WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
novo uniao supermercados








junho 2024
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

drupal counter

:: ‘CRITICA’

Técnico argentino vê pior momento do futebol brasileiro e corneta até Fred Comente

Uol

alfio-basile-tecnico-argentino-do-racing-1330350994124_615x300

Em entrevista ao jornal espanhol El País, o técnico argentino Alfio Basile fez duras críticas ao atual momento do futebol brasileiro. Responsável por comandar a Argentina no último título da seleção principal (Copa América 1993), ele disse que a equipe pentacampeã mundial nunca esteve tão fraca.

“O futebol brasileiro de hoje é o pior de sua história. Antes, tinham jogadores que nos davam bailes impressionantes. A técnica que o atleta brasileiro perdeu é incrível. Historicamente, nós podíamos ganhar do Brasil jogando bem, mas sempre enfrentando e sendo valentes, porque tecnicamente, eles sempre eram superiores”, disse Basile, que guardou até uma “cornetada” especial.

“Tinham uns times impressionantes, e agora os vejo jogar e faltam futebolistas no meio-campo, na defesa, no ataque. Na Copa de 2014, quem jogou de centroavante foi Fred”.

A opinião de Basile sobre o futebol argentino, porém, é mais positiva. Apesar de lembrar com carinho da geração que comandou no início dos anos 90, quando venceu invicto duas edições da Copa América e foi eliminado nas oitavas de final da Copa de 1994 pela Romênia, o treinador de 72 anos elogiou a geração atual da seleção.

“O futebol argentino sempre se renova. Neste ano, quantos goleadores tivemos na Europa? Todos jogadores de seleção. Impressionante o que fizeram Higuaín, Agüero, Dybala e, claro, Messi”, disse.

A Argentina terá a chance de quebrar o jejum de 23 anos sem títulos na Copa América Centenário. O time estreia em 6 de junho contra o Chile. Panamá e Bolívia são as outras seleções no Grupo D.

Tite critica futebol às 11h da manhã: ‘Daqui a pouco alguém morre’

r7

28xapvjjpc_4ja02gwzl2_file

A menos de uma semana da estreia no Campeonato Brasileiro, Tite, técnico do atual campeão Corinthians, criticou duramente as partidas marcadas para as 11 horas de domingo. O treinador chegou a apontar até mesmo risco de vida para os atletas. O Corinthians já tem dois jogos agendados para às 11h de domingo, diante do Sport, na Arena Pernambuco, pela quarta rodada, e em casa, com o Botafogo, na nona.

“Não (gosto de jogos às 11h). Absolutamente não. E não pelo lado familiar. É um risco que se corre, muito grande. Se você pega um jogo com menos de 72 horas (de descanso) e você joga às 11h, nós todos estamos correndo o risco de daqui a pouco algum problema de saúde e de alguma morte”, afirmou o treinador, logo após participar de encontro com técnicos na sede da CBF, no Rio de Janeiro.

O período maior de descanso é a maior bandeira do treinador. “Para mim, excelência de trabalho está em ser cobrado, mas com o mínimo de 72 horas (entre os jogos). Não sou fisiologista e não sou médico, mas não quero ser partícipe de jogos às 11h ou de menos de 72 horas de tempo, que daqui a pouco um atleta precisa morrer para que a gente possa rever conceitos. Isso eu não quero.”

Dal Pozzo revela preocupação com a exibição do Náutico: “Pior jogo do ano”

Globo Esportes

mco_58681

Dentro de casa, diante de um adversário modesto e em pleno aniversário de 115 anos. Para o técnico Gilmar Dal Pozzo, pior do que tudo isso na eliminação do Náutico foi o desempenho do time – classificado pelo comandante como o pior do Timbu no ano.

– O resultado incomodou muito, mas mais nos incomodou a produtividade. Nossa equipe não jogou bem. Foi, talvez, o nosso pior jogo do ano. Eu falava, nas coletivas desta semana, que, no futebol e na vida, tudo é merecimento. E não fizemos por merecer.

Para o treinador, o Náutico falhou em todos os aspectos. Técnica, tática e emocionalmente, o time esteve abaixo do padrão, na visão do comandante. Dal Pozzo fez uma mea culpa.

– Nós temos que rever essa questão de três atacantes. É aí que me culpo. Nossa equipe normalmente joga com mais jogadores no meio de campo, hoje optei por usar mais homens na frente e não deu certo.

A baixa performance da equipe nos dois últimos jogos preocupa o treinador para a sequência da temporada e para a reta final do Campeonato Pernambucano.

– Sim (preocupado). Primeiro é reconhecer quando a equipe joga mal contra o Central, domingo, ficamos muito abaixo no primeiro tempo. No segundo, melhorou, mas o Central teve três jogadores a menos. Hoje, mais uma vez fomos mal. Temos que trabalhar e rever conceitos. Mas na semifinal, começa outro campeonato, totalmente à parte do início.

Doriva critica gramado de Senhor do Bonfim e confirma retornos e estreia

Galaticos Online

dorivabahia(5)

O técnico Doriva fez duras críticas ao gramado do estádio Pedro Amorim, em Senhor do Bonfim, onde o Bahia encara o Bahia de Feira, neste domingo (20), às 16h, pelo Campeonato Baiano. Na primeira fase da competição, o centroavante Hernane se machucou no equipamento esportivo, mas o treinador garante que os jogadores não estão preocupados com este fato.

“Se a gente entrar temeroso de que vai acontecer alguma coisa a gente vai acabar sendo prejudicado. Mas acredito que isso não passa pela cabeça do atleta, obviamente que a qualidade do gramado continua sendo ruim, mas o atleta não pensa dessa maneira e nós também não. Sabemos que vai ser um jogo difícil por causa dessa dificuldade que é fazer um jogo onde você propõe o jogo, precisa trabalhar a bola e tem a dificuldade do gramado”, disse.

Doriva aproveitou ainda para confirmar os retornos de Edigar Júnio e Feijão, que foram poupados na partida da Copa do Brasil. “Esses jogadores retornarão. Outro jogadores que participaram da atividade ainda não estão prontos. Estamos trabalhando num protocolo de treinamentos para graditivamente começarem a jogar, mas o Edigar e o Feijão retornam”, completou o comandante.

Por fim, o treinador relatou que o atacante Henrique, recém-contratado pelo Bahia, deve fazer sua estreia com a camisa tricolor. “Acredito que sim. É um jogador que já vinha treinando e está pronto nesse quesito físico”, encerrou.

Presidente do Feirense critica dirigentes do Flu de Feira

Acorda Cidade

presidente

O Feirense deve mandar seus jogos do Baianão em 2016 em Teixeira de Freitas, cidade localizada no extremo sul da Bahia. A informação foi passada pelo presidente da Águia do Sertão, Dilson Carneiro Gamela, que alega que a saída da cidade é por falta de apoio.

“Nós estamos negociando com a prefeitura de Teixeira de Freitas, e o Feirense pode jogar lá o Campeonato Baiano do ano que vem. Aqui em Feira não tem espaço para o Feirense e nem para o Bahia de Feira”, disse Gamela.

Gamela se diz “bastante chateado com a ingratidão dos dirigentes do Fluminense de Feira, que não lhe agradeceram pela liberação do atacante Dadai”, que pertencia ao Feirense e saiu sem custo algum para o Touro do Sertão. “Eu liberei Dadai pra eles de graça, e eles ficam de ‘blábláblá’ nas rádios e falando bobagem”, desabafou Gamela.

Política conquistense: Herzem diz que Rui enviou ‘pacote de maldades’ para serem votadas na ALBA

Fonte: Bahia no Ar

DSC_1331

O deputado estadual conquistense Herzem Gusmão (PMDB) chamou nesta terça-feira (1), uma série de medidas enviadas à Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), pelo Governador Rui Costa (PT), de “pacote de maldade”. As medidas, que visam alterar benefícios do funcionalismo público, devem ser apreciadas e votadas pelos parlamentares. “Hoje, pela manhã, as comissões temáticas não se reuniram por falta de quórum. O governador resolveu deliberadamente convocar os deputados governistas para um café da manhã, quando foi apresentado o pacote de maldade que ele enviou para a Casa”, disse Gusmão.

“Eu espero que os parlamentares do governo pensem e possam refletir o que já fizeram este ano, a exemplo do Planserv. Chegou à Assembleia Legislativa da Bahia uma extensa relação de Projetos de Lei e uma PEC para serem votados. O governador Rui Costa pretende tirar direito e conquistas históricas do funcionalismo”, afirmou o deputado.

O pacote de alterações das regras atuais da administração pública estadual está sendo considerado pela oposição como mais uma maldade de Rui Costa contra os servidores públicos. “Nós, da oposição, fechamos questão e vamos votar contra e obstruir as votações”, declarou o peemedebista, que se reuniu com os docentes que compõem o Fórum das ADs, que são associações que agregam todas a universidades estaduais. “Eles estão insatisfeitos e demonstram preocupação com a possibilidade de que os direitos adquiridos pela categoria sejam retirados pelo atual governo”, afirmou Gusmão.

Herzem critica modelo da saúde pública de Vitória da Conquista

Blog da Resenha Geral

ec16dc242e047e4feda86e37790d288a

O deputado Herzem Gusmão (PMDB) participou nesta sexta-feira (21) de uma audiência pública organizada pela Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa. Presidida pelo deputado José de Arimateia, vice-presidente da Comissão, a audiência foi realizada na sede da OAB do município.

Em seu pronunciamento, o superintendente de regulação do governo estadual, José Rodrigues, que representou o secretário Fábio Vilas-Boas, apresentou o modelo das policlínicas cearenses que o governo pretende implantar na Bahia. O deputado Herzem Gusmão aproveitou seu discurso para criticar a saúde pública. “Na Assembleia, tirei o PT da zona de conforto. Eles sempre venderam a saúde de Vitória da Conquista como modelo, mas a realidade é bem diferente. Durante a audiência aconteceram relatos comoventes de pessoas que sofrem todos os dias porque não conseguem sequer marcar uma consulta”, afirmou Gusmão.

O deputado disse também que o médico Luiz Cláudio, do Cremeb, criticou o modelo de gestão da saúde conquistense. Ainda em seu pronunciamento, Herzem Gusmão disse que quando o senador José Serra era ministro da Saúde, Conquista tinha 33 equipes do Programa de Saúde da Família e que, nos 12 anos e meio de administração federal do PT, apenas mais seis equipes foram implementadas na cidade. “Também denunciei a desativação da Cupe e do Hospital Crescêncio Silveira, a privatização do Esaú Matos e falei das UPAS que não são implementadas”, disse o parlamentar.

A deputada Fabíola Mansur, que é médica, e o deputado Arimateia prometeram se empenhar para que Conquista tenha uma sistema de saúde melhor, à altura das necessidades e expectativas de sua população.

Presidente da FBF lamenta situação de estádios e anuncia medida para 2016

Galáticos Online

44

Entra ano e sai ano e o futebol baiano é obrigado a conviver com um problema que acaba prejudicando o brilho dos jogos e compromete o Baianão: as condições dos estádios pelo Interior do estado.

Em 2015, a história se repete. A apenas 23 dias do início do Baianão, apenas dois dos estádios que serão utilizados na 1ª rodada estão em condições e aprovados. Em entrevista à Equipe dos Galáticos, na Itapoan FM, o presidente da Federação Bahiana de Futebol (FBF), Ednaldo Rodrigues criticou o problema recorrente.

“Nosso contato com clubes e principalmente prefeituras se dá quando finda um campeonato. Fazemos um cronograma de vistorias e apresentamos todos os critérios. O primeiro estádio vistoriado foi em 1º de julho, que foi o José Rocha, em Jacobina. Respeitamos os critérios das Prefeituras, mas não podemos deixar de falar que houve sim uma morosidade. Tivemos de julho a dezembro e ainda estão nessas situações”, lamentou.

O dirigente comentou a situação particular de algumas praças esportivas. “Em Feira de Santana deixamos por último, pois o estádio foi utilizado pela Jacuipense na Série D. Me reuni com o prefeito José Ronaldo pessoalmente, na sede da Federação. Ele me garantiu que teria uma atenção maior ao gramado e realmente teve. Mas, me surpreendi quando no período de Natal soube que houve um jogo de confraternização de final de ano lá. Isso não pode acontecer. Não estou aqui culpando a Prefeitura, mas a administração do estádio não poderia ter permitido. O diretor de esportes de lá, que é uma pessoa muito educada, comete esse erro de liberar o estádio para qualquer tipo de jogo, qualquer competição”.

Sobre o Adauto Moraes, em Juazeiro, Rodrigues revelou que não serão programados jogos para o local. “O estádio de Juazeiro não tem condições de sediar jogos. É um estádio que nos dá dor de cabeça todo ano. Vamos ter que remanejar os jogos de lá”.

Já sobre o estádio de Porto Seguro, que deve ser a nova casa do Serrano, o mandatário afirmou que depende apenas da colocação de alambrados que separam as arquibancadas do gramado. “Eles (Serrano) nos posicionaram em Setembro sobre mandar jogos lá. Imediatamente mandamos coronel Diniz lá. A praça está bastante agradável, passou por obras para servir de CT na Copa. Porém, não tinha alambrados. Exigimos a implantação dos alambrados. Estamos aguardando uma nova vistoria agora em janeiro e esperamos que esse trabalho tenha sido concluído para que sejam liberados os jogos em Porto Seguro”.

Ednaldo também anunciou que todos os clubes e Prefeituras têm até o próximo dia 16 para resolverem seus problemas. “Todo mundo está trabalhando. Os presidentes de clubes não têm culpa muitas vezes, pois essas obras dependem das prefeituras. Agora, todos estão correndo e trabalhando para tentar resolver, mas isso poderia ter sido feito com antecedência e não foi. Não vamos colocar jogos em estádios que não tenham condições. No dia 16 de janeiro já vamos fazer uma tabela com a definição dos estádios para a 1ª rodada. Essa tabela não será alterada. Os estádios que não concluírem até lá as obras não serão utilizados na primeira rodada”.

Porém, o presidente da FBF, em primeira mão revelou onde devem ocorrer os jogos da do dia 1º de fevereiro. “Feirense e Serrano pode acontecer em Feira de Santana mesmo, pois temos informações que está melhorando. Jacobina e Galícia, se o estádio de Jacobina não reunir as condições, poderá ir para Senhor do Bonfim ou até mesmo para Feira de Santana. Jacuipense e Juazeirense vai ser no Roberto Santos (Pituaçu). Catuense e Colo Colo estamos verificando a possibilidade de acontecer em São Francisco do Conde”, destacou. Completam a primeira rodada Vitória x Bahia de Feira e Vitória da Conquista x Bahia, confirmados para o Barradão e o Lomanto Júnior, respectivamente.

Ednaldo Rodrigues concluiu a entrevista com mais um anúncio. O dirigente adiantou medidas drásticas que serão utilizadas a partir de 2016 e que podem deixar muitos clubes afastados do Baianão.

“Para 2016, já temos uma medida mais drástica. A diretoria da Federação se reuniu e decidiu que, para 2016, o clube que não tiver com os estádios em condições e com laudos aprovados já no momento da inscrição, não poderão se inscrever. Não daremos a inscrição aos clubes que não tiverem estádios em condições. Quem não pode ter estádio em condições não pode disputar o campeonato, vai ser assim. E o clube que mudar de cidade terá que ficar no mínimo três anos mandando os jogos nessa cidade. Caso contrário, também não será aceita a inscrição. Não aceitaremos mais essa situação que está aí. Se for preciso, faremos um campeonato com menos clubes. É uma medida drástica, mas necessária para acabar com esse problema que se arrasta ano a ano”, encerrou.

Venda de bebidas: Grupo de Combate à Violência nos Estádios critica projeto aprovado na AL-BA

Bahia Notícias

xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.LZL_7kosOx

Coordenador da Comissão de Prevenção e Combate à Violência nos Estádios do Conselho Nacional de Procuradores Gerais (CNPG), o procurador de Justiça José Antônio Baêta de Melo Cançado se posicionou contrário à liberação da venda de bebidas alcoólicas em estádios e arenas, aprovada pela Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) no último dia 28 de janeiro. O governador Jaques Wagner declarou nesta segunda-feira (3) que ainda não sabe se irá sancionar o texto.

“Nenhuma dúvida existe quanto ao fato de que após a adoção dessas medidas restritivas sucedeu significativa redução da violência no interior dos estádios, comprovada pelos registros das ocorrências policiais e através das estatísticas dos postos de atendimento médico, o que resultou no retorno das famílias, crianças e mulheres, com um maior comparecimento de torcedores”, defende o procurador, em nota.

O procurador afirma que a comissão presidida por ele e os ministérios públicos dos estados encararam com “perplexidade” a proposição aprovada na AL-BA. O representante do CNPG diz ainda que “se está priorizando a visão econômica em detrimento da segurança”. A proibição da venda e do consumo de bebidas alcoólicas nos estádios passou a vigorar em 2008, por meio de um protocolo de intenções firmado entre o grupo e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Posteriormente, a comercialização dos produtos foi restringida pelo Congresso Nacional, com a aprovação da Lei nº 12.299/2010, que alterou o artigo 13 do Estatuto do Torcedor.

Fifa critica polêmica com Brasileirão de 2013 e pede esclarecimentos à CBF

Ibahia

RTEmagicC_JosephBlatter-rep_13.jpg

A Fifa está insatisfeita com a polêmica que envolve o Campeonato Brasileiro de 2013 e o destino dos clubes que serão rebaixados para a Série B. A entidade declarou nesta quinta-feira (16) que não tolera o uso da Justiça comum para resolver questões esportivas.

Em entrevista ao site ESPN.com.br, a Fifa informou que já solicitou esclarecimentos à Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Irritados com a situação, membros da entidade querem saber se será necessário que haja uma intervenção no futebol brasileiro para resolver o imbróglio que envolve Portuguesa, Fluminense, Flamengo e Vasco.

“A questão (do tapetão) é um problema interno e, portanto, deve ser resolvido pelas autoridades competentes da CBF. No entanto, sobre arbitração desses conflitos, é necessário sempre se referir aos artigos 66 e 68 do estatuto da Fifa”, disse David Noemi, porta-voz da Fifa.

De acordo com o artigo 66, a Corte Arbitral do Esporte, na Suíça, deveria ser a única entidade capaz de resolver conflitos envolvendo times de futebol, já que é a única reconhecida pela Fifa. Além disso, o artigo 68 proíbe o uso da Justiça comum para resolver pendências como as do Brasileirão de 2013.

“Entrar com recurso na Justiça comum é proibido, a não ser que o caso específico tenha sido avaliado pela Fifa. Entrar com recurso na Justiça comum para a obtenção de medidas provisórias também é proibido. A Associação de futebol no país deve inserir em seus estatutos e regulações uma cláusula proibindo que se leve disputas na Associação, ou envolvendo a Liga, times, jogadores e árbitros, para a Justiça comum, a não ser que a Fifa dê autorização para tal”, diz o artigo.

Até o momento, duas liminares concedidas pela Justiça comum fazem com que a situação dos clubes brasileiros continue indefinida. Na última sexta (10), um juiz ordenou que a CBF devolvesse à Portuguesa e ao Flamengo os quatro pontos retirados por escalações irregulares. Cinco dias depois, um magistrado ordenou que a decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva fosse mantida.













comercial tommacon



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia