Fonte: Globo Esportes


Vettel festeja, e Alonso já está de olho na corrida do
próximo domingo, em Abu Dhabi (Foto: Reuters)

Entre os mais de 72 mil torcedores que foram ao autódromo de Interlagos neste domingo, quase ninguém queria ver um título de Fernando Alonso. O companheiro de Massa na Ferrari chegou a São Paulo como o único capacitado para ser campeão por antecipação. Para isso, precisava, por exemplo, vencer a prova e torcer para Mark Webber chegar em quinto. Não foi o que aconteceu. A RBR roubou a liderança de Nico Hulkenberg logo no início e dominou o GP do início ao fim.

Com chuva no sábado e sol no domingo, o fim de semana em São Paulo ficou marcado por uma tentativa de assalto a Jenson Button, mas principalmente pelo acirramento da briga pelo título. Agora tudo será decidido em Abu Dhabi, no próximo domingo, no encerramento da temporada. Mas antes disso, vale a pena recordar, em cinco capítulos, os momentos mais relevantes da passagem do circo da Fórmula 1 pelo Brasil em 2010

1) Um intruso na pole

O sábado foi de surpresas em Interlagos. E a primeira delas falava alemão. Não era Sebastian Vettel, e sim Nico Hulkenberg, o piloto de 23 anos que colocou a Williams na pole position após cinco anos de jejum. Hulk surpreendeu os favoritos e se intrometeu na festa dos candidatos ao título. Garantiu a primeira posição do grid, deixando para trás Vettel, Webber, Alonso e Hamilton. Tudo bem que, na hora da corrida, o conto de fadas acabou. Hulkenberg terminou em décimo lugar. Foi bom enquanto durou.

2) O susto de Button

A segunda surpresa foi bem menos agradável. Ao deixar Interlagos rumo ao hotel em São Paulo, Jenson Button levou um susto. O carro onde o inglês estava foi abordado por homens armados. Para sua sorte, o motorista era um policial civil brasileiro, que deu um jeito de driblar o trânsito para salvar o piloto da McLaren. Também estavam no carro o pai de Button, o empresário e o fisioterapeuta. O britânico apelidou o motorista brasileiro de “Lenda”. No vídeo ao lado, um momento do piloto inglês na corrida de domingo.

3) O início decisivo

A largada do GP do Brasil deu o tom da corrida. Sebastian Vettel pulou na frente e roubou a liderança de Hulkenberg. Mark Webber também superou o alemão da Williams, que só conseguiu segurar Fernando Alonso por sete voltas. Aos poucos, enquanto Hulk caía pelas tabelas, os favoritos foram se alinhando no pelotão de frente. Até Button, que largou mal, conseguiu se recuperar até a quinta posição. Ou seja, as surpresas ficaram pelo caminho na hora da corrida.

4) A falsa esperança do safety car

Na 51ª volta, Vitantonio Liuzzi, da Force India, rodou, bateu e forçou a entrada do safety car. Era uma esperança de interromper a fila indiana que tinha se formado na frente e acirrar disputas por posição, especialmente entre Vettel e Webber, a dupla da RBR. Mas não foi o que aconteceu. O alemão continuou andando bem, Webber segurou a segunda posição, e Alonso, em terceiro, não quis se arriscar. A RBR não quis fazer o jogo de equipe, que poderia deixar Webber a apenas um ponto de Alonso na classificação.

5) As novas posições na tabela

Com Vettel liderando a dobradinha, a distância de Webber para Alonso caiu de 11 para oito pontos. O espanhol precisa apenas chegar em segundo lugar em Abu Dhabi para garantir seu terceiro título na carreira. Vettel e Webber ainda têm chances, mas precisam secar o espanhol. Hamilton mantém o sonho, apesar de precisar de um milagre para ser campeão de novo. Clique aqui e saiba o que cada um precisa fazer nos Emirados. As respostas serão dadas daqui a uma semana, no GP do dia 14.