WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
PMVC

novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930



drupal counter

:: ‘ALEMANHA’

Em Marselha, Alemanha e França duelam para definir segundo finalista da Eurocopa

Atarde

Índice

Na véspera do aniversário de dois anos da goleada histórica da Alemanha em cima do Brasil – o famoso 7 a 1 na semifinal da Copa do Mundo de 2014, a seleção alemã mais uma vez encara os anfitriões, desta vez a França, na luta por um lugar na decisão de um grande torneio, neste caso a Eurocopa. O jogo desta quinta-feira, às 16 horas (de Brasília), será no estádio Vélodrome, em Marselha.

A lembrança da esmagadora vitória no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, surgiu nas entrevistas dos jogadores alemães. O meia-atacante Thomas Müller mostrou bom humor ao relembrar o triunfo. “A França, como anfitriã, estará sob pressão. Eles sabem que jogarão contra um ótimo time. É o tipo de jogo em todos querem ver. E queremos jogar bem. Mas nós não achamos que vamos vencer por 7 a 1”, disse, aos risos.

O assuntou voltou a ser lembrado na entrevista do técnico Joachim Löw. Para ele, é difícil fazer uma comparação, por conta do raríssimo placar da partida em 2014. “Não tem muito o que tirar daquele jogo para trazer para esse duelo. Nossos jogadores estão acostumados a sentir pressão. Os brasileiros ficaram chocados porque levaram três ou quatro gols em pouquíssimos minutos. Uma semifinal daquela não vai acontecer a cada dois anos. E além disso, a França é muito mais sólida defensivamente do que eram os brasileiros há dois anos”.

Do lado da França, o técnico Didier Deschamps disse que a sua seleção precisa se impor em campo. “A Alemanha sempre domina o adversário, tem mais posse de bola. Mas não podemos chegar lá e pensar somente em nos defender. Temos a oportunidade, queremos jogar nosso máximo, com todo o respeito que temos pelos alemães, atuais campeões mundiais”, disse o treinador.

Nesta Eurocopa, franceses ou alemães terão pela frente a seleção de Portugal na grande decisão de domingo, no Stade de France, em Saint-Denis. Nesta quarta-feira, os portugueses avançaram ao baterem o País de Gales por 2 a 0, em Lyon.

Brasil pode reencontrar Alemanha na fase de grupos das Olimpíadas

MSN

BBrwkn0.img

Após o inesquecível 7 a 1, o Brasil pode reencontrar a Alemanha na fase de grupos dos Jogos Olímpicos do Rio-2016. A Fifa definiu nesta sexta-feira os cabeças de chave da competição. O sorteio que define as chaves será realizado na próxima quinta-feira, no Maracanã, às 10h30.

A Seleção, que a princípio será comandada por Dunga, ao lado de Argentina, México e Japão, serão os cabeças de chave, divididos em quatro grupos. Já Alemanha ficou apenas no quarto pote. Um confronto com a Nigéria, campeã olímpica em Atlanta-1996, em cima do Brasil, também é possível. A Seleção feminina também terá definição no mesmo dia.

O Brasil estará no Grupo A, obrigatoriamente e fará estreia no estádio Mané Garrincha, em Brasília, em 4 de agosto. A equipe voltará a jogar na capital federal na segunda rodada e fechará a primeira fase na Fonte Nova, em Salvador, pela terceira rodada. A final ocorre em 20 de agosto, no Maracanã. A Seleção feminina também terá definição no mesmo dia.

Pote 1: Brasil, Argentina, Japão e México
Pote 2: Nigéria, Coreia do Sul, Honduras e Iraque
Pote 3: Suécia, Fiji, Portugal, Africa do Sul
Pote 4: Argelia, Colômbia, Dinamarca, Alemanha

Estados Unidos vencem Alemanha e chegam à final pela 2ª vez seguida

Gazeta Esportiva

300x250_2015-06-30_5ec42f28af

A seleção dos Estados Unidos está mais uma vez na final da Copa do Mundo de futebol feminino. Nesta terça-feira, empurradas por cerca de 50 mil torcedores, as norte-americanas bateram a Alemanha por 2 a 0 no Estádio Olímpico de Montreal e chegaram à segunda vez consecutiva para a decisão do Mundial, a quarta em sua história.

No jogo final, os Estados Unidos podem reencontrar as algozes da última edição da Copa do Mundo: o Japão, que entra em campo para a outra semifinal nesta quarta, contra a Inglaterra, em Edmonton.

As norte-americanas buscam o tricampeonato mundial feminino no Canadá.

Alemanha e EUA avançam e se encontram na semi do Mundial feminino

Gazeta Esportiva

t_155706_selecao-alema-conseguiu-classificacao-nos-penaltis-foto-minas-panagiotakis-afp

Alemanha e Estados Unidos foram as primeiras seleções classificadas para as semifinais da Copa do Mundo de Futebol Feminino, realizada no Canadá. As alemãs precisaram derrotar a França nos pênaltis, nesta sexta-feira, antes de comemorar a vaga, enquanto as americanas venceram a China por 1 a 0 no tempo regular. Com os resultados, as duas equipes se enfrentarão na fase seguinte do Mundial em partida realizada na próxima terça-feira.

Após derrotar a Suécia por 4 a 1 nas oitavas, a Alemanha aguardava uma partida equilibrada com a França, que se classificou para as quartas com vitória sobre a Coreia do Sul por 3 a 0. Embora o confronto tenha demonstrado boas atuações de ambas as partes, as alemãs levaram a melhor nos pênaltis. A França abriu o placar com Louisa Necib, já no segundo tempo, e segurou a vantagem até os 39 minutos – quando foi marcado um pênalti a favor da Alemanha. Celia Sasic converteu e as duas equipes precisaram decidir nas penalidades, já que nenhum gol foi marcado na prorrogação. Na última tentativa, a goleira Nadine Angerer fez uma bela defesa e garantiu a classificação alemã.

Em partida disputada mais tarde na sexta-feira, os Estados Unidos mostraram o favoritismo em campo e derrotaram a China por 1 a 0. O gol foi marcado pela artilheira da competição, Carli Lloyd, aos cinco minutos do segundo tempo. A seleção estadunidense tinha se classificado depois de derrotar a Colômbia por 2 a 0 nas oitavas. Já a China, havia avançado na competição ao vencer a equipe de Camarões pelo placar de 1 a 0.

Mais cedo nesta sexta-feira, Alemanha e França travaram uma disputa equilibrada. Os 45 minutos iniciais terminaram sem gols, levando ambas as equipes a buscarem outra postura na segunda etapa. Mesmo com a Alemanha mantendo maior posse de bola, a França saiu na frente no placar com um gol de Louisa Necib, aos 19 minutos do segundo tempo. No tempo que se seguiu, as alemãs abusaram de jogadas ofensivas, e Goessling e Marozsan acabaram amareladas.

Apesar da conduta mais agressiva partir das rivais, foram as francesas que se complicaram ao fim da segunda etapa. A seis minutos do fim da partida – que garantiria a classificação para as semifinais caso o placar permanecesse em 1 a 0 – a lateral Amel Majri tocou na bola com a mão posicionada na pequena área. O pênalti foi marcado pelo lance e, na conversão, Celia Sasic igualou os marcadores para a seleção alemã, levando a classificação para a prorrogação.

Sem que nenhuma equipe marcasse nos trinta minutos que se seguiram, o jogo precisou ser decididos nos pênaltis. Behringer, Lauderhr, Peter, Marozsan e Sasic converteram para a Alemanha. Pela França, Thiney, Abily, Necib e Renard conseguiram marcar. Na última cobrança, Lavogez mirou no canto esquerdo, mas a goleira alemã Nadine Angerer agarrou a bola e conquistou a classificação germânica para as semifinais do Mundial.

Brasil perde para Alemanha por 4 a 0 em Fürth

CBF
20150408140006_0

A Seleção Brasileira Feminina perdeu por 4 a 0 para a Alemanha, nesta quarta-feira (08/04), em amistoso na cidade de Fürth. O Stadion am Laubenweg estava lotado, com mais de 15 mil torcedores alemães apoiando e incentivando as donas da casa.

Mesmo com toda a pressão da torcida, a Seleção Feminina não se desesperou. Brigou por todas as bolas e começou pressionando a saída alemã.

O jogo estava equilibrado. Cristiane, Marta e Tamires tiveram oportunidades de abrir o placar e Bárbara havia feito apenas uma defesa importante. Porém, logo depois da Alemanha ter um gol anulado por impedimento, Mônica derrubou Laudehr dentro da área e Celia abriu o placar.

Apesar do gol sofrido, o Brasil não desanimou e as jogadoras continuaram disputando todas as bolas. O empenho brasileiro não parou as alemãs e Laudehr fez o segundo.

Nos minutos iniciais da etapa complementar, Leupolz marcou o terceiro das donas da casa. A Seleção Brasileira tentou jogadas no ataque, mas não conseguiu marcar. Já a Alemanha aproveitou mais uma oportunidade, com Marozsan. Fim de jogo.

BRASIL: Bárbara; Fabiana, Bruna Benites (c), Mônica e Tamires; Rosana (Andressinha), Thaísa, Formiga e Andressa Alves; Marta e Cristiane (Beatriz) (Gabi Zanotti).

ALEMANHA: Nadine Angerer (c), Krahn, Laudehr (Behringer), Marozsan, Celia (Anja), Babett (Henning), Cramer (Gidion), Leupolz, Popp (Anna), Kemme e Sara.

468x60_simonassi127

Brasil perde para Alemanha por 5 a 1 e se despede do Mundial

CBF

20140812233919_4

A tarefa da Seleção Brasileira Feminina Sub-20, na terceira rodada da fase de grupos do Mundial, para se classificar, não era fácil: derrotar as atuais vice-campeãs por dois ou mais gols de diferença. No final, o Brasil perdeu por 5 a 1, mas não sem lutar um minuto dentro de campo.

O jogo começou com uma sequência de quatro escanteios a favor da Seleção. O Brasil pressionava a saída de bola e não deixava a Alemanha jogar. Depois dos primeiros cinco minutos, a Alemanha equilibrou a partida.

Apesar de conseguir chegar ao ataque, a Seleção não era eficiente na finalização. A Alemanha, por outro lado, aproveitava suas chances. A sorte do Brasil é que Letícia está sempre atenta: a goleira fez duas belíssimas defesas.

No contra-ataque, Djenifer achou Byanca que driblou dentro da área e tocou para Gabi. A volante chutou forte, mas a bola raspou na trave e saiu.

No lance seguinte, Andressa tocou para Gabi, que chutou para fora, Dessa vez, a bola passou pelo lado esquerdo da goleira e saiu.

Com a pressão do Brasil, o gol saiu aos 41 minutos da primeira etapa. Em jogada ensaiada de escanteio, Andressa cruzou e Carol cabeceou para abrir o placar.

Nos acréscimos, Bremer foi derrubada dentro da área e,penalidade marcada. Ela mesma cobrou e bateu na trave.

Nos primeiros minutos da segunda etapa, a Alemanha veio para cima e conseguiu o empate com Daebritz.

A Sub-20 precisava vencer por dois gols de diferença para se classificar. E por isso não desistiu, apesar do empate. Andressa, Gabi e Carol tocaram a bola na entrada da grande área até que a capitã viu Patrícia e passou.A camisa 11 chutou por cima do gol.

A Alemanha fez mais um com Bremer. As alemãs quase fizeram outro, não fosse a goleira Letícia fazer duas difíceis defesas consecutivas. Daebritz fez mais um para a Alemanha; e Bremer fez mais dois e fechou o placar: 5 a 1 para as europeias.

Brasil: Letícia, Letícia Santos, Nágela (Thayanara), Julia, Camila; Djenifer e Gabi; Byanca, Andressa (c) e Patrícia (Gabi Portilho); Carol.

Brasil e Alemanha será nesta terça-feira no Estádio Olímpico de Montreal

CBF

20140811185547_4

A Seleção Brasileira Feminina Sub-20 enfrenta a Alemanha nesta terça-feira, 12 de agosto, às 16 horas (17 horas de Brasília), no Estádio Olímpico de Montreal, pela terceira rodada da fase de grupos do Mundial do Canadá 2014.

A tarefa da equipe brasileira não será fácil: precisa vencer as alemãs, atuais vice-campeãs da categoria, por dois gols de diferença par assim chegar às quartas-de-final da competição.

Entretanto, as jogadoras da Seleção sabem o que devem fazer para sair com a vitória e a classificação.

– Jogamos bem os dois primeiros confrontos, mas não podemos nos desconcentrar. Temos que estar ligadas do início ao fim, prestar atenção nas bolas paradas e aproveitar todas as oportunidades que tivermos – disse a goleira Letícia.

A outra opção do Brasil se classificar é vencer por 1 a 0 e torcer por um empate entre Estados Unidos e China, que se enfrentam no mesmo horário, em Moncton.

Alemanha lidera o ranking da Fifa e Brasil cai para 7º

Bahia Notícias

xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.ybpW_aB-h-

Quatro dias após o término da Copa do Mundo, o ranking da Fifa foi atualizado nesta quinta-feira e trouxe como principal novidade a Alemanha, consagrada tetracampeã no Brasil, como nova líder da listagem.

Os alemães subiram uma posição em relação ao mês passado e chegaram aos 1.724 pontos, enquanto a Argentina, batida na decisão, galgou três postos e agora é a vice-líder.

Confira o ranking da Fifa atualizado:

1) Alemanha, 1.724 pontos
2) Argentina, 1.606
3) Holanda, 1.496
4) Colômbia, 1.492
5) Bélgica, 1.401
6) Uruguai, 1.330
7) Brasil, 1.241
8) Espanha, 1.229
9) Suíça, 1.216
10) França, 1.202
11) Portugal, 1.148
12) Chile, 1.098
13) Grécia, 1.091
14) Itália, 1.056
15) Estados Unidos, 989
16) Costa Rica, 986
17) Croácia, 955
18) México, 930
19) Bósnia Herzegovina, 917
20) Inglaterra, 911

Estudo aponta Alemanha como seleção mais valiosa após a Copa

Globo Esportes

alemanha_taca_festa_get_95

O quarto título mundial, conquistado no último domingo sobre a Argentina, fez da seleção alemã a mais valiosa do mundo, de acordo com estudo da “Pluri Consultoria”. Os dados divulgados nesta terça-feira apontam uma alta de 15,5% no valor total da equipe, que era a quarta colocada no ranking antes da competição. A equipe comandada por Joachim Löw agora vale € 519,2 milhões (R$ 1,5 bilhões).

Antes líder, a seleção espanhola teve seu valor de mercado abalado pela eliminação na fase de grupos do Mundial. A queda de 7,3% levou os campeões de 2010 para a terceira colocação da lista. O Brasil, por sua vez, perdeu uma posição e agora é o quarto, depois de sofrer uma desvalorização de 4,6%.

Segundo o estudo, a soma do valor dos 736 jogadores participantes da Copa do Mundo teve alta de € 65,3 milhões (R$ 196,8 milhões), chegando a € 6,3 bilhões (R$ 19 bilhões) – uma alta de 1,1%. A seleção que mais se valorizou após o Mundial no Brasil foi a Costa Rica, considerada a grande surpresa da competição: o valor de mercado dos atletas subiu 28,4%. Os EUA e o México também apresentaram altas significativas. Por sua vez, Nigéria, Rússia e Gana apresentaram as maiores quedas.

outdoor_pq

Após 24 anos, Alemanha e Argentina fazem tira-teima em final

Terra

maradonatacaallsport-ukgetty

Com a vitória da Argentina nos pênaltis sobre a Holanda nesta quarta-feira, a decisão da Copa do Mundo de 2014 será a reedição de um confronto que já aconteceu outras duas vezes na final de um Mundial. Argentinos e alemães se enfrentaram nesta fase da competição em 1986 e 1990. Esta será a primeira vez que a partida decisiva será repetida pela terceira vez entre duas seleções.

A primeira oportunidade que Argentina e Alemanha se enfrentaram foi na Copa do Mundo de 1986, no México, que teve como grande protagonista Maradona. O craque ganhou nesta a ocasião o único título mundial da sua carreira, após fracassar em 1982 e ser preterido da convocação pelo técnico César Luis Menotti em 1978, quando a Argentina conseguiu sua primeira estrela jogando diante da sua torcida.

Em 1986, Carlos Bilardo montou uma equipe pragmática, preparada para o craque do time brilhar. Com três zagueiros, o treinador resguardou a defesa e deu liberdade para o então camisa 10 brilhar e decidir confrontos com a Inglaterra, Uruguai e Bélgica.

Contra os alemães na final, Maradona foi responsável pelo lançamento para o último gol na vitória alemães por 3 a 2. Burruchaga deu números finais ao jogo com assistência do “Dios” argentino.

Bilardo foi mantido no cargo para a Copa seguinte, realizada na Itália em 1990, e teve pela frente de novo a Alemanha comandada por Franz Beckenbauer, que também era o técnico na edição anterior do torneio.

Desta vez, no entanto, os alemães eram favoritos e justificaram a alcunha ao realizarem uma partida amplamente superior diante de uma Argentina desfalcada de quatro titulares suspensos – Olarticoechea, Batista, Giusti e Caniggia, algoz do Brasil – e com Maradona fora da forma ideal. O tricampeonato alemão veio após uma vitória magra por 1 a 0, com um gol de pênalti de Brehme.

A “melhor de três” será definida no próximo domingo, às 16h (de Brasília), no Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro e colocará à prova tabus de 24 e 28 anos sem títulos mundiais de alemães e argentinos, respectivamente. Os comandados de Joachim Löw fizeram a Alemanha retornar à decisão após 12 anos de ausência, enquanto a Argentina não chega a esta fase desde o vice-campeonato de 1990.

Alejandro Sabella, Messi e seus companheiros de time são a última esperança de a América do Sul manter a escrita de que seleções europeias jamais venceram uma Copa longe de seu continente. No início da noite de domingo, o mundo conhecerá seu novo campeão de futebol e saberá se a seleção albiceleste conseguiu manter a sequência histórica dos sul-americanos.

unimarc-modelo-4

Sem Neymar, Brasil deixa a máscara cair e é humilhado pela Alemanha

Gazeta Esportiva

t_120415_miroslav-klose-em-solo-brasileiro-deixou-ronaldo-para-tras-e-o-maior-artilheiro-das-copas

A máscara caiu. Diante de milhares de torcedores fantasiados de Neymar, a Seleção Brasileira não transformou em realidade a ilusão de que poderia ser bem-sucedida sem o seu principal jogador. Foi humilhada pela Alemanha com uma histórica e eterna derrota por 7 a 1 nesta terça-feira, no mesmo Mineirão onde já havia sofrido para superar o Chile nos pênaltis, e está fora da disputa pelo título da sua Copa do Mundo. Os gols foram marcados por Muller, Klose (o maior artilheiro dos Mundiais, agora à frente de Ronaldo), Kroos (2), Khedira e Schurrle (2). Oscar fez o de honra.

Se queria apagar a derrota para o Uruguai na final da primeira Copa do Mundo realizada no Brasil, há 64 anos, o Brasil conseguiu de forma vexatória. Perdia por 4 a 0 em 25 minutos de jogo. Em um Mineirão que virou Mineirazo, viu os seus torcedores reagirem com um choro que a psicóloga Regina Brandão e nem o melhor de seus colegas seriam capazes de conter. A revolta nas arquibancadas também acabou extravasada com irônicos gritos de “olé”, vaias (principalmente para o centroavante Fred), insultos e brigas.

A traumática queda diante da Alemanha foi o desfecho de um sonho que o Brasil alimentou muito graças a Neymar, alvo de uma joelhada de Zúñiga na vitória por 2 a 1 sobre a Colômbia, nas quartas de final, quando fez a sua exibição mais apagada no Mundial. Antes, o atacante havia sido importante nas vitórias por 3 a 1 contra a Croácia e por 4 a 1 em cima de Camarões, no empate sem gols com o México e na disputa de pênaltis com os chilenos.

Com a derrota na decisão da Copa do Mundo de 2002 muito bem vingada, a Alemanha agora se prepara para jogar a final do Maracanã às 16 horas (de Brasília) de domingo, contra o vencedor do confronto entre Holanda e Argentina. Ao Brasil, restará a melancólica disputa de terceiro lugar com o perdedor da outra semifinal, às 17 horas (de Brasília) de sábado, no Mané Garrincha. Mais uma vez, sem Neymar.

468x60_simonassi127

Mexicano apita a decisão entre Brasil x Alemanha

Futebol Bahiano

talisca

A Fifa divulgou na noite deste domingo o responsável pela arbitragem para a partida entre Brasil x Alemanha, válida pela semifinal da Copa do Mundo e agendada para esta terça-feira, às 17h, no Estádio do Mineirão. O mexicano Marco Rodríguez será o encarregado de apitar o duelo em Belo Horizonte.

O árbitro já esteve em dois jogos neste mundial. O triunfo da Bélgica sobre a Argélia (2 a 1) e Itália 0 x 1 Uruguai, sendo que o último, sempre será lembrado pela mordida do Uruguaio Luis Suarez que custou a seu eliminação da Copa do mundo.

unimarc-modelo-4

pmvc





WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia