WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
vitoria da sorte





vitoria da sorte

junho 2020
D S T Q Q S S
« maio    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  



drupal counter


Esquema de pirataria de TV pode cancelar venda do Newcastle

Ig Esportes

O Newcastle pode não receber os mais de 300 milhões de euros que o consórcio, liderado por Mohammed Bin Salman , príncipe herdeiro da Arábia Saudita, tinha em caixa para investir no clube. A Organização Mundial do Comércio (OMC) concluiu que o país está envolvido em um esquema de pirataria, onde fornece acesso ilegal a transmissões televisivas.

De acordo com o ‘The Guardian’, o relatório final, com 130 páginas, será publicado no meio de junho, e a Premier League já terá posse do documento.

A UEFA, a FIFA, a LaLiga ou a Premier League foram algumas das organizações que já tomaram posições judiciais contra o esquema anteriormente, que parece contar com o apoio da Arábia Saudita

Estudo aponta o Sudeste como reflexo do desperdício de potencial do futebol brasileiro

Super Esportes

Apesar de contar com três dos estados mais ricos do Brasil e concentrar boa parte das equipes de futebol mais tradicionais do país, o Sudeste reflete o potencial pouco explorado do futebol brasileiro. É o que aponta um estudo da Pluri Consultoria, empresa focada em consultoria de gestão, finanças e marketing esportivo.

Segundo a análise, São Paulo foi o estado com maior número de equipes profissionais em 2019, com 89 no total, mas também foi aquele com maior potencial desperdiçado. Cerca de 40 cidades com mais de 100 mil habitantes não contaram com clubes disputando competições no ano passado. Paulínia, município paulista com R$ 35,3 bilhões de PIB, foi a cidade mais rica da região Sudeste a não contar com um time profissional na última temporada.

Mesmo assim, São Paulo ainda possui número melhores do que outras unidades de federação do Brasil. Afinal, o estado liderou o ranking de utilização do calendário do futebol brasileiro em 2019, com 53,1%. Em abril e junho do ano passado, 84% das equipes paulistas estiveram em atividade. Em contrapartida, apenas 18% delas disputaram algum campeonato em novembro.

Minas Gerais, estado com mais cidades do Brasil, foi o quarto em número de clubes de futebol em atividade em 2019, com 40, e também o quarto em número de municípios que contaram com algum desses times, 29 (cerca de 3,4% do estado). A unidade de federação foi apenas a 15ª na utilização do calendário, com média de 27,6%. Durante julho, agosto e novembro, apenas 15% das equipes mineiras entraram em campo.

Uberlândia e Belo Horizonte foram os municípios que contaram com mais clubes profissionais no estado, com 3 cada um. Já Montes Claros, com 409.341 habitantes e 9 bilhões de reais de PIB, foi o município mais populoso da região sudeste e o mais rico de Minas Gerais a não contar com um clube profissional em atividade em 2019.

O Rio de Janeiro foi a segunda unidade de federação com mais clubes profissionais em 2019. As 66 equipes estavam espalhadas por 31 cidades, o que colocou o Rio de Janeiro em 2º lugar na lista de estados com mais municípios com futebol profissional, perdendo somente para São Paulo, com 66 cidades.

Apesar de contar com quatro equipes na primeira divisão do Campeonato Brasileiro, o Rio de Janeiro foi apenas o 8º estado na utilização do calendário em 2019, com média de 38,7%. Em abril do ano passado, apenas 8% das equipes fluminenses disputaram algum tipo de competição profissional.

A cidade de Rio de Janeiro, no entanto, foi o município com mais clubes profissionais de todo o Brasil em 2019. No total, 23 times da capital carioca estiveram em atividade na última temporada.

A situação é ainda mais dramática no Espírito Santo. O estado foi o 15º em número de equipes profissionais em atividade no ano passado, com 17 no total, e, apesar de terminar na quarta colocação no ranking de utilização do calendário útil do futebol, com 46,5%, a unidade de federação contou com apenas duas equipes disputando alguma divisão do Campeonato Brasileiro em 2019.

Enquanto 59% das equipes do Espírito Santo estiveram em atividade em fevereiro, março, agosto, setembro e outubro, apenas 6% delas disputaram algum tipo de competição profissional em julho. Colatina foi o município com mais clubes no estado, com três, seguido por Vila Velha e Vitória, cada um com dois.

Fifa fará estudo e regra com cinco substituições pode se tornar permanente

Uol

A Fifa e a International Board (Ifab, o colegiado que define o regulamento do futebol) vão preparar um estudo com base nos campeonatos que utilizarem a regra temporária das cinco substituições. A ideia é avaliar o impacto sobre o ritmo do jogo e, se for confirmada melhoria, é possível que a regra se torne permanente.

A Bundesliga, a liga de futebol alemã, a primeira da elite a retornar ao futebol depois da paralisação por causa da pandemia do coronavírus, autorizou o uso das cinco substituições no restante da competição. Outros campeonatos, como o Espanhol, o Italiano e até o Brasileiro devem seguir os alemães.

A ideia da Ifab ao permitir a alteração na regra que limita em três as alterações é dar descanso aos jogadores, que devem enfrentar maratona de partidas com o calendário apertado do futebol após as paralisações. Há torneios que podem precisar fazer com que times joguem com 48 horas de diferença, o que no Brasil é proibido — a lei exige um descanso de 60 horas.

Especialistas da Ifab e da Fifa vão avaliar, por exemplo, se haverá com as cinco substituições aumento na média de gols ou diminuição no número de lesões, principalmente as musculares. A princípio as ligas estão autorizadas a usar a regra durante as temporadas 2019/2020 e 2020/2021, conforme o calendário europeu — e pode ser estendido ao fim de 2021 no Brasil.

Se for avaliado que a regra melhora o jogo, ela poderia se tornar permanente a partir de 2022. Alguns cartolas defendem há bastante tempo que se permita mais alterações, principalmente porque hoje os times podem ficar com mais de sete jogadores como suplentes.

‘Podemos pegar algumas datas de 2021 para jogar o Brasileiro’, diz secretário-geral da CBF

Terra

CBF

Quem é fã de futebol deve ter uma virada de ano bem diferente. Com jogos entre o Natal e o Ano Novo e também no início de janeiro, o Campeonato Brasileiro terá um calendário modificado por causa da longa paralisação pela pandemia do novo coronavírus. Quem revelou esses planos foi o secretário-geral da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Walter Feldman, em entrevista exclusiva ao Estadão.

A entidade ainda não sabe quando poderá retomar as competições, mas tem claro que só vai retomar o calendário após receber autorização do Ministério da Saúde. Segundo Feldman, por enquanto o trabalho é o de atualizar um protocolo de cuidados médicos, dialogar com clubes e federações e garantir que nenhuma pressão política vai apressar o retorno das atividades do futebol brasileiro.

Nós estamos exatamente no pico da pandemia. E não sabemos o tamanho do platô desse pico. Temos muitos elementos positivos, como a articulação com as federações e o diálogo com os clubes. Mas a recomendação expressa que tenho do presidente Caboclo é para não dar nenhuma data ainda. Ou seja, estamos fazendo tudo correto, de forma sensata, mas ainda não falamos em prazo.

Na pandemia, Pia participa de encontros com clubes, planeja futuro e ganha prêmio

MSN

O período de paralisação do futebol não tem deixado a técnica da seleção brasileira feminina, Pia Sundhage, inativa. Enquanto trabalha remotamente no planejamento e nas observações táticas sobre a equipe para os próximos meses, a treinadora sueca participou nos últimos dias de encontros com jogadoras e membros da comissão técnica de times do País. Ainda teve o seu trabalho no futebol internacional reconhecido com uma premiação na Suécia.

Convidada, Pia e suas auxiliares se encontraram, ainda que virtualmente, com as equipes do Internacional e da Ferroviária na semana passada para uma conversa sobre o futebol feminino. A treinadora sueca estava acompanhada das auxiliares Lilie Persson, em uma dessas reuniões, e de Beatriz Vaz, em ambos, sendo que esta também auxiliou na tradução das falas durante as videoconferências.

Em uma das respostas durante o bate-papo com as jogadoras da Ferroviária, Pia destacou o desafio único que tem sido dirigir o Brasil, ainda que possua um vasto currículo – antes, ela comandou as seleções da Suécia e dos Estados Unidos, tendo conquistados duas medalhas de ouro olímpicas, em 2008 e 2012, e uma prata, em 2016, além do vice-campeonato mundial em 2011.

“Precisamos entender o estilo que jogamos, que maneira o futebol brasileiro vem jogando. Posso trazer a mentalidade vencedora das americanas e a organização das suecas, mas não posso tirar o que as brasileiras têm de melhor. Precisamos entender isso e passar a informação da melhor maneira para que as atletas consigam ter o melhor aproveitamento. E entender que a sua responsabilidade é para trazer o melhor para o grupo. O fundamental é pensar no grupo”, afirmou Pia, durante a videconferência de 1 hora e 30 minutos com as atletas da Ferroviária.

Além de realizar comentários sobre modelos táticos, estilo de jogo e o cenário da modalidade, a treinadora e suas auxiliares também abordaram a necessidade de as atletas se manterem motivadas, mesmo com o cenário de incerteza sobre o futuro das competições. E lembrou, para isso, a realização da Olimpíada no próximo ano. Ambas as equipes possuem jogadoras entre as convocáveis de Pia, como Aline Milene e Luciana, da Ferroviária, e Bruna Benites e Fabiana, no Internacional.

“O que mais foi ressaltado por ela, não só nessa conversa que nós tivemos aqui com a equipe do Internacional, mas algo que ela ressalta sempre entro da própria seleção, é que todas as jogadoras do futebol feminino brasileiro têm uma qualidade técnica elevada, diferente de qualquer outra jogadora no mundo”, afirma Bruna Benites, capitã do Inter.

Presidente do Atlético de Alagoinhas sugere regionalizar ainda mais os grupos da Série D

Bahia Noticias

A pandemia do coronavírus paralisou o futebol brasileiro. Prevista para começar a partir do primeiro final de semana de maio, a Série D ainda não tem data definida de quando a bola vai rolar. Sem jogos, as escassas receitas dos clubes também foram interrompidas. Em crise, o presidente do Atlético de Alagoinhas, Albino Leite, sugeriu regionalizar ainda mais a competição. A ideia original do torneio tenta reunir as equipes de regiões próximas. No entanto, o time baiano acabou tendo três adversários de Minas Gerais, um do Distrito Federal e outro do Tocantins, além conterrâneo Bahia de Feira.

“Nós ficamos no Grupo A6 contra times em Minas Gerais, Brasília e Tocantins. O que nós estamos sugerindo, inclusive já mandei para a CBF via FBF, é regionalizar. Pegar o Vitória da Conquista, Bahia de Feira, o Atlético, os dois de Sergipe e um de Alagoas e a gente fica por aqui rodando de ônibus, do que pegar avião”, afirmou em entrevista ao Bahia Notícias. “Mas vou participar! Agora, depende da cota. Precisamos da cota, porque sozinho nenhum clube vai, a não ser que tenha dinheiro, que um grande empresário consiga manter. Vou participar, mas também vou torcer que tenha uma cota, uma ajuda, porque serão três meses de campeonato. Por isso que estou mantendo os jogadores”, completou.

Além do Carcará e do Tremendão, o grupo A6 é composto pelos mineiros Caldense, Tupynambas e Vila Nova, pelo Gama, do Distrito Federal, pelo Palmas, do Tocantins. Além disso, o último integrante da chave será o vencedor do confronto da preliminar entre Tocantinópolis-TO e Brasiliense.

Para manter o elenco, formado para a disputa do Campeonato Baiano, Albino anunciou que pagou aos atletas a segunda parcela do plano emergencial. O valor do pagamento é o salário integral indicado na carteira de trabalho.

“Nós acabamos de pagar a segunda parcela do plano emergencial. Ainda falta pagar mais uma demanda do auxílio emergencial que fecha os 90 dias. E estamos aguardando o posicionamento da CBF se vai haver outra demanda de plano emergencial. O recurso que veio da CBF era para esses dois meses e termina agora e vamos aguardar como vai ficar”, disse. “Não tem pagamento de imagem, porque ninguém está jogando e não aparece em nada”, pontuou o mandatário.

Os jogadores do Carcará seguem treinando nas suas casas com o acompanhamento do departamento de futebol do clube.

Associação faz campanha para ajudar árbitros baianos durante pandemia

Correios

Com o futebol paralisado por conta da pandemia do novo coronavírus, não são apenas os jogadores que estão sofrendo. Sem os jogos, árbitros e bandeirinhas estão passando por momentos de dificuldade durante o surto da doença, já que boa parte da categoria tem no cachê das partidas a principal fonte de renda.

Para ajudar esses profissionais, a Associação de Árbitros da Bahia (Aeba) lançou campanha para arrecadar alimentos e produtos básicos de higiene. Os materiais vão ser doados para os trabalhadores em dificuldade.

“Diversos árbitros baianos estão em situação de extrema dificuldade financeira devido à pandemia da covid-19. Dessa forma, a Aeba está fazendo a sua parte: estamos reforçando aqui a importância de nos unirmos e precisamos de doações de alimentos e produtos para suprir as necessidades básicas destes. É um ato de humanidade”, diz a postagem do órgão.

Quem quiser colaborar com a campanha pode deixar as doações na sede da Aeba, que fica Palácio dos Esportes, na Praça Castro Alves, ou entrar em contato através do telefone: 99334-7426.

Bayern de Munique vence o Borussia e se isola na liderança do alemão

Uol

Bayern de Munique venceu o Borussia Dortmund por 1 a 0, hoje, pela 28ª rodada do campeonato alemão, no Signal Iduna Park. Com gol de Joshua Kimmich, a equipe de Hans-Dieter Flick abriu vantagem de 7 pontos na liderança da Bundesliga.

Com o resultado, o Bayern chegou a 64 pontos da tabela, enquanto a equipe de Lucien Favre segue na vice-liderança, com 57 pontos.

Aos 42 minutos ainda do primeiro tempo, a equipe bávara abriu o placar. Os visitantes trocaram passes no campo de ataque e Kimmich bateu de cavadinha, de fora área. O goleiro Burki, que estava adiantado na jogada, chegou a tocar na bola, mas não conseguiu evitar o gol.

No clássico disputado no primeiro turno do campeonato, o Bayern de Munique goleou o Borussia Dortmund por 4 a 0.

Inspirado na Bundesliga, protocolo de retorno do futebol brasileiro segue sendo formulado

Galáticos Online

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), continua produzindo o protocolo de retorno das competições de futebol no Brasil, e o modelo a seguido foi o da Bundesliga (Campeonato Alemão), que já iniciou e vai para a terceira rodada após o retorno do torneio.

De acordo com o site GloboEsporte.com, a CBF exigirá que cada equipe tenha no máximo 40 pessoas por delegação e o médico do clube será responsável por verificar a situação de cada um desses membros da agremiação que entrarem no estádio, para conferir se tem algum tipo de sintoma ou não. O tempo máximo dentro dos vestiários será de 40 minutos e todos os funcionários e jogadores deverão usar máscaras enquanto lá estiverem.

Diferentemente do que ocorria antes, onde os atletas e árbitros entravam em campo juntos, na volta do futebol brasileiro, ela entrarão separadamente, bem como deixarão o gramado um de cada vez para o intervalo e final da partida.

Outra mudança radical é na entrevista coletiva. Ainda segundo o GE, assim como acontece na Bundesliga, os atletas e treinadores ficarão no gramado, com um microfone pendurado em um cabo de apoio de dois metros e a imprensa vai ficar em um local indicado pela assessoria, para fazer as perguntas que serão reproduzidas de forma virtual.

Sem caso no futebol masculino, Argentina registra duas infectadas no feminino

Futebol Interior

Diferente do Brasil, a Argentina vem registrando poucos casos do novo coronavírus por ter tomado medidas de seguranças mais confiáveis em combate à doença. O país confirmou nesta terça-feira apenas o seu segundo caso de COVID-19 no futebol, ambos no feminino.

Com sintomas leves, Camila Godoy, jogadora do River Plate, está isolada em um hotel no qual o Governo de Buenos Aires colocou à disposição dos infectados. Ela vem tomando todos os cuidados necessários para combater a doença.

Assim como a goleira Stephania Rea, a primeira futebolística com coronavírus no país, Camila Godoy também mora em um dos bairros mais afetados de Buenos Aires, 31 del barrio porteño Retiro, que contém 37% dos infectados.

Crivella confirma treinos em junho e jogos sem público em julho

Ig Esportes

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella , informou o planejamento para a retomada do futebol na cidade em entrevista coletiva, nesta segunda-feira. Ele confirmou que os treinos com bola estarão liberados à partir de junho, e que partidas podem ocorrer sem público — dependendo da análise do risco de contaminação — já em julho.

— Não vamos relaxar as medidas de afastamento social. Naquela reunião que tivemos no sábado com o conselho científico, foi quase consenso que devemos esperar mais um período para o retorno. O futebol esperava voltar hoje (segunda) os treinos, rachão. Pedimos para junho e foi aceito. Pode ser que alguém com o drone verifique o jogador correndo com a bola. É fisioterapia com bola, está autorizada. Pedimos também que os jogos voltassem em julho, sem torcida. Eles pediram para verificar a curva em meados de junho. Há expectativa de nossos especialistas que estejamos quase em zero — disse Crivella .

Sobre a possibilidade de os jogos voltarem em julho , ficou decidido que será feita uma análise da curva de contágio em meados de junho. A liberada para os eventos será feita após estudo.

Sobre os treinos , Crivella afirmou que nesta semana só estão liberadas atividades médicas e de “fisioterapia com bola”, conceito que pode ser utilizado pelos clubes para diferentes atividades no gramado.

Durante a coletiva, Marcelo Crivella afirmou que Botafogo e Fluminense , que tiveram ausentes da reunião do último domingo, aceitaram os termos do retorno das atividades esportivas via telefone. O Tricolor, em nota, desmentiu o Prefeito.

“O Fluminense vem a público esclarecer que não fez nenhum contato telefônico com a prefeitura e tampouco com o prefeito, seja para tratar da reunião em que se discutiu a volta do futebol ou para qualquer outro assunto”, diz a mensagem do clube.

Já Carlos Augusto Montenegro, membro do comitê gestor do futebol do Botafogo, afirmou ter recebido o contato e concordado com os termos.

Presidente da LaLiga crê em reinício do Espanhol a partir do dia 11 de junho

Super Esportes

O futebol nos gramados pela Espanha está perto de voltar depois do “sinal verde” dado pelo governo do país na semana passada. A retomada do Campeonato Espanhol, no entanto, ainda não tem uma data definida pela LaLiga, a organizadora da competição, mas muito provavelmente ocorrerá na segunda semana de junho. Uma data mais indicada, de acordo com a entidade, é o dia 11, uma quinta-feira.

“O presidente (da Espanha) falou sobre jogar a partir de 8 de junho porque o governo efetua as mudanças nas fases da quarentena às segundas-feiras. Nesse domingo, por exemplo, o país estaria na Fase 2, que é quando poderemos realizar partidas em estádios por toda a Espanha. Agora precisamos ver em que dia da semana começamos a jogar. Precisamos vinculá-lo às fases de treinamento de cada clube. Mas sem apressar as coisas, vamos passo a passo. Temos que ser cautelosos, como temos feito até agora. O certo é que a competição retornará no fim de semana de 12 de junho ou até na quinta-feira, 11 de junho”, disse Javier Tebas, presidente da LaLiga.

O fato é que tudo está sendo cuidadosamente estudado para que o retorno aconteça dentro das normas estabelecidas. Por conta disso, somente a partir da próxima segunda-feira (1.º de junho) é que os clubes passarão a treinar com o grupo completo. “Nesta semana, os jogadores treinarão em grupos de até 14 pessoas e não está planejado que treinem todos juntos até a próxima semana. Precisamos manter o máximo de cautela e cuidado possível. Passamos por momentos muito difíceis e complicados durante esta pandemia e não queremos pular etapas”, afirmou Tebas.

O dirigente espera que o primeiro jogo da retomada seja marcante E ele poderá ser o clássico de Sevilha entre Sevilla e Betis. “Quando anunciarmos oficialmente a primeira partida, já saberemos as quatro primeiras rodadas por completo. E tudo dependerá das sessões de treinamento e das fases, mas gostaríamos que a primeira partida fosse o ‘Gran Derby’ de Sevilha entre Sevilla e Betis”.

Além disso, os horários dos duelos também estão sendo estudados. “Nosso plano seria jogar à tarde ou à noite, entre 19h30 e 20 horas ou entre 21h30 e 22 horas (todos horários locais). No fim de semana, haveria três faixas horárias: 17 horas, 19h30, 21h30 ou 22 horas. Ainda não foi decidido, estamos analisando isso com nossas emissoras. Mas obviamente, planejamos que os jogos das 17 horas sejam realizados na costa norte da Espanha, onde as temperaturas em junho e julho não excedem 28°C”, completou Tebas.





WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia