WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
pmvc

fevereiro 2019
D S T Q Q S S
« jan    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
2425262728  



drupal counter

:: ‘HUMILHADO’

Europeus citam Brasil deplorável, sem honra e miserável

Terra

02jogobrasilholandaafpevaristosa

A imprensa europeia fechou o caixão brasileiro após a derrota para a Holanda por 3 a 0 na tarde deste sábado, na decisão do terceiro lugar da Copa do Mundo. Depois de dias de críticas e ironias pela humilhante eliminação ao levar 7 a 1 da Alemanha, a queda ao levar dois gols em 16 minutos e sem poder de reação deixou o time em estado deplorável, sem honra, miserável e vivendo um pesadelo.

Os espanhóis pegaram mais pesado. O El País chamou a Seleção de “equipe pesadelo”, citando que “não há consolo nem perdão” para o time e que “a ferida causada pelo 7 a 1 não para de sangar. O Brasil agora é uma equipe fora de moda contra a qual já se atrevem até mesmo os árbitros que, no início da Copa, a reverenciaram”, disse a publicação, uma citação irônica ao suposto favorecimento na primeira fase do Mundial. Neste sábado, a Holanda fez dois gols em lances ilegais.

O El Mundo classificou o Brasil como “sem honra” após uma “despedida deplorável. Foi uma equipe de segunda, um brinquedo nas mãos de uma Holanda capaz de despachá-la a média força, sem querer aprofundar a ferida nacional já suficiente profunda”, citou.

Já o Marca colocou os comandados de Felipão “de castigo” no título, ressaltando: “sua bandeira segue a meio-mastro e, contra a Holanda, não conseguiu esconder sua tristeza. O sonho se tornou um pesadelo”.

Já o diário Sport afirmou que a derrota por 3 a 0 foi humilhante e que o “novo suplício” demonstra que, “sem Neymar, é pouca coisa”, “vulnerável e com medo”. O Mundo Deportivo também criticou a forma como a Seleção se comportou no gramado do Estádio Mané Garrincha, dizendo que a Holanda a fez parecer “ridícula”, “uma equipe desconexa, apesar das seis mudanças que Felipão fez desde o desastre contra a Alemanha”.

Os ingleses também foram muito críticos quanto à forma com que a Brasil encerrou o Mundial. Segunda a BBC, “a campanha teve um fim miserável”, enquanto que o Daily Mail escolheu “final devastador” para caracterizar a nova derrota. “Felipão certamente não será capaz de ‘sobreviver’ a isso. Foi acusado por 200 milhões de pessoas de escalar os jogadores errados e escolher a tática errada. Depois desta noite em Brasília, sabe-se que eles não estão totalmente errados”, disse a publicação.

O The Guardian deu opções de escolha: “crueldade intencional, indignidade desnecessária ou pura tortura? Luiz Felipe Scolari e seus jogadores podem escolher depois de perder o terceiro lugar, algo que serviria como caminho para redenção”. Os jornais italianos, por sua vez, se atentaram ao desempenho ruim no começo do jogo, sendo que o Corriere della Sera culpou até mesmo “erros e má sorte” ao identificar o time em “estado de choque”.

“Mais uma humilhação para os anfitriões”, escreveu o Corriere dello Sport, ressaltando: “para a Seleção, os dez gols em dois jogos são um pesadelo”. Por fim, a Gazzetta Dello Sport criticou “outra atuação horrível”, afirmou que “o público fez tudo para perdoá-la, contra todas as probabilidades, depois do massacre para a Alemanha” e deixou um aviso: “Brasil tem que virar a página, o treinador e a equipe. Em breve”.

outdoor_pq

Sem Neymar, Brasil deixa a máscara cair e é humilhado pela Alemanha

Gazeta Esportiva

t_120415_miroslav-klose-em-solo-brasileiro-deixou-ronaldo-para-tras-e-o-maior-artilheiro-das-copas

A máscara caiu. Diante de milhares de torcedores fantasiados de Neymar, a Seleção Brasileira não transformou em realidade a ilusão de que poderia ser bem-sucedida sem o seu principal jogador. Foi humilhada pela Alemanha com uma histórica e eterna derrota por 7 a 1 nesta terça-feira, no mesmo Mineirão onde já havia sofrido para superar o Chile nos pênaltis, e está fora da disputa pelo título da sua Copa do Mundo. Os gols foram marcados por Muller, Klose (o maior artilheiro dos Mundiais, agora à frente de Ronaldo), Kroos (2), Khedira e Schurrle (2). Oscar fez o de honra.

Se queria apagar a derrota para o Uruguai na final da primeira Copa do Mundo realizada no Brasil, há 64 anos, o Brasil conseguiu de forma vexatória. Perdia por 4 a 0 em 25 minutos de jogo. Em um Mineirão que virou Mineirazo, viu os seus torcedores reagirem com um choro que a psicóloga Regina Brandão e nem o melhor de seus colegas seriam capazes de conter. A revolta nas arquibancadas também acabou extravasada com irônicos gritos de “olé”, vaias (principalmente para o centroavante Fred), insultos e brigas.

A traumática queda diante da Alemanha foi o desfecho de um sonho que o Brasil alimentou muito graças a Neymar, alvo de uma joelhada de Zúñiga na vitória por 2 a 1 sobre a Colômbia, nas quartas de final, quando fez a sua exibição mais apagada no Mundial. Antes, o atacante havia sido importante nas vitórias por 3 a 1 contra a Croácia e por 4 a 1 em cima de Camarões, no empate sem gols com o México e na disputa de pênaltis com os chilenos.

Com a derrota na decisão da Copa do Mundo de 2002 muito bem vingada, a Alemanha agora se prepara para jogar a final do Maracanã às 16 horas (de Brasília) de domingo, contra o vencedor do confronto entre Holanda e Argentina. Ao Brasil, restará a melancólica disputa de terceiro lugar com o perdedor da outra semifinal, às 17 horas (de Brasília) de sábado, no Mané Garrincha. Mais uma vez, sem Neymar.

468x60_simonassi127

Derrotado, goleado e humilhado

Esporte Total

Fabinho-sergipe-6-1-juazeirense-seried

O dia 7 de julho de 2013 deve ser esquecido e apagado da história da Sociedade Desportiva Juazeirense, pois o time sofreu a maior goleada desde sua fundação, ao perder para o Sergipe por 6 X 1 jogando na cidade de Carmópolis, em partida válida pelo grupo A4 da série D do Campeonato Brasileiro.

Contextualizando a derrota juazeirense devemos considerar que a equipe ainda não reencontrou com o futebol praticado no campeonato baiano deste ano, principalmente em função dos desfalques, visto que, saíram jogadores importantes: Muriel, Sidrailson, Capone, Madson, William Carioca, Cicinho e Quirino, sendo que os substitutos ainda não corresponderam à altura.

Com relação ao jogo de domingo, é importante pontuar a falta de ritmo da equipe, agravado pelo fato de ter chegado ao estádio minutos antes do inicio da partida, já que teve um atraso no deslocamento de Aracaju para Carmópolis, não tendo tempo para o aquecimento e entrou em campo sem a devida preparação. Além de o Sergipe ser um time difícil, a Juazeirense ainda teve como adversário o árbitro Emanuel Diniz de Araújo que, validou dois gols irregulares a favor do clube sergipano.

O time atuou com: Maickon; Thony, Edi, Rodrigo e Neném; Capone, Jeferson (Moreno) Rodrigo Rocha (Augusto) e Wanderson; Josi e Deon. Técnico: Quintino Barbosa.

No próximo domingo (14), o Cancão de Fogo enfrenta o Vitória da Conquista, no estádio Lomanto Junior.

468x60_simonassi12

Atacante ‘humilhado’ por Neymar diz que craque foi desrespeitoso

Futnet

images (2)

O Botafogo de Ribeirão Preto perdeu por 3 a 0 para o Santos na quarta-feira, mas não foi só isso. O time ainda contou com um dia inspirado do craque Neymar, que levou a torcida ao delírio com lindos dribles e postura dentro de campo. No entanto, para Nunes, atacante do Botafogo, Neymar foi desrespeitoso, principalmente quando driblou o próprio Nunes e colocou as mãos na cintura, esperando o adversário.

“Ele estava fazendo um pouco de graça depois que o resultado estava garantido. Quando estava 0 a 0, não estava fazendo aquilo. Mas é o Neymar. Não pode relar nele, não pode fazer falta que o juiz dá cartão – comentou Nunes, que respirou fundo antes de falar sobre o que passou pela sua cabeça no lance da tentativa de carretilha”, disse.

O atacante botafoguense também admitiu que quase perdeu a paciência com o craque santista. “Eu pensei dez vezes. Eu ia quebrá-lo todo. No lance que ele ia tentar dar a carretilha, eu ia grudar ele na tela. Uma coisa que eu não vou admitir é falta de respeito, e Neymar estava faltando com respeito. Ele não precisa disso, não precisa fazer graça. Por isso eu admiro o Ronaldinho Gaúcho e o Ronaldo Fenômeno. Sempre jogaram o futebol que jogaram sem menosprezar ninguém. O Neymar mostrou que só faz graça quando está ganhando”, disse Nunes.

“Não estou preocupado. Estou falando o que eu penso. Eu não bati nele porque não é legal, tanto que eu deixei passar. Quem está fora acha que é bonito, que ele deu show. Ninguém discute que ele é um grande jogador”, completou o camisa 9.

Em noite de terror, Fla é humilhado e goleado por La U no Engenhão

Globo Esportes

Se vale como lição, que seja de tudo que o Flamengo não pode fazer se quiser conquistar o título do Brasileirão. Em noite catastrófica, o Rubro-Negro recebeu e foi humilhado por 4 a 0 pela Universidad de Chile, nesta quarta-feira, no Engenhão, na primeira partida das oitavas de final da Copa Sul-Americana. Apático, desastroso defensivamente, nulo no ataque, com os craques em baixa e com direito a uma expulsão justa após entrada absurda de Aírton, o time carioca vai para casa cabisbaixo, mas com a certeza de que o placar ficou barato.

Na próxima quarta-feira, em Santiago, as duas equipes voltam a se encontrar, e o Fla precisa vencer por quatro (a partir de 5 a 1) ou mais gols de diferença para enfrentar o Arsenal, da Argentina, nas quartas de final. A repetição do placar leva a decisão para os pênaltis.

No próximo domingo, às 18h (de Brasília), novamente no Engenhão, o Rubro-Negro pega o Santos, pela 31ª rodada do Brasileirão. Para completar a noite de horror, Luxemburgo, que já não tem Thiago Neves, Ronaldinho e Renato, suspensos, pode perder Bottinelli para a partida. O argentino deixou o campo com suspeita de fratura no pé esquerdo.

Bahia sofre goleada humilhante e é eliminado da Copa do Brasil

Arena Nordeste

Nem o mais pessimista torcedor do Bahia poderia imaginar um resultado como o desta quarta-feira. Precisando vencer ou empatar com uma diferença de pelo menos dois gols para se classificar, o time do técnico René Simões foi humilhado na Arena da Baixada pelo Atlético Paranaense. A goleada por 5 x 0 eliminou o tricolor da Copa do Brasil, lhe restando apenas o Campeonato Baiano.

O time da casa começou a partida indo pra cima do Bahia e logo aos dois minutos, Paulo Baier arriscou de longe e Omar espalmou para escanteio. O tricolor tentava responder contra-atacando pelos lados do campo, mas sem sucesso.

O Atlético chegou com perigo novamente aos onze minutos. O lateral direito Romulo recebeu passe na linha de fundo e cruzou rasteiro, a zaga do Bahia cortou e na sobra, Branquinho chutou por cima do gol. :: LEIA MAIS »



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia