WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  



drupal counter

:: ‘São Paulo’

São Paulo é eliminado com arbitragem polêmica e gols de carrasco

Terra

torcidaspefe

Acabou na noite desta quarta-feira o sonho do tetracampeonato da Copa Libertadores da América para o São Paulo. O clube brasileiro precisava de uma vitória por dois gols de diferença para seguir vivo na competição, mas voltou a perder para o Atlético Nacional-COL, desta vez por 2 a 1, em duelo disputado no lotado Estádio Atanasio Girardot, em Medellín, válido pelas semifinais do torneio continental.

Diante de aproximadamente 45 mil torcedores, que pintaram o estádio de verde e branco, o Tricolor até saiu na frente com gol de cabeça de Jonathan Calleri, aos oito minutos do primeiro tempo – o argentino chegou à artilharia isolada da competição, com nove tentos. No entanto, os colombianos trataram de frear o ímpeto são-paulino pouco depois, quando Borja, carrasco do jogo de ida, arrancou em velocidade para deixar tudo igual.

Precisando desesperadamente de mais dois gols no segundo tempo, o técnico Edgardo Bauza mandou a campo Alan Kardec e Luiz Araújo, que praticamente não tocaram na bola. Apáticos na etapa final, os brasileiros foram envolvidos facilmente pelos mandantes, que viraram o marcador em cobrança de pênalti convertida por Borja, autor de todos os quatro gols do Nacional nas semifinais.

Com o resultado, o placar agregado das semifinais entre São Paulo e Atlético Nacional terminou em 4 a 1 a favor da representação de Medellín, uma vez que havia superado o time da capital por 2 a 0, em pleno Morumbi, há uma semana. Agora, os colombianos aguardam o vencedor do confronto entre Boca Juniors e Independiente del Valle. Os equatorianos venceram o jogo de ida, de virada, por 2 a 1, em casa. A volta está marcada para esta quinta-feira, às 21h45 (de Brasília), no estádio La Bombonera, em Buenos Aires.

13010866_763527323749434_1887758628180687307_n

Na Colômbia, São Paulo busca uma virada inédita na semifinal da Libertadores

r7

S--o-Paulo-x-Atl--tico-Nacional-1260x710

A busca por um dos maiores feitos da história move o São Paulo para nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), em Medellín, na Colômbia, anular a vantagem de 2 a 0 construída no jogo de ida pelo Atlético Nacional para chegar à final da Copa Libertadores. A tarefa no estádio Atanasio Girardot ganhou o status de desafio, quase uma busca pelo milagre, pelo contexto da competição e pela dura derrota no Morumbi.

Com a possível presença de mais de 40 mil torcedores contra, o São Paulo tentará uma série de feitos inéditos para chegar à sétima decisão de Libertadores da sua história. A lista, por exemplo, inclui vencer pela primeira vez como visitante na competição e virar uma vantagem jamais conseguida em todas as semifinais do torneio.

O São Paulo precisa ao menos repetir os 2 a 0 para levar para os pênaltis. Se ganhar por três gols de diferença ou mais, estará na decisão. Mesmo caso de triunfo por dois de diferença a partir de 3 a 1.

A dificuldade da missão aumenta pelos desfalques de Maicon, suspenso, e dos lesionados Kelvin e Paulo Henrique Ganso. O camisa 10, aliás, está de saída para o Sevilla e deve dar adeus mais cedo se o time for eliminado nesta quarta-feira. Para a função dele, o técnico argentino Edgardo Bauza vai apostar no argentino Centurión, que volta após ficar três jogos suspenso por cuspir em um jogador do Toluca, do México, nas oitavas de final.

“Não temos apenas que fazer gols. Isso é importante, mas a equipe tem que fazer um jogo inteligente. Vamos arriscar em alguns momentos, mas o Nacional é um adversário perigoso”, afirmou Edgardo Bauza.

A preparação na Colômbia teve dois dias de treinos fechados. O último foi no estádio do Envigado, clube da região metropolitana de Medellín onde o meia James Rodríguez, artilheiro da última Copa do Mundo e atual jogador do Real Madrid, começou a carreira.

A atividade teve como baixa de última hora o volante João Schmidt. Com dores na coxa direita, ele chorou por estar decepcionado com a limitação física e vai dar lugar a Hudson.

O treinador argentino, adepto da organização tática e do futebol pragmático, mostrou irritação ao ser perguntado sobre a necessidade de fazer gols como visitante, mas ter três volantes de origem na formação titular. “Tenho uma formação ofensiva em mente. Em algum momento posso colocá-la em campo”, afirmou.

Com Maicon expulso, São Paulo perde do Atlético Nacional

Terra

maicon-expulso-gp

O São Paulo não foi páreo para o melhor ataque da Copa Libertadores. Dominado durante boa parte do jogo, a equipe sucumbiu após a expulsão do zagueiro Maicon e perdeu por 2 a 0 do Atlético Nacional, nesta quarta-feira, no Morumbi. O resultado exigirá do time uma vitória por três gols de diferença para avançar à final. Além disso, terá de arcar com a ausência de Maicon, que custou 5 milhões de euros (R$ 20 milhões) e 50% dos direitos dos jovens Lucão e Ítalo só para jogar as semifinais.

O técnico Edgardo Bauza apostou novamente na improvisação do centroavante Ytalo na vaga do lesionado Ganso, mas a invenção não surtiu o efeito esperado. O atleta só correu em campo e não exerceu nem sombra do protagonismo do camisa 10 – tanto que foi substituído por Alan Kardec, aos 17 minutos do segundo tempo. O volante Wesley, substituto de Kelvin na ponta direita, foi outro jogador com atuação apagada e que comprometeu a armação do ataque.

Michel Bastos, encarregado das cobranças de bola parada, era o principal destaque ofensivo da equipe. Mas a atuação do meia também deixou a desejar. Sem companheiros que pudessem servir o ataque, o artilheiro Jonathan Calleri praticamente não encostou na bola durante os 90 minutos de jogo.

Se já era difícil, o jogo ficou ainda mais complicado com a expulsão de Maicon, aos 28 minutos do segundo tempo. Bauza não soube ajustar o sistema defensivo da equipe e viu Borja aproveitar os espaços para anotar os dois gols, aos 36 e 43 minutos. Com os tentos, o Atlético Nacional chegou aos 19 gols na competição continental.

O duelo que decidirá o primeiro finalista da Libertadores ocorrerá às 21h45 (de Brasília) da próxima quarta-feira, dia 13, na cidade colombiana de Medellín – onde o Atlético Nacional está 100%. O São Paulo precisará de uma vitória por dois gols de diferença para levar a decisão aos pênaltis. Só um triunfo por três gols de diferença garante a classificação direta para a final.

São Paulo segura Atlético-MG, quebra tabu e avança na Libertadores

Gazeta Esportiva

000_AW42H-1024x631

“Caiu no Horto, tá morto”? Não para o São Paulo. O Tricolor segue mais vivo do que nunca na Libertadores. Nesta quarta-feira, os comandados de Bauza mostraram valentia para segurar o Galo no Independência e, mesmo com a derrota por 2 a 1, garantir vaga nas semifinais, que encerra o tabu de sete eliminações consecutivas da equipe paulista para clubes brasileiros na competição continental.

A classificação são-paulina na próxima fase da Libertadores, contudo, pareceu distante no começo da partida. Com dois gols sofridos em 11 minutos de jogo, o São Paulo parecia estar fadado à eliminação no Horto. Porém, assim como na primeira partida, o Tricolor fez a diferença no duelo com um gol em um lance de bola parada, desta vez com Maicon, três minutos depois.

Na sequência da partida, o confronto ficou imprevisível, no entanto, a boa disposição defensiva e certa dose de sorte permitiram à equipe paulista segurar o ímpeto do Atlético-MG, mantendo o resultado até o apito final.

Em jogo brigado, São Paulo bate Atlético-MG no Morumbi

Terra

michel-bastos-atletico-sao-paulo-gp

O São Paulo levou a melhor sobre o Atlético Mineiro por 1 a 0, em jogo truncado, de mais faltas e cartões amarelos do que bons lances, e também marcado por acidente nas arquibancadas do Morumbi, pela ida das quartas de final da Taça Libertadores.

O gol isolado da partida foi anotado por Michel Bastos, que chegou a ter participação em dúvida, por causa de problema físico, o que o fez começar a partida no banco de reservas. O camisa 7 entrou em campo aos 18 minutos do segundo tempo e balançou as redes, de cabeça, aos 35.

Na comemoração, parte da grade de proteção das arquibancadas inferiores do Morumbi caiu, e cerca de dez torcedores despencaram de uma altura entre 2 e 3 metros. O meia Wesley chegou a ajudar no resgate de uma jovem, antes de a partida ser reiniciada pelo colombiano Wilmar Roldán.

O árbitro, aliás, teve muito trabalho com os atletas, já que foram dez cartões amarelos, três deles nos cinco minutos iniciais. O Atlético recebeu sete advertências e perdeu dois atletas para o confronto de volta, na próxima quarta-feira, Rafael Carioca e Júnior Urso, que estão suspensos.

Após golear no Morumbi, São Paulo se apoia em sua história para confirmar vaga

r7

622_1eb5ad20-9f12-3dd1-abb1-ddec5bac4dd6

Somente se sofrer sua maior goleada de sua história em Copas Libertadores o São Paulo será eliminado, nesta quarta-feira, diante do Toluca, no México, a partir das 19h15 (no horário de Brasília). Com tanto otimismo pela vaga nas quartas de final, a equipe tomou precauções para não se acomodar e deve jogar com uma formação cautelosa, com três volantes.

A vitória por 4 a 0 na semana passada, no Morumbi, dá ao time paulista a comodidade de apenas ser eliminado da competição em caso de uma desvantagem inédita em 18 participações. As maiores derrotas do São Paulo em Libertadores foram por três gols de diferença, placar limite para garantir a vaga na próxima fase.

O técnico Edgardo Bauza não quer correr o risco de vexame e vai armar uma formação mais defensiva. O meia Ganso fica no banco. No lugar dele, Wesley entra na equipe para formar um trio de volantes no meio-campo. O esquema é similar ao usado em La Paz, contra o The Strongest, na rodada final da fase de grupos da Libertadores.

O Toluca faz nesta quarta-feira o último jogo sob o comando do técnico José Cardozo. O paraguaio anunciou no domingo, depois da eliminação do clube no campeonato local, que vai deixar o cargo após o confronto com o São Paulo. “Nem tudo está perdido. Restam 90 minutos e a equipe tem que se entregar ao máximo. No futebol tudo pode acontecer”, disse o zagueiro Gamboa.

São Paulo massacra o Toluca e vaga nas quartas é quase certa

Terra

sao-paulo-toluca-efe

Os jogadores do São Paulo bradaram após passar da fase de grupos que a Libertadores seria um novo torneio a partir das oitavas de final. Na fria noite desta quinta-feira, diante do gabaritado Toluca, do México, o clube usou bem o Morumbi, que teve o maior público do país no ano (53.241 presentes) e fez valer as promessas ao disparar um merecido 4 a 0, sem ver o rival dar nem sequer um chute a gol até a metade do segundo tempo de partida.

Curiosamente, os gols saíram dos jogadores que menos agradaram a torcida neste primeiro semestre de 2016. O meia Michel Bastos, em processo de reconciliação com a torcida desde o ano passado, o volante Thiago Mendes, que havia se tornado reserva do agora lesionado João Schmidt, e principalmente Centurión, terceiro suplente do ataque, que anotou dois belos gols e até chorou ao celebrar o feito.

Com o resultado, o Tricolor conseguiu uma excelente vantagem para o duelo da volta, que será disputado na cidade de Toluca, na próxima quarta-feira, às 19h15 (de Brasília). Lá, os comandados de Edgardo Bauza poderão perder por até três gols de diferença que asseguram a sua presença nas quartas de final da Copa Libertadores da América.

Denis é expulso, Maicon vai para o gol, São Paulo segura empate e vai às oitavas

MSN

BBs5vqb

Foi no sufoco, já sem pernas e na pressão de jogar na altitude e com o zagueiro Maicon no gol, mas o São Paulo está nas oitavas de final da Libertadores. O time do Morumbi sofreu para segurar o empate por 1 a 1 com o The Strongest-BOL na noite desta quinta-feira (21).

A equipe tricolor segurava o empate contra os bolivianos até os 48 minutos do segundo tempo, quando o goleiro Denis levou o segundo amarelo e foi expulso por fazer cera. A situação forçou o Maicon a ir para o gol e segurar até o fim da partida. Ernesto Cristaldo abriu o placar para os donos da casa. Jonathan Calleri fez o da classificação e chegou a oito gols na Libertadores. O duelo ainda terminou com uma grande briga entre jogadores e delegações das duas equipes.

Por provocar Ariel Neumann, Jonathan Calleri ainda foi expulso após o jogo. Agora classificado com nove pontos e em segundo lugar no grupo 1, o São Paulo encara o Toluca-MEX já no próximo meio de semana. O primeiro jogo das oitavas de final será no Morumbi. O River Plate-ARG, que bateu o Trujillanos-VEN também nesta quinta-feira, ficou em primeiro lugar com 11 pontos.

4 a 1 fora o baile! São Paulo é goleado e deixa Paulistão de forma vexatória

r7

6n4688ea5o_7ojn1nem78_file

O São Paulo entrou em campo neste domingo (17) contra o Audax, em Osasco, e não decepcionou — os rivais. A equipe da capital perdeu por 4 a 1 e, de forma vergonhosa, foi eliminada do Campeonato Paulista.

O Audax abriu o placar aos 28 minutos do primeiro tempo. Ytalo experimentou da entrada da área, viu a bola desviar na zaga e trair o goleiro Denis. Menos de dez minutos depois, foi a vez do Tricolor marcar o seu. Calleri invadiu a área pela direita e tocou na saída do goleiro para deixar tudo igual, 1 a 1. A felicidade do São Paulo, no entanto, não durou muito. Ao fim da primeira etapa, aos 42 minutos, Ytalo acertou belo chute de primeira e colocou os donos da casa à frente do placar novamente.

Se a vantagem do Audax já era boa, no segundo tempo ela ficaria ainda melhor. Logo aos seis minutos, Mike aproveitou rebote de cobrança de falta e fez o terceiro. O mesmo Mike, aos 24 minutos, saiu em contra-ataque, chutou, viu Denis espalmar e, na sobra, Juninho concluir a festa do time de Osasco, 4 a 1.

A equipe do Audax entra em campo de olho em uma vaga na grande final no próximo domingo, dia 24, contra o Corinthians, dono da melhor campanha do Paulista.

Calleri volta a brilhar na Libertadores e São Paulo vence o River Plate

Ogol

lal56c3ye_4ojvwgtxmt_file

O São Paulo voltou com tudo na Libertadores. Depois de golear o Trujillanos por 6 a 0, o Tricolor Paulista recebeu o River Plate no Morumbi e emendou a segunda vitória, por 2 a 1, com dois gols de Calleri.

Com as duas vitórias seguidas, o São Paulo viu as chances de classificação aumentarem consideravelmente. Com oito pontos, o Tricolor passou o Strongest e empatou no topo com o próprio River, ainda em vantagem nos critérios de desempate.

O River Plate tentou explorar a ansiedade do São Paulo no Morumbi. Deu certo nos minutos iniciais. O Tricolor teve dificuldades para sair jogando, errou passes curtos e entregou a bola em posições perigosas. Mas o time argentinou mostrou um pobre futebol com a redonda nos pés. Denis sequer foi testado no primeiro tempo.

O encaixe do São Paulo aconteceu aos poucos. O domínio veio com o tempo, embora também sem muita inspiração. Michel Bastos testou Barovero com finalização cruzada e fraca, e Hudson tentou uma estranha bicicleta, que terminou com recuo para o goleiro argentino.

Calleri acabou mais uma vez por ser a diferença para o São Paulo. Aos 28 minutos, o artilheiro voltou a mostrar oportunismo para marcar seu sexto gol na Libertadores. O cruzamento da direita veio com força e o domínio, no peito, não foi fácil. Quando a bola escapou um pouco para a frente, o argentino se atirou de voleio para mandar para o gol.

O River tentou pressionar o São Paulo em busca do empate na volta do vestiário. A equipe da casa segurou com algum esforço a pressão argentina, que acabou por não durar muito. O Tricolor era melhor na partida e acabaria por ampliar a vantagem.

Aos 15 minutos, em cobrança de falta da ponta esquerda, Michel Bastos cruzou na área, Rodrigo Caio se atirou no vazio, mas puxando a marcação, e a bola acabou na cabeça de Calleri. O argentino nem precisou pular para completar para o gol.

Logo depois do gol, após falta pesada de D’Alessandro na direita, teve início uma confusão generalizada. Vangioni acabou agredindo Calleri com um tapa na cara e, por isso, foi expulso. O atacante são-paulino levou o amarelo no lance e, nervoso, foi substituído na sequência para evitar o vermelho.

Quando o São Paulo parecia ter o jogo na mão, uma falha da defesa e do goleiro Denis em levantamento na área de Lucho González acabou por render o gol do River. Mercado tocou de cabeça para Iván Alonso, que usou também a cabeça para marcar.

João Schmidt acabou recebendo o segundo amarelo, para desespero do torcedor. Os minutos finais foram de muita tensão no Morumbi, com jogo aberto, mas o placar seguiu no 2 a 1.

Bauza repetirá time da goleada, sem Lugano, na decisão contra River

Ogol

time_reunido

Nesta quarta-feira (14), o São Paulo jogará o seu futuro na Copa Libertadores da América contra o River Plate, às 21h45, diante de um Morumbi lotado.

Com cinco pontos em quatro jogos, o Tricolor está em terceiro lugar no grupo, a três pontos dos Millionarios, que lideram a chave, e a dois do The Strongest, que perdeu no final da noite de terça para o Trujillanos, por 2 a 1.

Os venezuelanos, inclusive, trazem boas lembranças aos são-paulinos. Na última rodada, a equipe do Morumbi acabou vencendo a equipe da Venezuela, por 6 a 0, para voltar a respirar no torneio.

A lembrança é tão boa que o técnico Bauza deve manter o time que entrou em campo naquela oportunidade, deixando, inclusive, o ídolo Diego Lugano no banco de reservas.

A tendência foi comprovada no treinamento da véspera do jogo, quando o comandante escalou o time com Denis; Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Mena; Hudson e João Schmidt; Michel Bastos, Ganso e Kelvin; Calleri.

outdoor_pq

Calleri faz quatro, Tricolor massacra o Trujillanos e renasce na Libertadores

Gazeta Esportiva

00857637

O São Paulo não teve qualquer dificuldade para golear o Trujillanos na noite desta terça-feira, no estádio do Morumbi, manter-se vivo na briga por uma vaga nas oitavas de final da Copa Libertadores da América e, de quebra, ainda conseguir uma espécie de “redenção” de todos os atletas criticados durante a temporada. O fácil 6 a 0 foi construído com gols de Calleri, quatro vezes, Kelvin e João Schmidt, chegando à maior goleada do clube na história da Libertadores. Antes, a marca pertencia a dois 5 a 0, que haviam ocorrido contra os bolivianos Jorge Wilstermann, em 1974, e Bolívar, em 2013, ambos no Morumbi.

Michel Bastos, nome mais perseguido pelos torcedores, participou do primeiro gol e teve seu nome gritado pela torcida ainda no primeiro tempo após dar um carrinho na linha de fundo e assegurar um escanteio. Calleri deixou sua marca três vezes e até converteu um pênalti – apesar de perder outro, João Schmidt e Kelvin, apostas de Edgardo Bauza, tiveram boas atuações. O torcedor, que voltou a sua casa na Libertadores, pôde se deleitar na agradável noite paulista.

Com o resultado, o Tricolor consegue sua primeira vitória nesta edição da competição e chega aos mesmos cinco pontos do River Plate. Os argentinos, porém, entram em campo nesta quarta, às 19h30 (de Brasília), contra o Strongest, no estádio Monumental de Núñez. Os bolivianos são os líderes do Grupo 1, com sete, sendo que o resultado vai determinar a briga são-paulina daqui para frente. Virtualmente eliminado, o Trujillanos tem apenas um ponto conquistado.

Na próxima rodada, a quinta da fase de grupos, os comandados de Patón receberão o próprio River, ainda com a responsabilidade da vitória para seguir firme em busca da classificação. O duelo será na quarta-feira, dia 13, às 19h30, no estádio do Morumbi. Um dia antes, Trujillanos e Strongest se enfrentam na Venezuela.

Confira os resultados e jogos da 4ª rodada
Huracán-ARG 4 x 2 Sporting Cristal (PER)
São Paulo 6 x 0 Trujillanos
Toluca 2 x 1 LDU (EQU)
Hoje
19:30
River Plate (ARG) x The Strongest-BOL
21h45
Rosário Central x Palmeiras
Independiente de Santa Fé x Corinthians
Independiente Del Vale x Atlético-MG

pmvc




WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia