WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
novo uniao supermercados








junho 2024
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

drupal counter

:: ‘Seleção Brasileira’

CBF não assina carteira e atletas da seleção feminina seguem sem benefícios

Bahia Notícias

IMAGEM_NOTICIA_5

Às vésperas dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016, a Seleção Brasileira de Futebol Feminino vive um impasse com a Confederação Brasileira de Futebol. Desde a formação do grupo permanente, em que as atletas deixaram seus clubes para treinar exclusivamente na equipe nacional, a entidade prometeu as jogadoras a assinatura de contratos e todos os benefícios equivalentes. Entretanto, mais de um ano depois, as meninas seguem com acordos verbais e nenhuma garantia sobre as suas garantias.

“O Vadão (treinador da Seleção) disse que iríamos nos apresentar no dia 26 de janeiro de 2015 e levaríamos nossa documentação, carteira de trabalho, CPF, tudo para sermos registradas. Nos apresentamos e ficamos esperando”, afirmou a goleira Andréia Suntaque em entrevista ao blog EspnW, do portal Espn.

Segundo as atletas, o pagamento que recebem é proveniente de diárias iguais entre as atletas e um “salário” que se distingue em três categorias, com as mais experientes recebendo o maior valor. O que preocupa as jogadoras, é que não existe um contrato assinado e nenhum tipo de garantia para o futuro. “Prometeram que teríamos Unimed, os melhores hospitais, clínicas, que seria o plano top de linha mesmo. Cancelei meu plano de saúde na época e acabei ficando sem”, reitera a atacante Gabi Zanotti, que por conta da falta de uma resposta da CBF acabou assinando contrato com um clube chinês e não foi mais convocada para os jogos do Brasil.

“Não teve explicação. Não fui para os amistosos no Canadá (no início de 2016), nem para essa convocação final para ficar treinando em Itu antes de sair a lista olímpica. Sinceramente não sei o que aconteceu, mas assim que eu perguntei em relação ao Direito de Imagem do ano passado, que a gente recebeu um valor muito baixo, coincidentemente teve a convocação para o Canadá e eu não estava relacionada. Não sei”, confessou.

CBF divulga lista com Renato Augusto e sem Fred; Walace vai para Rio 2016

Globo Esportes

20160629114608_1

Após muitas negociações e algumas frustrações – a última delas no veto do Bayern de Munique em Douglas Costa, lesionado -, a CBF entregou nesta tarde a lista definitiva para disputar a Olimpíada do Rio de Janeiro. A lista tem 18 nomes conhecidos e quatro suplentes escolhidos, que não foram divulgados pela seleção olímpica.

Os casos mais sensíveis foram definidos de última hora. Um deles com desfecho positivo – caso de Felipe Anderson, que conseguiu a liberação do Lazio e agradeceu ao clube italiano – e outro, negativo. Fred, do Shakhtar, não teve sucesso nas negociações com o clube ucraniano e ficou fora da lista. Ele foi substituído por Walace, do Grêmio. Marquinhos, do PSG da França, permanece entre os nomes convocados por Micale. Renato Augusto, do Beijing Guoan, da China, foi o escolhido para o lugar de Douglas Costa.

Horas antes da lista final, Felipe Anderson definiu seu destino com o novo técnico do Lazio, Simone Inzaghi. O brasileiro pressionou pela liberação e a conseguiu. Logo depois, divulgou comunicado nas redes sociais agradecendo a compreensão do clube.

O coordenador de seleções de base da CBF, Erasmo Damiani, fez breve comentário ao site da CBF. Os jogadores se apresentam segunda-feira na Granja Comary, região serrana do Rio de Janeiro. A decisão de não anunciar os quatro suplentes partiu da comissão técnica.

– Quero agradecer ao Walace pelo pronto atendimento à convocação e ao Renato Augusto que se colocou à disposição da comissão técnica – disse Damiani.

Veja a lista completa abaixo:

Goleiros: Fernando Prass (Palmeiras) e Uilson (Atlético-MG) – Defensores: Marquinhos (Paris Saint-Germain-FRA), Rodrigo Caio (São Paulo), Zeca (Santos), Douglas Santos (Atlético-MG), Luan (Vasco) e William (Internacional) – Meio-campistas: Rafinha Alcântara (Barcelona-ESP), Rodrigo Dourado (Internacional), Walace (Grêmio), Thiago Maia (Santos), Renato Augusto (Beijing Guoan-CHN) e Felipe Anderson (Lazio-ITA) – Atacantes: Neymar (Barcelona-ESP), Gabriel Jesus (Palmeiras), Gabriel (Santos) e Luan (Grêmio).

Em busca de ouro inédito, Vadão convoca Seleção feminina para Rio 2016

MSN

BBugd2J.img

A 24 dias da abertura das Olimpíadas de 2016, o técnico Vadão anunciou nesta terça-feira a lista das 18 convocadas que buscarão o ouro inédito no futebol feminino para o Brasil. Optando por utilizar um maior número de atletas que defendem a Seleção Permanente, como contratadas diretas da CBF, o treinador ainda escolheu nomes mundialmente consagrados, como Marta, que atua na Suécia, Cristiane e Érika, ambas do Paris Saint-Germain.

Citando o tempo de trabalho e a busca por um elenco unido, além de exclusivamente o talento das jogadoras, Vadão, junto do coordenador Marco Aurélio Cunha, priorizou um grupo que atingisse um alto nível tático, em conjunto, para a conquista do título nos Jogos do Rio – as meninas brasileiras bateram na trave duas vezes: prata em 2004 e 2008.

“Nesse momento, o maior problema é a recuperação de atletas que estão em fase final de temporada. Como tivemos que divulgar a lista com antecedência, a gente tem que se adaptar à essas lesões”, apontou o comandante verde-amarelo, apontando, ainda, as três atletas que ainda não se apresentaram à CBF: Marta, Bia Zaneratto e Thaís Guedes.

Além dos 18 nomes principais, Vadão também chamou quatro suplentes, que integrarão o elenco tanto nos treinos para as Olimpíadas quanto nos amistoso preparatório contra a Austrália, no dia 23 de julho.

A estreia da Seleção no Rio de Janeiro será no dia três de agosto – três dias antes da abertura oficial do torneio – contra a China. Suécia e África do Sul são as outras adversárias das brasileiras pelo Grupo E.

Confira a lista com as 22 atletas que defenderão o Brasil nos Jogos:

Goleiras: Bárbara- Seleção Permanente Aline- Seleção Permanente e Luciana- Seleção Permanente (Suplente) – Laterais: Fabiana- Dalian Quajian (CHI), Poliana- Houston Dash (EUA) e Thamires – Fortuna Hjorring (DIN) – Zagueiras: Mônica- Orlando Pride (USA), Rafaelle- Changchun Club (CHI), Bruna Benites- Seleção Permanente e Érika- Paris Saint-Germain (FRA) Meio-campistas: Thaísa- Seleção Permanente, Formiga- Seleção Permanente, Andressinha- Houston Dash (EUA) e Marta- FC Hosenbergh (SUE) – Atacantes: Debinha- Dalian Quajian (CHI), Cristiane- Paris Saint-Germain (FRA), Andressa Alves -Barcelona (ESP), Bia Zaneratto- Steel Red Angels (COR), Raquel- Changchun Club (CHI) e Darlene- Changchun Club (CHI) (Suplente)

Thaís Guedes – Steel Red Angels (COR) (Suplente)

Seleção Olímpica convocada para a Rio 2016

CBF

20150518121600_3

O técnico Rogério Micale convocou a Seleção Brasileira Olímpica para a disputa dos Jogos do Rio 2016. Foram relacionados os 18 jogadores que irão em busca da conquista inédita da medalha de ouro para o Brasil.

A delegação se apresenta para o último período de preparação no dia 18 de julho. Serão nove dias de Granja Comary antes do embarque para Goiânia, no dia 27, para a disputa do último amistoso antes da estreia na competição. A partida será contra o Japão, no Estádio Serra Dourada, no dia 30 de julho.

No dia 4, a Seleção Brasileira inicia sua caminhada pelo ouro contra a África do Sul, em Brasília. Em seguida, no dia 7, novamente no Estádio Nacional de Brasília, o time do técnico Rogério Micale enfrenta o Iraque. O encerramento da primeira fase para o Brasil será contra a Dinamarca, no dia 10, desta vez em Salvador, na Arena Fonte Nova.

Confira a lista de convocados:

GOLEIROS

Fernando Prass – Palmeiras

Uilson – Atlético Mineiro

LATERAIS

William – Internacional

Douglas Santos – Atlético Mineiro

Zeca – Santos

ZAGUEIROS

Rodrigo Caio – São Paulo

Luan – Vasco da Gama

Marquinhos – Paris Saint Germain

MEIAS

Thiago Maia – Santos

Rodrigo Dourado – Internacional

Fred – Shaktar Donetsk

Rafinha Alcântara – Barcelona

Felipe Anderson – Lazio

ATACANTES

Neymar – Barcelona

Douglas Costa – Bayern de Munique

Luan – Grêmio

Gabriel Barbosa – Santos

Gabriel Jesus – Palmeiras

r3fUvZA

Convocação desta quarta não é definitiva; CBF ainda busca liberações

Globo Esportes

baggkzq9syggye55md6zxkm41

Os 18 jogadores que serão convocados nesta quarta-feira para defender a seleção olímpica no Rio 2016 podem não ser os mesmos que estarão à disposição do técnico Rogério Micale na estreia da equipe, no dia 4 de agosto, contra a África do Sul, em Brasília. E o motivo é simples: a CBF, ainda com dificuldades nas negociações com clubes europeus, tem até o dia 18 de julho para entregar a lista final de convocados ao Comitê Olímpico Brasileiro.

A convocação desta quarta é de uma lista prévia que será enviada ao COB no dia 1º de julho. Mas, como há complicações na liberação de alguns jogadores que atuam no exterior, é possível que haja a necessidade de mudanças na relação até o dia 18. A CBF cogita viajar à Europa para conversar diretamente com os clubes até o prazo final.

Por isso, Micale convocará força máxima. A lista desta quarta-feira contará com vários jogadores que ainda não conseguiram liberação de seus clubes. São os casos, por exemplo, de Fabinho, do Monaco, Marquinhos, do Paris Saint-Germain e Felipe Anderson, do Lazio. Até agora, os únicos que têm aval são Neymar, Douglas Costa e Rafinha.

A ideia é deixar claro para os jogadores chamados a vontade de que estejam com o grupo. O fato do início da pré-temporada da maioria dos clubes ser por volta do dia 4 de julho faz com que os próprios jogadores possam dialogar melhor internamente em busca da liberação. A CBF, por sua vez, ganha tempo na negociação.

11990482_677264472375720_7526595543322411409_n1

A uma semana de convocação, CBF tem dificuldade para liberar jogadores

Globo Esportes

baggkzq9syggye55md6zxkm41

A uma semana da convocação final para a Olimpíada, a CBF encontra grande dificuldade para montar a lista de 18 nomes e mais quatro suplentes. Até agora, apenas Neymar e Douglas Costa estão oficialmente liberados por seus respectivos clubes. Os outros 33 jogadores presentes na pré-lista ainda não tiveram o aval para defender a Seleção nos Jogos do Rio de Janeiro.

O coordenador da base, Erasmo Damiani, é quem está à frente das negociações. Antes, Gilmar Rinaldi tocava as conversas com os clubes. Demitido, o ex-coordenador de seleções fez rápida transição e não participa mais do processo. Como a Olimpíada não está dentro de uma data Fifa, os times não são obrigados a liberar seus jogadores para o torneio.

Nas negociações, há diferentes níveis de dificuldade. Alguns nomes, como Rafinha e Felipe Anderson, estão perto de conseguir a liberação, embora a CBF ainda aguarde o documento oficial de Barcelona e Lazio, respectivamente, confirmando o aval. Do outro lado, há complicações: o Monaco reluta em liberar Fabinho e Wallace, e o Benfica bate o pé para deixar Ederson disputar os Jogos.

O clube português aguarda para saber se Julio César estará em condições de fazer a pré-temporada, após grave lesão na coxa direita. O veterano era o titular até março, quando se machucou e abriu espaço na equipe. Caso Julio volte bem – a reapresentação está marcada para o dia 28 de junho -, crescem as chances de o Benfica liberar Ederson.

A situação de Ederson é crucial. Sua ausêcia na lista implica na convocação de um jogador com mais de 23 anos – Prass é o veterano escolhido por Rogério Micale. Caso Ederson seja liberado, crescem as chances de Douglas Costa ser chamado – Neymar e um zagueiro, provavelmente Thiago Silva, preencheriam as outras vagas num mundo ideal, com todos à disposição.

Tite fala sobre lideranças e minimiza polêmicas envolvendo Neymar

Gazeta Esportiva

20160620180243_576859f360bbb

O primeiro jogo da Seleção Brasileira com Tite no comando acontece apenas no próximo dia 2 de setembro, quando a equipe viaja até a altitude de Quito para enfrentar o Equador, vice-líder das Eliminatórias para a Copa do Mundo da Rússia. No entanto, o ex-treinador corintiano já começa a planejar sua equipe, que terá como principal objetivo a classificação para o próximo Mundial.

Uma grande incógnita gira em torno dos onze ideias que deverão entrar em campo contra o Equador em setembro, porém, mais do que isso, há a dúvida se Neymar continuará vestindo a faixa de capitão do time mesmo após seu comportamento polêmico fora dos gramados, chegando, inclusive, a categorizar os críticos da Seleção Brasileira como “um monte de babacas” após a eliminação canarinho na Copa América Centenário, ainda na fase de grupos.

Tite não descartou uma mudança de capitania, porém procurou esclarecer que há vários tipos de lideranças dentro de um elenco e bastará a ele decidir qual tipo será adotado em sua equipe.

“Existem diversos perfis de liderança: a técnica, a comportamental, aquela que consegue externar de forma pública suas ideias. Existem diversas facetas de capitania, aquele que é exemplar no dia a dia, então eu procuro fomentar esse tipo de relação. Quando ganha um ganham todos, a alegria de um é a alegria de todos. Nós precisamos ter senso de equipe, seja ele no clube ou em seleção”, afirmou Tite.

“Não adianta eu querer falar se vai ser assim ou assado. O lado humano potencializa o lado profissional. A única coisa que posso assegurar é que todos, inclusive o Neymar, querem o bem da Seleção. Compete a nós encontrarmos o melhor caminho, buscarmos o melhor caminho e vou começar a trabalhar agora para potencializar esse melhor caminho”, completou.

Tite embarca já nesta terça-feira para os Estados Unidos onde acompanhará a semifinal da Copa América entre Colômbia e Chile. O Brasil irá receber os colombianos no próximo dia 6 de setembro, na Arena Amazonas, em Manaus, e o novo treinador da equipe canarinho quer analisar os rivais in loco.

11990482_677264472375720_7526595543322411409_n1

CBF oficializa Tite como novo técnico da seleção brasileira

ESPN

622_ff92558c-058a-3848-a32f-da2cc8414279

Sem surpresa para ninguém. A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) oficializou nesta segunda-feira, através de transmissão com o aplicativo Periscope, que Tite é o novo técnico da seleção brasileira. O gaúcho de 55 anos já havia acertado sua saída do Corinthians na última quarta-feira e, enfim, assinou hoje contrato para substituir Dunga, demitido após a Copa América.

Ele terá a companhia na seleção do gerente Edu Gaspar, de seu braço direito Cleber Xavier, o seu filho e assistente Matheus Bacchi e outros membros de confiança em sua comissão técnica.

Tite herda o lugar de Dunga, que deixou o comando com aproveitamento de 75,6% no geral: 26 jogos, 18 vitórias, cinco empates e três derrotas. Em jogos oficiais, porém, foram 14 partidas, com seis triunfos, cinco igualdades e três reveses – só 54,7% de aproveitamento.

O gaúcho de 55 anos será o responsável por tirar a seleção brasileira da crise – ao menos técnica -, já que acaba de ser eliminada da Copa América do Centenário, nos Estados Unidos, logo na primeira fase da competição em grupo que ainda tinha Equador, Haiti e Peru.

Por experiência, Tite é o mais preparado a chegar pela 1ª vez na seleção

MSN

AAhkvH0.img

Uma ligação que nunca veio, retomada após ano sabático e ‘não’ quatro vezes até que o convite fosse, enfim, aceito, entrasse em aeronave particular da CBF e desembarcasse em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. Ninguém ousa contestar: Tite é o melhor nome para a seleção brasileira neste momento. E também o mais preparado ao assumi-la pela primeira vez.

Se considerarmos, claro, a experiência como parâmetro. Nenhum outro – não considerando interinos e sempre levando a primeira passagem no time nacional -, na história dos pentacampeões mundiais, chegou a seu comando com mais tempo de carreira.

Para efeito de comparação, entre seus antecessores mais recentes, Dunga tinha 43 anos quando recebeu o primeiro chamado da CBF (em 2006), Luiz Felipe Scolari, 53 (2001), Mano Menezes, 48 (2010), Carlos Alberto Parreira, 40 (1983), e Emerson Leão, 51 (2000). Tite completou 55 anos no último dia 25 de maio.

Na última quarta-feira, ele teve a sua ida para a seleção confirmada pelo presidente Roberto de Andrade, em entrevista coletiva. Deixou o CT Joaquim Grava para entrar definitivamente na história do Corinthians. Foi, inclusive, homenageado neste domingo e sucumbiu às lágrimas antes do pontapé inicial contra o Botafogo, na Arena. “Temos de colocar Tite em um pedestal. Não dá para fazer comparação com outro técnico”, resumiu Andrade.

Mais calejado, o gaúcho chega à seleção com a rodagem de quem funcionou como escudo nos últimos meses para uma diretoria que teve de conviver com a pressão de uma crise que carregava os mais diversos ingredientes: desmanche do elenco, acusação de envolvimento na Lava Jato e escândalo com denúncia de desvio de dinheiro na base.

Ainda assim, o treinador com passagem por Grêmio, Inter e outros conseguiu se sagrar campeão paulista (2013), bicampeão brasileiro (2011 e 2015), campeão da Recopa Sul-Americana (2013), da Copa Libertadores (2012) e do Mundial de Clubes (2012).

O desafio será semelhante na CBF. E Tite sabe disso – até mesmo relutou inicialmente em aceitá-lo em virtude também dessas condições.

Foram quase 20 anos tentando vingar como jogador de futebol no interior do Rio Grande do Sul, a largada como técnico no Guarany-RS, a fuga do anonimato, as conversas com Carlo Ancelotti e, enfim, a consagração.

Convocações e escolha de rivais foram assuntos na negociação com Tite

MSN

AAh4lR3.img

O treinador Tite e o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, conversaram por quase quatro horas na terça-feira (14), antes de o técnico aceitar comandar a seleção brasileira. Entre os assuntos abordados na conversa, dois pontos sobre o contrato que a entidade possui com a empresa Pitch Internacional, responsável pela parte comercial dos amistosos, foram fundamentais para o acerto.

De acordo com a Folha de S.Paulo, Tite quis saber sobre o papel da empresa na lista de convocados e como é feita a escolha dos rivais. O treinador exigiu que pudesse convocar o jogador que quiser, além de poder opinar na negociação sobre os adversários.

A reportagem da Folha disse que Del Nero respondeu afirmando que “a lista de convocados é do técnico e de sua equipe, e que o contrato evita apenas que a CBF mande equipes de base para os amistosos comercializados pela parceira”.

Já sobre os amistosos, o presidente ressaltou que “depende da disponibilidade dos rivais, mas que CBF tem interesse em adversários fortes e que isso não será problema”.

A estreia de Tite à frente da seleção será em setembro, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

11990482_677264472375720_7526595543322411409_n1













comercial tommacon



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia