WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
PMVC

outubro 2019
D S T Q Q S S
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  



drupal counter

:: ‘Libertadores’

Botafogo faz o ‘jogo do ano’ contra o Deportivo Quito

Lancenet

Eduardo-Hungaro-Botafogo-Sergio-LANCEPress_LANIMA20140127_0146_24

A equipe do Botafogo entrará no gramado do Maracanã, na noite desta quarta-feira, às 22h, para enfrentar o Deportivo Quito (EQU) com uma responsabilidade enorme: não decepcionar os milhares de torcedores que estarão no estádio apoiando e gritando pelo time, além dos outros milhões que estarão grudados na tela da televisão, e colocar a equipe da Estrela Solitária na fase de grupos da Copa Libertadores.

A missão não é nada fácil. Após a derrota em Quito por 1 a 0, o time comandado por Eduardo Hungaro precisa vencer por dois gols de diferença para se classificar de forma direta. Em caso de 1 a 0 a favor dos brasileiros, a decisão será nos pênaltis. Vitória do Glorioso por um gol de diferença, mas sofrendo gol no Maracanã, ou triunfo equatoriano, classificam o Deportivo.

E o grande problema virá em caso de eliminação. O clube, que vive grave crise financeira, verá receitas milionárias irem pelo ralo. Além disso, a diretoria terá que lidar com a insatisfação da torcida, que já não está nada satisfeita com os resultados recentes no Campeonato Estadual. Hungaro também ficará pressionado, com menos de dois meses no cargo.

Outros jogos
Ontem
Nacional-URU 2 x 0 Oriente Petrolero-BOL
Santa Fe-COL 1 x 0 Monarcas Morelia-MEX
Hoje
21h00
Atlético-PR x Sporting Cristal-PER

De cara nova, Botafogo inicia duelo com Deportivo na altitude de Quito

Globo Esportes

botafogo_guayaquil_fredhuber

Passaram-se exatos 6.475 dias sem que o Botafogo disputasse uma partida pela Libertadores. Desde a derrota por 2 a 0 para o Grêmio, pelas oitavas de final, em 8 de maio de 1996, até o jogo contra o Deportivo Quito, nesta quarta-feira, na capital do Equador, a expectativa só aumentou. O reencontro começa às 22h (de Brasília), no Estádio Olímpíco Atahualpa, a cerca de 2.800 metros de altitude, no confronto de ida da fase prévia da competição. O duelo de volta será daqui a uma semana, no Maracanã.

Depois de perder o ídolo Seedorf e o meia-atacante Rafael Marques, um dos destaques da última temporada, o Botafogo sofreu algumas transformações, principalmente no setor ofensivo. Após efetivar o ex-auxiliar Eduardo Hungaro, o clube procurou se reforçar com jogadores com experiência de Libertadores. Assim, chegaram o meia Jorge Wagner, o atacante argentino Tanque Ferreyra e o volante Bolatti, que será desfalque nesta quarta. Tudo para poder avançar à fase de grupos, juntando-se a San Lorenzo (Argentina), Unión Española (Chile) e Independiente Del Valle (Equador).

Mesmo ciente das dificuldades que serão impostas pelo Deportivo Quito, o Botafogo sabe que a altitude será um de seus maiores inimigos nessa estreia na competição. Por isso, adotou a estratégia de chegar à capital equatoriana no dia partida, depois de treinar e pernoitar na cidade de Gauyaquil, que fica ao nível do mar.

Quanto ao rival, o momento não é dos melhores. Afundado em dívidas, o Deportivo Quito se desfez de seus principais jogadores. Para esta temporada, foram contratados 18 atletas. A primeira partida oficial, no último fim de semana, não foi animadora: derrota por 2 a 0 diante do Independiente del Valle, pelo Campeonato Equatoriano.

A partida será apitada pelo árbitro Wilmar Roldan, auxilado por Humberto Clavijo e Eduardo Díaz, todos da Colômbia.

Libertadores-2014 começa com favoritos de sempre

Yahoo

poster-galo-300x197

Com 38 clubes, a 55ª edição da Copa Libertadores iniciará a disputa pelo título de campeão nesta terça-feira, quando a bola rolar em Santa Cruz, na Bolívia, e em Morelia, no México, dando início aos 138 jogos que definirão o sucessor do Atlético Mineiro.

A Libertadores, que não apresenta mudanças no regulamento em relação ao ano passado, terá início com uma primeira fase eliminatória, na qual 12 equipes lutarão por seis vagas na fase de grupos, onde já esperam 26 clubes divididos em 8 grupos.

A fase eliminatória começa nesta terça-feira com as partidas de ida entre Oriente Petrolero, da Bolívia, e Nacional do Uruguai (confronto 6), em Santa Cruz de la Sierra, e Morelia, do México, e Independiente Santa Fe, da Colômbia (confronto 5), em Morelia.

Dois representantes brasileiros também terão que passar pela fase eliminatória e entram em campo nesta quarta-feira: o Botafogo, contra o equatoriano Deportivo Quito (confronto 2), e o Atlético Paranaense, que encara o peruano Sporting Cristal (confronto 1).

Nos outros duelos desta primeira fase, a Universidad de Chile encara o Guaraní, do Paraguai (confronto 3), e o Caracas FC mede forças como o Lanús argentino (confronto 4).

Os seis vencedores do mata-mata preliminar serão inseridos nos Grupos 1, 2, 3, 4, 5 e 6 da segunda fase (de 11 de fevereiro a 10 de abril), onde 32 equipes brigarão por 16 vagas nas oitavas de final (entre 15 e 30 de abril).

Dez equipes que já conquistaram a América no passado disputarão a Copa Libertadores em 2014 e serão novamente favoritas ao título: os uruguaios Peñarol (1960, 1961, 1966, 1982, 1987) e Nacional (1971, 1980, 1988); o argentino Vélez Sarsfield (1994); o colombiano Atlético Nacional (1989); e os brasileiros Cruzeiro (1976, 1997), Flamengo (1981), Grêmio (1983, 1995) e Atlético Mineiro (2013).

Libertadores: Bota e Fla encaram altitude, mineiros se dão bem, e Grêmio tem pedreira

Globo Esportes

Grupos foram definidos durante evento na sede da Conmebol (Foto: Martín Fernandez)

Grupos foram definidos durante evento na sede da Conmebol (Foto: Martín Fernandez)

O Grêmio caiu no “Grupo da Morte”; Botafogo e Flamengo vão encarar altitude; os mineiros Cruzeiro e Atlético terão adversários teoricamente mais fáceis; e o Atlético-PR vai encarar o Sporting Cristal, tradicional time peruano, na pré-Libertadores.

Este é o resumo para os brasileiros do sorteio da Libertadores-2014, realizado nesta quinta-feira, em Luque, no Paraguai.
O Flamengo caiu no 7, que tem o Bolívar, da Bolívia, e terá de jogar em La Paz, 3.600 metros acima do nível do mar. Além de encarar o ar rarefeito da capital boliviana, o Rubro Negro ainda terá de viajar bastante: atuando contra Emelec, do Equador, a quem enfrentou no ano passado, e diante do León, do México.

Já o Botafogo estreia na primeira fase, a chamada pré-Libertadores, contra o Deportivo Quito, do Equador, na capital equatoriana, a 2.850 metros. Quem avançar entra no Grupo 2, com Unión Española (Chile), o terceiro representante da Argentina (San Lorenzo ou Lanús) e o Independiente José Teran (Equador).

O Grêmio não terá de jogar nas alturas, mas pegou um grupo complicado, o 6, com Newell’s Old Boys, da Argentina, e Nacional de Medellín, da Colômbia, e o vencedor do confronto entre Nacional (Uruguai) e Oriente Petrolero (Bolívia), pela pré-Libertadores.

O Atlético-PR, terceiro colocado do Brasileirão, enfrentará o Sporting Cristal, do Peru, também pela pré-Libertadores. Quem avançar entra no Grupo 1, com Vélez Sarsfield (Argentina), Bolívia 2 (The Strongest ou San José) e Peru 1 (Garcilaso ou Universitário).

O Cruzeiro encabeça o Grupo 5, com Defensor (Uruguai), Peru 2 (Garcilaso ou Universitário) e o vencedor do jogo 3 (Guarani-PAR e Chile 3).

Atual campeão, o Atlético-MG, cabeça do Grupo 4, terá pela frente Nacional (Paraguai), Zamora (Venezuela) e o vencedor do duelo entre Independiente Santa Fé (Colômbia) e Monarcas Morélia (México).

Sem paulistas, Conmebol sorteia hoje os grupos da Taça Libertadores

Globo Esportes

Sede da Conmebol será local do sorteio de grupos da Libertadores nesta quinta (Foto: Cassio BArco)

Sede da Conmebol será local do sorteio de grupos da Libertadores nesta quinta (Foto: Cassio BArco)

Sob um manto de interrogações, a Conmebol sorteia nesta quinta-feira, a partir das 22h (horário de Brasília), os grupos – e os duelos da fase pré-grupos – da Copa Libertadores de 2014. A entidade que comanda o futebol sul-americano não divulgou cabeças de chave nem os critérios que usará para distribuir os times em cada grupo.

A reportagem do GloboEsporte.com esteve na terça-feira na sede da entidade, no Paraguai, e não obteve nada além de evasivas dos porta-vozes da Conmebol. Contatos por telefone e e-mail tampouco foram respondidos.

Jornais paraguaios e até patrocinadores da confederação dão como certo que os cabeças de chave serão Atlético-MG, Cruzeiro, Newells, Vélez, Peñarol, Cerro Porteño, Bolívar e Unión Española. Oficialmente, a entidade não confirma.

Os seis representantes do Brasil – Atlético-MG, Cruzeiro, Flamengo, Grêmio, Atlético-PR e Botafogo – tampouco receberam informações precisas sobre o formato do sorteio.

É a primeira vez desde 1998 que uma edição da Libertadores não tem representantes do futebol de São Paulo. A última esperança era a Ponte Preta, que na noite de quarta-feira perdeu para o Lanús na final da Copa Sul-Americana e portanto perdeu a vaga.

Rodada tira praticamente 5 times da Libertadores e deixa Vasco na lama

Uol

tabela-brasileirao-2013

Com o título antecipado no Cruzeiro na última rodada, o que movimenta o Brasileirão nesse final é a briga por uma vaguinha na Libertadores ou para conseguir escapar do temível rebaixamento. E a 35ª rodada, que aconteceu nesse final de semana, acabou com o sonho de muitos times por aí.

Faltando apenas mais 3 jogos para o fim do campeonato, Flamengo, Santos e Internacional perderam na rodada e deram adeus a qualquer tipo de chance de classificação para o principal torneio continental da América do Sul. Corinthians e São Paulo também decepcionaram e dependem de verdadeiros milagres. Na parte de baixo, o Vasco não fez a sua parte e está muito perto do descenso. O Fluminense, outro carioca em situação delicada, conseguiu vencer e respira mais aliviado.

Mas quem está rindo à toa com o término da rodada são os times da parte de cima da tabela. Goiás e Grêmio venceram e estão com um pé na Libertadores. O time gaúcho é o vice-líder, com 60 pontos, e tem 82,5% de confirmar a sua classificação nas próximas três rodadas. O alviverde, por sua vez, derrotou o Inter, chegou aos 59 pontos e tem agora 69,8% de chances.

Por incrível que pareça, quem também pôde acordar sorrindo nesta segunda-feira foram os torcedores do Atlético-PR. Apesar da espantosa goleada sofrida para o Botafogo, os paranaenses caíram para a quarta posição, mas têm enormes 86,8% de chances de se classificar. Isso porque enfrentarão adversários teoricamente mais fáceis que os rivais goianos nas três rodadas restantes (Náutico e Vasco, em casa, e Santos, fora). Na sequência da tabela vem o Botafogo, com 57 pontos e 55,7% de chances de classificação, e o Vitória, com 54 pontos e apenas 5% de chances.

A situação dos times paulistas é a mais complexa. O Corinthians, com 49 pontos e pouco mais de 0% de chances de Libertadores, precisa vencer os seus três últimos jogos (Flamengo, Internacional e Náutico), torcer para uma incrível combinação de resultados e ainda rezar para que o Atlético-PR vença a final da Copa do Brasil diante do Flamengo, o que transformaria o G-4 em G-5.

O São Paulo tem a mesma pontuação e a situação é bastante semelhante à do rival. Com a derrota neste domingo para o Fluminense, no Maracanã, o tricolor ficou em situação bastante complicada e deverá apostar todas as suas fichas em um possível título da Copa Sul-Americana, que também dá a tão sonhada vaga para a Libertadores. A equipe comandada por Muricy Ramalho está nas semifinais da competição e enfrentará a Ponte Preta.

E por falar no time de Campinas, a Ponte conseguiu empatar fora de casa com o campeão Cruzeiro neste domingo. Apesar de parecer um bom resultado, a situação da equipe não é das mais animadoras. Na vice-lanterna, com apenas 35 pontos, os torcedores da Macaca provavelmente terão de apoiar a equipe na série B em 2014. Isso porque a chance de rebaixamento é assustadora: 98,7% de chances.

Outro que está na UTI do Brasileirão é o Vasco da Gama. A equipe carioca faz uma campanha assustadora e o empate de domingo com o Corinthians sem gols é o resumo da tragédia vascaína nesse Brasileirão. Com 38 pontos, o clube tem 85% de chances de fazer uma nova visita à Série B em 2014.

O Coritiba também perdeu e é o primeiro time da zona de rebaixamento, com 41 pontos. A equipe comandada pelo maestro Alex tem 45,8% de chances de cair e enfrentará adversários complicados nas últimas três rodadas (Internacional e São Paulo, fora, e Botafogo, em casa).

Completam a lista dos times que ainda estão com a corda no pescoço o Bahia, que tem 33,9% de chances de queda, apesar de se encontrar fora da zona ao fim da 35ª rodada; o Fluminense, que conseguiu uma vitória importantíssima, mas ainda tem 22% de chances de descenso, o que faz com que o torcedor continue alerta; o Criciúma, com 12,5%; e ainda a Portuguesa, que já vê o fantasma mais de longe e tem apenas 1,6% de chances de cair.

Título definido e briga por Libertadores esquenta o Campeonato Brasileiro 2013

Agência Futebol Interior

tabela-brasileirao-2013

Pouca coisa mudou no ranking de chances após a realização da 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. Após a grande vitória sobre o Criciúma, por 5 a 3, o líder Cruzeiro viu suas chances aumentarem de 99,6% para 99,96%.

Somente outros três clubes ostentam chances matemáticas de disputar o título com a Raposa. O Grêmio caiu de 0,3% para 0,05%, após ser goleado pelo Coritiba, por 4 a 0. Logo na sequência aparece o Botafogo, com 0,02%, e o Atlético-PR, com 0,01%. O restante tem quase 0% ou já não tem chance matemática.

A briga pela Libertadores definitvamente ganhou um intruso e já outro querendo aparecer no retrovisor. Após muito tempo limitada aos quatro primeiros, a disputa tem, agora, o Goiás. Após vencer o Náutico, por 2 a 0, o Verdão viu suas chances subirem de 25,2% para 31%. Já o Vitória, que superou o Fluminense, por 3 a 2, evoluiu de 4,1% para 8,1%.

Apesar disso, o G4 continua inalterado. O Cruzeiro está virtualmente garantido, com 100% de possibilidades. O Grêmio também está em situação confortável, com 88,8%. Na sequência, aparecem Atlético-PR, com 83,1%, e Botafogo, com 82,6%.

Os demais clubes, pelo menos por enquanto, são figurantes nesta disputa. Quem mais se aproxima é o Santos, que chegou a 3,7%. Em seguida, surgem São Paulo (1,6%), Internacional (0,4%), Corinthians (0,3%), Flamengo (0,2%), Portuguesa (0,1%), e Coritiba (0,04%).

O restante já está fora da briga. Bahia, Fluminense, Ponte Preta e Vasco de acordo com os matemáticos, têm quase 0%. Virtual rebaixado, o Náutico, ao lado do Criciúma, é o único que já não tem chances matemáticas.

Vale ressaltar que o Atlético-MG já tem vaga garantida na Libertadores. Portanto, se terminar em quarto lugar, a vaga ficará com o quinto colocado. Além disso, mais um brasileiro garantirá sua vaga pela Copa do Brasil, o que pode modificar todos os cálculos.

Confira os clubes com mais chances de título:

— Cruzeiro 99,92%
— Grêmio 0,05%
— Botafogo 0,02%
— Atlético-PR 0,01%

Veja os dez clubes com mais chances de vaga na Libertadores:

— Cruzeiro quase 100%
— Grêmio 88,8%
— Atlético-PR 83,1%
— Botafogo 82,6%
— Goiás 31%
— Vitória 8,1%
— Santos 3,7%
— São Paulo 1,6%
— Internacional 0,4%
— Corinthians 0,3%

Atlético-MG leva Libertadores pela 1ª vez com vitória heroica e “São Victor” nos pênaltis

Uol

poster-do-atletico-mg-campeao-da-copa-libertadores-da-america-2013-1374723684595_615x300

O Atlético-MG conseguiu a façanha transportar o encanto do Horto para o Mineirão. A magia como local da grande campanha na Libertadores se fez presente na decisão desta quarta-feira, quando o time de Cuca reverteu a vantagem do Olimpia, conquistada na ida no Paraguai. Diante de mais de 60 mil brasileiros, a equipe de Ronaldinho e Bernard venceu no sufoco por 2 a 0 para ser campeão da América pela primeira vez na história. A taça veio nos pênaltis, graças a mais uma atuação decisiva de “São Victor”.

O goleiro que já havia brilhado em pênaltis contra Tijuana e Newell’s aumentou sua lista de defesas decisivas, parando a cobrança de Miranda – mas se adiantando na pequena área. Gimenez errou a última cobrança, e os brasileiros venceram finalmente por 4 a 3, sem necessidade de Ronaldinho Gaúcho ir para o último disparo.

O título coroa a carreira de Cuca, que celebrou deixar para trás a fama de azarado. Ronaldinho Gaúcho também acrescenta mais uma taça continental a uma galeria que já tinha uma Liga dos Campeões. Afinado com a cúpula da CBF, o presidente Alexandre Kalil é outro que festeja seu momento mais importante dentro do futebol.

Desta forma, a geração de Ronaldinho, Bernard, Tardelli, Jô e Victor se junta de vez à galeria de ídolos históricos do Atlético-MG, como Dadá Maravilha, Reinaldo, Éder e Toninho Cerezo. Com o título mais importante da história do clube, essa turma agora sonha em desafiar o poderoso Bayern de Munique no Mundial da Fifa no fim do ano.

De quebra, o título histórico serve para tirar das costas de Cuca uma injusta pecha de azarado. O técnico gaúcho termina a Libertadores com boa parte dos méritos pela formação de um time ofensivo e equilibrado, que conquistou a simpatia de muitos brasileiros – e a torcida contra dos rivais cruzeirenses.

Este é o primeiro título do futebol brasileiro como o novo Mineirão como cenário. Os atleticanos brigaram para jogar a final no Independência, estádio talismã, palco de uma campanha de êxitos inesquecíveis contra Tijuana e Newell’s. Mas, no final das contas, o tamanho da façanha do time de Cuca merecia o gigantismo e o carisma de uma arena como a da Pampulha.

Nos pênaltis, Atlético-MG bate Olímpia e leva Libertadores pela 1ª vez

Terra

27joronaldinhofestarmatsukawaterra

Com a superação que marcou a equipe na fase final, a força de mais de 60 mil torcedores e muita emoção, o Atlético-MG conquistou, na noite desta quarta-feira, seu primeiro título da Copa Libertadores. Derrotado no jogo de ida, o time fez 2 a 0 no tempo normal e passou pela prorrogação antes de, nos pênaltis, levar a melhor. Com vitória por 3 a 2, quebrou o jejum e levou o título continental.

Com o feito, o Atlético-MG quebra um jejum de conquistas de alta relevância que durava 42 anos – a última havia sido o Brasileiro de 1971. O time conquistou a Copa Conmebol em 1992 e 1997, mas sequer havia chegado a uma decisão de Copa Libertadores. Além disso, quebra também a pecha de “vice” que o técnico Cuca carrega há alguns anos, por conta dos títulos perdidos – com o clube alvinegro, por exemplo, foi 2º colocado na última edição do Brasileiro.

A vitória impede que o Olimpia amplie sua força continental. O time paraguaio soma três títulos, conquistados em 1979, 1990 e 2002. Depois de vencer por 2 a 0 no Estádio Defensores del Chaco, esteve próximo de confirmar o tetra – uma derrota por 1 a 0 seria suficiente -, mas teve Manzur expulso no final do jogo, levou o segundo gol de Leonardo Silva e sofreu para passar pela prorrogação. Nos pênaltis, não resistiu e acabou derrotado.

O Atlético-MG entrou em campo precisando repetir o feito da semifinal, contra o Newell’s Old Boys, e vencer por três gols de diferença – dois para levar aos pênaltis, como de fato ocorreu. Diante dos argentinos, fez gol logo no começo do jogo. O Olimpia veio preparado, no entanto, e soube conter os avanços da equipe, que teve no primeiro tempo presença tímida de um de seus principais jogadores: Ronaldinho.

A primeira chance, logo aos 2min, animou a torcida: um chute cruzado e rasteiro dado por Diego Tardelli pela direita, mas fora do alcance de Jô e Bernard. Aos 9min, Ronaldinho chutou forte de fora da área, e Martín Silva espalmou. E foram essas as oportunidades mais claras. Sem conseguir se encontrar, o Atlético-MG ainda se viu à mercê dos contra-ataques perigosos do Olimpia, que assustou o torcedor no Mineirão.

Aos 14min, por exemplo, Salgueiro lançou Bareiro, que correu entre a zaga e invadiu a área, mas bateu mal, rasteiro e fácil para a defesa de Victor. Aos 33min, Silva recebeu na ponta esquerda, limpou a marcação de Leonardo Silva e bateu cruzado, mas mais uma vez o goleiro brasileiro foi bem. O primeiro tempo terminou com gritos de “eu acredito”, mesmo com a dificuldade que o Atlético-MG teve para criar e ameaçar.

No segundo tempo, essa postura mudou. Isso porque, ainda no primeiro minuto, Jô aproveitou falha de Pittoni, que “furou” ao tentar cortar cruzamento de Rosinei, para chutar rasteiro e forte, abrindo o placar. O gol incendiou o Mineirão. Pouco depois, aos 3min, Jô recebeu passe em cobrança de lateral pela esquerda da área, tirou a marcação e cruzou para Tardelli com o goleiro já vencido, mas a zaga afastou de cabeça. A pressão seguiu, desta vez sem dar brechas ao visitante.

Aos 15min, Michel cruzou da esquerda e Leonardo Silva cabeceou, mas a bola tocou o travessão e passou longe do alcance de Diego Tardelli. Aos 19min, Jô achou Junior Cesar livre na esquerda; ele invadiu a área em velocidade, mas chutou fraco, e Martín defendeu. Cinco minutos depois, Ronaldinho cobrou falta de longe e Leonardo Silva desviou, mas Martín salvou mais uma vez.

A partida no Mineirão teve momentos pouco críveis nos dramáticos minutos finais. Primeiro aos 33min, quando Ronaldinho bateu da entrada da área, Martín Silva fez excelente defesa e, com o gol aberto, Diego Tardelli chutou por cima – enquanto isso, o assistente anotava posição de impedimento. Depois, aos 37min, Ferreyra recebeu passe em profundidade e viu Victor sair da área e errar o corte; com o gol vazio, escorreu ao tentar dominar para matar o jogo.

Aos 39min, Manzur se jogou na frente de Alessandro, que tentava dar um chapéu em alta velocidade, recebeu o segundo amarelo e foi expulso. O Atlético-MG foi ainda mais para cima e finalmente chegou ao gol. Aos 41min, Leonardo Silva mais uma vez foi mais alto que os adversários em um cruzamento – desta vez dado por Bernard – e tocou no contrapé do goleiro Martín Silva para fazer o gol que levou a partida para a prorrogação.

Na prorrogação, o Atlético-MG foi ainda mais incisivo no ataque e quase não permitiu ao Olimpia cruzar a linha do meio-campo. Aos 8min, Réver subiu em cobrança de escanteio e cabeceou para mandar a bola no travessão. No lance seguinte, Guilherme tentou cruzar pela direita e quase fez por cobertura, mas Martín Silva espalmou, confirmando sua grande atuação no Mineirão.

No segundo tempo, as chances claras apareceram menos, embora a pressão tenha sido igual. Por outro lado, o Atlético-MG levou um grande susto. Aos 9min, Leonardo Silva fez falta na entrada da área. Pittoni, autor do segundo gol no jogo de ida justamente em uma cobrança, mandou a bola rente à trave direita de Victor. O anfitrião tentou evitar, mas novamente levou a decisão para as penalidades.

Na decisão, Victor pegou um pênalti e viu Giménez desperdiçar a quinta cobrança, dando vitória por 4 a 3.

Brasil chega à final da Copa Libertadores pela 17ª vez em 20 anos

IG Esportes

20130711050013_atletico

A vitória do Atlético-MG por 2 a 0 sobre o Newell’s Old Boys nessa quarta-feira (10/07), seguida do triunfo nas cobranças de pênaltis, classificou o Atlético-MGpara a final da Libertadores de 2013. Ao conquistar a vaga, o time mineiro garantiu novamente presença de um clube brasileiro na decisão. É a 17ª vez ao longo dos últimos 20 anos que isso ocorre.

Nas 16 oportunidades anteriores, o título ficou em mãos brasileiras em dez delas. Vale lembrar também que duas decisões ao longo deste período colocaram frente a frente equipes do país. Em 2005, o São Paulo se sagrou tricampeão da América ao despachar o Atlético-PR. No ano seguinte, o clube do Morumbi acabou sendo superado pelo Internacional.

Antes do Atlético-MG, outros cinco clubes brasileiros chegaram à decisão da Libertadores pela primeira vez nos últimos 20 anos. Apenas dois deles foram campeões: o Vasco, que derrotou o Barcelona de Guayaquil em 1998, e o Corinthians, que bateu o Boca Juniors na última edição. Os outros três que acabaram sem o título foram o Fluminense, superado pela LDU em 2008, o Atlético-PR em 2005 e o São Caetano em 2002, quando teve como algoz justamente o Olimpia — adversário do Atlético-MG.

Nas três únicas finais da Libertadores dos últimos 20 anos sem participação brasileira, duas tiveram como argentinos como campeões: o River Plate ganhou do América de Cali em 1996, ao passo que o Boca Juniors levou a melhor diante do Cruz Azul em 2001. Em 2004, o Boca foi à decisão mais uma vez, mas acabou caindo diante do Once Caldas.

Brasileiros em finais de Libertadores nos últimos 20 anos:
1993 – São Paulo (campeão)
1994 – São Paulo (vice)
1995 – Grêmio (campeão)
1997 – Cruzeiro (campeão)
1998 – Vasco (campeão)
1999 – Palmeiras (campeão)
2000 – Palmeiras (vice)
2002 – São Caetano (vice)
2003 – Santos (vice)
2005 – São Paulo (campeão) e Atlético-PR (vice)
2006 – São Paulo (vice) e Internacional (campeão)
2007 – Grêmio (vice)
2008 – Fluminense (vice)
2009 – Cruzeiro (vice)
2010 – Internacional (campeão)
2011 – Santos (campeão)
2012 – Corinthians (campeão)
2013 – Atlético-MG

Bahia e Vitória já miram Libertadores

A Tarde

650x375_1339526

A empolgação transborda a racionalidade. O Campeonato Brasileiro sequer atingiu um quarto da sua totalidade – o que só acontecerá na 9ª rodada – e já há quem proclame a possibilidade de Bahia e Vitória ingressarem conjuntamente na Libertadores da América do ano que vem.

O momento, de fato, inspira delírios continentais dessa envergadura. No retrato de momento da tabela, o Bahia está na terceira colocação com 11 pontos somados, enquanto que o Vitória ocupa o quarto posto (com um jogo a menos que o rival), com 10.

Em termos de aproveitamento, os números da dupla Ba-Vi se mostram compatíveis com a média histórica das equipes que garantiram vaga no torneio sul-americano.

Para o Bahia, estar no G-4 é um feito inédito na história dos pontos corridos.
Até este ano, o clube jamais havia sequer ultrapassado a faixa dos 10 primeiros colocados desde que regressou da Série B, em 2010. “Ainda estamos em formação, no começo do trabalho. Mas nós queremos muito e vamos longe”, disse o técnico do Bahia, Cristóvão Borges. Sobre as chances reais do Bahia terminar o Brasileiro com uma vaga na Libertadores, Cristóvão preferiu manter os pés no chão. “Isso vai depender do quanto eu conseguir completar um plantel forte e com regularidade”, pontuou.

No Vitória, os jogadores não acham exagero em buscar um lugar entre os quatro primeiros no final do ano. Para o meia Renato Cajá, é uma meta em que todo grupo acredita. “Estamos felizes no G-4 e vamos manter isso. A confiança vai aumentando e quanto mais a gente ficar lá, melhor. É um campeonato difícil e a gente não é cotado para ficar entres os quatro. Porém, vamos contra todos e acreditamos na vaga da Libertadores”, sonhou. A possibilidade cresce com a confiança do técnico Caio Júnior, que já conseguiu tal feito com o Paraná, em 2006. Vale lembrar que o Leão está no G-4 há cinco rodadas, repetindo a boa fase de 2008, quando também tinha acabado de retornar à elite.

Conmebol diz que final da Libertadores será no Mineirão

Agência Estado

02032013_mineirao_640_1

“Caiu no Horto, ‘ta’ morto”. A frase, símbolo da campanha atleticana na Copa Libertadores, não valerá para a final. Nesta quinta-feira, a Conmebol soltou nota no seu site oficial para confirmar que a decisão da competição, contra o Olimpia, daqui a duas semanas, não será no Independência (localizado no bairro do Horto), mas no Mineirão.

A mudança da casa atleticana na Libertadores é necessária porque a Conmebol exige que as duas partidas da decisão aconteçam em estádios que comportem pelo menos 40 mil torcedores. O Independência, porém, comporta público de pouco mais de 20 mil pessoas e nem uma estrutura provisória seria suficiente para atingir o mínimo necessário.

Esta não será a primeira vez que um time brasileiro terá que mudar de casa para jogar a final da Libertadores. Em 2005, por exemplo, o Atlético-PR recebeu o São Paulo no Beira-Rio, em Porto Alegre. O Santos decidiu a Libertadores de 2003 no Morumbi e a de 2011 no Pacaembu, mesmo palco de São Caetano x Olimpia, em 2002.

Como teve melhor campanha na fase de grupos, o Atlético terá direito de jogar a grande decisão em casa, no dia 24 de julho. A ida será em 17 de julho, no Defensores Del Chaco, em Assunção. Os dois jogos estão marcados para às 21h50.





WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia