esportivo”, salientou. Ainda segundo Dudé, todas as grandes lutas travadas em Conquista nasceram na Câmara Municipal, como a construção do Ginásio de Esportes Raul Ferraz, e que o esporte sempre teve e continuará tendo o apoio do legislativo conquistense.

Edgard Larry, secretário municipal de Educação, parabenizou a iniciativa do mandato do vereador Luís Carlos Dudé em debater um tema que considera de suma importância para a sociedade. “Precisamos discutir as ações ligadas ao esporte. Historicamente, Vitória da Conquista sempre foi uma cidade reveladora de talentos e, por isso, precisamos nos organizar melhor, lembrando que esse trabalho já é uma luta de muitas décadas”, disse Larry, aproveitando para cobrar a implantação da Secretaria Municipal de Esportes. Conforme o secretário, o esporte no município tem potencial, mas ainda é pouco explorado. Disse que recentemente, ao assumir a Secretaria Municipal de Educação (Smed), começou a vislumbrar a possibilidade de estimular toda a rede municipal à práticas esportivas, com realização de grandes eventos, mobilizando toda a rede. “Fazemos coro com vocês para que possamos melhorar a questão do esporte no engajamento com a comunidade, viabilizando o acesso de todos ao esporte. Assim, teremos sucesso na formação das nossas crianças e adolescentes. É importante que estejamos juntos nessas ações”, disse.

Desportista ligado ao Futsal, Helder Lobo pediu mais apoio e investimento por parte do poder publico na reativação do Ginásio de Esportes, pois esse espaço tem feito muita falta aos desportistas da cidade.

O coordenador de Campeonatos Interbairros, Marcos Lélis, destacou que outras iniciativas como essa, voltadas para o debate de políticas públicas para o esporte, já aconteceram na cidade. Ele relembrou a trajetória do ECPP, que “viu potencial e oportunidade nessa área. “Nós também vimos e começamos a realizar os Campeonatos Interbairros, mas dependemos do poder público para financiar essas iniciativas”, explicou e disse que apesar da falta de apoio, o futebol amador continuou crescendo, mas atribuiu esse sucesso aos profissionais que militam na área. Lélis falou também da suspensão das atividades por causa da pandemia e relatou que em se tratando de esporte, Vitória da Conquista tem os melhores em tudo. “Temos os melhores dirigentes, os melhores árbitros e jogadores. Mas até agora o Poder Público ainda não iniciou uma estruturação para dar maior suporte a esse segmento. O esporte de Vitória da Conquista não pode estar atrelado a secretarias municipais, é muito grande para ser dependente de outras pastas. O esporte precisa ter uma dotação própria para seguir seu caminho”, afirmou.

O presidente do Esporte Clube Primeiros Passos (ECPP), Ederlane Amorim, falou da lacuna provocada pela falta de uma secretaria independente de esportes. “O esporte não deixa de ser um segmento de imponência em nossa educação. É uma área estratégica para atender os adolescentes em formação, porque o que vimos hoje são muitos adolescentes deixando de praticar esportes para ficar expostos à internet”, salientou. Ederlane relatou sua trajetória enquanto esportista e falou também da fundação do ECPP, ressaltando os desafios enfrentados pela diretoria devido à falta de recurso e de calendários sazonais. Segundo ele, a pandemia trouxe muitos prejuízos para o setor, por conta da suspensão das atividades esportivas, além do impacto emocional provocado pela ausência de práticas esportivas. Concluiu o seu discurso cobrando a criação de uma secretaria de esportes independente.

Coordenador Municipal de Esporte e presidente da Liga Conquistense de Desportos Terrestres (LCDT), Luciano Pina, destacou que o esporte acontece de segunda a segunda e ressaltou as modalidades esportivas que têm apresentado demandas na cidade, além da ocupação dos espaços de esportes. Também defendeu a criação da Secretaria Municipal de Esportes, falou do trabalho desenvolvido pela LCDT e destacou o trabalho feito pelas escolinhas do município. “Temos 32 quadras que precisam de manutenção e temos feito o possível para garantir a assistência desses espaços, até mesmo para reforçar o trabalho dessas escolinhas”, afirmou.

Eugênio Avelino Xangai, secretário municipal de Cultura, Esporte e Lazer, lembrou do tempo que jogava futsal. Disse que existe necessidade, não do desmembramento, mas do debate e verificação junto à administração municipal para uma atenção maior com relação ao esporte. Falou de um projeto que contemple a integração das artes com as modalidades esportivas e comemorou o fato de o presidente da CBF ser de Vitória da Conquista. O secretário salientou a tradição do futebol amador e relembrou algumas personalidades do esporte conquistense, como Neca, João Pretinho e Marinaldo Dias Bacelar.

Coordenador de Esportes da Associação de Surdos de Conquista, Jadiel Araújo, disse que o esporte deve ser visto também como elemento de inclusão e que a associação tem desenvolvido um trabalho esportivo com pessoas surdas, as quais estão sendo treinadas todas as quintas e sextas-feiras para participar de competições em outras cidades. “Eu gostaria de estimular a comunidade surda a ocupar esses ambientes nas diversas modalidades esportivas, estou muito feliz em poder interagir com essa Casa, precisamos quebrar essas barreiras para podermos crescer e nos desenvolver. A gente quer crescer junto com vocês na busca por igualdade de direitos”, salientou.

Representando a capoeira, Thiago Brasil cobrou políticas públicas e espaços públicos que possam abranger a capoeira. Ele falou do campo da Ester e lamentou que o espaço esteja abandonado. Em seguida, destacou a relevância do trabalho social da capoeira e os atletas que estão sendo formados por esse trabalho, e aproveitou para pedir a criação de um campeonato de capoeira promovido pela Prefeitura Municipal.

Jogador e coordenador de Escolinha de Futebol, Danilo Santos pediu a inserção de todas as modalidades que tratam do esporte nessas políticas públicas. Agradeceu a chance de praticar o futebol. “Através do futebol, muitas portas se abriram para mim como cidadão e isso eu devo a personalidades como Piolho, Luciano Pina, entre outras”. Danilo relatou o trabalho social que tem feito na cidade, alcançando mais de 5 mil jovens por meio do futebol e enfatizou os desafios enfrentados por esses atletas, por sua condição social e pelas oportunidades dadas a esses talentos. Falou da importância de elevar o nome da cidade por meio do esporte e destacou as iniciativas do poder público em Recife, que estimula a formação de atletas, sugerindo que essas ações possam ser reproduzidas em Conquista também.

Ex-coordenador de Esporte e professor de basquete, Márcio Brito falou que as dificuldades dessa modalidade esportiva são as mesmas dos outros esportes. Relembrou sua trajetória no esporte e ressaltou a oportunidade que teve de ocupar o cargo de coordenador de esportes e suas frustrações no cargo, como o fechamento de espaços como o Ginásio de Esportes. “Estamos precisando de politicas públicas de práticas esportivas de qualidade, pois o esporte amador é construído por atletas profissionais”, disse e pediu a retomada dos espaços onde o esporte é praticado.

Naedson Amaral, árbitro de futsal, relembrou sua trajetória no futebol e sua formação como árbitro de futsal. “Temos atletas e árbitros qualificados, mas nem sempre foi assim”, disse e aproveitou para fazer um apelo em prol da arbitragem de todas as categorias. Lembrou dos árbitros que tiveram origem em Conquista e que ganharam destaque no cenário nacional, e nesse sentido cobrou mais estímulos para essa categoria.

Em seu discurso, o vereador Nildo Freitas parabenizou a iniciativa da audiência. “Eu não sou desportista, mas quero dizer que essa audiência pública é de extrema importância para apontar os rumos do esporte conquistense e estamos falando de várias modalidades esportivas”, disse. Ele destacou o trabalho que era feito nas escolas da cidade e o incentivo dado aos alunos e pediu a continuidade desses estímulos. “Na condição de vereador, creio que toda essa Casa dará apoio à criação da Lei de Incentivo ao Esporte. A criação da Secretaria de Esportes já deveria ter acontecido há muito tempo. Tenho certeza de que a Câmara dará apoio a todas essas demandas”, afirmou.

O vereador Alexandre Xandó iniciou o pronunciamento falando da necessidade de um intérprete de Libras na Câmara Municipal. Em seguida destacou a audiência pública que tratou sobre a prática de capoeira na cidade e a necessidade de espaços para a prática de diversas modalidades esportivas. “Estamos jogando capoeira em espaços inadequados, precisamos de concurso público para professor de capoeira”, conclamou. Xandó disse que está acompanhando a reforma do Ginásio de Esportes Raul Ferraz e falou das demandas apresentadas pelos desportistas de diferentes modalidades, como os de Rugby e o profissionalismo dos atletas, mas lamentou as limitações na expansão dessas modalidades. “Penso eu que precisamos ter também políticas públicas específicas para as mulheres, contemplando o esporte feminino”.

Outro assunto tratado por Xandó foram as quadras deterioradas, a ausência de fiscalização nesses espaços e a continuidade de projetos sociais, por meio do esporte, que seguem sendo ameaçados a cada gestão municipal. “Eu entendo que o Conselho Municipal de Esportes vai poder dar passos maiores em relação ao que estamos discutindo aqui. Porem, é preciso manter esse conselho em atividade”, concluiu.

Líder do Governo na Câmara, o vereador Chico Estrella lembrou da construção do Ginásio Raul Ferraz e do Estádio Murilão. “Em administrações anteriores, encontramos dificuldades para fazer reformas nesses espaços esportivos. Estamos reformando agora o Murilão, anos depois dessa demanda ser apresentada pela comunidade. Qual a dificuldade em dedicar empenho e esforço para alcançar essas demandas?”, questionou Chico, que também cobrou a criação da Secretaria de Esporte. Ele falou da expectativa de ter independência, poder e verba para tocar adiante as pautas do esporte em Vitória da Conquista. Aproveitou para ressaltar o trabalho de Ederlane Amorim na profissionalização do futebol de Conquista e do empenho da prefeitura em garantir apoio ao time nessa fase.

Vereadora de Salvador, Marcele Morais, irmã do ex-deputado Marcel Morais, parabenizou a iniciativa e falou da importância do esporte para as pessoas, ressaltando que em países desenvolvidos as crianças são estimuladas desde o ensino infantil a praticar esporte, o que infelizmente ainda não ocorre no Brasil. Defendeu também a necessidade de estímulo às mulheres para que elas tenham uma participação mais efetiva no esporte. Aproveitou o momento para chamar a atenção para as pautas de defesa dos animais e relembrou as ações desenvolvidas por Marcel Morais.

Finalizando a audiência, o vereador Luís Carlos Dudé reafirmou a proposta do encontro, cobrou a criação da Secretaria de Esportes e lembrou que já tinha levado essa proposta ao ex-prefeito Herzem Gusmão. Lembrou que a reforma administrativa imposta pelo Governo Federal não viabilizou a criação da secretaria e defendeu a necessidade de uma secretaria com dotação orçamentária própria e a garantia de espaços em praças públicas para a prática da capoeira.

Dudé destacou também a trajetória de Ednaldo Rodrigues, que ocupa hoje posição de presidente da CBF. “Conquista empresta seu nome para mostrar que temos homens e mulheres competentes, e Ednaldo é exemplo disso”, disse, lembrando outras referências no esporte como Minotauro e Minotouro.

Em seguida, pediu ao secretário de Cultura, Xangai, que enviasse à Câmara o Projeto de Lei de criação da Secretaria Municipal de Esportes e garantiu que a Casa aprovará a iniciativa. “Precisamos fazer mais e melhor pelo esporte e por todas as suas modalidades. Aproveito para agradecer a todos os presentes e pedir que essa campanha seja de toda a Casa e que resulte na criação dessa secretaria”, pediu, clamando à prefeita Sheila Lemos (DEM) que se dedique à criação da Secretaria de Esportes. “Essa audiência é o primeiro passo em direção a esse pleito”, concluiu.

CBF encaminha defesa à Fifa para julgamento da suspensão de Brasil x Argentina

Bahia Notícias

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) encaminhou nesta segunda-feira (13) na Fifa a defesa para o julgamento da suspensão do jogo Brasil x Argentina. A entidade que controla o futebol mundial abriu processo disciplinar para analisar a partida que foi interrompida após cinco minutos de bola rolando no último dia 5 de setembro, pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, por funcionários da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) com a Polícia Federal.

De acordo com informações do site Uol, a CBF enviou a defesa no último dia do prazo. A entidade brasileira juntou uma série de documentos que incluem os relatórios do árbitro venezuelano Jesús Valenzuela e do delegado da partida o colombiano Juan Hernández, para comprovar não ter sido a responsável pela suspensão do clássico na Neo Química Arena, e que cumpriu suas tarefas como mandante.

O jogo foi suspenso pela Anvisa por causa das informações falsas fornecidas por quateto jogadores da Argentina, o goleiro Emiliano Martínez, o zagueiro Cristian Romero, o volante Giovani Lo Celso e o meia Eliminano Buendía, na chegada ao Brasil. O quarteto deveria cumprir 14 dias de quarentena, obedecendo a portaria interministerial 655, de 23 de junho.

STJD indica que manterá liminar permitindo público no Flamengo x Grêmio

Uol

O presidente do STJD, Otávio Noronha, indicou a dirigentes da CBF que, por ora, não deve reconsiderar a liminar concedida por ele que permite ao Flamengo ter público nos estádios quando for mandante em competições nacionais.

A postura — embora não registrada em documento — traz impacto direto no jogo de quarta-feira (15), contra o Grêmio, pela Copa do Brasil, no Maracanã. Como o rubro-negro tem a liminar a seu favor e o aval da Prefeitura do Rio, o cenário atual é de presença de torcida. Via assessoria do STJD, Noronha afirmou que ainda vai analisar o pedido de reconsideração entregue por um bloco de clubes da Série A na sexta-feira.

O Pleno do STJD ainda irá avaliar em colegiado o mérito da questão, provavelmente no dia 23. Logo, isso não acontecerá antes do Flamengo x Grêmio de quarta. De qualquer forma, Noronha tem a prerrogativa de, antes disso, reavaliar a decisão inicial.

Mas o UOL Esporte apurou que nas conversas informais com dirigentes da CBF o presidente do STJD se mostrou preocupado com a credibilidade se eventualmente mudasse sua posição. Em decisões monocráticas similares — como resposta a ataques à liminar que o Cruzeiro também tem a seu favor, sob os mesmos moldes do Fla —, Noronha tem rejeitado os pedidos de reconsideração.

Na liminar que atende o pedido do Flamengo, Noronha escreveu que a CBF não tem prerrogativa de definir se os jogos terão público ou não. Pelo argumento, apoiado em uma decisão do STF, a liberação deve ser regulada pelas autoridades locais.

Na sexta-feira, os 17 clubes enviaram ao STJD um mandado de garantia por meio do qual pedem reconsideração da liminar dada ao Fla. E o argumento dos dirigentes é que o conselho técnico da Série A deliberou sobre o tema e, em colegiado, definiu que não haverá público enquanto todos os times da elite do Brasileirão não tiverem aval das autoridades locais. A votação mais recente aconteceu na quarta-feira passada (8). Foi nessa mesma reunião que os clubes decidiram tentar derrubar a liminar do Fla.

Em relação especificamente à Copa do Brasil, outro argumento usado pela CBF e pelos clubes nos contatos com o STJD cita aspectos do regulamento da competição. No protocolo publicado em julho, que segundo a CBF serve como adendo à diretriz técnica operacional das competições, a entidade estabeleceu o seguinte: “Em partidas ida e volta (mata-mata), no caso de um dos clubes envolvidos não ter autorização pelo órgão sanitário local para receber público no estádio, ambas as partidas não terão público”. É o caso de Flamengo x Grêmio, que na ida, em Porto Alegre, teve arquibancadas vazias.

A CBF ainda citou o exemplo a seguir: “Clube A da UF 1 tem permissão pela autoridade sanitária local para receber público máximo de 20% do estádio, enquanto Clube B da UF 2 não tem permissão pela autoridade sanitária local para receber público (0% do estádio). No caso de confronto entre as equipes em formato eliminatório ida e volta, nem Clube A nem Clube B poderão receber público nos seus respectivos estádios”..

O Flamengo mantém o otimismo e a programação para ter torcida na quarta-feira. O presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, estranhou a postura do presidente do STJD, até por não ter recebido qualquer documento ou notificação do tribunal.

“Isso sendo verdade, tem coisas complicadas aí. A primeira é dar publicidade à sua decisão de forma antecedente. Isso soa muito estranho”, disse o dirigente.

Por vaga na semifinal, Santos tenta reverter desvantagem contra o Athletico-PR

Isto É

Próximo da zona de rebaixamento no Brasileirão, o Santos aposta todas as suas fichas na Copa do Brasil. Nesta terça-feira, às 21h30, na Vila Belmiro, o time alvinegro revê o Athletico-PR no duelo que vale uma vaga na semifinal da competição e opõe rivais pressionados e em crise.

Como perdeu em Curitiba por 1 a 0, o Santos entra em campo com a obrigação de ganhar por dois gols de diferença para se classificar sem disputa de pênaltis. Não há gol fora. Por isso, vitória santista por um gol de diferença, seja por qualquer placar, leva a definição da vaga para as penalidades. O Athletico-PR joga pelo empate.

Além da chance de ganhar um título que salvaria o ano e garantiria um lugar na próxima edição da Libertadores, a Copa do Brasil é vista com bons olhos pela diretoria santista em razão da alta premiação. Se avançar para a semifinal, o Santos embolsa R$ 7,3 milhões.

O torcedor santista espera que a equipe dê uma resposta rápida sob o comando de Fábio Carille. O treinador fez sua estreia no último sábado no empate sem gols com o Bahia em um jogo ruim e de pouca produção ofensiva.

O Athletico-PR vê a Copa do Brasil da mesma maneira que o Santos, como uma chance de espantar a crise, se redimir, e encher os cofres com a premiação milionária – já recebeu R$ 7,85 milhões por ter disputado a terceira fase, oitavas e as quartas. O clube paranaense, campeão em 2019, tenta chegar à semifinal pela terceira vez.

O Athletico venceu apenas duas vezes nos últimos 13 jogos, daí o momento conturbado. Só no Brasileirão, são sete partidas de jejum. A crise foi ampliada com a saída do técnico António Oliveira e críticas a Paulo Autuori, Bruno Lazaroni e seus comandados.

Para a partida decisiva na Vila Belmiro, Autuori e Lazaroni têm a volta do meia-atacante Nikão, que estava suspenso no Brasileirão. O atacante Bissoli, porém, não joga por já ter defendido o Cruzeiro na Copa do Brasil deste ano, e Jader está fora por lesão. O jogador sofreu uma entorse de tornozelo contra o América-MG no último sábado e não há previsão de retorno.

Internacional vence Sport e dá passo importante no Brasileirão

Sportbuzz

Nesta segunda-feira, 13, o Internacional foi até a Ilha do Retiro e conseguiu chegar ao seu sexto jogo sem derrota no Brasileirão. A equipe de Diego Aguirre soube se comportar contra um sem criatividade Sport e pegou o elevador na tabela de classificação para chegar na nona posição e começar a sonhar com o G-6 do campeonato, após a vitória de 1 a 0 fora de casa.

Com a vitória diante do Sport, o Internacional chegou ao seu sexto jogo consecutivo sem perder e ainda alcançou a nona posição no Campeonato Brasileiro. Enquanto isso, o Sport se afundou ainda mais no zona de rebaixamento e ficou na vice-lanterna do Brasileirão com apenas 17 pontos.

comercial tommacon



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia