WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

agosto 2019
D S T Q Q S S
« jul    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031



drupal counter

:: ‘RIVER’

Calleri volta a brilhar na Libertadores e São Paulo vence o River Plate

Ogol

lal56c3ye_4ojvwgtxmt_file

O São Paulo voltou com tudo na Libertadores. Depois de golear o Trujillanos por 6 a 0, o Tricolor Paulista recebeu o River Plate no Morumbi e emendou a segunda vitória, por 2 a 1, com dois gols de Calleri.

Com as duas vitórias seguidas, o São Paulo viu as chances de classificação aumentarem consideravelmente. Com oito pontos, o Tricolor passou o Strongest e empatou no topo com o próprio River, ainda em vantagem nos critérios de desempate.

O River Plate tentou explorar a ansiedade do São Paulo no Morumbi. Deu certo nos minutos iniciais. O Tricolor teve dificuldades para sair jogando, errou passes curtos e entregou a bola em posições perigosas. Mas o time argentinou mostrou um pobre futebol com a redonda nos pés. Denis sequer foi testado no primeiro tempo.

O encaixe do São Paulo aconteceu aos poucos. O domínio veio com o tempo, embora também sem muita inspiração. Michel Bastos testou Barovero com finalização cruzada e fraca, e Hudson tentou uma estranha bicicleta, que terminou com recuo para o goleiro argentino.

Calleri acabou mais uma vez por ser a diferença para o São Paulo. Aos 28 minutos, o artilheiro voltou a mostrar oportunismo para marcar seu sexto gol na Libertadores. O cruzamento da direita veio com força e o domínio, no peito, não foi fácil. Quando a bola escapou um pouco para a frente, o argentino se atirou de voleio para mandar para o gol.

O River tentou pressionar o São Paulo em busca do empate na volta do vestiário. A equipe da casa segurou com algum esforço a pressão argentina, que acabou por não durar muito. O Tricolor era melhor na partida e acabaria por ampliar a vantagem.

Aos 15 minutos, em cobrança de falta da ponta esquerda, Michel Bastos cruzou na área, Rodrigo Caio se atirou no vazio, mas puxando a marcação, e a bola acabou na cabeça de Calleri. O argentino nem precisou pular para completar para o gol.

Logo depois do gol, após falta pesada de D’Alessandro na direita, teve início uma confusão generalizada. Vangioni acabou agredindo Calleri com um tapa na cara e, por isso, foi expulso. O atacante são-paulino levou o amarelo no lance e, nervoso, foi substituído na sequência para evitar o vermelho.

Quando o São Paulo parecia ter o jogo na mão, uma falha da defesa e do goleiro Denis em levantamento na área de Lucho González acabou por render o gol do River. Mercado tocou de cabeça para Iván Alonso, que usou também a cabeça para marcar.

João Schmidt acabou recebendo o segundo amarelo, para desespero do torcedor. Os minutos finais foram de muita tensão no Morumbi, com jogo aberto, mas o placar seguiu no 2 a 1.

Bauza repetirá time da goleada, sem Lugano, na decisão contra River

Ogol

time_reunido

Nesta quarta-feira (14), o São Paulo jogará o seu futuro na Copa Libertadores da América contra o River Plate, às 21h45, diante de um Morumbi lotado.

Com cinco pontos em quatro jogos, o Tricolor está em terceiro lugar no grupo, a três pontos dos Millionarios, que lideram a chave, e a dois do The Strongest, que perdeu no final da noite de terça para o Trujillanos, por 2 a 1.

Os venezuelanos, inclusive, trazem boas lembranças aos são-paulinos. Na última rodada, a equipe do Morumbi acabou vencendo a equipe da Venezuela, por 6 a 0, para voltar a respirar no torneio.

A lembrança é tão boa que o técnico Bauza deve manter o time que entrou em campo naquela oportunidade, deixando, inclusive, o ídolo Diego Lugano no banco de reservas.

A tendência foi comprovada no treinamento da véspera do jogo, quando o comandante escalou o time com Denis; Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Mena; Hudson e João Schmidt; Michel Bastos, Ganso e Kelvin; Calleri.

outdoor_pq

Após falha de Denis, São Paulo evita o pior e fica no empate contra o River

Gazeta Esportiva

000_Mvd67535031-1024x661

O São Paulo evitou uma tragédia na Copa Libertadores ao empatar por 1 a 1 com o River Plate, em jogo disputado nessa quinta-feira, no estádio Monumental de Núñez. O time corria o risco de se complicar em caso de derrota, mas teve uma apresentação razoável e não sofreu grandes sustos durante a partida. A igualdade, inclusive, se deve a um erro do goleiro Denis após uma saída errada em cobrança de escanteio.

O ponto somado foi o primeiro do Tricolor no Grupo A da Libertadores. O time está na terceira colocação da chave, que é liderada pelo Strongest, da Bolívia, com seis pontos. Já o River Plate ocupa a segunda posição, com quatro pontos.

Os comandados de Edgardo Bauza saíram na frente do River graças a Ganso. O gol, marcado aos 17 minutos, foi o terceiro consecutivo do camisa 10. O meia também se tornou o artilheiro do São Paulo nesse ano, com quatro gols. O River, no entanto, chegou ao empate após o goleiro Denis cometer uma falha imperdoável. Aos 32, ele socou um cruzamento fácil nas costas do volante Thiago Mendes e foi encoberto pela bola.

O São Paulo tenta “virar a chave” a partir de agora e focar apenas no clássico contra o Palmeiras, marcado para as 11 horas (de Brasília) do domingo, no Pacaembu. Em seguida, o Tricolor viaja para a Venezuela, onde enfrenta o lanterna Trujillanos na quarta-feira, pela terceira rodada da fase de grupos da Libertadores. No mesmo dia, o River duela contra o Strongest, em La Paz.

Contra o River Plate, São Paulo joga a vida em “primeira final” do ano

Gazeta Esportuva

00846969-1024x682

Todo o planejamento do São Paulo para o primeiro semestre de 2016 será colocado à prova às 19h30 (de Brasília) dessa quinta-feira, quando o time subir ao gramado do estádio Monumental de Núñez para enfrentar o River Plate, pela segunda rodada da fase de grupos da Copa Libertadores. Apesar de a temporada ainda estar no seu início, o Tricolor encara o compromisso em Buenos Aires como a primeira final do ano. Se perder para os argentinos, atuais campeões da Libertadores, a situação da equipe no Grupo A do torneio continental ficará insustentável.

O drama são-paulino teve início com a inesperada derrota por 1 a 0 para o The Strongest, da Bolívia, na estreia da chave. Na última semana, a equipe boliviana aproveitou a altitude de La Paz, superou o Trujillanos-VEN por 2 a 0 e chegou à segunda vitória na competição. Em caso de derrota para o River Plate, o Tricolor ficará com a pontuação zerada, enquanto os dois principais adversários na briga pela classificação somarão seis pontos. Nas palavras do técnico Edgardo Bauza, um tropeço em Buenos Aires obrigará o time a “vencer os outros quatro jogos”. “Temos de fazer 12 pontos na Libertadores”, afirmou.

Para evitar uma tragédia no terceiro mês do ano, Bauza resolveu apostar na experiência dos jogadores que estão à disposição no elenco. O técnico surpreendeu ao sacar Rodrigo Caio da equipe titular e montou a dupla de zaga com o ídolo Diego Lugano e Maicon. A mudança foi a única promovida após a derrota por 3 a 1 para o São Bernardo, no último sábado. Mas, ao que tudo indica, o meia Michel Bastos poderá surgir como novidade na ponta esquerda. Ele se recuperou de uma contratura muscular na coxa esquerda, viajou para a Argentina e será opção para o segundo tempo.

Embora a pressão sobre o São Paulo tenha atingido o nível mais alto nesse ano, a diretoria tratou de se manifestar publicamente na terça-feira e rejeitou a possibilidade de demitir Bauza em caso de derrota. Mas o diretor executivo do clube, Gustavo Vieira de Oliveira, não poupou críticas ao elenco e cobrou “pulso firme, coração entregue e uma vontade a mais” dos jogadores. “Um jogador que não gosta de cobranças não pode jogar no São Paulo. É preciso existir essa cobrança. Eu vejo como uma motivação a mais”, disse o zagueiro Maicon.

O River Plate já né mais o mesmo time que conquistou a América no ano passado, mas bater os argentinos em um Monumental de Núñez lotado nunca será tarefa fácil. Na última rodada do Campeonato Nacional, os millonarios fizeram um jogo fraco contra o arquirrival Boca Juniors e empataram por 0 a 0, dentro de casa. Com oito pontos em seis rodadas, a equipe ocupa apenas a oitava posição no torneio.

Para essa quinta-feira, apenas sete dos 18 jogadores concentrados participaram da vitória por 3 a 0 sobre o Tigres-MEX, na final da última Libertadores. Os zagueiros Balanta e Maidana e o atacante Pisculichi, lesionados, estão fora do jogo. Em contrapartida, o técnico Marcelo Gallardo pôde relacionar o meia Andrés D’Alessandro, que fez história com a camisa do Inter. Mas, como se recuperou de uma contusão recentemente, o atleta só deve atuar por alguns minutos contra o São Paulo.

Neymar é garçom, Suárez faz dois e Barça bate River para ficar com o Mundial

Ogol

imgS620I166845T20151220123115

No primeiro, e único, jogo do trio MSN no Japão, Neymar foi o garçom, com duas assistências, Suárez o artilheiro, com dois gols, e Messi também deixou sua marca. O Barcelona acabou batendo o River Plate para conquistar o Mundial de Clubes.

É o terceiro título dos Culés desde que o torneio passou a ser organizado pela Fifa. A equipe é a mais vencedora da competição. Os Millionarios ficaram no sonho.

O River Plate começou o jogo em cima do Barcelona. Intenso, tentou pressionar o adversário no seu campo. Os argentinos conseguiram dificultar a vida dos rivais.

Só que a intensidade não durou muito. Depois de um tempo, a estratégia da equipe de Marcelo Gallardo era tentar parar o jogo, com algumas faltas. Ponzio aparecia bem nesse quesito.

Lionel Messi tentava furar o bloqueio defensivo da equipe de seu país. Era quem mais tantava. Barovero fez uma grande defesa aos 10, parando o craque.

Messi tentou também de falta, e Barovero fez a defesa. Só que, dentro da área, não teve jeito. Após assistência de cabeça de Neymar, Messi chegou a ajeitar com a mão, mas a jogada seguiu. O arremate foi forte, sem chance para o goleiro.

Os Millionarios, ao longo da primeira metade, só conseguiram colocar Claudio Bravo para trabalhar em arremates de fora da área. Nos dois, o chileno se saiu bem.

O River Plate voltou exposto no segundo tempo. Logo nos primeiros minutos, Busquets aproveitou isso e deu ótimo passe para Suárez. Na cara do gol, o uruguaio nem fez um grande arremate, mas foi suficiente para bater Barovero.

O uruguaio caprichou mais no terceiro. Aliás, quem caprichou mesmo foi Neymar, que cruzou na medida. Suárez concluiu bem e mandou para a rede.

É verdade que os argentinos ainda poderiam ter diminuído. Colocaram Bravo para trabalhar, acertaram o poste… Mas a vitória foi mais que justa. O Barça, uma vez mais, chegou ao topo do mundo. Se já não estava nele.

Chape luta e vence o River, mas cai em campanha histórica na Sul-Americana

Gazeta Esportiva

000_Mvd6724808

Acabou o sonho: a Chapecoense está eliminada da Copa Sul-Americana de 2015. Mesmo assim, o Verdão do Oeste tem todos os motivos para se orgulhar de sua primeira participação em um torneio internacional, já que caiu com vitória sobre o River Plate por 2 a 1 nesta quarta-feira, na Arena Condá.

A derrota se deu no placar agregado, já que os Millonarios haviam vencido o duelo de ida por 3 a 1, no Monumental de Núñez, em Buenos Aires.

Atual campeão da Copa Libertadores e da própria Sul-Americana, o time argentino avança à semifinal da competição diante do Sportivo Luqueño, do Paraguai, que derrubou o Atlético-PR no início desta noite.

De volta à realidade, a Chape recebe o próprio Furacão neste domingo, às 17 horas (de Brasília). Com 39 pontos somados, os comandados de Guto Ferreira figuram na 14ª posição da Série A e tentam evitar o rebaixamento.

River domina Chapecoense e vence por 3 a 1 no Monumental

Terra

pisculichiriverxchapecoensegabrielrossilatincontentgetty

Em confronto histórico para a Chapecoense , o River Plate teve grande volume de jogo e fez 3 a 1 na equipe catarinense na noite desta quarta-feira no Estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires (Argentina), abrindo vantagem nas quartas de final da Copa Sul-Americana. Os gols dos donos da casa foram anotados por Carlos Sánchez (duas vezes) e Pisculichi (de falta), enquanto Maranhão balançou as redes pela equipe visitante.

O duelo faz parte do segundo confronto oficial contra equipes internacionais na história do Verdão do Oeste. O primeiro aconteceu justamente nas oitavas de final, fase anterior desta Sul-Americana, nas quais o time de Santa Catarina empatou duas vezes por 1 a 1 com o Libertad, do Paraguai, e avançou nos pênaltis na Arena Condá.

A partida de volta está marcada para a próxima quarta-feira (28), na Arena Condá. Como há o critério de desempate por gols fora de casa até a semifinal da Sul-Americana, uma vitória por 2 a 0 classifica a Chape de forma direta à semi. Apenas um novo 3 a 1 em favor dos mandantes leva a decisão para os pênaltis e, com qualquer outro placar, o Verdão precisa ganhar por três gols de diferença para seguir no torneio continental.

O adversário do vencedor deste confronto será quem levar a melhor entre Atlético-PR e Sportivo Luqueño, do Paraguai. No primeiro jogo, realizado mais cedo nesta quarta, o Furacão fez 1 a 0 na Arena da Baixada e abriu vantagem.

Chapecoense tenta aproveitar embalo em duelo inédito com River Plate

Terra

chapecoense-penaltis-libertad-par-foto-divulgacaochapecoenselanima2015102000021

Motivada após duas importantes vitórias nos últimos três jogos – uma goleada por 5 a 1 contra o Palmeiras e uma vitória de virada por 3 a 2 sobre o Grêmio fora de casa -, a Chapecoense saiu do país pela segunda vez na história para o confronto inédito contra o River Plate, atual campeão da América e que defende o título da Copa Sul-Americana.

A partida, marcada para as 22 horas (de Brasília), no Monumental de Núñez, será a primeira contra o River Plate na história da equipe catarinense, e a segunda de dimensão internacional. Na primeira experiência, contra o Libertad, a equipe conseguiu segurar um empate em 1 a 1 em Assunção para classificar nos pênaltis na Arena Condá.

No embarque a Buenos Aires, na noite da última segunda, dois jogadores se uniram ao elenco que venceu o Grêmio no fim de semana. Após um trabalho com bola durante a reapresentação, que aconteceu também na capital gaúcha, o goleiro Danilo e o zagueiro Neto, suspensos do jogo em Porto Alegre, embarcaram rumo à Argentina para o confronto contra o River.

River arranca empate com Lajeadense e volta à Série C depois de oito anos

Globo Esportes

river_1

Frieza necessária para uma quente conquista. Oito anos depois, o River-PI está de volta à Série C do Campeonato Brasileiro. Na noite desta segunda-feira, no Dia do Piauí, a equipe tricolor empatou com o Lajeadense em 1 a 1 na arena Alviazul.

O empate – após ter vencido no jogo de ida por 3 a 0 – garantiu o acesso para o Galo, que consegue subir de divisão no Brasileiro pela primeira vez em seus 69 anos de história. O meia Alan abriu o placar no primeiro tempo para os donos de casa, mas Fabinho garantiu o placar necessário para a classificação.

Com o acesso do Galo, foram definidos os times que sobem para a Série C do próximo ano: Ypiranga-RS, Botafogo-SP e Remo. As semifinais da quarta divisão ficaram definidas também: Ypiranga-RS x River-PI e Remo x Botafogo-SP. As datas e horários ainda serão anunciadas pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

11990482_677264472375720_7526595543322411409_n

River Plate domina o Tigres, faz 3 a 0 e é tri da Libertadores após 19 anos

Gazeta Esportiva

triver2-1024x566

Pela terceira vez na história, o Monumental de Núñez explodiu em festa pela conquista da América. Na noite desta terça-feira, o River Plate bateu o Tigres por 3 a 0 na decisão do torneio, e, após empate sem gols na ida, se sagrou tricampeão da Copa Libertadores, 19 anos depois de seu segundo título, e última oportunidade na qual havia chegado à final.

Os tentos que garantiram a taça ao time da casa em Buenos Aires foram anotados pelo atacante Lucas Alario, pelo meio-campista Carlos Sánchez (de pênalti) e pelo zagueiro Funes Mori.

As conquistas anteriores aconteceram em 1986 e em 1996, ambas decididas na casa dos Milionários diante do América de Cali-COL. Da segunda conquista, inclusive, o agora treinador Marcelo Gallardo participou como jogador (à época era um jovem meia promissor do River, atuando ao lado de estrelas como Hernán Crespo e Enzo Francescoli). Nesta quarta-feira, no entanto, Gallardo não esteve no banco de reservas, pois foi expulso no primeiro jogo e cumpriu suspensão. Em seu lugar, o auxiliar Matías Biscay ficou à beira do gramado.

Além disso, ao se sagrar campeão da Libertadores em 2015, a equipe argentina completa seu domínio em âmbito sul-americano, uma vez que havia conquistado a Copa Sul-Americana de 2014 e a última Recopa.

outdoor_pq

Tigres e River Plate ficam no 0 a 0 e deixam decisão para o Monumental

Gazeta Esportiva

000_Was8949682

Ninguém conseguiu mexer no placar nos primeiros 90 minutos da final da Copa Libertadores da América. Na noite desta quarta-feira, Tigres e River Plate ficaram no 0 a 0 na partida de ida, realizada no Estadio Universitario, em San Nicolás de los Garza, região metropolitana de Monterrey.

Assim, a decisão fica para o jogo de volta, que acontece na próxima quarta-feira (5 de agosto), no Estádio Monumental de Núñez, onde o River Plate já ergueu duas vezes a taça da competição, em 1986 e em 1996. O Tigres, por sua vez, vai à Argentina perseguir o sonho de ser o primeiro time mexicano a levantar o troféu.

Como não há critério de gols fora de casa na final do torneio, qualquer empate em Buenos Aires leva a prorrogação de 30 minutos (dois tempos de 15) e, caso a igualdade persista, disputa de pênaltis.

Detalhe que ambos os finalistas saíram do grupo 6 da competição, no qual tiveram desempenhos opostos. O Tigres, líder com 14 pontos, teve a segunda melhor campanha da primeira fase, após empatar duas vezes com o River Plate no processo (1 a 1 e 2 a 2). Os argentinos, por sua vez, foram a pior equipe a avançar às oitavas de final ao somarem sete unidades na chave.

unimarc-modelo-4

River arranca empate do Guaraní e volta à final após 19 anos

Terra

palaugonzalezdisputaandrescristaldoefe

Dezenove anos. Foi este o tempo que o torcedor do River Plate esperou para ver o próprio time em uma final de Copa Libertadores da América. Foram quase duas décadas de campanhas encerradas precocemente, títulos do maior rival, Boca Juniors, eliminações para equipes menos capacitadas e espera. Muita espera. Que acabou nesta terça-feira, 21 de julho de 2015. Depois de muito tempo, o time millonário enfim terá a oportunidade de decidir o maior título da América em duas partidas.

O passaporte para a grande decisão da Libertadores foi conquistado diante do modesto, mas perigoso, Guaraní-PAR, em pleno Defensores Del Chaco, no Paraguai. Depois de vencer o jogo de ida por 2 a 0, em Buenos Aires, o River não se limitou a atuar na defesa mesmo fora de casa e quase pagou caro por isto. Levou 1 a 0, salvou bola em cima da linha, mas teve o brio necessário para não ser mais vazado, arrancar empate por 1 a 1 e carimbar vaga à final da Libertadores.

O rival será quem passar de Tigres x Inter. O time colorado venceu o duelo de ida, em Porto Alegre, por 2 a 1, e agora precisa de um simples empate nesta quarta-feira, no México, para avançar. Os jogos decisivos do vencedor deste confronto diante do River Plate acontecerão no meio das próximas duas semanas, na casa de cada time.





WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia