WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

maio 2019
D S T Q Q S S
« abr    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  



drupal counter

:: ‘MÉXICO’

Pesquisa aponta Brasil e México como líderes no quesito “fanatismo”

Gazeta Esportiva

000_BN69V-1024x794

Uma pesquisa encomendada pela MasterCard em virtude do início da Copa América Centenário procurou apontar alguns dos comportamentos do torcedor latino-americano em relação ao futebol. A amostra foi realizada em seis países: Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, México e Peru.

Os números mais expressivos dizem respeito à divisão do tempo do torcedor entre seu time ou seleção e suas tarefas diárias. Do total dos entrevistados, 70% disse afirmou não se importar em assistir a uma partida de futebol no horário de trabalho, e outros 35% consideraram deixar de ir trabalhar ou estudar por conta de um jogo.

O Brasil foi o país com a maior parcela de “fanáticos” (torcedores que não perdem nenhum jogo e se engajam em apoio extremo) entre os pesquisados (13%), ao lado do México. A pesquisa também apontou que 69% dos brasileiros carregam uma bandeira quando vão ao estádio e 31% não saem sem uma camisa do seu time no carro.

Em relação aos hábitos e superstições, mais de 50% dos participantes em geral afirmaram utilizar o uniforme de seu time quando assiste aos jogos e cerca de 43% disseram gritar com os árbitros durante as partidas. Além disso, 1/3 dos entrevistaram dão “instruções” à sua televisão quando assistem às suas equipes e 22% não assiste a um jogo sem um ou mais amuletos da sorte.

Por falar em superstição, os argentinos levam vantagem no quesito em relação aos demais países, com 22% dos torcedores afirmando ter um “ritual” nos dias de jogo e outros 17% assumindo ser supersticioso.

A pesquisa encomendada pela MasterCard, uma das patrocinadoras da Copa América Centenário, foi realizada com 3000 pessoas (500 em cada país), de 20 a 25 de maio. A margem de erro é de 5% para mais ou para menos.

outdoor_pq

México bate Jamaica, se classifica na Copa América

Terra

000_BO9Y1-1024x660

Os mexicanos venceram a Jamaica na noite desta quinta-feira e estão na próxima fase da Copa América Centenário. Jogando no Rose Bowl, na Califórnia, o México contou com gols de Chicharito e Peralta, para ficarem com a vaga. Resultado eliminou os reggae boyz e também a seleção uruguaia, que perdeu os dois jogos que fez até aqui e não tem mais chances de avançar.

A seleção mexicana já está garantida na próxima fase, e está na liderança do Grupo C da competição, com seis pontos conquistados. Com duas derrotas em dois jogos, os jamaicanos estão fora, ocupando a lanterna da chave.

Na última rodada, o México encara a Venezuela, para ver quem avança na primeira colocação, já que as duas seleções já estão classificadas. Confronto será na próxima segunda-feira, às 21h. No outro duelo da noite, Jamaica e Uruguai cumprem tabela, às 23h.

México tenta encaminhar classificação na Copa América contra a Jamaica

Uol

622_139448df-03c1-3725-ac39-c35532b92c16

A seleção do México tem grandes possibilidades de encaminhar a sua classificação para as quartas de final da Copa América Centenário contra a Jamaica nesta quinta-feira, às 23h (de Brasília), no Estádio Rose Bowl, em Pasadena, nos Estados Unidos, pela segunda rodada do grupo C.

Os mexicanos estrearam vencendo o Uruguai por 3 a 1, portanto, passaram pelo que parece ser o teste mais difícil dessa primeira fase. Já os jamaicanos não tiveram o melhor dos começos, sendo derrotados por 1 a 0 pela Venezuela, o que tornou a classificação um sonho bem mais distante.

O colombiano Juan Carlos Osorio, ex-treinador do São Paulo e atualmente no comando do México, conversou com seus jogadores sobre a importância de não menosprezar o adversário. Na visão dele, o jogo desta quinta-feira vai ser complicado pela forte marcação jamaicana, impedindo a criação.

“Vamos precisar de muita paciência e equilíbrio, mas temos qualidade suficiente para superarmos esse obstáculo”, apontou Osorio.

Pelo lado da Jamaica, o técnico Winfried Schäfer, expulso na estreia por reclamar do trio de arbitragem, orientou seus comandados a não darem espaço aos mexicanos.

“O México cria muito e por isso mesmo não pode ter liberdade para pensar e executar. Vamos precisar fazer um jogo perfeito em termos de marcação se quisermos pontuar”, avisou o goleiro Andre Blake.

Brasil goleia o México em Natal: 6 a 0

CBF

20151213185549_0

A Seleção Brasileira Feminina segue arrasadora no Torneio Internacional de Natal. Depois de fazer 11 a 0 em Trinidad e Tobago na estreia, o Brasil goleou o México por 6 a 0 na tarde deste domingo (13), na Arena das Dunas, pela segunda rodada da competição. A torcida viu Marta brilhar e marcar mais dois gols com a camisa canarinho.

O começo de jogo das brasileiras foi fulminante. No primeiro lance da partida, aos 13 segundos Andressa Alves foi derrubada na área. Marta bateu no canto e abriu o caminho para mais uma goleada. O México até tentou reagir, mas quando era atacado, sua defesa ficava perdia. Aos oito minutos, foi a vez de Formiga sofrer pênalti. Novamente, Marta foi para a bola e mostrou o poder da artilheira: 2 a 0. O terceiro foi feito por Debinha, que recebeu na área, deixou a goleira para trás e mandou para as redes aos 17. Aos 32, Debinha fez jogada pela esquerda e cruzou para Andressa Alves marcar o quarto.

O intervalo serviu para a Seleção recuperar as energias e dar sequência ao show no segundo tempo. Logo aos sete minutos, Formiga chutou da entrada da área, a bola desviou na zagueira mexicana e encobriu a goleira. A zagueira Poliana também deixou sua marca ao desviar de cabeça uma cobrança de falta, aos 23 minutos. O técnico Vadão ainda aproveitou a partida para testar outras jogadoras que corresponderam e mantiveram o nível do time. O Brasil continuou chegando com facilidade ao ataque e só não aumentou o placar por boas defesas da goleira mexicana.

O Brasil lidera a competição com seis pontos conquistados, seguido pelo Canadá, que tem três e enfrenta Trinidad e Tobago ainda neste domingo. Na quarta-feira (16), às 21h45 (horário de Brasília), as brasileiras encaram as canadenses na Arena das Dunas.

Brasil: Bárbara, Poliana, Mônica, Rafaelle e Tamires; Debinha (Gabi), Thaisa, Formiga (Andressa) e Andressa Alves (Juliete); Marta (Raquel) e Beatriz Zaneratto.

Brasil enfrenat o México na semifinal dos Jogos Pan-Americanos nesta quarta-feira

CBF

20150720031438_0

As semifinais do torneio de futebol feminino dos Jogos Pan-Americanos de Toronto serão nesta quarta-feira. A Seleção Brasileira enfrenta o México às 17h35 (18h35 de Brasília). Às 20h35 (21h35) será a vez de Canadá x Colômbia. Os dois confrontos serão no Estádio Tim Hortons.

O Brasil classificou-se em primeiro lugar do Grupo B, com três vitórias em três jogos – 12 gols marcados e um sofrido. O México foi o segundo colocado do Grupo A, com seis pontos (duas vitórias e uma derrota) – seis gols marcados e três sofridos.

Brasil e México se enfrentaram também na semifinal dos Jogos Pan-Americanos de 2011, em Guadalajara (México). Na ocasião, a Seleção Brasileira venceu por 1 a 0, com gol de Maurine.

O técnico Vadão já passou para suas jogadoras o que elas encontrarão em campo nesta quarta-feira contra as mexicanas – seleção que disputou a Copa do Mundo do Canadá neste ano.

– O México é uma equipe que se defende muito bem e tem um contra-ataque forte. A principal questão que passei para as meninas é que não podemos desperdiçar gols. Em uma fase decisiva como essa, qualquer oportunidade tem que ser aproveitada – ressaltou o treinador.

Em jogo eletrizante, Chile vacila e só empata com México

Terra

valdiviadisputaivanalvaradort

Chile e México foram responsáveis pelo que deve ser considerada a partida mais eletrizante de toda Copa América . Os torcedores presentes no Estádio Nacional, em Santiago, no Chile, tiveram a oportunidade de ver seis gols, uma virada chilena e duas buscas inesperadas dos mexicanos por um empate. No final, apesar dos donos da casa merecerem mais a vitória, um empate por 3 a 3 reinou no placar. Vidal, duas vezes, e Vargas marcaram para os anfitriões, enquanto Vuoso, também em duas oportunidades, e Jiménez igualaram para os visitantes.

Sem o triunfo, o Chile desperdiça a oportunidade de ser a primeira equipe classificada para as quartas de final da competição, mas mantém a liderança do Grupo A, com os mesmos quatro pontos da Bolívia, que nesta segunda bateu o Equador por 3 a 2. Já o México caiu uma posição e agora está na terceira posição, com dois pontos.

Na próxima rodada, Chile e Bolívia, que se enfrentam na sexta-feira, às 20h30h (de Brasília), precisam apenas de um empate para avançarem às quartas de final. Já o México precisa vencer o Equador, no mesmo dia, mas às 18h, para ter esperanças de classificação.

Na volta ao Brasil, Seleção usa lampejos de talento e bate México

Gazeta Esportiva

t_153546_philippe-coutinho-abriu-o-placar-no-palestra-italia-no-primeiro-tempo-depois-de-jogada-individual-na-linha-de-fundo

Em seu primeiro jogo no Brasil desde a Copa do Mundo, o Brasil teve raros momentos de talento para tentar deixar para trás as vergonhosas atuações nas derrotas por 7 a 1 para a Alemanha e 3 a 0 para a Holanda. O time até chegou a ouvir vaias neste domingo, no Palestra Itália, mas foi salvo por dois lances no primeiro tempo para vencer o México por 2 a 0 em amistoso preparatório para a Copa América.

Diante de quase 40 mil pessoas, a equipe de Dunga errava demais e ouvia vaias aos 25 minutos do primeiro tempo quando, aos 27, Philippe Coutinho girou com o corpo e finalizou quase sem ângulo para abrir o placar. Aos 36, foi a vez de Elias limpar Rafa Márquez com um toque e rolar para Diego Tardelli ampliar. O resto da partida foi um treino sem emoção, mas houve quem gritou “olé” das arquibancadas e o que se ouviu após o apito final foram aplausos.

Antes de estrear na Copa América, o Brasil tem amistoso contra Honduras, na quarta-feira, em Porto Alegre, quando tem chances de contar com seu maior astro: Neymar, que passou o domingo festejando o título europeu em Barcelona. A Seleção estreia na Copa América do Chile no domingo, diante do Peru, pelo grupo C. O México também disputa o torneio e estreia na sexta-feira, contra a Bolívia, pelo grupo A.

Dunga esboça Seleção titular, e Robinho faz exercícios na academia

Globo Esportes

treinoselecao

Com apenas 18 jogadores de linha, o técnico Dunga esboçou o time titular para o amistoso de domingo, contra o México, na Arena Palmeiras, em São Paulo. O treinador escolheu nove atletas e o goleiro Jefferson, escalando Fernandinho como primeiro volante na vaga do cortado Luiz Gustavo.

Os dez titulares durante o treino tático foram: Jefferson; Danilo, Miranda, David Luiz e Filipe Luís; Fernandinho, Elias, Willian e Philippe Coutinho; Diego Tardelli. Com a ausência de Neymar, que só se apresentará à Seleção na próxima segunda-feira, em Porto Alegre, o 11º jogador deverá ser Roberto Firmino.

O treinador não pôde contar no treino desta sexta-feira com o atacante Robinho, poupado por estar com dores no joelho direito. O jogador do Santos ficou alguns minutos na academia do CT da CBF, exercitando-se na bicicleta. Tudo sob a supervisão do fisioterapeuta Odir de Souza.

Neste sábado, por volta das 9h30 (de Brasília), a delegação do Brasil deixou a Granja Comary. Às 11h10, o grupo embarca para São Paulo, local do confronto contra o México.

Brasil Sub-16 vira no fim e elimina México dentro de casa

Terra

brasilmexicodiv

A Seleção Brasileira se superou e conseguiu uma virada nos últimos minutos diante do México, nesta quarta-feira, em duelo que valia vaga na semifinal da Copa de Nações Sub-16. Em partida bastante movimentada, prevaleceu a força da equipe do Brasil: mesmo atrás do marcador durante vários momentos, buscou a vitória por 4 a 3 para eliminar os donos da casa.

Já aos 8min, o México abriu o placar com Claudio Zamudio, mas o Brasil buscou o empate em pênalti convertido pelo goleador vascaíno Evander, que marcou pela sexta vez na competição. Esquivel, de cabeça, recolocou os mexicanos em vantagem, mas o Brasil encontrou o empate com gol de cabeça do zagueiro Zé Marcos, do Atlético-PR, mas Zamudio fez o terceiro.

Em segundo tempo com menos espaços, o Brasil encontrou a virada só nos últimos instantes. Ramon, do Fluminense, cruzou na cabeça de Evander, que concluiu com categoria. Já nos acréscimos, o volante botafoguense Matheus desviou cruzamento para definir a classificação do time dirigido por Caio Zanardi.

Na próxima sexta-feira, o Brasil volta a campo pela semifinal para enfrentar o Paraguai, responsável pela eliminação de Portugal com vitória por 4 a 1. Equador e Estados Unidos também lutam por um lugar na decisão marcada para domingo.

Sob forte calor, Holanda sua, faz dois após 40 min do 2º T e elimina México

Uol

Sneijder-Holanda-Mexico-Damien-AFP_LANIMA20140629_0069_30

Que sufoco! A Holanda suou (literalmente) muito, mas conseguiu passar por cima do México com um gol de pênalti nos acréscimos do segundo tempo. Com o placar de 2 a 1, o time europeu conseguiu avançar às quartas de final da Copa do Mundo e mantém viva a chance de buscar seu primeiro título Mundial. Já os mexicanos seguem eliminados nas oitavas de final como tem sido nas últimas edições.

O jogo foi disputado no Castelão, com um calor de 32ºC, com duas paradas técnicas e dois tempos completamente distintos. No primeiro, o México buscou o gol a todo momento e viu uma Holanda esperar pelos erros. Na etapa final, com o gol logo aos três minutos, os mexicanos recuaram e foram pressionados o tempo inteiro. Ochoa voltou a aparecer, mas não suportou a pressão e foi vazado duas vezes em cinco minutos. Os holandeses, agora, pegam Costa Rica ou Grécia, no próximo sábado, em Salvador.

Carrasco recente, México é freguês do Brasil em duelos de Copas do Mundo

Globo Esportes

esporte-futebol-jogo-brasil-mexico-castelao-confederacoes-milena-20130619-18-size-598

Em fevereiro, durante o Congresso Técnico da Fifa, em Florianópolis, Felipão e técnico do México, Miguel Herrera, se cruzaram. Na ocasião, os dois se cumprimentaram e trocaram algumas palavras cordiais. O papo foi rápido, mas o suficiente para Luiz Felipe Scolari deixar escapar:

– O México é a pedra no caminho do Brasil.

A preocupação de Scolari tem fundamento. No Século XXI, o México tem sido um dos rivais mais duros para a seleção brasileira. Os dois países se enfrentaram 10 vezes com seus times principais, com um retrospecto bem equilibrado: quatro vitórias para cada lado e dois empates.

A pedra no caminho citada por Felipão tem muito a ver com tropeços em decisões recentes. A Seleção foi derrotada nas finais da Copa das Confederações (1999), da Copa Ouro (1996 e 2003), dos Jogos Olímpicos (2012) e do Mundial sub-17 (2005 e 2013). Entretanto, quando o assunto é Copa do Mundo, o retrospecto é inverso: são três vitórias brasileiras em três partidas, com 11 gols marcados e nenhum sofrido.

O primeiro duelo em Mundiais, curiosamente, também se deu no Brasil, em 1950. No Maracanã, a Seleção venceu por 4 a 0, com gols de Baltazar, Jair da Rosa Pinto e Ademir Menezes, duas vezes. Foi a primeira vez que os dois países se enfrentaram na história e também a estreia do Brasil na Copa de 1950, diante de mais de 80 mil torcedores, no Rio de Janeiro. Foi o primeiro dos três triunfos dos brasileiros sobre os mexicanos na história da competição.

Quatro anos depois da Copa do Mundo de 1950, as duas equipes se reencontraram. No dia 16 de junho de 1954, o Brasil fazia seu primeiro jogo em Mundiais desde o Maracanazo. Motivada, a equipe entrou em campo com vontade de mostrar que seguia na elite do futebol. Sobrou para o México, que não viu a cor da bola na goleada da Seleção por 5 a 0, com gols de Baltazar, Didi, Pinga (duas vezes) e Julinho.

O último duelo entre as duas seleções em Copas, curiosamente, também ocorreu em uma estreia. Em 1962, os mexicanos encontraram um Brasil diferente, vindo do primeiro título mundial, e não mais uma equipe fadada a fracassar nas fases finais. Curiosamente, foi um dos jogos mais difíceis para a Seleção, que venceu por 2 a 0, com gols de Zagallo e Pelé. No fim do torneio, no Chile, os brasileiros faturaram o bicampeonato mundial.

No retrospecto geral, a vantagem brasileira é gritante. Brasil e México já se enfrentaram em 35 oportunidades, com 22 vitórias, seis empates e sete derrotas da Seleção. A atual geração, no entanto, já sofreu nas mãos dos mexicanos. Thiago Silva, Marcelo, Hulk, Oscar e Neymar estavam em campo na derrota por 2 a 1, em Wembley, na final dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, sob o comando de Mano Menezes.

O retrospecto recente da Seleção contra o México é ruim e preocupa. No entanto, na última vez que os dois times se encontraram, coisas boas aconteceram para o Brasil, curiosamente também no Castelão. Foi no estádio, em Fortaleza, que a torcida ignorou o protocolo da Fifa e, mesmo após a execução da primeira parte do hino nacional, seguiu cantando à capela.

A iniciativa contagiou a Seleção, virou rotina em todos os jogos do Brasil no país e virou símbolo da conquista da Copa das Confederações.

Em campo, o time também fez bonito. Com atuação de gala de Neymar – a melhor até então -, a Seleção venceu por dois 2 a 0. Os gols foram de Neymar e de Jô, após bela jogada do camisa 10, que criou ótima chance para o atacante.

Brasil e México, às 16 horas desta terça-feira em Fortaleza

10363571_400533933422057_6760002703095188692_n

Carrasco brasileiro marca, e México bate Camarões em estreia

Terra

31mexicocamaroesreuters

Com apoio de uma barulhenta torcida na Arena das Dunas, em Natal, o México estreou com vitória na Copa do Mundo de 2014. Nesta sexta-feira, a seleção da América do Norte teve dois gols mal anulados contra Camarões, mas superou os erros de arbitragem para vencer os africanos por 1 a 0, gol marcado por Oribe Peralta, carrasco brasileiro na final olímpica de 2012.

A vitória faz os mexicanos dividirem a liderança do Grupo A com o Brasil – ambos têm três pontos contra zero de Croácia e de Camarões.

A próxima rodada do Grupo A acontece na semana que vem. O Brasil recebe o México no Castelão, na terça-feira, às 16h (de Brasília), enquanto os africanos pegam a Croácia na quarta-feira, às 19h, na Arena Amazônia.

outdoor_pq





WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia