WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
vitoria da sorte





vitoria da sorte

abril 2020
D S T Q Q S S
« mar    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  



drupal counter

pmvc iptu


Globo estuda exibir outros jogos antigos se reprise do penta der audiência

Uol

Muita gente foi pega de surpresa com a decisão da Globo de reprisar a decisão da Copa do Mundo de 2002 no próximo domingo de Páscoa, às 16h, em alternativa para ocupar a grade em tempos de paralisação do futebol na crise do coronavírus. Mas outras partidas podem ser exibidas na mesma faixa, caso a tentativa agrade ao público.

Segundo apurou o UOL Esporte, tudo vai depender do retorno de audiência e repercussão de Brasil 2 x 0 Alemanha. Se for melhor do que a Globo espera, a emissora carioca estuda fixar a faixa para mostrar jogos históricos.

Além de ser uma forma de movimentar o seu departamento de Esporte – ou quem ainda está trabalhando nele -, a exibição das reprises também ajuda a Globo a ter uma pós-entrega interessante para os parceiros do futebol, que serão citados na transmissão especial.

O próprio Galvão Bueno é um defensor nos bastidores da continuidade das reprises. Para alguns chefes, o narrador afirmou que a faixa de jogos clássicos no domingo à tarde seria um alento aos fãs do futebol em meio a tanta notícias ruins. A direção de Esporte da Globo concorda com a narrador.

Com o avanço da Pandemia do Covid-19, o Grupo Globo tem usado de reprises também em seu canal esportivo. O SporTV tem mostrado jogos clássicos durante o dia inteiro, aproveitado alguns horários também para promover uma votação popular para saber qual jogo merece reprise.

A exibição da final da Copa do Mundo de 2002 será mostrada com narração original de Galvão Bueno, com comentários de Paulo Roberto Falcão, Casagrande e Arnaldo Cezar Coelho. Antes, um pré-jogo de 30 minutos com Cléber Machado e Casagrande vai trazer curiosidades sobre a partida.

Fifa aumenta prazo de idade, e Gabriel Jesus e outros podem jogar Olimpíada

MSN

Com o adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio para 2021, a Fifa decidiu aumentar o limite de idade dos jogadores no futebol masculino. Se mantivesse a regra dos 23 anos, com três exceções, por país classificado, muitos atletas não seriam elegíveis para atuar no ano que vem.

Dessa forma, a Fifa mantém os jogadores que estariam elegíveis para esse ano, nascidos em 1997, para o ano que vem. Essa medida beneficia várias estrelas do futebol mundial, como Gabriel Jesus (Manchester City), Gerson (Flamengo), Lucas Paquetá (Milan), David Neres (Ajax) e Richarlison (Everton), nascidos em 97.

Do time de André Jardine que participou do Pré-Olímpico, os jogadores que foram beneficiados com a medida da Fifa são:

Cleiton (goleiro, Red Bull Bragantino), Lucas Perri (goleiro, São Paulo), Ayrton Lucas (lateral esquerdo, Spartak Moscou), Caio Henrique (lateral esquerdo, Grêmio), Lyanco (zagueiro, Torino), Luiz Felipe (zagueiro, Lazio), Gabriel (zagueiro, Lille), Wendel (volante, Sporting), Matheus Henrique (volante, Grêmio), Maycon (volante, Shakthar Donetsk), Lucas Paquetá (meia-atacante, Milan).

As outras estrelas mundiais que seguem elegíveis para disputar a Olimpíada no ano que vem com esta medida são: Dembelé (França, Barcelona), Lautaro Martínez (Argentina, Inter de Milão) e Theo Hernandéz (França, Milan).

Um mês depois, Ronaldinho segue preso no Paraguai e sem perspectiva de sair

Globo Esportes

Exatamente um mês atrás, no dia 4 de março, acompanhado de seu irmão, Roberto Assis, Ronaldinho Gaúcho desembarcou no aeroporto internacional Silvio Pettirossi em Luque, na grande Assunção. Foi recebido como o popstar que é, duas vezes eleito o melhor jogador do planeta, campeão do mundo, da Liga dos Campeões, da Copa Libertadores. De óculos escuros, boina preta, camiseta branca e o sorriso característico, Ronaldinho cometeu naquele aeroporto um erro pelo qual paga até hoje: seguiu para um sala VIP, onde lhe entregaram um passaporte paraguaio com seu nome, seus dados, sua foto, mas ainda sem sua assinatura – lacuna que ele preencheu ali mesmo, naquela sala VIP, com uma caneta que também lhe chegou as mãos, como se estivesse dando mais um dos incontáveis autógrafos que distribuiu ao longo da carreira.

Neste sábado, 4 de abril, Ronaldinho Gaúcho amanheceu pela trigésima vez num cela da Agrupación Especializada, um quartel da Polícia Nacional do Paraguai transformado em cadeia em Assunção. O passaporte adulterado que ele e Assis usaram para entrar no Paraguai – e que custaram R$ 30 mil reais cada um – foram o ponto de partida de uma investigação do Ministério Público e do Ministério de Tributação (o equivalente a Receita Federal do Brasil) que já resultou na prisão de 15 pessoas e começou a desvendar um esquema milionário de evasão de divisas, lavagem de dinheiro e produção de documentos falsos.

O “Caso Ronaldinho”, que um mês atrás começou em ritmo vertiginoso, hoje se move com lentidão. Na noite daquele mesmo 4 de março, Ronaldinho e Assis receberam no hotel a visita de autoridades paraguaias. Passaram a noite sob custódia e, no dia seguinte, contaram ao Ministério Público tudo o que sabiam. Admitiram que tentaram entrar no país com aqueles documentos, mas que não sabiam serem falsos. O MP paraguaio enquadrou os irmãos Assis numa figura jurídica chamada “critério de oportunidade”, que a grosso modo permite aos réus não serem acusados formalmente pelos crimes que cometeram, desde que consigam reparar o dano causado. Na prática: Ronaldinho e Assis seriam submetidos a uma “pena social” – uma doação para uma ONG, por exemplo – e poderiam deixar o Paraguai.

Na audiência em que seria definida o tamanho dessa “pena social”, houve uma reviravolta. A justiça não aceitou dar o “critério de oportunidade” para Ronaldinho e Roberto. O Ministério Público mudou sua posição e pediu a prisão preventiva dos irmãos Assis. As 22h de sexta-feira, 6 de março, quando estavam num hotel próximo ao aeroporto, os irmãos Assis foram detidos e levados para a Agrupación Especializada. Desde então três recursos apresentados pela defesa de Ronaldinho foram negados pela Justiça. Os advogados de defesa não conseguiram nem mudar os irmãos Assis para uma prisão domiciliar, e nem anular a prisão preventiva, que no Paraguai pode durar até seis meses. O argumento para manté-los presos foi sempre o mesmo: soltá-los poderia prejudicar o andamento das investigações.

Barcelona prometeu a Neymar que iria fazer de tudo para contratá-lo

Terra

Neymar sonha com o retorno cada vez mais próximo ao Barcelona desde a última janela do verão europeu. Na época, o clube blaugrana prometeu ao brasileiro que iria fazer de tudo para trazê-lo para a temporada 2020/2021, visto as dificuldades que o Paris Saint-Germain estava impondo. O objetivo também foi afastar o interesse do Real Madrid que também chegou a conversar com os franceses sobre o atacante.

Representantes do jogador, liderado pelo próprio pai do atleta, também estiveram na Catalunha para discutir questões judiciais com os mandatários do gigante espanhol em um hotel da cidade. Ao concordarem em realizar um pacto, o entorno do brasileiro gostaria que os culés fizessem um acordo por escrito sobre o retorno do camisa 10 do PSG. Embora não haja nada assinado, pois isto poderia gerar uma reclamação na Fifa e punição ao time, o acerto verbal já existe.

Há um ano, o perigo dos merengues levarem o craque era alto e a prova de que havia conversar entre Florentino Pérez e Nasser Al-Khelaifi foi a troca realizada entre Keylor Navas e Areola. Neymar, que chegou a ver casas para morar na Catalunha, é visto como um atleta com alto valor estratégico e que poderia gerar retorno com a sua volta apesar da crise provocada pela COVID-19.

Flamengo e o contrato de Jorge Jesus: salários e prêmios com euro fixado, carro blindado e até auxílio-moradia

ESPN

Qual é o preço exato do sucesso de Jorge Jesus sob o comando do Flamengo?

O jornalista da ESPN Brasil Jorge Nicola apontou em seu blog no portal Yahoo! os principais detalhes do contrato – que vai até junho – do técnico português.

A remuneração dele, com luvas é 2,1 milhões de euros por temporada – livre de impostos -, sendo 1,5 milhão de euros em salários e 600 mil euros em prêmios. Este último item é dividido em 420 mil euros na assinatura e 180 mil euros pela sequência em dezembro e janeiro.

De qualquer forma, o principal ganho dele foi por títulos, uma vez que o prêmio era de 1,5 milhão de euros pelo Mundial de Clubes, 1,5 milhão de euros pela Copa Libertadores, 1 milhão de euros pelo Brasileirão e 800 mil euros pela Copa do Brasil.

Portanto, as conquistas da Libertadores e do Mundial renderam-lhe uma soma de 2,5 milhões de euros, o que totaliza um ganho de Jorge Jesus de 4,6 milhões de euros. É importante apontar que o valor segue uma cotação fixada do euro em R$ 4,40.Ou seja, o valor total é de R$ 20,24 milhões.

Além do treinador, o vínculo aponta que os seis portugueses contratados para integrar a comissão técnica dele – João de Deus, Tiago Oliveira, Mário Monteiro, Márcio Sampaio, Rodrigo Araújo e Gil Henriques – compartilhem um valor total de 1,2 milhão de euros. Os seis também têm direito a 5% de cada prêmio conseguido por Jesus, o que foi de 125 mil euros nas conquistas da Libertadores e Brasileirão.

Entre ‘recados’ de um saudoso Jesus, Flamengo aguarda retorno do técnico para acelerar renovação
As contas, considerando os salários e prêmios de Jesus e sua comissão dá um total de R$ 28,8 milhões – R$ 2,4 milhões por mês -, lembrando que o preço do euro foi fixado em R$ 4,40.

Além disso, o treinador tem auxílio moradia de R$ 50 mil mensais, camarote no Marcanã com 12 ingressos em todos os jogos oficiais, e amistosos no Maracanã, carro blindado com motorista e passagens aéreas para filhos e esposa virem duas virem duas vezes de Portugal ao Brasil em voo executivo.

Os integrantes portugueses de sua comissão técnica ainda têm o custo de apartamentos bancados pelo clube, na faixa de R$ 10 mil cada.

O valor também não conta os bônus por vitória. Por exemplo, Jesus faturava R$ 4 mil por cada triunfo na Série, desde que o time estivesse nas quatro primeiras posições.

Presidente da Juazeirense não crê em retomada do Baianão: ‘Muito difícil’

Bahia Notícias

O Campeonato Baiano está suspenso por conta da pandemia do coronavírus, assim como as competições esportivas mundo a fora. Para o deputado estadual Roberto Carlos (PDT) e presidente da Juazeirense, o retorno do certame estadual é considerada muito difícil.

“O foco foi perdido. É muito difícil a retomada do Campeonato Baiano, bem como dos outros estaduais. Perdemos a linha do entusiasmo. Os recursos já foram paralisados. Já era pouco e imagine agora sem nada. É complicado para quem não tem receita. Neste cenário atual só sobram três ou quatro clubes com boa saúde financeira para superarem essa crise”, disse em entrevista ao Bahia Notícias.

Roberto Carlos ainda destacou a importância de deixar o futebol de lado neste momento e focar na luta contra o coronavírus.

“Primeiro lugar é a vida. O campeonato nosso é em defesa da vida. Futebol é secundário. Temos que lutar contra o coronavírus”, afirmou.

O Campeonato Baiano foi suspenso com sete rodadas da primeira fase disputadas, faltando duas para o término desta etapa inicial. A última rodada foi disputada no dia 15 de março. A tabela de classificação tem o Bahia na liderança com 15 pontos, seguido por Jacuipense (12), acompanhado por Bahia de Feira e Vitória (ambos com 11). A Juazeirense tem 10 e figura em sexto. O lanterna é o Jacobina, com apenas um ponto.

Globo vai passar Brasil x Alemanha na final da Copa de 2002

MSN

Com o futebol paralisado devido ao surto do coronavírrus, a TV Globo decidiu montar uma programação especial para o domingo de Páscoa. No dia 12 de abril, às 16h (de Brasília), os torcedores poderão relembrar o pentacampeonato mundial da seleção brasileira conquistado após vencer a Alemanha, no Japão.

Após o apito final, a Globo ainda vai mostrar os momentos de festa do título e da chegada dos jogadores ao Brasil.

A conquista veio com campanha incontestável: sete vitórias em sete jogos, com 18 gols marcados e apenas quatro sofridos.

Premier League anuncia auxílio financeiro a clubes pequenos e ao sistema público de saúde

Bahia Notícias

Os 20 clubes da Premier League decidiram nesta sexta-feira (3) que vão doar 20 milhões de libras (cerca de R$ 120 milhões) ao NHS, Serviço Nacional de Saúde, e para as comunidades, famílias e grupos vulneráveis, durante a pandemia do coronavírus. As agremiações também vão desembolsar mais 125 milhões de libras (cerca de R$ 750 milhões) para clubes das divisões inferiores do futebol inglês.

Na reunião ocorrida por videoconferência, ficou decidido que uma proposta de redução salarial de 30% será enviada para aos atletas. Além disso, a suspensão da competição foi ampliada e sem prazo definido. Inicialmente, estava o retorno estava previsto para o início de maio.

A redução dos vencimentos dos jogadores visa proteger os empregos de funcionários de outras áreas dos clubes. As negociações com o sindicato de atletas profissionais da Grã-Bretanha ainda estão em andamento.

Quadras e campos de Salvador começam a ser fechados pela Prefeitura

Salvador Notícias

A Prefeitura determinou ontem (02) que todas as quadras e campos públicos da cidade cuja responsabilidade é do município sejam trancadas com cadeado ou fechadas imediatamente. Aquelas estruturas que possuem iluminação também começam a ter as lâmpadas desligadas. As medidas visam garantir o isolamento social, já que fiscais municipais e a Polícia Militar identificou aglomeração de pessoas nessas estruturas.
No início da tarde de hoje, a quadra situada na Praça da Saramandaia já foi fechada pela Secretaria Municipal de Trabalho Esportes e Lazer (Semtel). Ao longo da semana, o fechamento será feito com prioridade nos equipamentos de maior concentração de pessoas em vias e bairros de grande movimentação, mas a intenção é que todos os 525 campos e quadras de Salvador sejam fechados.

Algumas das quadras e campos cujo fechamento será prioritário são o campo do Imeja (Boca do Rio), do Curralinho (Boca do Rio), do Jaqueirão (São Marcos), do Lasca (Ribeira), do Estaleiro (Ribeira), da Pronaica (Cajazeiras), da Boa Viagem (Monte Serrat), do Lobato (Lobato) e do Parque São Cristóvão.

Também fazem parte da lista as quadras de tênis e poliesportiva do Multishopping (Boca do Rio), a do Imbuí, a da Rua Sá de Oliveira (Plataforma), a do Largo do Tanque e a da Praça João Martins (Barris). O fechamento das quadras e campos vai contar com uma ação conjunta entre várias secretarias e com o auxílio de empresas vinculadas à Semtel responsáveis pela manutenção diária desses espaços.

Clubes do Rio se reúnem e decidem terminar o Carioca em campo ainda em 2020

Uol

Com o calendário do futebol parado por conta da pandemia da Covid-19, representantes dos clubes do Rio se reuniram na tarde de hoje (1) e decidiram que o Campeonato Carioca será finalizado dentro de campo, descartando a possibilidade de que a disputa seja encerrada.

Por meio de vídeo-conferência, dirigentes da elite fluminense foram unânimes e definiram pela manutenção do torneio, que será disputado ainda neste ano. As datas, no entanto, ficam congeladas até que a situação seja normalizada. A CBF já havia garantido que disponibilizaria datas e os clubes ratificaram o desejo comum de jogar as partidas restantes.

Perda financeira no esporte com a COVID-19 deve chegar a R$ 80 bilhões

Super Esportes

Como toda indústria, a esportiva está passando por grandes dificuldades em função da pandemia de COVID-19. O tombo global será superior a US$ 15 bilhões (ou mais de R$ 79 bilhões), segundo estimativa da Sports Value, empresa especializada em marketing esportivo. E no Brasil a crise também já está sendo sentida com a paralisação de todas as disputas. É preciso pensar, então, em como amenizar a redução.

De acordo com a revista Forbes, só as grandes ligas profissionais dos EUA (basquete, beisebol, futebol americano e hóquei no gelo) deverão perder cerca de US$ 5 bilhões (R$ 26,3 bilhões) em receitas – de arrecadação com a venda de ingressos a comercialização de direitos de TV e de produtos, além de patrocínios. Já as principais ligas de futebol da Europa (Alemanha, Espanha, França, Inglaterra e Itália), somarão mais de US$ 4 bilhões (R$ 22 bilhões) em perdas, segundo a empresa KPMG.

Por isso, é hora de clubes e entidades ligadas diretamente ao esporte, incluindo o governo, se mexerem para diminuir o prejuízo. E não basta somente cortar salários de funcionários, jogadores e comissões técnicas.

“O jogador de clube grande ganha mais, é verdade, e poderia ajudar. Mas ele vê o clube, a CBF, o governo pouco interessado. Por que só o jogador deve se sacrificar? Qual a proposta que cada clube oferece (para superar o momento complicado)? E principalmente a CBF, que tem mais de R$ 700 milhões em caixa, tem dinheiro para manter as instituições nestes dois, três meses de caos? Os clubes médios e pequenos vão perder muito, e ela pode resolver”, afirma o consultor Amir Somoggi, da Sports Value, para quem entidades como Conmebol e Fifa, até por estar mais longe, têm menos responsabilidade no mercado brasileiro – ainda que tenham.

Além disso, ele aconselha os clubes mais estruturados e de maior torcida a buscar manter o engajamento com os torcedores neste momento em que não há disputas em andamento. Com isso, seria possível agradar aos patrocinadores e até mesmo às emissoras de TV que detêm direitos de campeonatos e não têm o quê transmitir.

“É hora, por exemplo, de colocar jogadores e ex-jogadores em contato com os torcedores. Se sou eu o responsável, estaria fazendo o clube voar nas redes sociais”, argumenta Somoggi, destacando que as marcas precisam explorar a “audiência domiciliar única na história da humanidade” em função de as pessoas estarem com circulação restrita devido ao risco de contágio pelo novo coronavírus.

É preciso pensar também em formas de garantir a sobrevivência após a turbulência. A maior parte dos clubes brasileiros tem sérios problemas financeiros e nenhum caixa para honrar compromissos, podendo entrar em insolvências ou sair ainda mais endividados desta crise.

“Poucos são os clubes em situação confortável para enfrentar esta situação, talvez Flamengo, Athletico-PR, porque trabalharam para isso ao longo dos anos. Quem está em situação financeira caótica, como Cruzeiro, Botafogo, Fluminense, Vasco, Santos, só para citar alguns, está vivendo o pior dos mundos, pois não tem receitas correntes e os custos são brutais. Então, quem está financeiramente pior, deve temer mais e também se aplicar mais na busca de soluções”, argumenta Somoggi.

Ele acredita que nem quem tem maior poderio financeiro está imune à crise. Vide o caso do Barcelona, que está amargando prejuízo de cerca de 30 milhões de euros (R$ 180 milhões) por mês com a paralisação das competições. “O orçamento do Barcelona é de 900 milhões de euros, mas sabe que precisa trabalhar para sobreviver. E os daqui do Brasil parecem estar esperando ajuda. Por ter estrutura e preparação técnica e de marketing melhor, (os gigantes europeus) tendem a sair da crise muito mais facilmente que nós.”

Não há previsão de quando as competições serão retomadas, sendo que em alguns casos já está decidido que elas não voltam. É o caso do Campeonato Belga, cujo título foi dado ao Brugges, time que liderava a competição quando da paralisação.

Já há também eventos postergados para o ano que vem. É o caso da Eurocopa e da Copa América, assim como eventos de outros esportes, como os Jogos Olímpicos e o mais tradicional torneio de tênis do mundo, Wimbledon.

Não é só a Globo: TVs de todo o mundo suspendem pagamentos de eventos

Gazeta Esportiva

Nesta semana, a Globo suspendeu os pagamentos de campeonatos que estão parados por conta da pandemia do novo Coronavírus. Muita gente criticou a atitude da emissora, mas a decisão está seguindo uma tendência mundial de vários grupos de mídia, que também tomaram essa medida.

Segundo levantou o UOL Esporte, a decisão é justamente para reduzir os impactos financeiros da pandemia nas empresas. Todos argumentam que não faz sentido pagar direitos de transmissão de torneios que não estão sendo exibidos ou suspensos.

A decisão mais drástica foi a do DAZN, plataforma de streaming esportiva. A empresa suspendeu os pagamentos de direitos de transmissão em todo o mundo, inclusive em países onde a liga nacional de futebol é exibida.

No Brasil, poucos eventos nacionais sofreram com isso. O principal deles é o Campeonato Paranaense, onde o DAZN paga R$ 380 mil para cada um dos doze clubes que disputam a competição. Os times reclamaram da falta de aviso da suspensão do pagamento.

Na França, a situação também é alarmante. A BeIN Sports e o Canal Plus, que exibem o Campeonato Francês no próprio país – no caso da BeIN, em outras lugares da Europa – também afirmaram que não vão pagar a parcela referente ao mês de abril dos direitos de transmissão, que deveria ser quitada até o próximo domingo (5).

A BeIN Sports, em nota, comentou que pretende voltar a realizar os pagamentos após o fim da pandemia, inclusive de parcelas referentes aos próximos meses, que ficarão também podem ficar pendentes se os torneios não voltarem ou não terem uma previsão de retorno.

A decisão também não se limita ao futebol. A Fox da Austrália também suspendeu os pagamentos para a Liga Nacional de rúgbi, um dos esportes mais populares daquele país. A liga estimou que terá um prejuízo de US$ 18 milhões sem esses pagamentos realizados.

pmvc




WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia