WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
novo uniao supermercados








dezembro 2014
D S T Q Q S S
« nov   jan »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

drupal counter

:: 17/dez/2014 . 15:09

Juiz profissional: alto custo, lei, risco de “chinelinho” e taxas são obstáculos

Por Raphael Zarko e Vicente Seda
Rio de Janeiro

salarios_arbitragem_2

Bico ou profissão? O dilema da arbitragem brasileira coloca na mesma balança árbitros que ganham mais de R$ 100 mil em um Campeonato Brasileiro, outros que sequer entram no sorteio para as competições nacionais e uma realidade de atrasos e pagamentos abaixo de um salário mínimo. O tema é complexo e a discussão, antiga. Desde outubro de 2013, por decreto da presidente Dilma Rousseff, há um reconhecimento da profissão, mas, na prática, pouco mudou. O presidente da Comissão Nacional de Arbitragem (Conaf), Sérgio Corrêa, não vê chance de profissionalização sem a inclusão da tecnologia e avalia risco de surgimento dos “chinelinhos do apito” com salários para árbitros e assistentes. O presidente da Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (Anaf) questiona o vínculo dos juízes com as comissões de arbitragem e Jorge Rabello, representante do Rio de Janeiro, fala em “utopia de profissionalização” enquanto a Lei Pelé não for aplicada às Consolidações das Leis Trabalhistas (CLT).

A reportagem que debate a profissionalização é mais uma da série de reportagens do GloboEsporte.com sobre a arbitragem brasileira. No primeiro dia, as altas notas das atuações dos árbitros na Série A do Brasileiro em relatório produzido anualmente pela Comissão Nacional dos Árbitros de Futebol (Conaf) foram o assunto. No segundo dia, o tema foi a CBF ter ligado o alerta contra a manipulação de jogos no Brasil nove anos após o escândalo conhecido como “Máfia do Apito”, em que jogos foram anulados devido à venda de resultados pelo ex-árbitro Edílson Pereira de Carvalho, em 2005. Depois, a eficiência na marcação de impedimentos e os erros dos bandeirinhas foi outro tema abordado.

Um dos chavões mais antigos quando se debate a qualidade dos árbitros brasileiros, a cobrança pela profissionalização dos juízes e bandeirinhas está na boca de treinadores, jogadores, jornalistas e torcedores a cada rodada e cada erro nas partidas. A realidade, no entanto, mostra que há parcela representativa da classe que vive sim dos vencimentos do futebol. Em média, um juiz do quadro da Fifa ou da CBF apita de 15 a 20 jogos por ano no Brasileiro da Série A. A taxa nesses jogos pode chegar a quase R$ 4 mil por partida (veja o quadro com a comparação das taxas da arbitragem abaixo) e há finais de campeonato – o Carioca é um exemplo – que pagam até R$ 8 mil ao juiz.

O presidente da Associação Nacional dos Árbitros, Marco Antônio Martins, lembra que a maioria dos árbitros e assistentes que trabalham com futebol são professores de instituições públicas ou funcionários do estado, o que lhes garante, inclusive por lei federal, o direito a se ausentar do ofício para atuar nas partidas sem prejuízo ao seu ofício convencional.

– Se o cara tem que apitar quarta e ele é obrigado a sair um dia antes, sai na terça e volta na quinta. Como vai ter emprego fixo? Isso é uma falácia. O que mais temos hoje é um grande número de árbitros que são funcionários públicos e que se beneficiam justamente da lei federal. Ela (a lei) os protege para a saída deles para apitar jogo. Então, ele é personal trainer, é professor de educação física em colégio do estado, militar, da marinha, do exército – enumera Martins. :: LEIA MAIS »

Com propostas, Raul não deve voltar ao Bahia em 2015

Bahia Notícias

xIMAGEM_BAHIA_5.jpg.pagespeed.ic.vAIdSUedYF

Alguns jogadores que estavam emprestados retornarão ao Bahia para o início da temporada de 2015. No entanto, nem todos eles continuarão no Fazendão. Um dos atletas que volta, mas dificilmente deve permanecer em Salvador, é o lateral-esquerdo Raul.

Negociado para o América Mineiro no meio do ano, onde disputou o segundo turno do Campeonato Brasileiro da Série B, Raul agradou aos dirigentes do coelho, e por isso tem em mãos uma proposta de renovação, de acordo com seu empresário Aildo Pires.

Além do América-MG, o jogador que pertence ao Bahia até dezembro de 2015 foi procurado por mais duas agremiações do futebol nordestino. Aildo Pires, em contato com o Bahia Notícias, confirmou que Raul foi procurado por outras equipes, mas vai aguardar o anúncio do novo diretor de futebol do Bahia para sacramentar o futuro do lateral-esquerdo.

“Raul tem contrato com o Bahia. Então, como sei que o presidente deve está transbordando de coisas, vou aguardar o novo diretor ser anunciado para conversar e decidir sobre Raul”, disse.

Hoje, de acordo com o agente de Raul, o Bahia deve três meses de salários ao jogador. O tricolor, apesar do empréstimo, ficou responsável por uma parte do valor e o América-MG com o restante.

Novo técnico do Jacobina, Andrade já se prepara para disputa do Baianão 2015

Esporte Total

andrade(1)

O novo técnico do Jacobina, Andrade, já se encontra em solo baiano. Nesta terça-feira (16), o ex-treinador do Flamengo foi visto em solo baiano ao lado do empresário Marcos Manassés.

Andrade será o responsável por comandar o Jacobina no retorno à elite do futebol baiano em 2015. O time estreia no campeonato no dia 1º de fevereiro contra o Galícia. O Jegue da Chapada está no grupo B ao lado de Vitória, Jacuipense, Catuense, Feirense e Conquista.

Aos 57 anos, o novo treinador do Jacobina chega ao clube após acumular passagens por Flamengo, Brasiliense, Paysandu, Boavista e São João da Barra (RJ).

outdoor_pq

Jacuipense estava mesmo torcendo para pegar o Paraná na Copa do Brasil

Tribuna da Bahia

Índice

“Quando a CBF definiu as chaves, fizemos uma avaliuação e chegamos à conclusão de que o Paraná, a nível de atração, seria o melhor adversário para o torcedor da Jacuipense. Felizmente deu certo e agora vamos trabalhar para fazer uma ótima participação na nossa estreia na Copa do Brasil”.

Desta forma o presidente da Jacuipense, o advogado Felipe Sales Carneiro, 29 anos, que em 2010, criou o projeto para reativar o futebol no clube, parado desde 2006. De volta à elite do futebol baiano em 2015, com a participação no Estadual da 1ª Divisão, o projeto do clube é não é só se manter, mas tentar ocupar um posto até hoje vago, o de “terceira força” da Bahia. Para isso, o clube fechou contrato de cogestão com a HWT Promoções Esportivas com vistas a atingir um novo patamar em excelência.

Mas uma surpresa negativa no final desta temporada. O Jacuipense perdeu o técnico Ricardo Silva, que levou o time até às quartas de final da Série D do Campeonato Brasileiro, e acertou contrato com o Serrano.

Por enquanto o presidente decidiu dar oportunidade a Clebson de Araújo Almeida, o “Beleza”, que coordenava o futebol, e passa a dirigir o time visando a temporada de 2015, com a estreia, no Campeonato Baiano.

Além de Ricardo Silva, deixaram também o Jacuipense o preparador físico Ednílson Sena e mais quatro jogadores: Edmilson Sena, além de quatro jogadores: zagueiro Anderson e os meio-campistas Naldo, Damatta e Sidnei.

Presidente do Conquista vibra com duelo contra Palmeiras: “A cidade toda está comemorando”

Bahia Notícias

xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.2lXiC3gnvJ

Após sorteio realizado nesta terça-feira (16) para definir os confrontos da primeira fase da Copa do Brasil de 2015, o Vitória da Conquista/BA, que está na chave 1, vai encarar o Palmeiras. O presidente do atual campeão da Copa Governador do Estado, Ederlane Amorim, falou sobre o sorteio do adversário na Copa do Brasil. “Foi bom, já esperávamos pegar um time grande. A cidade toda está comemorando porque um time grande vai jogar aqui, será um privilégio enorme”, disse Ederlane em entrevista ao Bahia Notícias.

O mandatário do bode quer aproveitar o confronto com o alviverde paulista tornar o clube do interior baiano mais conhecido: “É uma ótima oportunidade para expandir nossa marca e conquistar espaço nacional. Espero que, tecnicamente, a gente possa fazer um bom trabalho”. O Conquista joga a primeira partida em casa, no estádio Lomanto Júnior e, pelos critérios da competição, caso a equipe mandante perca por dois ou mais gols no jogo de ida, é eliminada, sem ser necessária a partida de volta.

Questionado sobre o Campeonato Baiano, marcado para começar no dia 01 de fevereiro, Ederlane Amorim não deu pistas em relação a contratação de jogadores: “Temos uns nomes encaminhados, mas só vamos revelar depois da apresentação, que está marcada para o dia 05 de janeiro”.













comercial tommacon



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia