WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

janeiro 2020
D S T Q Q S S
« dez    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  



drupal counter

:: ‘TROCARAM’

40% dos times da Série A do Brasileiro já trocaram de técnico em 2016

MSN

BBseuza.img

A Série A do Campeonato Brasileiro só começa daqui três semanas, mas a dança das cadeiras dos técnicos já está a todo vapor no futebol nacional. No fim de semana, o Cruzeiro anunciou a demissão de Deivid e se tornou o oitavo clube da elite, 40% dos 20 participantes, a trocar de treinador.

Além da equipe mineira, também dispensaram os comandantes que iniciaram a temporada Atlético-PR, Figueirense, Fluminense, Palmeiras, Ponte Preta (duas vezes), Santa Cruz e Sport.

Assim como o Cruzeiro, inclusive, o Sport também ainda está sem treinador, depois que demitiu Falcão, na última semana. Por enquanto, o time do Recife é comandado interinamente por Thiago Gomes.

O caso mais emblemático é da Ponte Preta, que trocou de treinador duas vezes. Depois de um início ruim no Campeonato Paulista, Vinícius Eutrópio foi substituído por Alexandre Gallo, que, após o Estadual, acabou também caindo, preterido por Eduardo Baptista – demitido do Fluminense.

Também em São Paulo, o Palmeiras já trocou de técnico, demitindo Marcelo Oliveira, após arrancada ruim na Copa Libertadores, e contratando Cuca. Já no Nordeste, o Santa Cruz, recém-promovido, foi outro a mexer no comando: saiu Marcelo Martelotte, entrou Milton Mendes.

No Sul do país, o Figueirense já demitiu Hudson Coutinho, para contratar Vinícius Eutrópio; e o Atlético-PR trocou Critóvão Borges por Paulo Autuori.

13010866_763527323749434_1887758628180687307_n

Apenas times do G-4 do Brasileirão não trocaram de treinadores este ano

Galáticos Online

marcelo oliveira

Coincidência ou não, apenas, os quatro integrantes do G-4 do Campeonato Brasileiro, na última rodada, não trocaram de treinadores durante a temporada 2014. Cruzeiro, Internacional, São Paulo e Corinthians permanecem com os mesmos comandantes desde o início do ano.

Outras equipes também não mexeram em seus comandantes durante o Brasileirão. Fluminense, com Cristóvão Borges, Sport com Eduardo Baptista e o Botafogo com Vagner Mancini. Destes, apenas, o time carioca não frequenta a primeira página da tabela da competição nacional.

Na Bahia, as duas agremiações já modificaram de técnicos. O Vitória começou o ano com Ney Franco, passou por Jorginho e voltou para Ney Franco. O Bahia iniciou a temporada com Marquinhos Santos e agora é comandado por Gilson Kleina.

Os últimos times a trocarem de treinadores foram Santos (demitindo Osvaldo Oliveira e contratando Enderson Moreira) e Palmeiras (Gareca saindo e chegando Dorival Júnior).

outdoor_pq

Times do G5 do Baiano não trocaram de treinador

Galáticos Onlines

Treinador Sérgio Veloso do Serrano

Treinador Sérgio Veloso do Serrano

No Campeonato Baiano de 2013 apenas cinco equipes não mudaram de treinador e por coincidência todas essas equipe estão no G5, que é o grupo das equipes que garantem vaga na segunda fase.

Juazeiro, Serrano, Jacuipense, Botafogo e Juazeirense mantém os mesmos treinadores desde o início da competição, já Bahia de Feira, Conquista, Fluminense e Atlético já mudaram seus comandos técnicos.

O time que mudou mais vezes de treinador foi o Atlético, que chega ao terceiro em quatro jogos. Começou com Sérgio Odilon, depois o presidente Ferreira assumiu e agora será a vez de Osmar tentar salvar o time do rebaixamento.

No Fluminense de Feira Zanata começou, mas saiu após suspeita de esquema com empresários e entrou Pedro Mendes no seu lugar. O Bahia de Feira demitiu Arnaldo Lira depois de três anos no comando da equipe e contratou Nazareno Silva e o Vitória da Conquista começou com Fábio Giuntini, que entregou o cargo, agora a equipe é comandada por Moacir Júnior.

Os treinadores Janilson Brito (Juazeiro), Sérgio Veloso (Serrano), Uéslei (Jacuipense), Ricardo Silva (Botafogo) e Laelson Lopes (Juazeirense) seguem firmes no comando técnico das equipe e se mantiverem o ritmo irão desbancar os favoritos, levando os times que treinam para a segunda fase do Baiano.

Para se ter ideia da importância na manutenção do treinador durante toda a competição o Fluminense foi campeão brasileiro em 2012 tendo Abel Braga como treinador em toda série A, já na série B o Goiás e o Criciúma subiram para a elite tendo como comandantes durante toda a competição Enderson Moreira e Paulo Comelli, respectivamente.

pmvc




WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia