WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
PMVC

outubro 2019
D S T Q Q S S
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  



drupal counter

:: ‘Furacão’

Com bonito gol, Furacão elimina o Fla e faz final da Liga com Fluminense

Globo Esportes

943989_1125109974177654_1979354484591093702_n

No duelo de rubro-negros em Juiz de Fora, deu Furacão. Diante de 12 mil torcedores no estádio Mário Helênio, o Atlético-PR bateu o Flamengo – 1 a 0 em bonito gol de Marcos Guilherme de fora da área – e desbancou o time de melhor campanha da Primeira Liga. De quebra, os paranaenses ainda igualaram o número de vitórias com os cariocas – 22 para cada lado – e se vingaram da derrota na final da Copa do Brasil de 2013. Os paranaenses vão fazer a final do campeonato com o Fluminense, que bateu o Internacional nos pênaltis também nesta quarta. Eliminado, o Fla de Muricy agora só tem o Carioca e a Copa do Brasil no primeiro semestre. A decisão da Liga está marcada para o dia 7 de abril, às 21h45, ainda em local indefinido.

Com quarteto ofensivo renovado – além de Guerrero na seleção, Muricy poupou Sheik e Cirino, colocando Alan Patrick, Everton, Gabriel e Felipe Vizeu na frente -, o Flamengo foi com tudo para cima do Atlético-PR. Nos primeiros 20 minutos, foram quatro finalizações – Arão em chute de fora da área e Juan ameaçaram o gol de Weverton. A melhor chance foi após jogada trabalhada da direita para a esquerda. Jorge cruzou e Everton cabeceou no canto para boa defesa do goleiro atleticano. Os paranaenses chegaram poucas vezes, mas sem perigo – em duas oportunidades em chutes de longa distância de Walter.

Os papeis se inverteram na segunda etapa. O Furacão jogou o Flamengo para trás e foi ganhando terreno com bolas paradas. De Nikão de falta a Paulo André de cabeça no córner até o chutaço de Walter para boa defesa de Paulo Victor, os paranaenses criaram mais em poucos minutos do que em todo o primeiro tempo. Na sequência do lance do atacante atleticano, Marcos Guilherme dominou sozinho na entrada da área, ajeitou e fuzilou: 1 a 0 para o Atlético-PR.

Para buscar o placar, o técnico Muricy Ramalho fez três substituições – Sheik, no intervalo, Cirino e Ederson entraram. Cirino perdeu chance chutando por cima, após boa jogada. No fim da partida, outra grande jogada de Marcos Guilherme poderia ter matado a partida, mas André Lima perdeu. Ederson ainda tentou da cabeça, mas Weverton defendeu à queima-roupa. Num dos últimos lances do jogo, Paulo Victor salvou em dois tempos o Flamengo.

Pelos estaduais, os times voltam a campo no fim de semana. Pelo Carioca, em Volta Redonda, o Flamengo enfrenta os donos da casa, às 18h30, no próximo sábado. O Furacão visita o Toledo, no domingo, às 16h.

Furacão vai com vantagem e inteligência encarar o Luqueño

Gazeta Esportiva

38887_14458903160_thumb-5-3

Com a vantagem de poder empatar no jogo de volta das quartas de final da Copa Sul-americana, o Atlético Paranaense vai a Luque, no Paraguai, encarar o Sportivo Luqueño, às 20 horas (de Brasília), no Estádio Feliciano Cáceres. No jogo de ida, na Arena da Baixada, 1 a 0 para o Furacão, que joga todas suas fichas na competição continental para chegar à Libertadores da América e salvar a temporada.

A semana foi de muita provocação entre os torcedores, algumas inclusive de cunho racista, o que deve deixar o clima tenso para o jogo. Entretanto, pelo lado rubro-negro, o reencontro com a vistorias, inclusive no Campeonato Brasileiro, e do atacante Walter com as redes dá uma motivação extra, um indicio de que a equipe pode novamente embalar em um momento decisivo.

Para escalar o Atlético, o técnico Cristóvão Borges terá apenas um desfalque. O volante Deivid continua se recuperando de dores no joelho e está fora da partida. Com isso, a tendência é repetir o time que bateu o Fluminense no final de semana. Porém, caso queira fechar um pouco mais o meio-campo, Hernani poderia entrar na vaga de Bruno Mota. A definição, no entanto, só será revelada momentos antes da partida.

Quem está garantido e em alta é o português Bruno Pereirinha, que prevê um jogo duro, mas que pode ser decidido com inteligência. “Vai ser um jogo muito disputado lá no Paraguai. Eles têm um time muito aguerrido, mas queremos repetir o resultado da primeira partida. Teremos que jogar com a cabeça, organização e, acima de tudo, com determinação”, avaliou.

Para os donos da casa o confronto também é a esperança para apagar a má campanha do time no campeonato local. Apesar de estar em desvantagem, a derrota por apenas um gol em Curitiba chegou a ser comemorada pelo torcedor, que acredita ser totalmente possível reverter em Luque. O gol atleticano, aliás, foi alvo de muita reclamação por conta de uma cotovelada de Walter no lance de origem da jogada e serviu de motivador para o grupo paraguaio durante a semana.

Furacão vence primeiro confronto diante do Luqueño e quebra jejum

Gazeta Esportiva

Furacão

No primeiro confronto das quartas de final da copa Sul-americana entre Atlético Paranaense e Sportivo Luqueño, do Paraguai, o Rubro-Negro fez valer o fator casa e, quebrando uma sequência ruim de resultados pelo Brasileirão, bateu o adversário por 1 a 0, na Arena da Baixada.

Com isso, os brasileiros levarão para a segunda partida a vantagem de poder empatar e seguir na competição.

Com o resultado, o Furacão joga pelo empate, na próxima quarta-feira, no Paraguai, para garantir a vaga para as semifinais da competição.

BANNER_500x100

Furacão confirma vantagem e elimina o Joinville na Copa Sul-americana

Gazeta Esportiva

cap-1024x661

Com uma vitória tranquila jogando na Arena da Baixada, por 1 a 0, o Atlético Paranaense eliminou o Joinville e segue sua campanha na Copa Sul-americana 2015, competição que elegeu como prioridade neste semestre. No jogo de ida, em Santa Catarina, 2 a 0 para o Furacão, que pegará na próxima fase o Brasília, que eliminou o Goiás.

A vantagem do time da casa que já era boa aumentou ainda mais aos 24 minutos da primeira etapa, quando Nikão disparou com a bola para cima a defesa e tocou para o fundo das redes. Depois do intervalo, bastou administrar e o resultado diante de um adversário visivelmente desinteressado.

A chave agora vira para as duas equipes, que votam as atenções para o Campeonato Brasileiro. O Atlético Paranaense enfrenta o Goiás, domingo, na Arena da Baixada. Já o Joinville encara no mesmo dia o Palmeiras, no Allianz Parque, em São Paulo.

Furacão faz dois no Joinville e leva vantagem para o segundo jogo

Gazeta Esportiva

Atlético-PR

O Atlético Paranaense estreou bem na Copa Sul-americana 2015 e bateu o Joinville por 2 a 0, na Arena Joinville, em Santa Catarina, mesmo sem fazer uma grande apresentação. As duas equipes voltam a se encontrar na próxima quinta-feira, na Arena da Baixada, com vantagem do Furacão.

Depois de 42 minutos tecnicamente fracos, Hernández e Eduardo fizeram a jogada antes do levantamento para Walter, que se jogou para tocar com o pé para o fundo das redes para abrir o placar. Após o intervalo, aos 25 minutos, Nikão levantou na área e Douglas Coutinho subiu na área para testar para o fundo das redes e fechar o placar.

Agora os times voltam suas atenções para o Campeonato Brasileiro. O Atlético Paranaense terá pela frente o Internacional, domingo, no Beira-Rio. Já o Joinville recebe no mesmo dia o Fluminense, em sua luta contra a zona de rebaixamento.

Furacão reencontra a torcida e quer reverter vantagem do América-RN

Gazeta Esportiva

t_126113_furacao-recebe-o-alvirrubro-de-natal-na-reabertura-dos-portoes-da-arena-da-baixada

Com uma missão complicada pela frente, mas contando com uma ajuda extra das arquibancadas, o Atlético Paranaense recebe o América-RN nesta quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil, na reabertura da Arena da Baixada para a torcida rubro-negra. No primeiro confronto, vitória potiguar por 3 a 0. O placar dá aos visitantes a vantagem que vai do empate à derrota por dois gols de diferença, para seguirem na competição.

Após dois anos e nove meses afastados, a torcida rubro-negra e a Arena, o time e a torcida, que sempre foram uma combinação temida por adversários, finalmente se reencontram. A última partida oficial com portões abertos disputada na Baixada aconteceu na rodada final do Campeonato Brasileiro de 2011. Entretanto, este recomeço de relacionamento promete ter ares de drama, já que não será nada fácil reverter a vantagem adversária.

Se na Série B do Campeonato Brasileiro o Mecão não anda bem, pela Copa do Brasil é a grande sensação. Após eliminar o Fluminense de forma impressionante, o América abriu ótima vantagem em Natal e chega à Curitiba confiante na confirmação da vaga para as quartas. O meia Arthur Maia se recuperou de uma lesão no pé e volta a ficar à disposição do técnico Oliveira Canindé. Jean Cléber, recuperado de uma fratura no braço direito, também está convocado. A grande novidade, porém, será a presença do atacante Max, perdoado pela comissão técnica após agredir o companheiro Rodrigo Pimpão, no último sábado, na derrota diante do Paraná Clube.

Fla e Furacão misturam passado vermelho e preto em final inédita

Globo Esportes

atletico-pr_flamengo_vip_15

A mistura do vermelho e do preto na final da Copa do Brasil remete a um passado que oscila entre a coincidência e a inspiração. Se hoje os tons são o que resta de união entre Flamengo e Atlético-PR, o passado mostra clubes quase gêmeos em seus principais símbolos: as cores, a camisa e o escudo. O Furacão nasceu em 1924, quase três décadas depois do Flamengo, que já se consolidava como principal Rubro-Negro do país – até por ser da cidade que na época era a capital brasileira. Seria até natural que os paranaenses tivessem os cariocas como norte. Mas a história do Atlético rejeita essa hipótese.

O campeão brasileiro de 2001 surgiu da fusão de outras duas equipes, o América e o Internacional, ambos cansados de ver o Britânia ser campeão – clube que também nascera de uma junção, entre Leão e Tigre. As cores a serem usadas no uniforme renderam muito debate entre os dirigentes na época. Cada um puxava a sardinha para seu lado. O América era vermelho e preto; o Internacional, preto e branco. Com o negro em comum, a decisão caiu sobre o rubro. Nascia o Rubro-Negro paranaense.

Nessa época, o Flamengo já usava o uniforme com listras horizontais, depois de experimentar os modelos “papagaio de vintém”, com quatro quadrados em vermelho e preto, e “cobra coral”, listrado também em branco – além de seu primeiro traje, azul e ouro, logo abandonado pela dificuldade de se encontrar tecido nesses tons. E já havia excursionado pelo Paraná. Em 1914, por exemplo, enfrentou justamente o Internacional. Venceu por 7 a 1 – também aplicou 15 a 0 no Paranaguá e 9 a 1 na seleção de Curitiba.

Coincidência ou não, o Atlético adotou uniforme no mesmo estilo do usado pelo time carioca. Décadas depois, pairam dúvidas sobre a inspiração ou não no Flamengo. É possível encontrar, circulando pela internet, publicações antigas que chegam a tratar as cores como uma homenagem ao clube carioca. A versão costuma ser rechaçada pelos atleticanos.

– Isso não procede. São as cores do América e do Internacional e também da escola de samba do presidente da época – diz Heriberto Ivan Machado, historiador de Atlético-PR, com livros publicados sobre o clube.

É interessante observar que não eram apenas as cores e o desenho da camisa que uniam os dois clubes. O escudo também era muito parecido. Até os primeiros anos da década de 40, o Atlético-PR usou um distintivo nos mesmos moldes do símbolo flamenguista mais tradicional, com listras em vermelho e preto e três letras entrelaçadas no canto superior direito dele. Aí um jogador campeão com o Furacão em 1945, Lolô Cornelsen, resolveu mudar o escudo, conforme ele mesmo contou ao GLOBOESPORTE.COM em reportagem publicada na segunda-feira.

– O clube tinha um escudo igualzinho ao do Flamengo. Era igualzinho. E eu também era flamenguista. Mas aquilo confundia muito. Aí desenhei um CAP com as letras parecidas com as do Flamengo, mas com um escudo redondo, porque não encaixava aquele CAP num escudo igual ao do Flamengo. Fiz redondo, e segue até hoje – contou o ex-jogador, que depois virou um arquiteto e engenheiro de renome mundial.

Furacão x Fla: final da Copa do Brasil começa com duelo de goleadores

Globo Esportes

ederson-hernane

Atlético-PR e Flamengo começam a decidir a Copa do Brasil nesta quarta-feira, às 21h50m (de Brasília), no estádio Durival Britto, em Curitiba, em um duelo marcado pelo encontro de dois dos atacantes mais eficientes do Brasil no momento. O Furacão busca uma conquista inédita e aposta nos gols de Éderson, enquanto o Rubro-Negro carioca coloca nos pés de Hernane, o Brocador, suas esperanças pelo terceiro título da competição. A partida de volta acontece na próxima quarta-feira, no Maracanã.

Éderson tem 24 anos, e chegou ao Atlético-PR com 18, depois de se destacar no Ceará. No entanto, só depois de um tempo emprestado ao próprio time cearense retornou ao time paranaense, e vem tendo sua primeira grande temporada. É artilheiro do Brasileiro com 17 gols, e um dos seus concorrentes na disputa é justamente Hernane, de 27 anos, que já balançou as redes 14 vezes na competição, não antes de ganhar na marra sua posição de titular, em uma vaga para qual o Flamengo foi buscar Marcelo Moreno. Na Copa do Brasil, a vantagem é do centroavante do time carioca, que anotou sete gols contra quatro do rival.

Hernane também supera Ederson na artilharia geral do ano. Com os 12 gols marcados no Estadual, o Brocador chega a 33 na temporada, contra 21 do atleticano. Apenas quatro das 48 partidas disputadas na História entre as duas equipes acabaram em 0 a 0. Com os dois em campo, é pouco provável que isso aconteça.

O Atlético-PR aposta no mando de campo para abrir vantagem na decisão. O time será recepcionado por uma “rua de fogo”, e, a torcida vai levar quatro mil caveiras para apoiar o Rubro-Negro paranaense. Além disso, a expectativa é de recorde de público na Vila Capanema em 2013 – já que os sócios do Furacão esgotaram todos os cerca de 16 mil lugares para a partida. Pelo lado do Flamengo, serão 1.700 torcedores tentando fazer a diferença. E o time da Gávea vai precisar de apoio. No histórico de 28 partidas entre os times em Curitiba, são 15 vitórias do Furacão, seis do Flamengo e sete empates. Nos últimos 15, o cenário é ainda mais favorável ao time da casa (dez vitórias, quatro empates e apenas uma derrota). Essa vitória do Fla aconteceu exatamente na última vez que os dois jogaram em Curitiba: 1 a 0 pela Copa Sul-Americana, em agosto de 2011, gol de Ronaldinho Gaúcho.

unimarc-modelo-4

Furacão vence o Grêmio e leva vantagem para decidir vaga inédita

Gazeta Esportiva

t_99312_dupla-de-ataque-escalada-por-vagner-mancini-com-ederson-e-dellatorre-funcionou-ja-no-primeiro-tempo

Com a Vila Capanema lotada, o Atlético Paranaense bateu o Grêmio por 1 a 0 na primeira partida das semifinais da Copa do Brasil 2013. Com o resultado, o Rubro-Negro leva a vantagem do empate para o segundo embate, que pode valer uma classificação inédita para o final da competição.

O Furacão abriu o placar aos 36 minutos, com Dellatorre, que testou se chances para Dida após cruzamento na medida de Léo. No segundo tempo, o time da casa manteve o domínio das ações, mas não conseguiu ampliar a contagem. Do outro lado, o Tricolor segurou o resultado, confiando em uma virada.

As equipes voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, dia 6 de novembro, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre. Antes, as atenções se voltam para a rodada do final de semana pelo Campeonato Brasileiro.

Furacão vence Atlético-MG e tira invencibilidade do Galo no Horto

Gazeta Esportiva

juninhojosuepaulofonsecafp

Atlético-MG e Furacão fizeram um duelo morno nesta quarta-feira, no estádio Independência, bem diferente dos últimos jogos do Galo, que viveu fortes emoções na disputa da Copa Libertadores. O futebol abaixo do esperado da equipe mineira resultou no primeiro revés do Galo no Horto desde a reabertura, acabando com a invencibilidade alvinegra. Triunfo paranaense por 2 a 1, de virada.

O primeiro gol do jogo foi anotado pelo garoto Bernard, que na comemoração tirou a camisa, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Após a saída do jogador, o Furacão foi para frente do Atlético-MG e conseguiu a virada com gols de Everton e Ederson, após os 40 minutos do segundo tempo.

O jogo desta quarta-feira pode ter sido o último de Bernard com a camisa do Atlético-MG. O jogador foi ovacionado pela torcida alvinegra na entrada em campo, fato que deixou o atleta visivelmente emocionado. O destino da jóia atleticana deve ser o futebol da Ucrânia, mas o Porto segue na briga para levar o meia-atacante.

Na sequência do Campeonato Brasileiro, o Atlético-MG terá compromisso contra o Flamengo, jogo marcado para o domingo, no estádio Mané Garricha, em Brasília. Já o Furacão vai jogar em casa no mesmo dia, porém, duelando contra o Goiás.

Em jogo de sete gols, Furacão desencanta diante da Macaca

Gazeta Esportiva

05062013---everton-do-atletico-pr-vibra-com-um-dos-gols-marcados-na-vitoria-contra-a-ponte-preta-1370484816026_615x300

Em jogo com cara de decisão, repleto de viradas e alternativas, o Atlético Paranaense desencantou ao bater a Ponte Preta por 4 a 3, com gol nos acréscimos no Estádio Moisés Lucarelli. O resultado tira o Furacão da parte de baixo da classificação do Campeonato Brasileiro 2013 e dá sobrevida ao técnico Ricardo Drubscky.

A equipe campineira abriu o placar aos 23 minutos, em cobrança de falta de Chiquinho, que aproveitou o posicionamento errado de Weverton para surpreender e abrir o placar. Aos 35 minutos, Paulo Baier deixou tudo igual. Na segunda etapa, antes do primeiro minutos, William aproveitou rebote para marcar. Ederson empatou aos 11 minutos e Éverton, aos 18 minutos, virou. Quando parecia tudo resolvido, William, aos 40 minutos, marcou mais um. Mas, aos 47 minutos, Marcão, que havia acabado de entrar, fez o quarto.

Na próxima rodada, a Ponte Preta recebe o Botafogo, sábado, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. Já o Atlético Paranaense terá pela frente o Vitória, domingo, no Estádio Joia da Princesa, em Feira de Santana.

Furacão faz o dever de casa, vence o Avaí e segue firme na luta para subir

Globo Esportes

O Atlético-PR fez o dever de casa na briga pelo acesso à elite nacional. O Furacão venceu o Avaí por 3 a 1 na tarde desta terça-feira, no Ecoestádio Janguito, pela 30ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. O time paranaense, que já tinha vencido Boa Esporte, CRB, Ceará e América-MG, chega à quinta vitória seguida como mandante. Já os catarinenses, que já tinham tropeçado diante de Criciúma, São Caetano, Joinville, América-MG e ASA, perdem o sexto jogo seguido fora.

Com gols de Marcelo, João Paulo e Marcão, o time paranaense chegou aos 55 pontos e subiu para o quarto lugar. Ele, porém, pode ser ultrapassado pelo São Caetano, que recebe o Ceará às 19h30m (horário de Brasília). Já o Avaí, que marcou com o lateral-esquerdo Arlan, com a derrota, permanece no meio da tabela: ele é o sétimo colocado, com 46 pontos.

Na próxima rodada, o Atlético-PR visita o Vitória, às 16h (de Brasília) de sábado, no Estádio Barradão, em Salvador. O Avaí encara o Goiás, às 21h50m de sexta-feira, no Estádio da Ressacada, em Florianópolis.





WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia