WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
PMVC

novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930



drupal counter

:: ‘Seleção Brasileira’

Brasil perde para Nigéria no Mundial Sub-17

CBF

20151101183507_0

A Seleção Brasileira se despediu do Mundial Sub-17 de forma doída. Depois do melhor início de jogo do Brasil na competição, tudo começou a dar certo para a Nigéria, que venceu por 3 a 0 neste domingo (1), no Estádio Sausalito, em Viña del Mar (CHI), pelas quartas de final do campeonato.

O Brasil começou o jogo muito melhor, com boas trocas de passe e disposição tática. Sem muitas dificuldades para chegar ao ataque, a equipe teve três chances claras antes dos 15 minutos. Todas em subidas pela direita, que encontraram Evander livre na área. Só que o camisa 10 deu azar nas conclusões. A Seleção não corria muitos riscos até os 28 minutos, quando a Nigéria começou a atacar e fez três gols em sequência: Osimhen, Michael e Anumudu marcaram em um intervalo de seis minutos.

No segundo tempo, a Seleção Brasileira buscou a reação, mas a Nigéria, com a vitória nas mãos, soube administrar a partida. Na semifinal, a Nigéria encara o vencedor de Equador e México.

Brasil: Juliano, Dodô, Eder Militão, Zé Marcos e Rogério; Guilherme, Andrey (Geovane) e Lincoln (Eron); Leandro, Luís Henrique (Arthur) e Evander.

Brasil marca no fim e está nas quartas de final

CBF

20151028192541_3

Teve emoção, pênalti perdido e gol no último lance do jogo. Com um gol de pênalti de Luis Henrique, a Seleção Brasileira se classificou para as quartas de final do Mundial Sub-17, nesta quarta-feira, ao bater a Nova Zelândia por 1 a 0. O jogo foi disputado no Estádio Sausalito, em Viña del Mar.

Foi por pouco que o Brasil não abriu o placar no primeiro tempo. Com muito mais volume de jogo, a Seleção Sub-17 chegou a ter 90 por cento de posse de bola, criou chances, mas esbarrou no goleiro da Nova Zelândia;

A primeira oportunidade foi com Geovane, que recebeu belo passe de Arthur e entrou livre pela direita da área, mas não conseguiu chutar com força suficiente para marcar. Depois foi Luis Henrique, que acreditou em lance que parecia perdido, saiu de cara com o goleiro, mas também perdeu.

Na segunda etapa, já com Zé Marcos no lugar de Ronaldo, que havia tomado um cartão amarelo no início da partida, a tônica do jogo não mudou, mas o Brasil criou menos chances claras de gol. A Nova Zelândia, por sua vez, que não havia finalizado nenhuma vez no primeiro tempo, chegou a pressionar por alguns minutos.

O primeiro chute a gol dos neozelandeses veio numa cobrança de pênalti. Kleber fez falta dentro da área, mas McGarry isolou a batida e mandou direto para a arquibancada.

Com os dois times buscando o gol, mas evitando correr riscos pelo andar do relógio, a Seleção Brasileira foi premiada pela maior agressividade. No último lance da partida, após bela jogada de Matheuzinho, a bola sobrou para Luis Henrique, que foi derrubado na área. O própria camisa 9 cobrou e fez!

O gol valeu a classificação para a Seleção Brasileira, que agora espera o resultado de Nigéria e Austrália para saber quem enfrentará nas quartas de final.

Brasil derrota Guiné e avança às oitavas do Mundial sub-17

Gazeta Esportiva

000_Mvd6722962-1024x683

A Seleção Brasileira está nas oitavas de final do Mundial sub-17 do Chile. No início da noite desta sexta-feira, a equipe canarinho venceu a Guiné por 3 a 1, em jogo realizado na cidade de Viña del Mar, válido pela terceira e última rodada da primeira fase, e selou sua classificação.

Os gols que garantiram a vitória verde e amarela foram anotados por Lincoln (de pênalti), e pelos atacantes Leandro, da Ponte Preta, e Arthur, do Palmeiras. Autor do primeiro tento, o meia gremista foi expulso por empurrar adversário ao fim da primeira etapa e desfalca o time nas oitavas.

O Brasil terminou a primeira fase na segunda colocação, com seis pontos: duas vitórias (sobre Inglaterra e Guiné) e uma derrota (para a líder Coreia do Sul, que empatou com os ingleses nesta sexta e chegou a sete unidades).

Nas oitavas de final, a Seleção volta a jogar na cidade de Viña del Mar, contra o segundo colocado do grupo F, posto que atualmente é ocupado pelo Paraguai, mas ainda pode terminar nas mãos de Nova Zelândia, Síria ou até da França, que é líder e favorita a fechar tal chave na ponta.

11990482_677264472375720_7526595543322411409_n

Neymar volta, e Cássio é novidade da Seleção para pegar Argentina e Peru

Globo Esportes

dunga-conv

Neymar está de volta à seleção brasileira. Após cumprir quatro jogos de suspensão – dois na Copa América e dois nas eliminatórias – por um desentendimento com o árbitro chileno Enrique Osses, o atacante reapareceu na lista para as partidas contra Argentina e Peru, nos dias 12 e 17 de novembro, em Buenos Aires e Salvador, respectivamente.

Além do craque do Barcelona, a principal novidade da lista foi a inclusão do goleiro Cássio, do Corinthians, convocado pela primeira vez. Ele ocupará a vaga do gremista Marcelo Grohe, que lesionou o ombro direito antes da estreia, no Chile, e, apesar dos relatórios positivos do departamento médico de sua equipe, ficou fora dessa vez.

confira a lista completa

Goleiros: Jefferson (Botafogo), Cássio (Corinthians) e Alisson (Internacional);

Laterais: Danilo (Real Madrid), Daniel Alves (Barcelona), Filipe Luís (Atlético de Madrid) e Marcelo (Real Madrid);

Zagueiros: David Luiz (PSG), Miranda (Inter de Milão), Marquinhos (PSG) e Gil (Corinthians);

Meio-campistas: Luiz Gustavo (Wolfsburg), Fernandinho (Manchester City), Elias (Corinthians), Renato Augusto (Corinthians), Lucas Lima (Santos), Kaká (Orlando City), Willian (Chelsea) e Oscar (Chelsea);

Atacantes: Neymar (Barcelona), Ricardo Oliveira (Santos), Hulk (Zenit) e Douglas Costa (Bayern de Munique).

Com golaço de falta, Brasil vence a Inglaterra

CBF

20151020193519_0

Nesta terça-feira (20), pela segunda rodada do Mundial Sub-17 do Chile, a Seleção Brasileira derrotou a Inglaterra por 1 a 0, em La Serena.

O gol foi marcado em ótima cobrança de falta de Leandro, que fez o Brasil somar seus primeiros três pontos no Grupo B da competição e subir temporariamente para a segunda posição.

Pelo Grupo B, ainda nesta terça, a líder Coreia do Sul enfrenta a Guiné, às 21h. Na terceira e última rodada da primeira fase, o Brasil enfrenta a Guiné na sexta-feira (23), às 18h (de Brasília), em Viña del Mar.

unimarc-modelo-4

Convocação para Argentina e Peru será nesta quinta

CBF

20151007164933_1

O técnico da Seleção Brasileira, Dunga, convocará o grupo de jogadores para enfrentar a Argentina e o Peru pelas Eliminatórias nesta quinta-feira (22). A partir das 11h, direto do auditório da CBF, o treinador anunciará os nomes dos escolhidos.

O Brasil enfrentará a Argentina no dia 12 de novembro (quinta-feira), às 22h de Brasília, no Estádio Monumental de Nunez, em Buenos Aires. O outro adversário será o Peru, no dia 17 de novembro (terça-feira), às 22h de Brasília, na Arena Fonte Nova, em Salvador.

A Seleção Brasileira é a quinta colocada nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, com 3 pontos.

Dunga agradece torcida e dá nota 8,5 para vitória da Seleção: ”Sou exigente”

Globo Esportes

20151013232342_561dbcae7ab4f

Apoio da torcida, poucas vaias e três pontos garantidos. Aproveitando as falhas da Venezuela e a boa atuação de Willian, o Brasil venceu por 3 a 1 nesta terça-feira, no Castelão, e terminou a segunda rodada das eliminatórias na quinta posição. Após a partida, o técnico Dunga agradeceu a participação das quase 39 mil pessoas que foram ao estádio e deu nota 8,5 para a atuação da Seleção. Segundo ele, os muitos gols perdidos o fizeram diminuir a avaliação.

– Sou exigente. Se tivéssemos feito a metade das chances criadas, daria um 9. Como não fizemos, dou 8,5. O Brasil jogou compacto, não perdeu as jogadas aéreas. O que queremos é o toque de bola, o drible, o que o brasileiro gosta de ver, tentar a jogada de efeito. Quando o torcedor apoia mesmo depois do erro, o jogador se sente mais solto e confiante. Sabe que não será vaiado se errar – frisou o treinador.

Dunga voltou a bater na tecla de que o Brasil perdeu para o Chile porque não foi eficiente nos contra-ataques. O técnico lembrou ainda de uma atitude de seu auxiliar Andrey Lopes antes da partida e lembrou que o objetivo é manter o nível da atuação desta terça e tentar melhorar.

– Não é novidade que a eliminatória é difícil. Jogamos contra o Chile, tivemos seis contra-ataques para matar o jogo e não fomos convincentes. Hoje falamos antes do jogo que queríamos vencer, mas não de qualquer jeito. Queríamos vencer para nós mesmos, pela nossa capacidade técnica. O Andrey (Lopes, auxiliar técnico) foi muito feliz quando apontou para cada jogador antes da partida e lembrou onde eles jogam. São grandes jogadores, referências. Não pode ser diferente na Seleção. Tem que dar os parabéns ao torcedor pelo espírito. Ele aplaudiu a equipe quando necessário e ela voltou a mostrar qualidade. Foi um bom jogo. Valeu pela apresentação. Queremos manter e melhorar – avisou.

A Seleção embarca para São Paulo na madrugada desta quarta-feira. Com três pontos, a equipe de Dunga ocupa a quinta posição nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018. Os próximos compromissos pela competição serão apenas no início de novembro contra Argentina e Peru.

Pressionado até no Nordeste, Brasil joga para evitar vexame e crise

Uol

dunga-quer-vencer-para-evitar-ainda-mais-pressao-na-selecao-1444664872755_615x300

A seleção brasileira não empolgou Fortaleza. Nos dias em que passou na capital cearense, o time teve pouco apoio e chegou a treinar em silêncio, mesmo abrindo os portões, diante de 50 pessoas no Estádio Presidente Vargas. É nesse cenário de pressão até onde sempre foi bem recebida que a equipe de Dunga entra em campo a partir das 22h desta terça-feira (13), no Castelão, contra a Venezuela, pela 2ª rodada das Eliminatórias da Copa.

Não foi à toa que a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) escolheu Fortaleza e Salvador como as duas primeiras sedes para as partidas com mando do Brasil na busca por uma vaga na Rússia em 2018. O problema que nem a entidade esperava é que o antigo remédio parece não surtir mais efeito.

O discurso na seleção é de fazer gol o mais rápido possível para evitar vaias dos torcedores que deverão lotar o palco da última vitória brasileira na Copa antes do vexame do 7 a 1 para a Alemanha, no Mineirão. Esse tipo de fala sempre foi comum quando o time de verde e amarelo jogava em outras capitais como São Paulo e Rio de Janeiro.

Vencer a Venezuela significa evitar um vexame histórico de ser derrotado para um tradicional saco de pancadas nas Eliminatórias. Além disso, também deixa Dunga menos pressionado para seguir seu trabalho. Depois da derrota por 2 a 0 para o Chile na estreia, na quinta-feira (8), ir para Buenos Aires em novembro e enfrentar a Argentina sem os três pontos poderia significar colocar o emprego em jogo logo na 3ª rodada da competição.

Confira os outros jogos de hoje
18:00
Equador x Bolívia
20:00
Uruguai x Colômbia
21:00
Paraguai x Argentina
23:30
Peru x Chile

11990482_677264472375720_7526595543322411409_n

Em Manaus, Seleção Olímpica bate o Haiti por 5 a 1

CBF

20151012234231_0

A Seleção Brasileira Olímpica venceu o segundo teste realizado na Arena da Amazônia, em Manaus. Nesta segunda-feira (12), o adversário foi o Haiti, que saiu derrotado por 5 a 1. Com o objetivo de testar o maior número possível dos jogadores convocados, o técnico Rogério Micale mandou a campo um time completamente diferente do que goleou a República Dominicana por 6 a 0, na última sexta-feira (9). A equipe jogou bem e conseguiu a vitória.

O único jogador que iniciou a primeira partida e foi mantido contra o Haiti foi Maicon. Foi justamente o lateral-direito que abriu o placar para o Brasil. Aos 35 minutos do primeiro tempo, Walace tocou para Maicon, que chutou na saída do goleiro Ceus e marcou. Aos 41, Gabriel aproveitou a saída errada do goleiro haitiano e rolou para Vinícius Araújo, que completou: 2 a 0.

Na volta do intervalo, Micale deu chance a Wendell, que substituiu Maicon e atuou improvisado na lateral direita. Vitinho deu lugar a Gabriel Jesus, que fez gol logo aos cinco minutos. Após ótimo lançamento de Valdivia, o atacante entrou sozinho na área e finalizou de primeira.

Aos 38, Felipe Anderson – que entrou no lugar de Valdivia –, foi derrubado dentro da área e o árbitro marcou o pênalti. Gabriel cobrou e ampliou a goleada. O camisa 11 marcou seu segundo gol após cruzamento de Felipe Anderson em jogada com troca de passes envolvente da Seleção.

O Haiti ainda conseguiu seu gol de honra com Belfort, que chutou da entrada da grande área para descontar: 5 a 1.

Brasil: Uilson; Maicon (Wendell), Lucão (Fred), Marlon e Douglas Santos; Walace (Lucas Silva), Rodrigo Caio e Valdivia (Felipe Anderson); Gabriel, Vinícius Araujo (Kenedy) e Vitinho (Gabriel Jesus)

Seleção olímpica aproveita fragilidade de rival, joga bem e goleia por 6 a 0

Globo Esportes

fup20151009629

O adversário era fraquíssimo, mas a seleção brasileira olímpica fez o seu papel nesta sexta-feira, na Arena da Amazônia, em Manaus. Apresentou um bom futebol, dominou o jogo e goleou com tranquilidade a República Dominicana por 6 a 0, com gols de Gabriel Jesus, Maicon, Luan, Valdívia, Fred e Gabigol.

Contra um time que era um amontoado de atletas – alguns sub-23, outros acima da idade, num país cujo principal esporte é o beisebol -, o que o Brasil pode tirar de positivo é a forma como os jogadores executaram o que foi pedido por Rogério Micale. Tudo o que foi treinado ao longo da semana apareceu em campo: marcação por pressão, goleiro-líbero, trocas rápidas de passes e linha alta. O time comprou a ideia do técnico.

A seleção ainda teve um problema de última hora. Os dois laterais-esquerdos do elenco, Douglas Santos e Wendell, ficaram fora, por causa de uma gastroenterite. João Pedro entrou no time, e Maicon se prontificou a atuar improvisado, pois costuma atuar assim em seu clube.

O próximo teste da seleção olímpica ocorre nesta segunda-feira, também na Arena da Amazônia. Às 19h (de Brasília), a equipe enfrenta o Haiti.

Brasil cai para o Chile e perde pela 1ª vez em estreia das eliminatórias

Globo Esportes

2015-10-09t013132z_1154908320_gf10000237715_rtrmadp_3_soccer-world

O Chile entrou como campeão, o Brasil entrou como seleção que vem acumulando eliminações em jogos decisivos. As posturas de cada equipe não deixaram dúvidas sobre quem teria mais chances de conquistar a vitória. Deu Chile, 2 a 0 com justiça, a favor do time que propôs o jogo, sobretudo após a entrada de Mark González e a mudança do 3-5-2 para o 4-3-3. Os campeões da Copa América passaram a dominar as ações e tornaram a próxima rodada fundamental para o Brasil neste início de caminhada rumo à Copa do Mundo de 2018. Na terça-feira, os pentacampeões mundiais receberão a Venezuela, em Fortaleza. A missão: sair do zero. No placar e no futebol.

A derrota também foi histórica. Há 14 jogos, o Chile não vencia o Brasil – eram 11 derrotas e três empates. A invencibilidade da Seleção durava 15 anos e chegou ao fim no gols de Eduardo Vargas e Alexis Sánchez, após cruzamento de Matias Fernández. Os campeões da Copa América não venciam a seleção brasileira desde 2000, quando fizeram 3 a 0, também em Santiago, pelas eliminatórias. Essa foi a primeira vez que o time canarinho foi derrotado em uma estreia da competição.

Com o resultado, o Brasil não somou nenhum ponto e divide a sétima colocação com Argentina, Bolívia e Peru. Todas as seleções foram derrotadas por dois gols de diferença e não balançaram a rede dos rivais. Na próxima terça-feira, às 22h (de Brasília), a Seleção volta a campo para enfrentar a Venezuela, no Castelão, em Fortaleza.

Brasil pega o Chile com três meses de atraso, em estreia com cara de decisão

Globo Esporttes

neymar9

Começa nesta quinta-feira a primeira das 18 batalhas da seleção brasileira para estar na Copa do Mundo de 2018, na Rússia. E começa com um duelo que, na imaginação de muita gente, deveria ter acontecido já há algum tempo.

A incapacidade da equipe brasileira, eliminada pelo Paraguai ainda nas quartas de final, impediu que o “jogo dos sonhos” se realizasse, mas a sorte – ou azar, depende do ponto de vista – agiu no sorteio das Eliminatórias, no fim de julho, na Rússia. Cruzou o caminho das seleções logo na primeira rodada. E no estádio Nacional de Santiago, que seria o palco da final. Foi lá que os chilenos bateram os argentinos nos pênaltis, e fizeram história com o título.

– Esperávamos chegar à final da Copa América contra o Chile, na casa deles, mas não foi possível. Agora temos esse jogo e esperamos vencer para suprir o que aconteceu antes – afirmou o volante Elias, que disputa com Fernandinho uma vaga na equipe titular.

– É uma situação diferente. Estamos iniciando uma caminhada, e estrear na casa deles será difícil. Eles tinham essa expectativa (de disputar a final contra o Brasil), sabem do nosso peso, seria uma festa maior, mas infelizmente não aconteceu – disse o “concorrente” Fernandinho.

Apenas três meses se passaram entre o utópico último jogo da Copa América e a importantíssima abertura das Eliminatórias. Pouco tempo, mas suficiente para mudanças profundas. Algumas forçadas, como as ausências do suspenso Neymar e do lesionado Aránguiz, outras por opção, como a não convocação de Thiago Silva.

Confira os jogos da 1ª rodada
16:00
Bolívia x Uruguai
17:30
Colômbia x Peru
18:00
Venezuela x Paraguai
20:30
Chile x Brasil
21:00
Argentina x Equador

unimarc-modelo-4

pmvc





WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia