WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

junho 2019
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  



drupal counter

:: ‘CAMPINENSE’

Na visão de Lira, Flu de Feira jogou melhor que o Campinense, mesmo com um a menos

Bahia Notícias

IMAGEM_NOTICIA_5

O Fluminense de Feira sofreu uma derrota por 3 a 1 para o Campinense-PB, pela quarta rodada da Série D, no último domingo (3). Na visão do treinador Arnaldo Lira, a expulsão do goleiro Jair atrapalhou, mas o Touro dominou as ações no segundo tempo, mesmo com 10 jogadores.

“Temos que ver os erros e corrigi-los. Não fomos bem no primeiro tempo, fomos prejudicados com a saída do Jair, que foi expulso e, no segundo tempo, mesmo com um homem a menos, fomos melhores. Infelizmente, o resultado não veio, paciência. Temos que trabalhar esta semana porque já temos outra batalha diante do Murici”, comentou.

No grupo A9, o Flu de Feira ainda lidera, com sete pontos. O próximo adversário é o Murici-AL, segundo colocado, neste domingo (10), às 16h. Quem vencer, lidera o a chave.

Cruzeiro flerta com zebra, mas bate Campinense e classifica

Terra

cruzeiroarrascaetadanielteobaldofp

Nesta quinta-feira, o Cruzeiro chegou a flertar com a “zebra” no Mineirão, mas, mesmo jogando mal, venceu a equipe mista do Campinense por 3 a 2, no Mineirão, garantindo vaga na próxima fase da Copa do Brasil, quando pegará o Londrina. A classificação, contudo, não impediu que a torcida protestasse após o término da partida.

Na primeira partida sem o técnico Deivid, demitido há pouco mais de uma semana, o Cruzeiro mostrou pouca evolução e seguiu sofrendo com os mesmos problemas apresentados quando comandado pelo ex-treinador. Apesar de sair na frente no placar, o time celeste repetiu a inoperância ofensiva de partidas anteriores, irritando a torcida com trocas de passes infrutíferas e poucas finalizações a gol. O futebol burocrático do Cruzeiro acabou propiciando o gol de empate do Campinense, no final do primeiro tempo, o que deixou a equipe mista com uma surpreendente classificação no intervalo.

Muito pressionado na etapa complementar, o Cruzeiro conseguiu o segundo gol logo nos primeiros minutos, porém o futebol ruim da equipe permaneceu, gerando fortes vaias da torcida. Apesar de não mostrar um bom desempenho em campo, o time celeste confirmou a vitória com Willian, amenizando as críticas das arquibancadas. No final, o Campinense ainda diminuiu, porém, apesar de certo sufoco, a Raposa mineira conseguiu segurar a classificação.

13010866_763527323749434_1887758628180687307_n

Com gol nos acréscimos, Santa Cruz vence Campinense e sai na frente na final do Nordestão

Diário de Pernambuco

20160428000254347235u

Foi sofrido. Foi só no fim do jogo que o Santa Cruz conseguiu a vantagem para o “segundo tempo” da final da Copa do Nordeste. Em noite de grande público no Arruda, o Tricolor bateu o Campinense por 2 a 1 nesta quarta-feira e pode empatar no próximo domingo, em Campina Grande, para se sagrar campeão inédito do torneio regional. Após Grafite ter aberto o placar na etapa inicial e a Raposa ter empatado depois do intervalo, foi o “General” Bruno Moraes que saiu da reserva para decretar a vitória, aos 46.

Posta à beira do campo antes do começo da final, a taça da Copa do Nordeste dava aos jogadores que entravam em campo, de imediato, a noção da magnitude do jogo. A peça recebia olhares fixados de tricolores e rubro-negros e parecia reluzir a vontade deles de sair com alguma vantagem neste primeiro duelo da decisão. Mas foi o Campinense que iniciou mais aceso na busca deste objetivo. Mesmo com um Arruda lotado, os visitantes não se intimidaram com a pressão. Organizados taticamente, tiveram oportunidade até ter aberto o placar com Felipe Ramon.

Sem o treinador Milton Mendes no banco de reservas, que cumpre suspensão automática por expulsão, o Santa Cruz só aos poucos foi entrando na defesa do adversário, embora a troca de passes ainda não saísse com a primazia de outrora. Logo depois da melhor jogada do time (um cruzamento de Leandrinho não completado por ninguém), o Tricolor chegou ao primeiro gol. Aproveitou-se de um escanteio batido pelo mesmo Leandrinho e Grafite encontrou o caminho das redes, de cabeça, aos 29 da etapa inicial. Fez-se festa no Arruda.

No Arruda, Santa Cruz e Campinense começam a decidir Copa do Nordeste

Terra

20160426153853513087o

Santa Cruz e Campinense fazem, nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), o primeiro jogo da final da Copa do Nordeste, no estádio Arruda, em Recife. Os pernambucanos buscam o primeiro título da competição, enquanto os paraibanos levaram a primeira edição no novo formato, em 2013, batendo o ASA na final.

O Tricolor, comandado por Milton Mendes, está também na decisão do estadual, diante do Sport, após eliminar o Náutico no último domingo. Enquanto isso, a Raposa venceu o Treze e garantiu lugar nas semifinais do torneio da Paraíba. Assim, ambas equipes têm outros objetivos. Mesmo assim, o título regional vale muito para os times.

A torcida do Santa Cruz, sempre muito presente no Arruda, já deu mostras de que fará uma grande festa. Até a tarde do dia anterior ao jogo, mais de 20 mil ingressos haviam sido vendidos. O técnico Milton Mendes exaltou o poder dos fãs do clube. “Sonhava em ver o Arruda lotado”, afirmou, após a classificação no Pernambucano.

O Campinense, por sua vez, espera eliminar mais um time do estado vizinho. Na semifinal, tirou o Sport, nos pênaltis. O atacante Rodrigão é o destaque da equipe, sendo o artilheiro da Copa do Nordeste, com oito gols.

Cruzeiro fica no 0 a 0 com o Campinense

Ogol

imgS620I173616T20160421035424

O Cruzeiro estreou sem brilho na Copa do Brasil. No estádio Amigão, em Campina Grande, o clube celeste ficou no 0 a 0 com o Campinense.

Apesar de jogar em casa, o Campinense não deu muito valor ao jogo. Em meio a partidas decisivas na temporada pelo Paraibano e pela Copa do Nordeste, o time local preferiu escalar uma equipe mista, poupando titulares.

Mesmo contra reservas, o Cruzeiro não conseguiu impor seu jogo. Ainda viu Magno acertar bola no travessão em chute de longe pouco antes do intervalo.

No início do segundo tempo, o time mineiro perdeu Léo expulso. Élber e Lucas Romero ainda tiveram chances de colocar o Cruzeiro, com 10 em campo, em vantagem, porém o 0 a 0 persistiu até o final.

Glédson supera trauma de 2015 e leva o Campinense à final do Nordestão

Globo Esportes

dsc_0316_LBeaVWU

Quando o árbitro apitou o final do jogo e Campinense e Sport se encaminharam para a disputa de pênaltis, na tarde deste domingo, pela semifinal da Copa do Nordeste, um filme passou pela cabeça do goleiro Glédson, do Rubro-Negro paraibano. O camisa 1 raposeiro lembrou das oitavas de final da Série D de 2015. Do dia em que, também nas cobranças de pênaltis, a Raposa foi eliminada do Operário diante de um Estádio Amigão tão lotado quanto hoje, e acabou sendo eliminado.

Desta vez, contudo, a história foi diferente. E o Campinense, de forma guerreira, acabaria passando pelo Sport. Depois do placar de 1 a 0 no tempo normal, 3 a 1 nos pênaltis. Com um pênalti defendido por Glédson e outros dois chutes do Leão jogados para fora.

Após a classificação, com a vaga na final garantida, o goleiro confirmou que o seu pensamento entre o apito final e o início das penalidades foi mesmo o de não deixar se repetir o mesmo roteiro do ano passado e desta vez poder dar alegria ao torcedor do Campinense.

– Eu pensei justamente nesta situação. E pensei em tudo aquilo que a gente fez na Copa do Nordeste. Lutamos e batalhamos demais para chegar até aqui e eu não teria como a gente ser eliminado assim. Seria muito injusto. Mas a gente conseguiu. Foi uma honra para mim defender um pênalti, defender esse escudo. Nós vamos agora tentar dar mais este passo, dar mais esta alegria ao torcedor do Campinense, que é esse bicampeonato do Nordeste – disse Glédson.

13010866_763527323749434_1887758628180687307_n

Sport joga mal, mas com gol de Durval aos 50 minutos do 2º tempo vence o Campinense

Diário de Pernambuco

20160415001928324773o

O cenário estava montado. Nesta quinta-feira, pouco mais de 23 mil rubro-negros compareceram no maior público do ano em Pernambuco e incentivaram o time antes mesmo da partida, fazendo uma bela recepção ao ônibus do time, com a “avenida rubro-negra”. Em campo, porém, o Sport demorou a corresponder a todo esse apoio. Com um futebol pobre durante todo o jogo, foi preciso apelar para a mística. Que dessa vez atendeu pelo nome de Durval. Com um gol aos 50 minutos do segundo tempo, o Leão venceu o Campinense por 1 a 0 na partida de ida das semifinais da Copa do Nordeste e com isso joga por um empate no jogo de volta, em Campina Grande, no próximo domingo. Ou mesmo uma derrota por um gol de diferença, desde que também marque.

Com a Ilha do Retiro vestida de “La Bombonilha”, o Sport começou a partida como se esperava: procurando sufocar o Campinense. No entanto, para que a pressão fosse efetiva, era preciso saber como funcionaria o quarteto ofensivo formado por Diego Souza, Mark González, Lenis e Vinícius Araújo, que pela primeira vez na temporada atuava junto. Nos primeiros 45 minutos, porém, os quatro não se entenderam como deveriam.

Apesar de ter a maior posse de bola, o Sport jogava com suas linhas espaçadas, com um buraco entre ataque e defesa e lentidão na saída de bola, o que acarretou em um grande volume de passes errados. Principalmente do volante Serginho, que não deveria ser o homem a fazer essa transição. Mas por muitas vezes foi.

Salgueiro joga mal e não resiste ao Campinense, que vence por 2 a 0 na Copa do Nordeste

Superesportes

20160331232141278527i

Dificilmente o Sertão pernambucano terá um representante nas semifinais da Copa do Nordeste. Última esperança da região no torneio, o Salgueiro sofreu uma derrota enfática de 2 a 0 para o Campinense.

Com o resultado conquistado fora de casa, o Campinense garante uma vaga na semifinal da Copa do Nordeste podendo perder por até um gol de diferença no confronto de volta.

Para avançar, o Salgueiro precisa da vitória por dois gols de diferença. Se devolver o placar, a partida vai para os pênaltis. A decisão entre Raposa e Carcará será no próximo domingo (3), às 19h, no Amigão, em Campina Grande.

Bahia vence o Campinense na estreia da Copa do Nordeste

Bahia Notícias

xIMAGEM_BAHIA_5.jpg.pagespeed.ic.-kHCs_Vd7T

O Bahia recebeu o Campinense na noite desta quarta-feira (4) na Arena Fonte Nova, na estreia da Copa do Nordeste 2015. O tricolor venceu o jogo pelo placar de 1 a 0, gol do atacante Kieza.

O Bahia volta a campo no próximo sábado (7) contra a equipe do Jacobina, no estádio Metropolitano de Pituaçu, às 18h30m, pela segunda rodada do Campeonato Baiano 2015. Já o Campinense, joga também no proximo sábado, no Campeonato Paraíbano, contra a equipe do Miramar, às 15h30m.

Outros resultados:
Coruripe 1 x 1 Socorrense
Confiança-SE 1 x 0 Vitória
Sampaio Corrêa 3 x 2 Sport
Ceará 1 x 1 Fortaleza
Hoje
19:00
Serrano x América-RN
19:45
Náutico x Salgueiro
21:45
Globo x CRB
22:00
Piauí x Moto Club

Após derrota no Baiano, Bahia encara Campinense pela Copa do Nordeste

Bahia Notícias

xIMAGEM_BAHIA_5.jpg.pagespeed.ic.qrnGDdgaBg

Depois de um 2014 triste, o torcedor irá reencontrar o tricolor baiano em uma partida oficial no ano de 2015. Bahia e Campinense se enfrentam nesta quarta-feira (4), às 19h, na Arena Fonte Nova pela 1ª rodada da Copa do Nordeste. No novo modelo da Copa, o Bahia não passou da primeira fase, enquanto o Campinense figura na lista dos campeões, junto com o Sport Recife. Bahia e Campinense fazem parte do Grupo E, junto com Globo (RN) e CRB (AL).

O Bahia busca apagar o retrospecto negativo na competição e a estreia ruim no Campeonato Baiano, quando perdeu para o Vitória da Conquista. Para isso, o técnico Sérgio Soares vai promover a estreia do zagueiro Thales e o retorno do meia Rômulo, que começou a última partida no banco de reservas.

O Campinense do técnico Francisco Diá terá os desfalques do atacante Reginaldo Júnior e do lateral Jefferson Recife. A provável escalação do time paraibano para o confronto: Marcão, Paulinho, Joécio, Rodrigão e Luiz Fernando; Negretti, Michel, Leandro e Sandrinho; William e Felipe Alves. A raposa da Paraíba também conta com duas novas contratações: a do meia Gabriel Pimba e a do lateral Edy. Pimba já está regularizado e estará no banco de reservas, enquanto Edy aguarda a confirmação do seu nome no Boletim Informativo Diário (BID).

A partida será apitada por Eduardo de Santana Nunes (SE), auxiliado por Vaneide Vieira de Gois (SE) e Daniel Vidal Pimentel (SE).

Renato Abreu faz dois gols de falta e dá vitória ao Fla sobre o Campinense

Globo Esportes

renatoabreu_flamengo_vip.jpg_95

A escalação titular que Jorginho encontrou há três jogos segue com 100% de aproveitamento. Muito com a ajuda de Renato Abreu. Com dois gols de falta – agora já são 25 desta forma pelo clube -, o apoiador voltou a ser decisivo, e o Flamengo venceu o Campinense por 2 a 1, de virada, pela segunda fase da Copa do Brasil. Na noite desta quarta-feira em Campina Grande, na Paraíba, a bola parada foi a arma do Rubro-Negro carioca contra o time que foi campeão da Copa do Nordeste sem ser vazado em casa. Mesmo maioria no estádio Amigão, os rubro-negros paraibanos foram da euforia, com o gol de Jeferson Maranhense logo no início, ao silêncio. O resultado, porém, não elimina o jogo de volta no Rio de Janeiro, com possibilidade de ser no Maracanã, dia 15 de maio.

– Infelizmente não conseguimos a classificação. Mas a vitória está de bom tamanho – avaliou o meia Gabriel, atual camisa 10 da Gávea.

Eliminado do Campeonato Carioca, o Flamengo aguarda a próxima partida da Copa do Brasil, quando jogará pelo empate para passar de fase. Até a derrota por 1 a 0 basta. Se o placar se repetir a favor do adversário, a decisão vai para os pênaltis. O Campinense, classificado como “osso duro de roer” pelo técnico Jorginho, precisará da vitória por dois gols de diferença – ou por um de vantagem, desde que marque três ou mais fora de casa. Antes disso, o time paraibano volta as suas atenções para o estadual. Líder isolado do segundo turno, a equipe recebe neste domingo o Sousa, no Amigão.

naturagua

Em alta, Campinense encara o Flamengo, que busca afirmação

Globo Esportes

img_805

Duelo de rubro-negros na Paraíba. De um lado, o Campinense, que promete ter maioria nas arquibancadas e chega ao fim de abril embalado por já ter gritado campeão, na Copa do Nordeste, tendo superado rivais do nível de Sport, Santa Cruz e Fortaleza. Do outro, o Flamengo, ainda busca afirmação diante de uma nova filosofia e vê na Copa do Brasil uma chance de ouro para se destacar na temporada. As definições podem não condizer com a história dos clubes, mas é nesse panorama que paraibanos e cariocas começam a decidir, nesta quarta, às 21h50m (de Brasília), no Amigão, em Campina Grande, uma vaga na terceira fase da Copa do Brasil.

Após eliminar o Remo na primeira fase, o Flamengo chega à Paraíba de moral elevado pelo simples fato de, enfim, ter encontrado uma equipe titular. Depois de testar 20 jogadores em seis jogos, Jorginho repetirá a escalação que venceu os paraenses, por 3 a 0, e o Fluminense, por 3 a 1. Pela frente, porém, os cariocas sabem que não terão moleza. Classificado como “osso duro de roer” pelo técnico Jorginho, o Campinense entra em campo para mostrar que a dificuldade para despachar o Sampaio Corrêa foi um ponto fora da curva em uma temporada que começou de forma avassaladora.

Uma vitória por dois ou mais gols de diferença garante ao Flamengo a vaga direta para enfrentar Asa de Arapiraca ou Ceará na terceira fase. Qualquer outro resultado leva a definição da vaga para o Rio de Janeiro. Com data ainda indefinida, a partida deve ser disputada no dia 15. Ao menos de acordo com desejo do Rubro-Negro carioca e da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, o palco deve ser o Maracanã.

O Campinense, por sua vez, entra em campo em lua de mel com a sua torcida. Depois de conquistar a Copa do Nordeste, o time manteve o embalo na disputa do Campeonato Paraibano e hoje lidera a segunda fase da competição, com 22 pontos.





WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia