WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
vitoria da sorte




vitoria da sorte

dezembro 2021
D S T Q Q S S
« nov    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  



drupal counter

:: ‘OLIMPIADAS’

50% dos brasileiros são contra o Rio-16; aprovação é de 40%, diz Datafolha

Uol

Índice

A pouco mais de duas semanas da abertura da Olimpíada, em 5 de agosto, 50% dos brasileiros são contrários à realização do Jogos do Rio, revela o Datafolha.

De acordo com pesquisa do instituto feita entre os dias 14 e 15 de julho, o percentual de reprovação dobrou quando se compara ao levantamento anterior, feito em junho de 2013. Àquela altura, 25% dos brasileiros se opunham aos Jogos no Rio.

Há três anos, 64% eram favoráveis aos Jogos. Agora, o número retrocedeu para 40%. Entre os demais, 9% dos consultados se disseram indiferentes à competição e 2% não responderam.

A aversão ao megaevento do esporte é maior entre os moradores das regiões Sul e Sudeste, entre pessoas com mais instrução e com renda familiar mensal de cinco a dez salários mínimos.

Moradores do Norte e Nordeste e os jovens demonstram apoio maior à realização da Olimpíada.

11990482_677264472375720_7526595543322411409_n1

A uma semana de convocação, CBF tem dificuldade para liberar jogadores

Globo Esportes

baggkzq9syggye55md6zxkm41

A uma semana da convocação final para a Olimpíada, a CBF encontra grande dificuldade para montar a lista de 18 nomes e mais quatro suplentes. Até agora, apenas Neymar e Douglas Costa estão oficialmente liberados por seus respectivos clubes. Os outros 33 jogadores presentes na pré-lista ainda não tiveram o aval para defender a Seleção nos Jogos do Rio de Janeiro.

O coordenador da base, Erasmo Damiani, é quem está à frente das negociações. Antes, Gilmar Rinaldi tocava as conversas com os clubes. Demitido, o ex-coordenador de seleções fez rápida transição e não participa mais do processo. Como a Olimpíada não está dentro de uma data Fifa, os times não são obrigados a liberar seus jogadores para o torneio.

Nas negociações, há diferentes níveis de dificuldade. Alguns nomes, como Rafinha e Felipe Anderson, estão perto de conseguir a liberação, embora a CBF ainda aguarde o documento oficial de Barcelona e Lazio, respectivamente, confirmando o aval. Do outro lado, há complicações: o Monaco reluta em liberar Fabinho e Wallace, e o Benfica bate o pé para deixar Ederson disputar os Jogos.

O clube português aguarda para saber se Julio César estará em condições de fazer a pré-temporada, após grave lesão na coxa direita. O veterano era o titular até março, quando se machucou e abriu espaço na equipe. Caso Julio volte bem – a reapresentação está marcada para o dia 28 de junho -, crescem as chances de o Benfica liberar Ederson.

A situação de Ederson é crucial. Sua ausêcia na lista implica na convocação de um jogador com mais de 23 anos – Prass é o veterano escolhido por Rogério Micale. Caso Ederson seja liberado, crescem as chances de Douglas Costa ser chamado – Neymar e um zagueiro, provavelmente Thiago Silva, preencheriam as outras vagas num mundo ideal, com todos à disposição.

Confira o sistema de classificação para os Jogos Olímpicos no futebol

Ag?ncia Brasil

selecao_brasileira_0-990x660

O futebol apareceu pela primeira vez no programa dos Jogos de Paris, em 1900. Até a criação da Copa do Mundo, o torneio olímpico era a grande competição do futebol mundial, eternizando seleções como a “Celeste Olímpica” – o time do Uruguai, bicampeão em 1924 e 1928. Depois de 1930, as disputas foram protagonizadas por jogadores juvenis ou amadores, cenário que só seria revertido 54 anos depois, nos Jogos de Los Angeles, quando foi permitida a participação de jogadores profissionais. A entrada das mulheres na competição deu-se só em 1996, em Atlanta. A seleção dos Estados Unidos é a maior campeã, vencendo três das quatro edições realizadas até aqui.

As seleções masculinas são formadas por jogadores com até 23 anos, permitida a convocação de três jogadores acima desta idade. No feminino, não há restrição de idade, e geralmente as melhores atletas do esporte vão aos Jogos. No Rio, serão 16 seleções masculinas e 12 femininas – o que dá 504 atletas, no total – jogando pelo pódio. Por conta da quantidade de jogos, o campeonato olímpico começa antes mesmo da cerimônia de abertura. A bola já rola no dia 3 de agosto, em sete estádios espalhados pelo país: Arena Corinthians (São Paulo), Arena da Amazônia (Manaus), Arena Fonte Nova (Salvador), Mané Garrincha (Brasília), Mineirão (Belo Horizonte), Engenhão (Rio de Janeiro) e Maracanã (Rio de Janeiro).

Os times brasileiros têm vaga garantida por serem representantes do país-sede. No masculino, estão classificados para os Jogos do Rio de Janeiro os quatro primeiros colocados do Campeonato Europeu sub-21 (Suécia, Portugal, Dinamarca e Alemanha), os três primeiros colocados do Campeonato Asiático sub-23 (Japão, Coreia do Sul e Iraque), os três primeiros colocados do Campeonato Africano sub-23 (Nigéria, Argélia e África do Sul), os dois primeiros colocados do pré-olímpico da CONCACAF (México e Honduras) e os campeões do Campeonato Sul-Americano sub-20 (Argentina) e do pré-olímpico da Oceania (Fiji). Uma outra vaga está destinada para o vencedor da repescagem entre o segundo colocado do Sul-Americano e o terceiro colocado do torneio sub-23 da África – a Colômbia derrotou os Estados Unidos e se classificou.

No feminino, as vagas estão reservadas para as duas seleções europeias mais bem colocadas na Copa do Mundo, além da vencedora do pré-olímpico do continente (Alemanha e França, mais a Suécia), as campeãs e as vices dos pré-olímpicos da Ásia (China e Austrália, que joga as eliminatórias asiáticas), da África (África do Sul e Zimbábue) e da CONCACAF (Estados Unidos e Canadá) e as vencedoras da Copa América e do pré-olímpico da Oceania (Nova Zelândia). Como o Brasil foi campeão da Copa América e já estava garantido nos Jogos do Rio, a vaga foi herdada pela Colômbia, que terminou em segundo lugar na Copa América.

Para a primeira fase, as seleções classificadas se dividem em grupos com quatro equipes. O sorteio das chaves masculinas e femininas foi feito no dia 14 de abril. Confira como ficou a distribuição dos times:

No masculino
Grupo A: Brasil, Dinamarca, Iraque e África do Sul – Grupo B:Colômbia, Japão, Nigéria e Suécia – Grupo C: Fiji, Alemanha, Coreia do Sul
e México – Grupo D: Argélia, Argentina, Honduras e Portugal.

No feminino
Grupo A: Brasil, China, África do Sul e Suécia – Grupo B: Austrália, Canadá, Alemanha e Zimbábue – Grupo C: Colômbia, França, Nova Zelândia e Estados Unidos

unimarc-modelo-4

Seleção brasileira estreia contra a África do Sul no futebol masculino

Globo Esportes

sorteio

Um sorteio realizado nesta quinta-feira no Maracanã definiu os três adversários do Brasil na fase de grupos do futebol masculino nos Jogos Olímpicos. O primeiro adversário será a África do Sul, dia 4 de agosto, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. Em seguida, a seleção brasileira duelará com Iraque e Dinamarca por uma das duas vagas do Grupo A nas quartas de final.

O Grupo B, de onde sairá o adversário do Brasil nas quartas caso a Seleção passe de fase, é o mais equilibrado, com Japão, Colômbia, Nigéria e Suécia. Cabeça de chave no D, a Argentina terá Argélia, Honduras e Portugal como adversários na primeira fase. México, Coreia do Sul, Fiji e Alemanha completam o Grupo C.

Belo Horizonte, Brasília, Manaus, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo abrigarão jogos da disputa, que começa em 4 de agosto e termina no dia 20, com a decisão no Maracanã. Assim, o caminho do Brasil na primeira fase fica o seguinte. Após encarar a África do Sul na estreia em Brasília, a Seleção volta a jogar na capital federal em 8 de agosto para enfrentar o Iraque. A última partida da primeira fase será três dias contra a Dinamarca, em Salvador.

O Brasil ainda busca a inédita conquista do ouro no futebol. No masculino, são cinco medalhas até o momento: prata em Los Angeles 1984, Seul 1988 e Londres 2012; bronze em Atlanta 1996 e Pequim 2008. No feminino, foram duas de prata: em Atenas 2004 e Pequim 2008.

Atleta da região Sudoeste vai disputar as Olimpíadas de 2016

Blog do Rodrigo Ferraz

renê-campos-

O atleta Renê Campos, natural da cidade de Itapetinga, distante 100 km de Vitória da Conquista, vai representar o Brasil nas Olimpíadas do Rio 2016. A classificação foi confirmada ontem (quinta-feira), em uma disputa na França.

Neste ano de 2015, Renê Pereira, médico por formação, passou a contar com o apoio do programa de incentivo ‘Faz Atleta’, patrocinado pela empresa Frutos Dias. Na conversa com o diretor Elias Dourado, o paratleta agradeceu o apoio do Governo do Estado, afirmando que novos horizontes para conquistas de mais medalhas se abriram a partir deste apoio institucional.

Inscrições abertas para participar do revezamento da Tocha Olímpica Rio 2016

Blog da Resenha Geral

IMG_0809

Quer participar das Olimpíadas Rio 2016 e não é atleta, ou, mesmo sendo atleta, não competirá, mas quer marcar presença nos jogos? Então você tem uma grande oportunidade aqui, em Vitória da Conquista. Setenta pessoas serão selecionadas para conduzirem a Tocha Olímpica Rio 2016 em sua passagem pela cidade. E para ser escolhido basta se inscrever.

As inscrições estão acontecendo em sites específicos criados pelas empresas patrocinadoras Oficiais do Revezamento da Tocha Olímpica Rio 2016 (Coca-Cola, Nissan e Bradesco). As pessoas que participarem do revezamento levarão a tocha por cerca de 200 m. O percurso local será de quase 15 km.

Se você tem espírito olímpico, então não vai ficar fora desta competição. Se inscreva nos seguintes sites: issoeouro.cocacola.com.br; www.quemseatreve.com.br; www.revezamentobra.com.br.

Além de estar entre as 300 cidades do Brasil que participarão do revezamento, Vitória da Conquista será uma das 80 cidades “Celebração”, onde a tocha ficará exposta para visitação pública e haverá uma grande celebração cultural.

Com estádios vazios, Olimpíadas recorrem a militares

AGÊNCIA MANGA
Da Máquina do Esporte, Londres, Inglaterra

Militares britânicos ocupam espaços vazios em competições de ginástica - Fonte: AP Photo

Os Jogos Olímpicos podem ser o evento esportivo mais aguardado do quadriênio. Ainda assim, não conseguiram preencher todas as lacunas em aparatos esportivos de Londres. A edição deste ano tem convivido com espaços vazios, e chegou a usar militares para amenizar isso.

A arena que mais sofre com isso é a do vôlei, que fica distante do centro de Londres. Jogos realizados no último horário, por exemplo, começam às 22h (horário local). Quando terminam, as opções de transporte são escassas. Por isso, os primeiros jogos do Brasil no vôlei chegaram a ter redução de dois terços do público durante a partida.

Em outras arenas, como a da ginástica, o comitê organizador local (Locog, na sigla em inglês) recorreu a militares para preencher espaços vazios nas arquibancadas. O curioso é que eles já haviam usado a mesma saída para cobrir problemas na segurança.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) também disponibilizou no site oficial uma nova leva de ingressos para os Jogos. As entradas foram limitadas aos residentes na Europa.

Com duelo de favoritos e Marta, futebol abre Olimpíada de Londres

Tribuna da Bahia

A abertura da Olimpíada de Londres está marcada apenas para a próxima sexta-feira. Entretanto, antes de a pira olímpica ser acesa, a bola já rola nos gramados britânicos. Nesta terça-feira, o futebol feminino dá o pontapé inicial para a competição. Logo no primeiro dia, Brasil, da cinco vezes melhor do mundo Marta, Japão, atual campeão mundial, e os Estados Unidos, líderes no ranking da Fifa, estreiam no torneio, que, ao contrário do masculino, conta com atletas sem limite de idade.

Medalhista de prata em Atenas (2004) e Pequim (2008), a Seleção Brasileira feminina de futebol brigará na Olimpíada de Londres para afastar a sina de acumular fracassos em decisões. Novamente comandado por Marta dentro de campo, o time nacional iniciará a disputa pelo ouro inédito nesta terça-feira, às 14h45 (de Brasília), contra Camarões, em partida que será realizada no Milennium Stadium, em Cardiff, e válida pelo Grupo E do torneio.

Nas competições importantes, os Estados Unidos foram os principais algozes de Marta e companhia. Bicampeão olímpico, a equipe americana desembarca novamente como uma das grandes favoritos ao ouro. Vice-campeão mundial em 2010, o grupo da goleira Hope Solo entra em campo pela primeira vez nos Jogos a partir das 13h, em Glasgow, pelo Grupo G, contra a França, seleção ascendente que ocupa o sexto posto no ranking da Fifa e forte candidata a uma medalha.

Principal alvo das americanas, o Japão estreia no mesmo horário. A equipe oriental, embalada pela conquista do Mundial no ano passado e o prêmio de melhor jogadora do mundo para Homare Sawa, terá pela frente no primeiro duelo olímpico o Canadá, da estrela Christine Sinclair. As duas equipes se encaram no Estádio Cidade de Coventry, em duelo válido pelo Grupo F.

Antes de as três favoritas entrarem em campo, a Grã-Bretanha fará a primeira exibição para o torcedor. A partir das 12h, a seleção, que tem como base a equipe inglesa (única a vencer o Japão no Mundial do ano passado), encara a Nova Zelândia. Os times responsáveis pela abertura olímpica são justamente os próximos rivais do Brasil pelo Grupo E.

comercial tommacon



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia