WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
novo uniao supermercados








junho 2024
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

drupal counter

:: ‘Seleção Brasileira’

Brasil pode reencontrar Alemanha na fase de grupos das Olimpíadas

MSN

BBrwkn0.img

Após o inesquecível 7 a 1, o Brasil pode reencontrar a Alemanha na fase de grupos dos Jogos Olímpicos do Rio-2016. A Fifa definiu nesta sexta-feira os cabeças de chave da competição. O sorteio que define as chaves será realizado na próxima quinta-feira, no Maracanã, às 10h30.

A Seleção, que a princípio será comandada por Dunga, ao lado de Argentina, México e Japão, serão os cabeças de chave, divididos em quatro grupos. Já Alemanha ficou apenas no quarto pote. Um confronto com a Nigéria, campeã olímpica em Atlanta-1996, em cima do Brasil, também é possível. A Seleção feminina também terá definição no mesmo dia.

O Brasil estará no Grupo A, obrigatoriamente e fará estreia no estádio Mané Garrincha, em Brasília, em 4 de agosto. A equipe voltará a jogar na capital federal na segunda rodada e fechará a primeira fase na Fonte Nova, em Salvador, pela terceira rodada. A final ocorre em 20 de agosto, no Maracanã. A Seleção feminina também terá definição no mesmo dia.

Pote 1: Brasil, Argentina, Japão e México
Pote 2: Nigéria, Coreia do Sul, Honduras e Iraque
Pote 3: Suécia, Fiji, Portugal, Africa do Sul
Pote 4: Argelia, Colômbia, Dinamarca, Alemanha

Nesta semana, CBF ouviu “não” de Tite e disse “não” a Jorge Sampaoli

Globo Esportes

hor0264

Na mesma semana em que bancou a permanência de Dunga no comando da seleção brasileira, a CBF procurou Tite – e ouviu dele um “não”. Também nesta semana, empresários procuraram a CBF para oferecer o argentino Jorge Sampaoli. Então foi a vez de a CBF dizer “não”.

Não houve contato direto entre um funcionário da CBF e o técnico do Corinthians. Tudo se deu por intermediários – um da confederação, outro do treinador. O movimento da CBF deu-se à revelia do coordenador de seleções, Gilmar Rinaldi, que defende a continuidade de Dunga. A decisão de sondar Tite partiu da cúpula da entidade. O recado que chegou à CBF foi que Tite não largaria o Corinthians no meio da disputa da Taça Libertadores.

Jorge Sampaoli, campeão da última Copa América à frente da seleção chilena, está desempregado desde janeiro. Segundo o GloboEsporte.com apurou, Sampaoli toparia assumir o comando da seleção brasileira. Neste caso, a cúpula da CBF e Gilmar Rinaldi coincidiram na recusa ao treinador argentino.

Sem ter ouvido “sim” de Tite e tendo dito “não” a Sampaoli, a CBF resolveu bancar Dunga. O técnico ganhou o que pode ser definido ao mesmo tempo como um voto de confiança e um ultimato: ele será o técnico na Copa América Centenário, a ser disputada em junho, nos Estados Unidos.

CBF banca Dunga e Gilmar na Copa América; Olimpíadas são incógnita

Globo Esportes

2016-03-26t034706z_1386540236_gf10000361151_rtrmadp_3_soccer-world

A decisão ainda não foi tomada, mas a tendência na CBF é que Dunga e Gilmar Rinaldi sejam mantidos nos cargos de treinador e coordenador de seleções, pelo menos até a Copa América Centenário, a ser disputada em junho, nos Estados Unidos. O comando da Seleção para as Olimpíadas em agosto, porém, ainda não está tão claro e o desempenho nos EUA poderá promover uma mudança na comissão técnica.

Dunga e Gilmar se reuniram na tarde desta terça-feira com a cúpula da CBF e receberam o que pode ser entendido por um lado como um “voto de confiança” e, por outro, como um “ultimato”. Ao mesmo tempo em que garantiu seus empregos até a Copa América, a dupla também recebeu uma carga extra de cobrança.

Na noite de segunda, véspera da reunião com a CBF, Gilmar Rinaldi declarou ao canal “Fox Sports” que Dunga será o técnico das Olimpíadas, com Rogério Micale como auxiliar. Micale é o técnico da sub-20 e dirigiu os últimos amistosos da seleção sub-23, que disputará os Jogos reforçada de três atletas com mais de 23 anos. Se o desempenho na Copa América custar o lugar de Dunga nas Olimpíadas, Micale surge como principal opção no momento para os Jogos, mas ainda não está claro qual é o plano da CBF se o capitão do tetra sair da busca pela medalha de ouro.

Na CBF, o planejamento olímpico ainda não está tão definido. A Copa América não é prioridade para a entidade, que coloca os Jogos do Rio e a inédita medalha de ouro à frente. Nas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2018, a Seleção ocupa apenas o sexto lugar – hoje, fora da zona de classificação para o Mundial da Rússia.

Os últimos empates com Uruguai (2 a 2, no Recife) e Paraguai (2 a 2, em Assunção) aumentaram ainda mais a pressão sobre o capitão do tetra. Se o desempenho apresentado na Copa América for ruim, o técnico das Olimpíadas pode não ser Dunga.

11990482_677264472375720_7526595543322411409_n1

Futuro de Dunga e Gilmar na Seleção será discutido a partir de terça-feira

Globo Esportes

20160322153212_56f18fac62c43_qrkyRCH

Há uma guerra cada vez menos silenciosa em curso na CBF pelo comando da seleção brasileira. De um lado, dirigentes do alto escalão, com poder e influência na entidade, querem trocar o treinador e o coordenador de seleções. De outro, Dunga e Gilmar Rinaldi acreditam que estão sendo fritados e batalham para permanecer nos cargos.

Oficialmente, a CBF não comenta o assunto. A coordenação de seleções, comandada por Gilmar Rinaldi, informa que “o planejamento está mantido para Copa América e Olimpíadas”. Mas mudanças estão sendo discutidas pela cúpula. Haverá uma série de reuniões na semana que vem para tratar do futuro da Seleção. A primeira delas será na próxima terça-feira.

Vários dirigentes da CBF participam dessa discussão. Mas a decisão passa obrigatoriamente pelo crivo do presidente licenciado, Marco Polo Del Nero – que foi quem escolheu Dunga e Gilmar para comandar a Seleção após o fracasso na Copa do Mundo de 2014.

As últimas duas semanas foram especialmente difíceis para a dupla Dunga e Gilmar. Os empates contra Uruguai e Paraguai na rodada dupla das eliminatórias sul-americanas derrubaram o Brasil para sexto lugar – fora da zona de classificação para a Copa do Mundo da Rússia em 2018. Há fatores extracampo que também são cada vez mais questionados.

Na noite da última terça-feira, enquanto a Seleção sofria no Defensores Del Chaco contra o Paraguai, não foram poucas as mensagens que chegaram aos dois presidentes da CBF (o licenciado, Marco Polo Del Nero, e o interino, Antonio Carlos Nunes) sugerindo a demissão de Dunga e Gilmar.

A campanha foi parcialmente abortada pelo gol de Daniel Alves nos minutos finais da partida, que impediu a derrota e evitou que a seleção caísse para sétimo lugar nas eliminatórias. Mas os ataques voltaram com força dobrada na quarta-feira.

– Fomos todos dormir aliviados, mas acordamos em sexto lugar. Estamos fora da Copa. A ficha caiu – disse ao GloboEsporte.com um dos maiores defensores da troca de comando na seleção brasileira.

Dunga reclama de pressão e enaltece jogo técnico da Seleção

Bahia Notícias

IMAGEM_NOTICIA_5

Após empate heroico do Brasil contra o Paraguai, nesta terça-feira (29), o técnico Dunga continua na pressão. Mostrando incômodo com o jogo extremamente físico das Eliminatórias na América do Sul, ele citou nomes de outros treinadores que também foram ‘pressionados’.

“A eliminatória é um campeonato a parte. Quando você não tem a bola, tem que lutar com todas as armas. Com a bola nós mostramos nossa qualidade técnica, com toques de bola. Nossos jogadores estão acostumados com o futebol europeu, com os bons gramados”, disse o técnico na entrevista coletiva.

Segundo ele, ser contestado é normal, como outros treinadores campeões mundiais também tiveram seus trabalhos questionados. ”Vocês contestaram o Zagallo, o Parreirao o Felipão, todos campeões mundiais. Por que eu não serei contestado?”, completou.

Alívio ou agonia? Brasil define seus próximos 5 meses contra o Paraguai

Globo Esportes

20160328113405_56f940dd7e7b9_omqEN6j

Os 90 minutos da noite desta terça-feira vão determinar o estado de nervos da seleção brasileira nos próximos cinco meses. Uma vitória sobre o Paraguai, no estádio Defensores del Chaco, em Assunção, deixará a equipe firme entre as quatro primeiras colocadas, na zona de classificação para a Copa do Mundo de 2018. Mas uma derrota ou até mesmo um empate na partida que terá início às 21h45 (de Brasília) poderão lançar o Brasil ladeira abaixo, à sexta ou até à sétima posições.

A tabela do torneio sul-americano justifica, até agora, o rótulo de mais equilibrado de todos os tempos. Dunga não se cansa de falar sobre isso. O Equador lidera com 13 pontos, à frente de Uruguai (10), Brasil, Paraguai e Argentina (8), Chile e Colômbia (4). Peru (4), Bolívia (3) e Venezuela (1) têm uma disputa particular para não ser o mico das eliminatórias, que classificará diretamente os quatro primeiros para o Mundial da Rússia. O quinto colocado ainda terá chance na repescagem.

Os adversários diretos têm boas chances de saírem vitoriosos nesta terça-feira: Uruguai e Argentina receberão Peru e Bolívia, em casa, respectivamente. O Chile viaja para enfrentar a Venezuela, enquanto, no jogo teoricamente mais equilibrado, Colômbia e o líder Equador duelarão em Barranquilla.

Depois do duelo desta noite, o Brasil só voltará a jogar pelo torneio em setembro, contra Equador, em Quito, no dia 2, e Colômbia, em alguma cidade brasileira ainda não definida, no dia 6 – as datas também não estão confirmadas pela Conmebol. Após uma série de fracassos, o maior deles o histórico vexame dos 7 a 1 para a Alemanha, ficar fora da Copa do Mundo pela primeira vez na história é o maior pavor do comando do futebol brasileiro.

Antes do reinício das eliminatórias, a Seleção vai disputar ainda a Copa América Centenário, em junho, e as Olimpíadas, em agosto. Ou em clima de tranquilidade ou de pressão total. Depende de quantos pontos a equipe vai conseguir levar de Assunção.

Para complicar, Neymar está suspenso. Muito provavelmente, Ricardo Oliveira será o atacante. David Luiz, de atuação muito ruim no empate por 2 a 2 com o Uruguai, na última sexta-feira, também recebeu o segundo cartão amarelo e será substituído por Gil. Dunga manterá o esquema tático 4-1-4-1, que deu certo na vitória por 3 a 0 sobre o Peru e funcionou maravilhosamente bem por cerca de 35 minutos diante do Uruguai.

outdoor_pq

Dunga convoca Felipe e Gabigol para lugar de David Luiz e Neymar contra o Paraguai

Bahia Notícias

IMAGEM_NOTICIA_5

Com a suspensão de Neymar e David Luiz no jogo da última sexta-feira (25) frente ao Uruguai, o treinador Dunga convocou o zagueiro Felipe e o atacante Gabigol para a partida contra o Paraguai, válida pelas eliminatórias da Copa do Mundo 2018.

Felipe, que defende o Corinthians, tem a sua primeira convocação para a Seleção. Já Gabigol estava no grupo olímpico que perdeu para a Nigéria e chega ao time principal onde reencontrará os companheiros de clube Lucas Lima e Ricardo Oliveira.

Com oito pontos, o Brasil enfrenta o Paraguai, às 21h45, fora de casa. Os Guaranís também somam a mesma pontuação com diferença inferior aos brasileiros no saldo de gols.

unimarc-modelo-4

Brasil abre 2 a 0, mas sofre gol de Suárez e cede empate ao Uruguai

Gazata Esportiva

000_APM633080-1024x681

A Seleção Brasileira abriu o placar sem deixar o Uruguai tocar na bola, aos 40 segundos de jogo, e chegou a fazer 2 a 0. Mas Luis Suárez, que ainda não tinha feito gol sobre o Brasil e atuou pela primeira vez desde a suspensão na Copa do Mundo, balançou as redes para definir o empate por 2 a 2 em Pernambuco, nesta sexta-feira.

Um resultado frustrante após o início dos comandados de Dunga, com o gol de Douglas Costa aos 40 segundos e Renato Augusto ampliando, aos 25 do primeiro tempo. Mas David Luiz e Filipe Luis foram decisivos para o rival. Aproveitando bobeira de ambos, Cavani descontou, aos 31 minutos do primeiro tempo. Aos dois do segundo, Suárez aproveitou a lentidão de David Luiz para igualar o marcador.

O Brasil chega a oito pontos, ocupando a terceira colocação, dois pontos e uma posição abaixo do Uruguai nas Eliminatórias Sul-Americana da Copa do Mundo de 2018. O time de Dunga volta a campo às 21h45 (de Brasília) de terça-feira, diante do Paraguai, que também tem oito pontos em cinco rodadas, em Assunção. A seleção celeste recebe o Peru, no mesmo dia, às 20 horas.

Neymar e Suárez farão duelo de craques e colocarão à prova ótima fase que vivem

O Estadão

images

Sorte dos torcedores do Barcelona que podem ter Messi, Suárez e Neymar. Mas quando dois do trio MSN se enfrentam, a expectativa é de um duelo entre craques. É o que vai acontecer nesta sexta-feira, às 21h45, na Arena Pernambuco, no Recife, quando Neymar e Suárez serão adversários durante 90 minutos. Além dos três pontos na corrida por uma vaga na Copa do Mundo de 2018, há uma motivação extra para os dois amigos. O jogo vale uma aposta: quem perder o jogo, além da decepção, terá que pagar um hambúrguer para o outro.

Os dois vivem momentos excelentes e são ídolos nacionais. Neymar marcou quatro gols nos últimos três jogos com a camisa do Barcelona. Suárez tem a incrível marca de 43 gols marcados em 43 jogos pelo clube catalão. E, como motivação extra, retorna à seleção uruguaia após 21 meses de suspensão por ter mordido o italiano Chiellini, durante a Copa de 2014.

O episódio ainda é motivo de preocupação do técnico da seleção uruguaia, Óscar Tabárez. “Vamos passar tranquilidade para ele. Estamos sempre falando para ter cuidado, pois algumas coisas graves aconteceram e a gente espera que isso não se repita”, disse.

Neymar, em entrevista à TV Globo, também encheu a bola do companheiro: “Levamos a afinidade de fora de campo para dentro e isso está dando resultado. A gente fica feliz quando o outro faz gol e nos ajudamos bastante”.

Apesar de estarem entre os jogadores de futebol mais bem pagos do planeta e em seus pés estarem a confiança das torcidas de Brasil e Uruguai, Neymar e Suárez se divertem com desafios quase infantis, como a aposta do hambúrguer para o vencedor do jogo desta sexta, conforme Suárez revelou na entrevista que deu na última terça.

Em 5º jogo nas Eliminatórias, Dunga tem meia de criação como maior problema

Uol

renato-augusto-abre-as-entrevistas-na-semana-de-preparacao-da-selecao-1458577486339_615x300

Quatro jogos de Eliminatórias, uma Copa América e 12 amistosos depois, o problema de ter um meia de criação, principal responsável por armar as jogadas da equipe, permanece a principal dor de cabeça de Dunga à frente da seleção brasileira.

Perto de encarar o Uruguai na próxima sexta-feira (25), pela 5ª rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, a provável escalação titular do Brasil tem justamente nesta posição a principal dúvida, com diferentes concorrentes: Oscar, Lucas Lima, Renato Augusto e Philippe Coutinho.

Os dois favoritos são Renato Augusto e Lucas Lima. O ex-corintiano precisa mostrar a Dunga que não se afetou com a falta de ritmo de jogo por ter disputado apenas uma partida neste ano com sua equipe, o Beijing Guoan. O próprio atleta admitiu que possa sentir esse problema. No último jogo, contra o Peru, ele foi titular por 90 minutos com direito a um gol. Antes, diante da Argentina, já havia jogado por 27 minutos.

O santista, por sua vez, seguiu caminho exatamente inverso. Recusou uma proposta milionária da China pensando na seleção brasileira e aguarda a sua chance. Contra a Argentina, atuou por 63 minutos, fez um gol e tem mantido seu ritmo jogando com frequência como titular do Santos. Já são dez partidas na temporada.

Oscar corre por fora. Em baixa com Dunga, ele atuou contra o Chile por 90 minutos, mas já foi substituído contra a Venezuela com a bola rolando justamente por Lucas Lima. Depois disso, ficou no banco diante da Argentina e jogou apenas por seis minutos contra o Peru. Nos estádios brasileiros, passou a ser sempre vaiado e virou um dos símbolos da “geração do 7 a 1”.

Philippe Coutinho, por sua vez, dificilmente iniciará a partida como titular. Depois de ser cortado das duas primeiras partidas, ele ficou de fora da lista da 3ª e 4ª rodada, ganhando nova chance somente após voltar a brilhar com a camisa do Liverpool.













comercial tommacon



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia