WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
pmvc

fevereiro 2019
D S T Q Q S S
« jan    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
2425262728  



drupal counter

:: ‘BOLIVAR’

Aos gritos de olé, San Lorenzo goleia Bolívar e já pensa em final

Gazeta Esportiva

t_121975_o-time-do-papa-francisco-fez-5-a-0-nesta-quarta-feira-e-praticamente-garantiu-sua-vaga-na-decisao-da-libertadores

‘Abençoado’ pelo Papa Francisco, o San Lorenzo praticamente garantiu sua vaga em uma histórica final da Libertadores deste ano. Em um estádio Nuevo Gasómetro lotado, a equipe argentina não decepcionou o seu torcedor, que apoiou desde o início do confronto. Sem tomar conhecimento do Bolívar, os donos da casa golearam por 5 a 0 e já começam a pensar no adversário da decisão. Para os bolivianos, reta apostar na altitude de La Paz para ainda sonhar com uma improvável virada.

A goleada começou a ser construída com a categoria de Romagnoli, que fechou contrato com o Bahia. O meia foi o responsável pelos dois cruzamentos que originaram os gols de Matos e Emanuel Más no primeiro tempo. Mesmo com a boa vantagem, os argentinos não diminuíram o ritmo e fizeram uma apresentação irretocável no segundo tempo. Mercier, Buffarini e novamente Más fecharam a conta.

A decisão do confronto, praticamente definido, será já na próxima quarta-feira. Às 21h15 (de Brasília), na altitude de La Paz, San Lorenzo e Bolívar voltam a se enfrentar no estádio Hernando Siles. Um dia antes, o Nacional-PAR, que venceu o primeiro jogo, em casa, por 2 a 0, encara o Defensor-URU, em Montevidéu, decidindo a outra vaga da final da Libertadores.

Com gol no fim, Bolívar empata com Lanús fora e está a um 0 a 0 da semi

Globo Esportes

lanus_boliver_reuters

Quando William Ferreira recebeu pela esquerda, aos 46 minutos do segundo tempo, os torcedores do Lanús que foram ao estádio La Fortaleza, na grande Buenos Aires, mal sabiam o que estava por vir. Com um petardo de fora da área, o atacante fez o gol de empate por 1 a 1 do Bolívar com os donos da casa e garantiu a festa da torcida boliviana que marcou presença no estádio argentino. O duelo foi o primeiro jogo entre as duas equipes pelas quartas de final da Libertadores.

Antes de William Ferreira, Oscar Benítez marcou para o time argentino. Com o resultado, a equipe de La Paz avança para as semifinais com um 0 a 0 no próximo jogo. Quem vencer estará classificado. Empate com dois ou mais gols dá a vaga ao Lanús que, se passar, alcançará as semifinais pela primeira vez em sua história – o Grenate só havia chegado às oitavas. O Bolívar, por sua vez, tem como melhor campanha a de 1986, quando foi à segunda fase do torneio em um formato que não existe mais.

As duas equipes voltam a se enfrentar no próximo dia 15, às 19h30, na altitude de La Paz, no estádio Hernando Siles, onde o time boliviano ainda não perdeu nesta Libertadores. Quem avançar no confronto encara o vencedor do duelo entre San Lorenzo e Cruzeiro, que se enfrentaram nesta quarta, com vitória dos argentinos por 1 a 0.

Em Medelim, o Atlético Nacional perdeu por 2 a 0 para o Defensor, no jogo de ida das quartas de final da Libertadores, em circunstâncias frustrantes para o time da casa.

Após intensa pressão do time alviverde, o time viola foi cruel nos contragolpes e contou mais uma vez com o veterano Nicolás Olivera inspirado. O meia iniciou a jogada do gol de Pais e fez o segundo. Com o resultado, o Defensor avança até se perder por um gol de diferença. O placar de 2 a 0 para os colombianos leva a decisão para os pênaltis. Caso o Nacional vença por dois gols de diferença e marca três ou mais tentos, os alviverdes avançam.

unimarc-modelo-4

Em duelo acirrado, Bolívar e Léon medem forças na Bolívia

Gazeta Esportiva

t_112059_clima-entre-elenco-do-bolivar-e-de-extrema-confianca-quanto-a-classificacao-da-equipe-as-quartas-de-final

Pelo segundo jogo das oitavas de final da Copa Libertadores da América, Bolívar e Léon se enfrentam nesta terça-feira, às 21h15 (de Brasília), no Estádio Olímpico Hernando Siles, na Bolívia. No primeiro embate, as equipes empataram em 2 a 2 e, agora, o time da casa joga por uma vitória simples ou outra igualdade de 1 a 1. Caso o placar seja igual ao jogo de ida, a decisão vai para os pênaltis. O vencedor do confronto encarará Lanús ou Santos Laguna nas quartas.

“É matar ou morrer”, disse o técnico da equipe mexicana Gustavo Matosa, que espera ver seus comandados partindo para cima do time da casa, sem medo de atacar, a fim de resolver o duelo logo na primeira etapa de jogo.

O Léon, inclusive, só chegará à cidade de La Paz poucas horas antes do confronto diante do Bolívar, tudo para poupar os jogadores titulares, que tiveram folga no último fim de semana durante mais uma rodada do campeonato local.

Será um jogo duro, como foi contra Flamengo, Emelec e todos na Libertadores, mas temos uma chance e vamos aproveitar”, completou Matosas pouco antes de embarcar no avião.

Do outro lado, a equipe da casa considera a partida como “jogo do ano”. “Estamos com a cabeça na Libertadores. Para ganharmos, devemos estar concentrados e jogarmos da melhor maneira”, disse o volante Damir Miranda.

“Nos sentimos motivados pelo o que temos feito na Libertadores. Pelos resultados positivos que conseguimos e somos conscientes de que estamos perto de classificarmos. Mas não podemos esquecer que temos pela frente uma equipe bastante combativa”, finalizou.

468x60_simonassi127

Escorregão dá vitória ao Bolívar e empurra Fla para lanterna do Grupo 7

Globo Esportes

bolivar_efe_690

Viagem duas horas antes do jogo, cilindro de oxigênio no banco de reservas… A preocupação com a altitude de 3.600m de La Paz, na Bolívia, era tanta que o Flamengo esqueceu de um outro detalhe: o campo molhado virou o algoz da vez num histórico recente de decepções rubro-negras na Libertadores. Muralha escorregou uma vez, Samir, três. Numa delas perdeu a bola e cometeu o pênalti que deu a vitória ao Bolívar por 1 a 0, na noite desta quarta-feira. Gol de Arce, ex-Corinthians. O resultado que mantém os 31 anos de invencibilidade dos bolivianos em casa contra brasileiros e em jogos pelo torneio. E empurrou o Fla para a lanterna do Grupo 7.

Após os quatro pontos conquistados nos dois jogos com o Flamengo, o Bolívar foi a cinco e trocou o último lugar da chave pela terceira posição. De quebra, ainda empurrou os brasileiros para a lanterna, com quatro pontos. A liderança agora é dos mexicanos do León, que nesta quarta bateram em casa o Emelec, do Equador, por 3 a 0, e chegaram a sete pontos. Os equatorianos vêm logo abaixo, com seis.

No Fla, ninguém precisou do cilindro de oxigênio. Mas se sobrou ar, faltou gás. O time foi mero espectador no primeiro tempo e só construiu jogadas na etapa final, a partir da entrada de Paulinho. Enquanto teve fôlego, criou momentos de perigo que pararam no goleiro Quiñonez. E o placar apertado não impediu a torcida boliviana de gritar “olé” no fim.

O próximo compromisso do Flamengo na Libertadores também será fora de casa: no dia 2 de abril, vai ao Equador encarar o Emelec. Antes, porém, joga pelo estadual contra a Cabofriense, neste domingo, no Maracanã, pela última rodada da Taça Guanabara. Já o Bolívar joga antes, no dia 27 de março, contra o León, no México.

Com Maracanã como aliado, Fla enfrenta o Bolívar pela Libertadores

Globo Esportes

hernane_alexandrevidalflaimagem_15_

O Flamengo trata os jogos no Maracanã pela Libertadores como determinantes para conseguir uma vaga nas oitavas de final da competição e não repetir o fracasso da última participação, quando foi eliminado na fase de grupos em 2012. Nesse clima, o time entra em campo para enfrentar o Bolívar, da Bolívia, nesta quarta-feira, às 22h (de Brasília), no Maracanã, pelo Grupo 7.

Depois de conquistar o título da Taça Guanabara ao vencer por 2 a 0 o Botafogo, quando usou seus titulares, o Flamengo volta a jogar embalado por bons resultados no ano. O time perdeu apenas três vezes na temporada. No Maracanã, esses números são ainda mais fortes. Desde a reabertura do estádio no ano passado, foram 27 jogos, com 18 vitórias e apenas três derrotas.

Do outro lado do campo, o Flamengo terá o Bolívar. O time acabou de trocar seu treinador – Xavier Azkargorta é o novo comandante – e tenta deixar a lanterna do Grupo 7 da Taça Libertadores, com apenas um ponto somado em dois jogos.

Resultados de ontem
The Strongest-BOL 2 x 0 Vélez Sarsfield-ARG
Defensor Sporting-URU 2 x 0 Cruzeiro
Real Garcilaso-PER 1 x 2 Universidad de Chile-CHI
Atlético Nacional-COL 2 x 2 Nacional-URU
Emelec-EQU 2 x 1 León-MEX
Deportivo Anzoategui-VEN 1 x 1 Santos Laguna-MEX
Jogos de hoje
19h45
San Lorenzo-ARG x Unión Española-CHI
Independiente del Valle-EQU x Botafogo
22h00
Zamora-VEN xSanta Fe-COL
Nacional-PAR x Atlético-MG

São Paulo visita Bolívar para cumprir regulamento e passar de fase

r7

t_77484_trio-ofensivo-com-luis-fabiano-municiado-por-aloisio-e-osvaldo-deu-certo-no-primeiro-confronto

O São Paulo tem que tomar cinco gols do Bolívar – sem marcar nenhum – para ter sua classificação ameaçada nas cobranças de pênalti. Sendo mais direto: apenas um desastre tira a vaga na fase de grupos da Libertadores da equipe brasileira, que viajou a La Paz para não ser eliminada por W.O após ter vencido por 5 a 0, no Morumbi, há uma semana.

A desistência, claro, não foi cogitada. Não apenas para não desmerecer o adversário, que chega à 29ª participação no torneio e tentou jogar de igual para igual na semana passada, mas também porque, pelo regulamento, isso resultaria em eliminação desta e das próximas três competições organizadas pela Conmebol.

Sobre o que esperar em La Paz, o técnico Ney Franco é respeitoso. Ele sabe que a altitude de 3.600 metros influenciará no desempenho, ainda que, dado o abismo técnico entre os elencos, seja impensável sofrer cinco ou mais gols – nas 15 edições anteriores que disputou, o São Paulo jamais perdeu por mais de três de diferença. Por isso, promete não apenas se defender.

O Bolívar vai a campo ciente de sua inferioridade. Ainda no Brasil, o técnico espanhol Miguel Portugal comparou a discrepância financeira entre as folhas de pagamento. Além disso, só lamentou a ineficiência de seu ataque nas chances criadas para vazar o goleiro Rogério Ceni, em contrapartida à pontaria dos são-paulinos diante da meta defendida por Arguello.

opcao-468x60

Trio ofensivo funciona, São Paulo faz 5 no Bolívar e põe mão na vaga

r7

t_77063_na-semana-do-aniversario-de-40-anos-rogerio-ceni-fez-um-dos-gols-da-vitoria-tricolor

O trio de ataque escalado por Ney Franco para enfrentar o Bolívar deu resultado e participou direta ou indiretamente de todos os gols de uma fácil vitória por 5 a 0 sobre o Bolívar, na noite desta quarta-feira. Osvaldo, Luis Fabiano (duas vezes, com ajuda de Aloísio), Jadson e Rogério Ceni (de pênalti) construíram o placar que permite ao São Paulo perder por até quatro gols de diferença – ou cinco, desde que também marque – daqui a uma semana, em La Paz, para passar da fase preliminar da Copa Libertadores.

A equipe tricolor voltou à competição continental depois de ter ficado ausente desde 2010, ano em que foi eliminada na semifinal pelo Internacional. Diferentemente das outras 15 campanhas, ainda luta para chegar à fase de grupos e se juntar a Atlético-MG, The Strongest-BOL e Arsenal-ARG na terceira chave.

Artilheiro na edição 2004 – a única que disputou –, com oito gols, Luis Fabiano larga na frente novamente. Após Osvaldo ter iniciado a contagem nesta quarta-feira, ele mostrou o faro habitual ao vazar o goleiro Arguello em duas oportunidades, ambas na primeira etapa, dando apenas um toque na bola. Destaque ainda para Osvaldo e Aloísio, que tiveram participações decisivas na goleada.

Tricampeão, São Paulo recebe Bolívar para tentar redescobrir América

Gazeta Esportiva

ney-franco-tecnico-do-sao-paulo-entra-em-campo-e-se-dirige-ao-banco-antes-da-partida-contra-o-inter-1346895529856_300x300

Não é o São Paulo que voltará a disputar a Libertadores, é a Libertadores que voltará a ser disputada. A frase que fechou as comemorações da temporada passada prova a falta que o principal torneio sul-americano fez ao clube tricampeão nos últimos dois anos. Às 22 horas (de Brasília) desta quarta-feira, a equipe recebe o Bolívar, no Morumbi, para começar a redescobrir como é libertar a América.

Vencedor em 1992, 1993 e 2005, anos em que depois também foi campeão no Japão, o time jogou a competição pela última vez em 2010, edição na qual acabou eliminado na semifinal pelo Internacional. A diferença em relação a todas as 15 participações anteriores é que, agora, a estreia será na fase preliminar, em mata-mata que definirá uma vaga no grupo 3, de Atlético-MG, The Strongest-BOL e Arsenal-ARG.

Um vacilo pode custar a classificação e repetir vexame vivido em 2011 pelo rival Corinthians ao cair para o inexpressivo Deportes Tolima, da Colômbia. O técnico Ney Franco sabe disso e reconhece a obrigação de passar pelo Bolívar, cujo ápice foi alcançar a semifinal, em 1986.

A postura do Bolívar no Morumbi é uma incógnita. Mas, na Libertadores de 2012, depois de derrotar o Santos de Neymar em La Paz, a equipe boliviana foi humilhada na Vila Belmiro, perdendo por 8 a 0. Desta vez, a altitude de sua cidade será trunfo para a partida de volta, o que leva a crer que não deve se lançar muito ao ataque para poder decidir a vaga em casa.

Acertado com Botafogo, Bolívar fala em novo ciclo de títulos

Terra

get

Capitão do Internacional na conquista da Copa Libertadores em 2010, o zagueiro Bolívar está acertado com o Botafogo e se mostra motivado para começar um novo ciclo vitorioso na carreira dele. Aos 32 anos, o defensor vê no horizonte alvinegro a possibilidade de reencontrar a felicidade trilhando novamente o caminho dos títulos.

“Eu estava há nove anos no Internacional e havia ganho quase tudo. Além disso, a pressão da torcida estava muito forte para determinados jogadores e tive um desentendimento com o Fernandão (técnico do time em 2012). Isso tudo acabou prejudicando um pouco. Como tenho uma boa relação com a diretoria, busquei uma saída amigável e falei que meu ciclo estava se encerrando, saindo sem problemas. Eu ainda tinha mais um ano de contrato, mas era a hora de começar um novo ciclo. Espero que possa ser já pelo Botafogo”, disse Bolívar, à Rádio Brasil.

Em novembro do ano passado, em jogo contra Corinthians, Fernandão e Bolívar tiveram um ruído público. O zagueiro inicialmente não estava entre os relacionados do Inter para o duelo, mas foi convocado de última hora e alegou não ter conseguido se juntar aos companheiros por ter viajado para tratar de assunto particular. Por sua vez, o técnico Fernandão afirmou que Bolívar se recusou a ir para a concentração pelo fato de ser apenas para ficar na reserva.

No Botafogo, Bolívar terá como técnico Oswaldo de Oliveira, profissional que tem uma avaliação positiva do zagueiro. “Tive informações sobre o Oswaldo com o Kleber, que trabalhou com o treinador no Corinthians. Ele me falou muitas coisas boas do Oswaldo, disse que é um cara do bem, que sabe muito de futebol. Mesmo sem eu conhecer o Oswaldo, percebo só pelo semblante dele que é um profissional que ajuda muito os jogadores e sempre está ao lado”, comentou Bolívar, que também fez elogios a Antônio Carlos, zagueiro titular do Botafogo e com quem já planeja fazer dupla de sucesso:

Santos 8 x 0 Bolivar: Veja todos os gols

Youtube

Santos massacra Bolívar na Vila e avança às quartas de final

R7

Em uma noite de gala, o Santos registrou uma sonora goleada para cima do Bolívar (Bolívia), de 8 a 0, nesta quinta-feira, na Vila Belmiro. Com cinco gols só no primeiro tempo, o Peixe construiu a sua vitória com gols de Elano (2), Neymar (2), Paulo Henrique Ganso (2), Alan Kardec e Borges. O triunfo levou os santistas às quartas de final da Copa Libertadores da América.

Com a goleada registrada diante de La Academia, o Alvinegro Praiano encara na próxima fase o Vélez Sarsfield, com o primeiro embate em Buenos Aires e o segundo em casa. Antes disso, o time decide o título paulista, contra o Guarani, no próximo domingo, no Morumbi, e pode perder por até dois gols de diferença que será campeão estadual pela terceira vez consecutiva.

Santos não suporta altitude e perde do Bolívar com dois de falta

R7

Jogando em casa e com a altitude de 3.660 metros de La Paz a seu favor, o Bolívar (Bolívia) venceu o Santos, por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, no Estádio Hernando Siles.

La Academia ganhou com dois gols de falta, marcados por Campos, com Maranhão descontando para o Peixe, no duelo de ida das oitavas de final da Copa Libertadores da América.

Agora, os alvinegros recebem os bolivianos no confronto de volta no dia 10 de maio, na Vila Belmiro ou no Pacaembu – a direção santista ainda não decidiu em qual estádio irá exercer o seu mando de campo.

/>



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia