Globo Esportes

mco_58681

Dentro de casa, diante de um adversário modesto e em pleno aniversário de 115 anos. Para o técnico Gilmar Dal Pozzo, pior do que tudo isso na eliminação do Náutico foi o desempenho do time – classificado pelo comandante como o pior do Timbu no ano.

– O resultado incomodou muito, mas mais nos incomodou a produtividade. Nossa equipe não jogou bem. Foi, talvez, o nosso pior jogo do ano. Eu falava, nas coletivas desta semana, que, no futebol e na vida, tudo é merecimento. E não fizemos por merecer.

Para o treinador, o Náutico falhou em todos os aspectos. Técnica, tática e emocionalmente, o time esteve abaixo do padrão, na visão do comandante. Dal Pozzo fez uma mea culpa.

– Nós temos que rever essa questão de três atacantes. É aí que me culpo. Nossa equipe normalmente joga com mais jogadores no meio de campo, hoje optei por usar mais homens na frente e não deu certo.

A baixa performance da equipe nos dois últimos jogos preocupa o treinador para a sequência da temporada e para a reta final do Campeonato Pernambucano.

– Sim (preocupado). Primeiro é reconhecer quando a equipe joga mal contra o Central, domingo, ficamos muito abaixo no primeiro tempo. No segundo, melhorou, mas o Central teve três jogadores a menos. Hoje, mais uma vez fomos mal. Temos que trabalhar e rever conceitos. Mas na semifinal, começa outro campeonato, totalmente à parte do início.